Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Orgasmo Feminino

 

Algumas mulheres só conseguem atingir o orgasmo com a prática da
masturbação. Estudos Norte-Americanos indicam que apenas 29% das mulheres
atingem o clímax durante a relação sexual, mas 82 % atingem o clímax com a
prática da masturbação.

 

Fantasias Sexuais

 

Todas as pessoas
têm fantasias sexuais, sejam elas de que tipo forem. Quando somos transportados
para o mundo da fantasia, tudo é possível e não existe qualquer tipo de regras
ou responsabilidades, apenas satisfazemos todos os nossos desejos, sem que
ninguém nos acuse. As fantasias são situações idealizadas que temos liberdade
de inventar e que, na realidade, são quase sempre impraticáveis ou difíceis de
atingir. No entanto, os efeitos que elas provocam no nosso pensamento é
estrondoso e a nossa vida sexual fica ao rubro. Existe uma ligação directa
entre as fantasias sexuais e o aumento do desejo, ou seja, a Libido. Quantas mais fantasias sexuais
tiver maior será o seu desejo de as ver realizadas. É, por assim dizer, um
acessório sexual que, além de ser muito eficaz, não tem custos adicionais, os
pensamentos são seus e não existem regras. Deste modo, a maioria dos indivíduos
tem uma fantasia sexual que lhes garante a satisfação sexual, isto é, o atingir
do orgasmo, seja ele por relação sexual com o parceiro ou por masturbação. Por
onde quer que os seus pensamentos voem, um dos seus destinos é, quase sempre,
um lugar onde possa dar asas a um sexo escaldante.

 

TOP- 10- Tipos de Massagens

 

1.     
ASSEGURE-SE DE QUE O SEU
PARCEIRO ESTÁ CONFORTÁVEL E NÃO TEM FRIO, COM TOALHAS A COBRIREM-LHE AS PARTES
QUE NÃO VÃO SER MASSAJADAS.

 

2.     
NUNCA FAÇA DEMASIADA FORÇA-
LEMBRE-SE DE QUE NÃO É UM PROFISSIONAL E NÃO QUER QUE O SEU PARCEIRO DESISTA

 

 

3.     
USANDO AS PALMAS DAS MÃOS,
DESENHE SUAVEMENTE CÍRCULOS AO LONGO DE AMBOS OS LADOS DA SUA COLUNA.

 

4.     
USE AS PONTAS DOS DEDOS PARA
FAZER PEQUENOS CÍRCULOS SOBRE AS SUAS COSTAS, NUM MOVIMENTO ASCENDENTE EM
DIRECÇÃO AO CORAÇÃO.

 

 

5. SE SENTIR FOCOS DE TENSÃO, VA COM CUIDADO. SE O ESTIVER A MAGOAR, PARE.

 

 

6.   PODE USAR AS UNHAS PARA DESENHAR DELICADAMENTE CÍRCULOS NAS COSTAS DO SEU PARCEIRO.

 

 

7. PODE MASSAJAR OS BRAÇOS DE FORMA DELICADA, COMEÇANDO DOS OMBROS PARA BAIXO COM MOVIMENTOS FIRMES,
APERTANDO LIGEIRAMENTE.

 

8.     
NUMA MASSAGEM SENSUAL, AS NÁDEGAS SÃO UM PONTO IMPORTANTE, MASSAJE AS NÁDEGAS DO SEU PARCEIRO CHEGANDO O
MAIS POSSÍVEL AO SEU INTERIOR, DESDE QUE AMBOS SE SINTAM CONFORTÁVEIS.

9. HÁ QUE GOSTE QUE LHE MASSAGEM OS PÉS, OUTROS DETESTAM. SE O SEU PARCEIRO GOSTAR, SEJA FIRME, PARA
EVITAR AS CÓCEGAS- O CENTRO DA PLANTA DOS PÉS É UMA ZONA MUITO SENSÍVEL E
RESPONDE MUITO BEM A FRICÇÃO CIRCULAR.

 

10.

NO FINAL, TAPE O SEU PARCEIRO- SE OS MÚSCULOS RELAXADOS ARREFECEREM
PODEM CONTRAI-SE DE NOVO.

Relaxamento Erotico

Para o relaxamento erótico, massaje
o seu parceiro com uma loção corporal de óleos de aromaterapia. O toque relaxante,
o massajar firme pressionando os dedos sobre a pele são formas fantásticas e
sexys de relaxamento. Mas, lembre-se, não se deixe entusiasmar demasiado, esta
apenas a caminho da melhor parte.

