Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Tema de Hoje: Orgasmos

“O que é o Ponto-G?”

“A minha namorada disse-me que existe um sítio na vagina que se chama Ponto-G, que quando estimulado pode provocar orgasmos bastante fortes. É verdade que ele existe?”

Nuno, Lagos

Caro leitor:

A existência, localização e importância do Ponto G para o orgasmo feminino foi descoberto recentemente pelos sexólogos americanos Perry e Whipple. O Ponto-G trata-se de uma pequena aglomeração de terminações nervosas e glândulas no interior da vagina que, quando estimulado, pode fazer a mulher alcançar um grau de excitação extremamente intenso capaz de provocar o que os autores definem como “orgasmos uterinos”. O Ponto-G situa-se na parede superior da vagina e é uma zona particularmente sensível que pode fazer qualquer mulher perder o controlo. Para conseguir proporcionar este tipo de orgasmo à sua companheira aconselho-o a estimular manualmente o interior da vagina conversando com a sua namorada sobre o que lhe dá mais prazer. Um factor bastante importante é que ela relaxe e não se sinta pressionada a atingir o orgasmo, pois só assim ele surgirá naturalmente.

Tema de Hoje: Adolescentes

“Posso ficar impotente?”

“Tenho 18 anos e fumo desde os 16. Ouvi dizer que a nicotina e os outros componentes dos cigarros provocam impotência. Será verdade?”

Nuno, Peniche

 

Caro Leitor,

 

O tabaco não causa apenas lesões a nível sexual, mas também tem outras vertentes, pois existem milhares de pessoas que morrem diariamente vítimas do cancro do pulmão. A partir deste exemplo é possível verificar os efeitos nefastos que o tabaco pode causar.

O tabaco provoca problemas a nível respiratório, que podem causar problemas sanguíneos e para que a erecção aconteça é necessário que haja um bom fluxo sanguíneo no pénis, logo quando existem problemas de circulação, esse fluxo não vai ser suficiente o que causa incapacidade de ter uma erecção. Portanto, o tabaco associado à má circulação pode provocar alguns problemas de saúde, entre os quais a impotência e infertilidade.

 

Tema de Hoje: Sexualidade Conservadora

No que toca ao sexo tenho uma atitude aberta e de vale tudo, porém a minha companheira é mais conservadora. Desejo fazer sexo anal ao que ela não acede, porque diz que as dimensões do pénis são muito grandes para tal. Já lhe consegui fazer sexo oral, embora não ela não tenha gostado muito e disse que a minha língua causava infecções na vagina. Raramente consigo que ela me faça sexo oral a mim.
Será que há forma de convencer a minha mulher e ter uma visão do sexo mais aberta? E será que de facto a língua causa infecções na vagina?
Paulo
Caro Paulo,
Parece que o vosso casal tem problemas em explorar a sexualidade de um modo que agrade aos dois. Vão ter de conversar muito e ser criativos, para encontrarem actividades que não choquem a sua mulher e lhe dêem a si as experiencias novas que procura.
Comece por tentar sugerir coisas mais simples e vá complexificando ao longo do tempo: por exemplo, pode começar por sugerir massagens (que podem ser muito excitantes), banhos de imersão em conjunto, masturbação mútua, posições sexuais mais originais e só depois passar para práticas como o sexo oral recíproco ou sexo anal.
O sexo anal deve ser feito com alguns cuidados de higiene extra, que podem responder a esse receio de o pénis ser muito grande: usar lubrificante à base de água, estar bem relaxado (pelo que ter vontade de experimentar é essencial) para o ânus se adaptar, visto que não é tão elástico como uma vagina, e usar preservativo que não tenha sido previamente utilizado no sexo vaginal nem o vá ser para não levar bactérias de um para o outro.
A educação influencia muito o modo como vivemos a nossa sexualidade e a sua mulher claramente não sente a liberdade de experimentar e aproveitar o prazer, sem vergonhas e culpabilidades de o estar a fazer. Tem de ser paciente, comunicar muito (sem criar discussões que vos afastem) com argumentos da ciência - com efeito a língua não transmite infecções à vagina, a menos que tenha herpes labial ou outras condições, em que não deve tocar a pele de outra pessoa na fase contagiosa – tentado que com o tempo a sua mulher compreenda a importância desta dimensão sexual na sua vida e na vossa vida de casal. Não espere mudanças rápidas, mas acredite no potencial do vosso amor e no poder da imaginação!
Pode ajudar-vos terem consultas presenciais de sexologia, para esclarecer alguns mitos da sexualidade e planearem em conjunto actividades sexuais com a ajuda de um profissional. Nós estamos no Saldanha, em Lisboa e pode marcar consulta através do telefone 21 318 25 91.

