Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Será que o meu marido vai ficar impotente?”

“Estou casada há 15 anos e sempre tivemos uma vida sexual ativa e sem problemas. No entanto, no outro dia, estávamos em pleno ato e o meu marido não conseguiu ter ereção. Ficámos os dois constrangidos e confusos, porque nunca tinha acontecido. Será que ele se está a tornar impotente? ”

Carolina, Lagos

Cara Leitora,

O facto de o seu marido não ter conseguido ter ereção numa ocasião não significa que ele esteja a ficar impotente. Podem existir várias explicações para o sucedido sendo as mais frequentes o cansaço, o stress ou a monotonia. É normal que, passados alguns anos de casados, as coisas comecem a arrefecer e a rotina acaba por muitas vezes atrapalhar o bom desempenho sexual, seja da sua parte ou da parte dele. No entanto, cabe a si e ao seu marido fazer os possíveis para que o sexo não deixe de ser novidade. Use a imaginação, faça surpresas, prepare um fim de semana romântico e crie cenários e fantasias exóticas para dar um pouco mais de tempero à sua relação. Quanto ao episódio em que o seu marido teve dificuldade em ter uma ereção, não faça desse sucedido um bicho de sete cabeças. Como deve calcular, com o avançar da idade, poderá tornar-se um pouco mais difícil para ele ter uma ereção, mas isso não é regra geral nem significa impotência. Procurem desfrutar da vida sexual sem ansiedade. Mantenham a atenção, no entanto, para a ocorrência dessas situações, pois se se tornarem frequentes então sim exigem providências.

“Ejaculo antes dela ter um orgasmo!”

“Apesar de amar a minha esposa e de termos uma vida sexual ativa e feliz, nos últimos tempos tem sucedido algo que me está a inquietar muito. Ejaculo muito cedo, antes dela chegar ao orgasmo, o que tem prejudicado as nossas relações sexuais. Como posso prolongar a minha excitação para lhe dar tempo de ela ter um orgasmo?”

 

Paulo, Guimarães

 

Caro Leitor,

 

É muito positivo que se aperceba dessa situação e procure resolvê-la, pois é mais frequente do que se pensa e muitos homens nem se dão conta dela ou não têm a coragem de tentar resolvê-la. Assim, em primeiro lugar é importante perceber o que mudou na sua vida, o que o torna agora incapaz de exercer um controlo eficaz sobre o tempo de obtenção do orgasmo e assim impedir a vivência a dois dos momentos de prazer. Este aspeto é fundamental para o diagnóstico adequado dado que esta situação poderá ser apenas decorrente de um período, mais ou menos difícil, que está a viver e que condiciona o seu desempenho sexual. Se assim o for, a solução passa pela procura da causa da ansiedade, que o impede de dar o seu melhor durante o ato sexual. Mas se tal assim não for, seria aconselhável consultar um especialista para lhe transmitir alguma confiança e ajudá-lo nesta tarefa. No entanto, lembre-se que se trata de uma situação muito frequente entre casais, para a qual já existe tratamento, tais como a técnica Squeeze na qual o leitor deve fazer uma pausa quando sentir que está prestes a ejacular e deve apertar a base do pénis com o dedo polegar e indicador durante 5 segundos antes de recomeçar a relação sexual.

"Não me sinto atraída por ele"

Há uns meses conheci um rapaz bonito, simpático e atencioso e aos poucos fomo-nos envolvendo mais seriamente. Agora temos uma relação mais ou menos estável mas o problema é que ele não me excita sexualmente. Apesar de ele ser bastante atraente não sinto aquela química… o que se passa comigo?”

Rute, Beja

 

Cara Leitora,

Por mais que goste de estar ao lado do seu namorado e que aprecie a sua companhia, a falta de excitação e desejo sexual podem ser uma condicionante à vossa relação se não conseguir contornar esta situação. Existe uma chamada “química” entre as pessoas que é causada pela libertação de feromonas, que são hormonas responsáveis pelo desencadeamento da atração sexual, por vezes, quase “animal”, entre pessoas. No seu caso, parece que apesar de gostar bastante do seu namorado e de o achar até bastante atraente, a leitora não sente desejo sexual ou atração sexual por ele como sentiria por outras pessoas cujas feromonas a excitassem. Se gosta realmente dele como pessoa e gostaria de manter a vossa relação aconselho-a tentar usar a linguagem verbal e corporal para lhe indicar o que mais lhe agrada sexualmente, de forma a que o seu namorado a possa satisfazer sexualmente, e quem sabe, acender a chama da paixão que tem estado até agora apagada. Caso não resulte aconselho a que procure um terapeuta que a acompanhe nesse processo e que avalie o tipo de sentimentos que a unem ao seu par, pois por vezes o carinho e o amor que nos unem a outra pessoa não são sinónimos de haver paixão.

