Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Liquido pré-ejaculatório

Gostaria de saber se o liquido pré-ejaculatorio pode engravidar.
Roberto
 
Caro Roberto,
 
Com efeito o líquido pré-ejaculatório pode engravidar, embora contenha menos espermatozóides que o esperma e, como tal haja menos probabilidades de engravidar. Por isto se recomenda a utilização do preservativo antes de qualquer contacto genital, também para prevenir a transmissão de infecções sexualmente transmissíveis.

Testes de gravidez

Nos últimos dias sinto a barriga um pouco maior e por vezes sinto-me um pouco enjoada, mas veio-me a menstruação e já fiz dois testes de gravidez que deram negativo - poderei eu estar grávida?
Maria
 
Cara Maria,
 
Deve consultar um médico numa consulta de planeamento familiar, pois a menstruação que teve pode sê-lo de facto e não estar grávida, como pode igualmente ser o “sangramento de implantação”, um corrimento sanguíneo que se pode confundir com a menstruação em que, com 25% das mulheres, alguns dias após a fecundação, quando o óvulo fecundado se vai implantar nas paredes do útero, o que pode causar sangramento. Algumas mulheres têm um corrimento acastanhado e de fluxo variável durante uns 2 ou 3 dias após a implantação.
Há dois tipos de testes de gravidez – de urina e de sangue, não sei qual destes terá feito, os testes de gravidez da farmácia são bastante fiáveis, se forem feitos correctamente, mas o ideal é fazer uma análise ao sangue. O seu modo de funcionamento consiste em avaliar a existência de uma hormona que se chama hCG (Gonadotropina Coriónica humana), que o organismo produz quando a placenta se está a formar. Os testes imunológicos, feitos através da análise à urina, geralmente, só detectam esta hormona após 4 a 14 dias da falta da menstruação e nunca após a concepção. Pode optar por levar a primeira urina da manhã a uma farmácia e saberá o resultado passado 5 minutos. Se der negativo, pode ainda ser um negativo falso. É muito raro ser um positivo falso, mas pode acontecer.
Os testes enzimáticos (ELISA), feitos através de uma análise ao sangue, são mais seguros, podendo dar conta de uma gravidez logo 12 dias depois da concepção.
A sensação de barriga inchada e enjoos podem ser devidos a outra condição que não a gravidez; mas uma consulta irá esclarecê-la melhor.

Acidente com o testículo

Desde há uns meses atrás tudo corria bem com o meu funcionamento sexual, certo dia aleijei-me no testículo esquerdo e na altura senti uma grande dor. Passou durante algumas horas mas depois voltou a doer.
Estas dores são muito fortes e apareciam frequentemente durante o dia.
Alguns dias depois quando estava a masturbar-me reparei que a erecção não era muito forte, não fiquei muito preocupado, o pior foi quando cheguei ao orgasmo e ejaculei reparei que a quantidade de esperma era bastante reduzida e ainda fiquei mais preocupado. Cerca de 2 dias depois, me queria masturbar, não conseguia de nenhuma maneira obter uma erecção.
Pensei recorrer a um médico mas resolvi esperar. Passou-se cerca de uma semana e já conseguia dificilmente obter uma erecção mas quando ejaculava não saia nada.
Passados quase 4 meses voltou quase tudo ao normal. Consigo obter uma erecção apesar de parecer que não conseguir ter uma erecção completa ou não tão forte como era, e quando ejaculo sinto uma sensação esquisita que não existia antes e que não sei bem explicar.
Com isto não sei se se passará algo de errado e se deveria consultar um médico. Não sei se o urologista é o indicado.
Martinho
 
Caro Martinho,
 
Penso que deve consultar um médico, seja urologista directamente, seja um recomendado pelo seu médico de família. Só ele lhe poderá fazer um diagnóstico diferencial e determinar se o seu problema é fisiológico ou psicológico.
Da minha parte, penso que a dor que sentiu pode ter desenvolvido em si um medo exagerado de sofrer consequências ao nível sexual e, como tal, entrou num ciclo vicioso de observação atenta do seu pénis e da resposta sexual que ele fazia, a um ponto que a sua atenção deixou de estar focada no prazer sexual, mas sim na performance, no seu desempenho.
Este ciclo faz com que o próprio corpo não responda da melhor maneira, pois sente-se avaliado, observado e daí que sinta erecções menos fortes e sensações esquisitas na ejaculação.
Esclareça com o médico se ficou com sequelas no testículo ou no aparelho reproductor e tente não ser observador de si próprio.
Entregue-se às suas fantasias sexuais e deixe-se levar pelo prazer da masturbação, sem se desviar para pormenores técnicos da sua resposta sexual – verá que a sua resposta sexual vai melhorar.
Não deixe este problema crescer em bola de neve e consulte um sexólogo/a se persistir. Nós damos consultas de sexologia, em Lisboa, próximo do Saldanha e podem ser marcadas no telefone 21 318 25 91.
 