Tema de Hoje: Sexo Oral

“A minha namorada pediu-me para rapar os pelos púbicos”

 

“Recentemente a minha namorada pediu-me para rapar os pelos púbicos o que achei bastante estranho. Será que isso é uma pratica normal entre homens?”

Miguel, Bragança

 

 

Caro leitor

Não vejo qualquer problema em realizar o pedido da sua namorada, de facto existem muitos homens e mulheres que optam por aparar ou rapar completamente os pelos púbicos. Existem algumas vantagens em faze-lo, o acto sexual torna-se mais higiénico, a pratica de sexo oral tanto no homem como na mulher torna-se mais agradável, facilita a utilização de lubrificante e evita irritações dos órgão genitais femininos aquando da penetração. Outra vantagem em rapar ou aparar os seus pelos púbicos é o facto de fazer com que o seu pénis pareça maior, pois este passa a estar exposto na sua totalidade. Se rapar completamente os pelos o incomoda experimente apara-los, não tenha tabus, se a sua namorada lhe fez esse pedido ela há de ter as sua razões, por isso realize-o o seu pedido.    

Tema de Hoje: Orgasmos

“Só atinge o orgasmo por estimulação dos mamilos…”

“Namoro há um ano e a única forma da minha namorada atingir o orgasmo é quando eu estimulo os seus mamilos. Nunca tive nenhuma namorada com quem isto acontecesse. Será que a minha namorada tem algum problema?”

Ricardo – Sacavém

 

Caro leitor,

Cada mulher é um caso único. Só porque nunca teve uma namorada que atingisse o orgasmo através da estimulação dos mamilos não faz com que a sua namorada actual não seja “anormal”. De facto, existem muitas mulheres que atingem o orgasmo dessa forma. O corpo humano está repleto de nervos que podem causar sensações muito intensas. Os seios são uma das zonas mais sensíveis do corpo feminino havendo várias mulheres que atingem o orgasmo quando os seus mamilos são estimulados. A ideia de que a forma “correcta ou normal” de atingir o orgasmo é através da penetração está ultrapassada e tem causado bastantes problemas entre casais. Há que ter em mente que cada mulher é diferente, e o que dá prazer a uma mulher pode não ter o mesmo efeito com outra mulher. O importante é que a sua namorada descobriu a forma de atingir o orgasmo mais adequada para ela, o que é óptimo! Não perca tempo a pensar no que é normal ou anormal numa relação sexual., pois o que interessa é aquilo que lhe dá prazer a si e à sua namorada.

Tema de hoje: Menopausa


Klimt

 

 

Boa tarde,
Tenho duas questões para as quais gostaria de ser esclarecida, se possível.