“Quero surpreender a minha namorada com massagens eróticas”

O nosso aniversário de namoro está próximo e eu gostaria de surpreender a minha namorada com uma massagem erótica, mas não sei como proceder.”

Gustavo, Lisboa

 

Caro Leitor,

 

A pele que reveste o corpo humano pode ser considerado como um órgão bastante complexo no que respeita à resposta sexual e por isso as massagens eróticas são uma boa forma de criar um encontro mais sensual e excitante, fazendo com que a sua namorada delire de prazer. O corpo humano está repleto de áreas com especial sensibilidade sexual, que são fortes zonas erógenas se forem corretamente estimuladas. Se quer impressionar a sua namorada, aconselho-o a comprar um livro que o ensine a respeito dessas zonas erógenas, tais como os pés ou as palmas das mãos. Depois utilize um creme de massagem com aroma sensual e deixe que a sua namorada aproveite todo o prazer que uma massagem lhe pode proporcionar. 

“A minha namorada beijou outra rapariga e eu não gostei!”

“Numa festa vi a minha namorada a beijar outra rapariga de forma bastante apaixonada. Os meus amigos dizem que eu sou um sortudo e que devia aproveitar a situação para tentar ter sexo a três, mas eu não gostei nada do comportamento dela e estou bastante chateado. É normal ela agir assim? Será que é bissexual?”

Diogo, Odivelas

 

Caro leitor

 

Apesar de muitos homens terem a fantasia de ter sexo com duas mulheres ao mesmo tempo, esse não parece ser o seu caso. Ao beijar outra rapariga à sua frente, provavelmente a sua namorada estava apenas a tentar chamar a sua atenção e a tentar excitá-lo sexualmente, sem que isso implique necessariamente que ela seja bissexual ou que goste de mulheres. Se o leitor não gostou do comportamento que a sua namorada teve, então deve ter uma conversa franca com ela de forma a que ela saiba como se sente. Talvez a sua namorada se sinta insegura a respeito do seu poder de sedução sobre si, por isso assegure-a de que ela tem a sua atenção incondicional e que ela não necessita de se exibir para que o leitor a ache sensual.   

 

“Não tenho tempo para o meu marido”

“Devido ao meu trabalho e aos filhos, não tenho dado muita atenção ao meu marido e, consequentemente, não temos tido relações sexuais com muita frequência, o que está a afetar o nosso casamento. Não quero perdê-lo e tenho algum receio que isso aconteça.”

 

Susana, Vila Nova de Gaia

 

 

Cara Leitora,

Se verifica que a sua vida sexual e conjugal estão a ser afetadas pelo facto de andar muito ocupada, é importante que faça algo o mais rápido possível para tentar ultrapassar este problema. É natural que uma vez que anda muito ocupada com o trabalho e com os filhos tenha notado uma diminuição do seu interesse sexual, mas não se esqueça de que tem um marido que sente a sua falta. Procure organizar o seu tempo de forma a poder ter tempo para desfrutar da companhia do seu marido. Arranje alguém que tome conta dos seus filhos durante algumas horas, no fim de semana, para que possa ter uma noite romântica com o seu marido, ou experimente deitar os seus filhos na cama um pouco mais cedo para que possa ter mais tempo a sós com o seu marido. Faça um esforço para tentar reacender a chama da paixão no seu relacionamento.

 

“Será que ele me está a utilizar apenas para ter sexo?”

“Ando há já alguns meses com um rapaz de quem gosto muito e que considero meu namorado, mas de cada vez que eu estou com ele, ele apenas quer ter relações sexuais, indo embora logo depois. Apesar de ele ter casa própria, nunca me convida lá ir e nunca quer ser visto comigo em público. Será que ele apenas me telefona para ter sexo?”

 

Sandra, Bragança

 

Cara leitora,

A maioria das mulheres suspeita dos namorados sem ter motivos específicos para o fazer, mas no seu caso, a leitora tem todos os motivos do mundo para suspeitar do seu namorado. Pela descrição que fez do seu comportamento, não parece que ele seja seu namorado mas sim apenas um amigo colorido. O facto de ele não a convidar para ir à casa dele e o facto de ele não querer ser visto em público consigo é um indicador bastante forte de que ele não quer ter um relacionamento sério consigo. Embora haja pessoas, homens e mulheres, que hoje em dia até optam por este tipo de “relação sem compromissos” e até se sentem confortáveis com ela, se essa situação a incomoda a si, aconselho-a a ter uma conversa franca com ele pois a leitora merece estar com alguém que a respeite e não com um homem que só a quer para dar umas voltas.