Medo da pílula

Comecei a tomar a pilula Yasminelle. Iniciei no primeiro dia da minha menstruação e não tinha tomado nenhum contraceptivo hormonal no mês anterior, ou seja, estava a iniciar a pílula. Tomei-a sempre sem esquecimentos e por volta da mesma hora (entre as dez e as onze horas da noite).
Na semana passada tomei a última pílula da caixa e iniciei a semana de pausa. Tive logo sinais de sangue e no terceiro dia senti umas dores ligeiras e notei um pouco mais de fluxo (o que acho normal). Só que nesse mesmo dia tive relações sexuais com o meu namorado, mas usamos preservativo e ele ejaculou fora da minha vagina. E para além disso tivemos cuidado ao colocar o preservativo e de ver se se tinha rompido (o que não aconteceu).
A minha preocupação está se pode haver algum risco de ocorrer uma gravidez! Apesar de todos os cuidados não consigo estar descansada e gostava
que a Drª me ajudasse. É normal toda esta preocupação e medo de engravidar? Fico sempre assim.
Susana
 
 
 
 
 
Cara Susana,
 
A sua preocupação é um pouco excessiva para quem toma a pílula correctamente, como me diz (veja mais aqui http://consultoriosexologia.blogs.sapo.pt/tag/p%C3%ADlula) e utiliza preservativo igualmente. A protecção dupla é muito eficaz na prevenção da gravidez indesejada e da transmissão de infecções sexualmente transmissíveis. Repare que na semana de pausa entre as caixas de pílula continua protegida da gravidez indesejada.
A sua ansiedade com a gravidez pode prejudicar a sua capacidade de se entregar ao prazer do sexo, pelo que deve reflectir sobre ela, sozinha e com o seu namorado. Podem optar por ter sexo não penetrativo, em algumas relações sexuais, para ter prazer sem essa preocupação com a penetração.
Pense bem se não se estará a sentir culpada por ter relações sexuais antes do casamento, por exemplo, pois por vezes as mulheres deixam-se influenciar por preconceitos sociais infundados e injustos para com elas. Não ligue a essas ideias feitas e divirta-se na sua sexualidade. 

Sexo e dificuldades erecção

Tenho 17 anos e tive a minha primeira experiência sexual há pouco tempo. Foi com uma profissional do sexo, só que não foi tão bom como eu esperava. 
Eu fui numa quarta feira, eu masturbei-me antes por conselhos de amigos. Cheguei lá ela fez-me sexo oral, até aí tudo bem. Só que quando coloquei o meu pénis na vagina dela ele ficou mole. Depois ela masturbou-me e tudo mais, mas não consegui ficar duro novamente.
Fui de novo na sexta feira, sem me masturbar, ela  fez-me sexo oral de novo, eu estava excitado, penetrei-a um pouco, mas o meu pénis amoleceu de novo. 
Não consigo entender, eu me masturbo pelo menos uma vez por dia, às vezes quatro, e quando vou praticar sexo não consigo!!?? Qual é o meu problema? Será que é por culpa dos remédios que eu tomo? (são Daforin (anti depressivo) Rivotril (calmante) e Zargus).
João
 
Caro João,
 
As dificuldades de erecção que sentiu podem dever-se a muitos factores, mas o mais importante é que perceba que não se deve preocupar tanto com a sua performance e penetração, pois essa atitude negativa em relação a si mesmo prejudica-o, leva-o a sentir ansiedade no momento e mesmo em antecipação do momento.
Saiba que a masturbação não se relaciona com o seu caso, pode fazê-lo e deve até fazê-lo, com pensamentos e fantasias positivas para si.
Analisemos os factores que refere, que podem ainda ter outros a reforçá-los: toma medicamentos do foro psiquiátrico que sem dúvida influenciam a resposta sexual; tentou a relação sexual num contexto de pouca intimidade (a profissional do sexo) e, como tal, pode ter ficado mais nervoso com isso, embora em alguns homens as dificuldades surjam, por exemplo, quando estão apaixonados e querem muito satisfazer a parceira; voltou à mesma situação sexual mais com o objectivo de se “testar” a si próprio do que procurara ter prazer, o que diminui muito a sua capacidade de se excitar…
Eu não diria que o seu problema é disfunção eréctil, mas sim dificuldades de erecção. Contudo, se a sua ansiedade continuar a interferir na sua capacidade eréctil deve procurar um técnico de saúde, de preferência sexólogo, para que esta dificuldade não se transforme num problema sexual instalado na sua sexualidade. Procure o tratamento se perceber que não consegue relaxar por si e entregar-se ao prazer sem preocupações. As nossas instalações, onde damos consultas de sexologia, ficam próximas do Saldanha, em Lisboa, e as consultas podem ser marcadas no telefone 21 318 25 91.
Veja mais sugestões em: http://consultoriosexologia.blogs.sapo.pt/tag/disfun%C3%A7%C3%A3o+er%C3%A9ctil
 

Serei Bissexual?