  1. Faço sexo oral frequentemente e gostaria de saber se engolir o esperma faz mal.
  2. Tenho 46 anos e entrei na menopausa. Desde Setembro último que não tenho menstruação. Ultimamente tenho relações sexuais sem protecção. Será que corro algum risco?
Desde já agradeço uma resposta a estas 2 questões.
Cumprimentos
Maria José
Cara Maria José,
O esperma é constituído por espermatozóides (os gametas masculinos), líquido prostático (como o próprio nome diz, líquido produzido pela próstata), líquido seminal (da vesícula seminal) além de ácidos ascórbico, cítrico, úrico, láctico e pirúvico; contém também frutose, potássio, colesterol, ureia, magnésio, zinco e vitaminas B12, E e C. Não lhe faz mal à saúde engolir, embora seja importante saber que o vírus do VIH/SIDA pode ser transmitido de tal maneira, pelo que deve evitar engoli-lo, especialmente se a pessoa a quem está a fazer sexo oral nunca fez um teste e lho mostrou.
Em relação às relações sexuais desprotegidas, se o risco de engravidar é diminuto, por estar na menopausa e dar sinais de não fazer a ovulação, o risco de contrair infecções sexualmente transmissíveis não diminui, pelo que lhe recomendo que utilize preservativo nas relações sexuais e se certifique que este está bem colocado (veja mais no link: http://consultoriosexologia.blogs.sapo.pt/tag/coloca%C3%A7%C3%A3o+correcta+preservativo).

Tema de Hoje: Masturbação


Nan Goldin

 

 

 

 

 

Bom Dia, Prof. Drª Helena.

Gostaria de saber se a Drª pode  ajudar-me a entender o meu marido. Ele masturba-se quando não estou presente e diz não sentir prazer quando o faz.
Ele diz que é para se livrar do stress do dia-a-dia, mas nunca ouvi falar nisso. O que já ouvi falar é que libertamos a tensão sexual, mas ele diz que não é isso. Esclareça-me, por favor!

Flávia B
Cara Flávia,
A masturbação é uma actividade de busca de prazer com o próprio corpo e órgãos genitais, que pode ser feita solitariamente ou numa relação sexual. O prazer que o seu marido sente ao fazê-lo sozinho não significa que não goste de si, não goste da vossa relação ou que precise de mais qualquer coisa sexualmente. Há efectivamente pessoas que utilizam a masturbação para aliviar o stress (quanto mais nervosas mais o fazem) e, se isso não significar falta de controlo, inadequação dos sítios e situações onde o fazem, ou seja, se não houver um carácter compulsivo no comportamento, não há problema nem é disfuncional. Apenas pode chocar se não souber que é possível e se moralmente não gostar da ideia de masturbação. Como a Flávia reagiu negativamente ao perceber que ele o fazia na sua ausência, ele sentiu-se pressionado a dizer que não sentia prazer. Pode ser que o sinta ou não, mas tal não põe em causa o que sente por si e as relações sexuais que tem consigo.
Não se afaste do seu marido nem o trate mal por ter descoberto isto. Tente falar e compreender melhor e abertamente como ele se sente consigo e com a vossa relação e fique descansada que a masturbação não deve interferir no vosso amor. Pode pensar se lhe apetece apimentar a vossa relação e ser a Flávia a masturbá-lo – informe-se em livros, em sites da internet ou entre amigas sobre como fazê-lo e como tratar o pénis, para o surpreender e lhe mostrar que a masturbação feita por si pode ser um estímulo de prazer intenso!

Tema de Hoje: Adolescência e educação sexual

Sou casada e tenho 3 filhas entre os 7 e os 11 anos. Acho que deveria começar a abordar temas de sexualidade com elas mas não sei se o devo fazer. Preciso de ajuda!

Ana Teresa, Gaia

Cara leitora,

A maioria dos pais e encarregados de educação sentem alguma dificuldade em discutir assuntos relacionados com a sexualidade com crianças ou adolescentes. Existe muitas vezes o receio de não saber como abordar esses temas, de iniciar esse tipo de conversa cedo demais ou de forma não apropriada. Em alguns casos os pais ou encarregados de educação acham mesmo que se iniciarem esse tipo de diálogo com os jovens estão a dar-lhes autorização para serem sexualmente activos, e por isso optam por não abordar temas de sexualidade com eles. Esta ideia é falsa, pois vários estudos têm demonstrado que os jovens que estão bem informados a nível de sexualidade iniciam a sua actividade sexual mais tarde e de forma mais segura. Por isso não tenha receio e converse com as suas filhas sobre o tema.