 

“Quer que depile por completo a zona púbica…”

“Inspirando-se em algumas modelos e actrizes brasileiras, a minha namorada pediu-me para depilar a zona púbica por completo, mas isso não me agrada muito pois tenho medo das dores que vou sentir.”

Catarina, Lisboa

 

 

Cara Leitora,

Ter fantasias sexuais e sentir que se pode partilhá-las com o parceiro/a é algo bastante saudável e estimulante para o casal. Através do seu relato, o que me parece é que a leitora não está muito disposta a ceder à fantasia da sua namorada, pois tem receio de sentir dores durante a depilação. Neste sentido, antes de tomar qualquer decisão em relação a esta fantasia, converse com a sua namorada e explique-lhe o seu ponto de vista. Se for de comum acordo, podem experimentar utilizar creme depilatório, em vez de cera para efectuar a depilação, o que não deve causar qualquer dor. Esta poderá ser uma experiência positiva para a sua vida sexual, por isso tente ser mais aventureira. Se esta fantasia não lhe agradar, converse com a sua namorada pois existem certamente outras formas de promover e fomentaro bem-estarsexual entre ambas.

“Ele não abre a boca!”

“Tenho 33 anos e adoro sexo. Gosto muito do meu namorado e damo-nos maravilhosamente na cama, mas há uma coisa que me causa estranheza e que me faz impressão: ele não abre a boca! Não faz qualquer barulho, é completamente silencioso. Nunca conheci nenhum homem assim! Será que ele não gosta de fazer amor comigo?”

 

Bárbara, Porto

 

Cara leitora,

Embora haja certos padrões comportamentais, nem todas as pessoas vivem o prazer da mesma maneira, e há pessoas – homens e mulheres – que permanecem absolutamente silenciosos, mesmo que por dentro se sintam completamente a vibrar. Mesmo que ele não lhe diga nada, o seu namorado pode estar a gritar o seu nome para dentro enquanto o está a estimular! A ideia transmitida por gerações de que o prazer é reprovável e deve ser guardado em segredo, assim como o receio de que os vizinhos se apercebam contribui para que algumas pessoas não exteriorizem através de sons aquilo que se passa no seu interior. O mesmo pode também acontecer por se sentirem tensas, nervosas ou inseguras. Procure incentivar o seu parceiro sem o pressionar, por exemplo quando sentir que ele está a ter prazer sussurre ao seu ouvido que gostava de o ouvir. Seja envolvente e compreensiva, pois cada pessoa vive o prazer da sua própria forma única e individual.

“Nunca tenho orgasmos quando fazemos amor!”

“Eu e o meu namorado temos uma vida sexual muito activa e gostamos muito um do outro, mas acontece que não consigo ter orgasmos quando ele me penetra, por mais que ele se esforce. Consegue provocar-me orgasmos facilmente quando me faz sexo oral, mas não tenho prazer nenhum através do coito, o que nos deixa a ambos bastante frustrados.”

 

Laura, Santarém

 

Cara leitora,

A situação que descreve é mais frequente do que possa pensar, pois muitas mulheres têm dificuldade em ter um orgasmo através da penetração. As paredes vaginais possuem relativamente poucas terminações nervosas, e apenas a parte mais baixa possui as suficientes para ser estimulada pelo pénis, dedos, ou outro tipo de penetração. Por essa razão, é mais difícil ter um orgasmo quando o pénis está completamente introduzido na vagina, pois a parte que recebe maiores estímulos é a que tem menor sensibilidade aos mesmos. O facto de conseguir ter orgasmos pelo sexo oral indica pistas preciosas para que consiga tê-los também durante o coito. Procure compreender, durante o sexo oral, aquilo que lhe provoca o orgasmo, que tipo de estimulação é mais eficaz e de que forma consegue chegar “lá” com maior eficácia. Procure com a ajuda do seu namorado integrar essas carícias que a levam ao orgasmo pelo sexo oral e pela masturbação e usá-las com a masturbação.  Uma vez que o prazer da mulher vem sobretudo com a estimulação do clítoris, o seu namorado pode estimulá-lo com os dedos ao mesmo tempo que a penetra, aumentando dessa forma as hipóteses de sucesso.

Pág. 1/5