Sou um jovem de 32 anos, que desde tenra idade sente imenso prazer na estimulação anal. Já tive relações quer com mulheres quer com homens (sou somente passivo), no entanto em termos emocionais e sexuais é com mulheres que me sinto completo.
Sexualmente excita-me o facto de pensar que estou a fazer sexo oral a outro homem e também que estou a ser penetrado analmente, contudo, todo o jogo de carícias, beijos e afectos causa-me alguma repulsa.
Ou seja, perante todo este cenário gostaria saber se efectivamente sou bissexual ou se este tipo de situação tem outro enquadramento?
Diogo 
 
 
Caro Diogo,
 
Só o Diogopoderá compreender se será ou não bissexual, qualquer pessoa que o queira descobrir por si estará a trair a seu desenvolvimento pessoal. Não dê tanta importância aos rótulos…O Diogo é uma pessoa que tem atracções e comportamentos sexuais com outras pessoas, sejam elas quem forem.
As referências que faz aos comportamentos anais não são decisivas em nada: há muitos casais de sexo oposto que também os têm e a diversidade de experiências sexuais, desde que consentidas por ambos, são saudáveis e positivas. O facto de não experimentar a posição "activa" pode ser apenas sinal de que teme fazê-lo.
Parece-me que a repulsa que sente com carícias, beijos e afectos deve ser reflexo de uma situação muito comum em pessoas que não são exclusivamente heterossexuais – a homofobia internalizada.
Em primeiro lugar, a homofobia consiste em atitudes e sentimentos negativos em relação a questões relacionadas com a homossexualidade e relações entre pessoas do mesmo sexo. Ela existe porque a sociedade e a nossa educação é feita de modo heterossexista, ou seja, como se não existisse a homossexualidade, dirigida a normas sociais que deixam de fora uma fatia considerável da sociedade (crê-se que a população de pessoas não heterossexuais deve ser entre 5 a 10% do total).
A homofobia internalizada trata-se desta negatividade em relação a si mesmo. Repare como sente problemas em questões de intimidade e confiança com pessoas do seu sexo, embora não com pessoas do sexo oposto (pelo que expõe), mas as atracções e os comportamentos sexuais dão-lhe prazer.
Não tenha vergonha desse prazer e dessa descoberta de si mesmo. O importante é ser fiel a si mesmo e procurar a sua felicidade, sem magoar outros, num processo que por vezes não é tão rápido como desejava, mas pode ser tão gratificante, quer com homens quer com mulheres.
Tente socializar com pessoas lésbicas, gays ou bissexuais para partilhar a sua situação e preocupações, verá que o poderão compreender. Em Portugal, existe a ILGA, as Panteras Rosa, a Não te Prives, entre outras associações. Se sentir que tem pensamentos demasiado negativos e perigosos para si procure um terapeuta especializado, que não seja preconceituoso e o possa ajudar. As nossas instalações, onde damos consultas de psicologia, ficam próximas do Saldanha, em Lisboa, e as consultas podem ser marcadas no telefone 21 318 25 91.
 

Dores na penetração

Tenho 21 anos já tenho esta relação faz um ano, mas nunca consequi que ele me penetrasse, porque tenho muitas dores na penetração e isso diminui o meu prazer.No final só sinto dores - o que eu devo fazer?
Clara
 