 

 

PARA UMA SENSAÇÃO ADICIONAL,
DEIXE O ÓLEO NO FRIGURIFICO POR UMA NOITE ANTES DE O USAR, APOS TE-LO ESPALHADO
PELA PELE SENTIRA UM ARREPIO SÚBITO QUE PROVOCARA DE IMEDIATO UM FORMIGUEIRO
NOS SEUS SENTIDOS, DESPERTANDO UMA SENSAÇÃO FÍSICA EXITANTE- E AINDA NEM SEQUER
DEU UM BEIJO!

“Chamou-me de velho atrevido”

 

“Tenho 62 anos
e sou viúvo há 4 anos. Desde então nunca mais tive relações sexuais. (…) Porém,
comecei a interessar-me por uma jovem que frequenta a mesmo café que eu. Quando
ganhei coragem para lhe dizer o que sentia, ignorou-me. Embora tenha sido
rejeitado, todas as noites fantasio episódios de amor com ela e masturbo-me.
Isso tem algum mal?”

Joaquim,
Torres Vedras

Caro leitor,

 

A
verdade é que o amor não escolhe idades, mas não se martirize pelo facto de não
ter conseguido cativar a atenção da rapariga pela qual tem demonstrado
interesse. Outras oportunidades poderão surgir!

A
masturbação não é imoral nem nenhum acto perverso e não tem quaisquer
repercussões físicas ou psicológicas.

Para
saciar os estímulos manifestados fisicamente, próprios da sexualidade, o leitor
tem utilizado essa jovem como uma personagem para ilustrar as suas fantasias
sexuais nos momentos em que recorre à masturbação, de modo a atingir com maior
satisfação o clímax. Portanto, é perfeitamente normal aliar a fantasia à
masturbação para quebrar a rotina sexual, e no seu caso a abstinência de actos
que envolvam a penetração, e estimular a excitação.

De
modo a obter novas sensações na masturbação, aventure-se numa sex-shop para
conhecer acessórios e objectos eróticos.

 

“A minha namorada criticou o meu pénis”

 

 

“ (…) Já por várias vezes a minha
namorada teceu alguns comentários menos simpáticos a respeito do meu pénis.
Tenho evitado falar com ela sobre este assunto, pois tenho medo de a perder.
Porém, este facto tem condicionado o meu desempenho sexual e sinto-a diferente...”

 

Abel, Sintra

Caro leitor,

 

A atitude da sua namorada não é muito convencional quando realmente se ama e se
pretende a harmonia e o bem-estar conjugal.

A atenção que sua namorada tem demonstrado em relação ao seu órgão genital é
realmente estranha e pode ser apenas a denúncia de que algo poderá não estar a
correr tão bem como ambos desejavam. Por
isso, não tenha receio em
conversar com a sua namorada, pois quanto mais adiar essa conversa mais tempo
esse assunto ficará por resolver. A sua vida afectiva não deve ficar condicionada por comentários imaturos que o deixam
constrangido e inseguro. Fale abertamente com a sua namorada, pois esses
comentários podem ser uma forma de expressar algo que ela não tem coragem de
lhe dizer directamente.

Quanto à fisionomia do seu pénis é algo que não o deve preocupar, pois os pénis não
são todos iguais e nem existe um protótipo do pénis ideal. Tente não ficar
obcecado com esses comentários para que não afectem a sua performance sexual.

 

 

 

“Não tenho prazer com ela”

 

 

“ (…) Namoro há 5 anos e, inicialmente,
a nossa vida sexual era fantástica, mas desde que mudei de emprego e comecei a
trabalhar por turnos, começámos a estar muito pouco tempo juntos. Agora, nos
poucos momentos em que estamos sós é como se fossemos apenas amigos e
sexualmente não tenho prazer.”

Gonçalo, Campolide

Caro leitor,

 

Esta
fase pela qual está a passar tem a ver com a monotonia instalada na sua vida
afectiva devido à incompatibilidade de horários existente. O que se passa no
vosso caso, é que passaram de um extremo para o outro, isto é, antes estavam
sempre juntos e agora, por questões profissionais, o distanciamento forçado,
prejudicou a base sólida que a vossa relação tinha.

O
que se pode constatar é que a vossa relação não se encontra num período
equilibrado e aí é natural que o vosso entendimento sexual não seja o melhor.
Neste sentido, é importante que ambos pensem sobre esta questão, pois não se
trata apenas da insatisfação sexual, mas é também uma questão emocional e de
bem-estar.

Advirto-o
para o facto de que a vida amorosa não se resume apenas ao acto sexual, sem
carinho, diálogo e compreensão mútua a saturação é inevitável. Sem a construção
da afectividade, a intimidade na vida sexual não pode surgir.