Tema de hoje: casal

(Jerry Clovis)

 

 

 

Vejo em filmes pornográficos e gostava muito de experimentar sexo anal, mas a minha namorada não quer, diz que é sujo e tem medo. Como a posso convencer? Há alguma maneira de lhe explicar que ela até pode gostar e de a levar a fazê-lo?

Diogo
Caro Diogo,
Não o posso ajudar a convencer a sua namorada: tem de ser o leitor a perceber se a relação que têm lhe permite experimentar uma prática sexual nova e se isso faz sentido para os dois. É importante fazer a sua namorada sentir-se respeitada na sua sexualidade, para que aprecie as vossas relações sexuais. O que se vê nos filmes pornográficos não é necessariamente o que as mulheres preferem nas relações sexuais.
Esta prática pode realmente ser dolorosa para a mulher, pelo que estar confiante e excitada, ao mesmo tempo que relaxada, é muito importante para que sinta algum prazer. Como é uma área genital menos flexível que a vagina há mais probabilidades de fazer fissuras ou feridas e devem ter cuidados para que tal não aconteça, pois aumenta as probabilidades de contrair infecções.
Há modos de tornar o sexo anal higiénico e confortável: usar preservativo e lubrificante à base de água, estar bem relaxada, para prevenir problemas no ânus, tentar a penetração depois de um bom período de excitação e se houver penetração vaginal deve ser com um preservativo diferente do utilizado para a penetração anal, nunca deve passar do ânus para a vagina com o mesmo preservativo.
A vontade de ter novas experiências sexuais é saudável para um casal, por isso tente encontrar coisas que vos estimule aos dois: brinquedos eróticos, posições novas, novos lugares – espero que diversifique a sua vida sexual e partilhe o prazer com a sua namorada o melhor possível!

Tema de hoje: Orgasmos

Estou namorando há quatro meses, e apesar de sentir sensações maravilhosas quando estou com ele não consigo ter um orgasmos...aliás acho que só tive uma vez há muito tempo...mas é muito gostoso ter relações sexuais e sinto que chego muito perto do orgasmo...mas ele colocou uma pressão em mim que não consigo lidar, a obrigação de gozar, que se não conseguir me fazer ter um orgasmo vai me deixar, porque acha que o problema é com ele...que eu devia ter normalmente com outros...preciso de ajuda, até já pensei em aprender a fingir um orgasmo.
Cara leitora,
Apesar de se falar muito dos orgasmos da mulher, a verdade é que há um grupo de mulheres que não sente orgasmos, apesar de gostar de ter relações sexuais. Não posso afirmar se este será o seu caso, mas é positivo ler que gosta de ter relações sexuais e que se sente muito excitada – é por isso que a sexualidade e as relações valem a pena e nos dão satisfação, independentemente do final e dos orgasmos.
Saiba que a maioria das mulheres não atinge o orgasmo através da penetração vaginal. A estimulação oral e manual do clítoris são outras maneiras que pode experimentar para ver se consegue atingir o orgasmo. Tente descobrir sozinha, na masturbação, se consegue sentir orgasmos e depois tente mostrar ao seu parceiro ou partilhe com ele, com calma e algum jogo erótico o que gostava que ele lhe fizesse.
Muitas vezes o que acontece é o casal ter dificuldades em exprimir o que dá mais prazer aos dois e cada pessoa varia muito, mesmo ao longo da vida. A pressão que refere sentir não ajuda a atingir o orgasmo, mas sim fá-la ficar mais nervosa e a sentir menos o prazer. Tem de falar disto com ele, para que o vosso prazer não saia prejudicado. Não me parece que fingir seja uma boa solução, pois se ele vier a descobrir vai sentir-se traído e pode até afastar-se ainda mais de si. A comunicação sincera e a abertura sobre o que sente são melhores opções de resolução da dificuldade que está a sentir.
Tente não estar preocupada com isso durante as relações sexuais e deixar-se levar a sentir o prazer delas… A intimidade e as sensações físicas são mais importantes do que a satisfação final que pode tirar do sexo. Se pensa que este facto a está a prejudicar muito na relação, então procure ajuda especializada da sexologia, para mais conselhos úteis para descobrir a sua sexualidade.