Cara Clara,
 
Como refere que nunca conseguiu a penetração tem de consultar um médico ginecologista ou terapeuta sexual, para avaliar as causas – podem ser fisiológicas ou psicológicas ou mesmo ambas, mas apenas uma consulta poderá avaliar a possibilidade de ter uma perturbação sexual feminina, como a dispareunia ou o vaginismo.
Entretanto, nas suas relações sexuais, deve tentar relaxar e entregar-se a carinhos e festas durante um tempo substancial (a lubrificação depende do prazer que sente antes de iniciar a penetração). Não vou definir-lhe um tempo limitado, mas sugiro-lhe um mínimo de meia hora, antes de tentarem a penetração ou sequer de pensarem nisso (podem até nem chegar a concretizá-la mas procurar o prazer na mesma!). Isto irá diminuir a pressão para a penetração que parece sentir. 
Experimente utilizar um lubrificante adicional nas suas penetrações, para perceber se será uma mulher que lubrifica pouco e isso que lhe dificulta a penetração.
Tente pedir ao seu namorado que a penetre aos poucos e de forma gentil, ou seja, sem colocar o pénis todo na vagina de uma vez, e à medida que ele for introduzindo o pénis deve controlar a profundidade e velocidade da penetração, deve também contrair e relaxar os músculos da vagina durante este exercício. Desta forma vai sentir mais controle durante a penetração e vai acabar por descontrair e por sua vez sentir mais prazer. Aconselho também que explore o seu corpo através da masturbação, para que possa descobrir como gosta de ser tocada e o que lhe dá prazer, pois o primeiro passo para sentir prazer com um parceiro é ser capaz de o fazer sozinha.
Como o seu problema pode ser mais específico da esfera sexológica, seria desejável fazer uma consulta presencial, para fazer uma diagnóstico diferencial. As nossas instalações ficam próximas do Saldanha, em Lisboa, e as consultas podem ser marcadas no telefone 21 318 25 91.

Será ejaculação retardada?

Vivo com o meu namorado há mais de dois anos e antes dele tive alguns parceiros sexuais. Não querendo entrar em comparações, porque cada pessoa é diferente, acho que o meu namorado pode sofrer de ejaculação retardada.
Não atinge o orgasmo com sexo oral nem com algumas posições sexuais. Nas posições em que chega lá demora muito tempo (para cima de 20 min de penetração contínua) e por vezes nem atinge o orgasmo com penetração, pelo que muitas vezes só acontece se se masturbar.
Isso não parece incomodá-lo mas para mim por vezes chega a ser penoso pois não consigo manter a excitação tanto tempo e a partir do momento em que atinjo o orgasmo perco mesmo a vontade.
Há alguma coisa que possamos fazer para aumentar a sua sensibilidade?
Rosa
 
Cara Rosa,
 
A ejaculação retardada, tal como outras disfunções sexuais, só devem ser diagnosticadas por técnicos de saúde ou de sexologia. Dirija-se com o seu parceiro a uma consulta especializada de sexologia se pensa que a vossa relação está a ser significativamente prejudicada por esta situação.
Pode tentar aumentar a sensibilidade utilizando lubrificante que aquece, pois irá trazer mais irrigação sanguínea ao pénis e pode facilitar o orgasmo, mas certamente que outras condições terão igualmente de estar controladas para que tal aconteça (ele estar à vontade, sem preocupações, nem pressões, o ambiente ser adequado e seguro para ambos, terem tempo para relaxar…).
Não encare a sexualidade de uma forma pré-determinada… Não há problema de um membro de um casal não atingir o orgasmo em algumas relações sexuais, pode haver satisfação suficiente na excitação e no prazer do outro, não há problema se um membro do casal se masturbar depois da penetração (depois de estarem ambos satisfeitos com a penetração). Uma grande vantagem da utilização de lubrificação extra, para além da vossa natural é não se magoar, depois do seu orgasmo e enquanto ele tenta o seu. Fale com ele sobre como o pode ajudar, sem criticar nem pressionar e divirta-se com o prazer que podem ter os dois!

Medos e primeira vez

Tenho 16 anos e o meu namorado também. No passado dia 6 fizemos amor pela primeira vez, ambos éramos virgens, correu tudo bem, utilizámos o preservativo, colocámos bem!
Acontece que tenho andado com medo que possa ter rompido sem darmos por isso ou que possa ter tido um furo e que eu esteja grávida. 
Nunca costumo ter o período certo, mas no mês passado apareceu dia 20 e já estamos a dia 22. Queria que me ajudasse a perceber se este meu medo é normal. Não quero ter nenhum bebé agora. Já me informei e vou começar a tomar a pílula. Tenho medo. 
Carla
 
Cara Carla,
 
Ainda bem que já decidiu começar a fazer a contracepção hormonal, a que chamamos normalmente a pílula. Ficará mais descansada e livre para sentir o prazer das relações sexuais, em vez de estar preocupada.
Se a sua menstruação não é regular não pode esperar que este mês o seja, não se preocupe tanto que tal também influencia que o período não venha.
Se o preservativo tivesse rompido teriam reparado pois saía esperma quando o deitavam fora ou ficava dentro da vagina ao retirar o pénis. Se o seu namorado não disse nada, penso que a sua preocupação é mais por insegurança em estar agora a iniciar a sua vida sexual. Se o fez de livre vontade e com desejo sincero, deixe-se levar e previna as gravidezes indesejadas e as infecções sexualmente transmissíveis (usando ambos a pílula e o preservativo) e entregue-se ao prazer e á descoberta da vossa sexualidade.