Sugiro
que tente dinamizar a vossa vida. Nos poucos momentos que passam juntos,
realizem as vossas fantasias, programem encontros românticos e sejam ousados.
Não deixem que a rotina se instale na vossa relação.

 

“Os meus pais não me deixam namorar...”

 

 

“ (...) Estou apaixonada por um colega de faculdade.
Ele é italiano, está em Portugal temporariamente e quando terminar as cadeiras
que está a fazer, volta para Itália para concluir o curso. Por ele não ser
português e por estar prestes a regressar ao país de origem, os meus país não
me deixam namorar. O que faço?

 

Sofia, Alto dos Moinhos

Cara
Leitora,

É perfeitamente normal que, por um lado, se sinta
desamparada e sem saber o que fazer para salvar essa relação e, por outro lado,
tenha o forte desejo de não alimentar conflitos com os seus pais. No entanto,
também é natural que os seus pais, após avaliarem a situação do vosso namoro,
estejam apreensivos. Aja de uma forma prudente e mais paciente; o facto dos
seus pais não aprovarem a vossa relação pode ser uma questão de tempo,
principalmente, se conseguirem provar que o sentimento que nutrem um pelo outro
é verdadeiro e que a distância não será um motivo suficientemente forte para
que a relação não dê certo. Neste momento, os seus pais estão apenas a pensar
no seu bem, pois possivelmente pensam que pode estar a colocar em causa os seus
estudos por uma relação fugaz que poderá terminar assim que ele regressar a
Itália. Se lhes provarem o contrário quem sabe se não mudam de opinião e
aprendem a confiar mais em si. Falem sem tabus sobre esta questão e mostrem que
a distância, para vocês, não constitui qualquer impedimento para serem felizes.

 

“Apanhei o meu filho na cama com uma rapariga!”

 

 

“ (...) Sempre fui uma mãe bastante permissiva,
tolerante e compreensiva para com os meus filhos e sempre os deixei à vontade.
Porém, nunca pensei que o meu filho mais novo ficasse tão à vontade. Isto
porque um destes dias fui trabalhar, fiquei indisposta e qual não foi o meu
espanto quando abro a porta do meu quarto e vejo o meu filho na cama com uma
rapariga. Descontrolei-me e fiz um escândalo...”

 

Matilde, Queluz

Cara Leitora,

Compreendo o seu descontrolo, ainda mais quando tinha
total confiança no comportamento do seu filho e, para seu espanto, ele foi
completamente contra umas das regras que estava estipulada no seio familiar.

Esta é uma das cenas mais chocantes para os pais,
principalmente quando ainda olham para os seus filhos como crianças em ponto
grande. O seu filho está numa fase de descoberta da sexualidade e, sem querer,
foi levado pela satisfação de uma situação que se revelou prejudicial para a
vossa relação mãe-filho. Dialogue com o seu filho sobre esta questão, não
considere este deslize como uma falta de respeito. Procure manter-se calma, não
aja de uma forma descontrolada, pois pode quebrar a cumplicidade que sempre
houve entre vocês. Lembre-se que mais importante do que fomentar conflitos
desnecessários, é explicar-lhe os cuidados a ter na iniciação sexual e os
métodos contraceptivos que ele pode utilizar. Pode também encaminhá-lo para uma
consulta de planeamento familiar, pois estas consultas não são só para as mulheres,
os homens também podem e devem, sem temores, dissipar as suas dúvidas em
relação à sexualidade.

 

“Evito estar com ela...”

 

 

“Não sei o que se passa com o meu relacionamento com a
minha namorada. Discutimos imenso e evito estar com ela. (...) Ainda por cima,
passo a vida a pensar numa ex-namorada.”

 

Filipe, Sesimbra

Caro Leitor,

Pelo que relata, a vossa relação não está a atravessar um
período feliz. As discussões e a indiferença são constantes no vosso dia-a-dia.
O leitor atribui essas atitudes ao facto de ainda pensar numa ex-namorada. Mas
pense bem, esse motivo pode ser apenas uma forma de adiar o que é inevitável.
Em vez de ver o que é evidente, o leitor está a tentar arranjar uma solução que
pareça plausível para terminar a relação. Seja consciente e enfrente o problema
tal e qual como ele é, sem tentar tapar o sol com a peneira. Pense seriamente
sobre este assunto e seja fiel ao seu coração. Pense bem e não tenha essa
ex-namorada como um refúgio para resolver os seus problemas. A sua felicidade
está nas suas mãos.

 

Pág. 1/4