Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“O meu marido nunca quer ter relações comigo.”

“Engordei bastante depois de ter tido o meu filho e sinto-me bastante mal por causa disso, pois era uma mulher atraente e normalmente chamava as atenções, cheguei a ganhar um concurso de modelos quando era mais jovem. Para piorar ainda mais a situação, noto que o meu marido perdeu o interesse sexual em mim, nunca me procura e quando eu quero fazer amor ele esquiva-se. O que devo fazer?”

 

Joana, Braga

 

Cara leitora,

Parece que o peso que ganhou a incomoda bastante, e imagino que apesar de dizer que o seu marido não tem interesse em si sexualmente, que você também não se deve sentir muito atraente ou sexy. Por isso, terá de decidir primeiro o que quer fazer para melhorar a sua auto-estima, pode tentar perder algum desse peso pois parece que isso a iria fazer mais feliz, e pode entretanto tentar vestir-se de forma que se sinta mais bonita e atraente, mesmo com o peso que tem, pois existem muitas mulheres que têm excesso de peso e nem por isso deixam de ser sexy e bonitas. Quanto ao seu marido, converse com ele acerca do que tem estado a sentir, pois pode ser que algo diferente se esteja a passar com ele e que faça com que ele tenha esta atitude em relação a si. Lembre-se que ter um bebé em casa muda muito a rotina e a vida do casal, e o seu marido pode estar também a sentir-se perdido em relação ao papel que tem na família e na sua relação consigo, ou apenas cansado com o acréscimo de tarefas que o cuidado de um bebé implica.

“Gostaria de ver filmes pornográficos com o meu marido”

“Gostava de falar com o meu marido sobre filmes pornográficos pois excita-me imenso a ideia de os vermos juntos e, até, pormos em prática algumas cenas. Mas tenho medo que, ao visionarmos este tipo de filmes, se torne um hábito e afecte a nossa relação, ou que ele pense que já não me excita naturalmente, sem recorrer a fantasias. Como devo proceder?”

 

Carla, Coimbra

 

Cara Leitora,

Não há nada como experimentar! Se acha que o seu casamento necessita de uma reviravolta em termos sexuais, o visionamento de filmes pornográficos em conjunto pode ser estimulante para dar um novo alento e para implementar alternativas às relações sexuais que têm mantido. Ninguém é melhor do que a leitora para saber qual será a reacção do seu marido relativamente a este tipo de assunto. Se ele for uma pessoa muito reservada e que se reja por valores e conceitos tradicionais, será melhor ir com calma para ver de que modo poderá introduzir esta inovação nas vossas vidas. Ao visionar este tipo de filmes com o seu marido vai permitir que haja uma maior cumplicidade entre ambos e uma nova perspectiva do sexo. Esta prática pode oferecer a possibilidade de se sentirem excitados só pelo simples facto de observarem outras pessoas a terem relações sexuais, ou seja, serem voyeurs dentro dos limites da segurança, na privacidade do vosso lar. O simples visionamento pode provocar no seu marido uma estimulação diferente e uma relação sexual muito satisfatória. Em relação a si poderá verificar que a visualização deste material explicitamente erótico será um dos melhores e mais rápidos caminhos até ao orgasmo, facilitando o acto sexual.

“Masturbei-me nas escadas…”

Tive uma noite escaldante na casa da minha namorada. Depois de sair de sua casa não resisti e masturbei-me nas escadas do prédio. Será normal este tipo de comportamento?”

 João, Sines

Caro Leitor,

O facto de se ter masturbado num local de passagem como as escadas do prédio acarreta alguns riscos que deve ter em consideração. No entanto, a masturbação, quando realizada de forma equilibrada, é algo altamente saudável pois permite a satisfação e bem-estar. Por isso, se este ato for realizado de forma ponderada, a masturbação não deve ser encarada como algo anormal. Alguns teóricos são da opinião de que a satisfação ao nível sexual reflete-se inevitavelmente na vida emocional, profissional e social. Desta forma, se a masturbação for encara de uma forma positiva e responsável poderá trazer repercussões positivas para o indivíduo.

“A minha namorada finge os orgasmos!”

“Há algum tempo que tenho tido a sensação que a minha namorada finge atingir do orgasmo. O gemer dela e as feições da sua cara não me parecem verdadeiros. Como hei de abordar este tema com ela sem que ela fique chateada comigo?”

 

Carlos, Gondomar

 

Cara Leitora,

É importante que aborde o assunto com a sua mulher, pois se de facto ela está a ter dificuldade em atingir o orgasmo ela deve estar a sentir-se bastante preocupada. Faça sugestões... diga que por vezes você não tem a certeza se está a fazer algo da forma que ela mais gosta e que gostaria que ela lhe mostrasse como lhe pode dar mais prazer. Mostre-lhe a sua genuína preocupação pelo assunto, assegurando-a de que é importante para si que ela se sinta satisfeita sexualmente e que está aberto a sugestões para que isso aconteça. Acredite que esta conversa será um alívio para ela pois finalmente terá a oportunidade de lhe dizer aquilo que a preocupa e que a está a impedir de atingir o êxtase.

 

“Ele trocou-me pela carreira profissional…”

Robert Dickerson

 

“O meu ex-namorado é medico e está em princípio de carreira. Foi sempre muito dedicado ao trabalho, e recentemente terminou o namoro, alegando que não tinha tempo para mim, pois a actividade profissional preenchia por completo o seu tempo. Este tipo de atitude é normal?
 
João, Sintra
Caro Leitor,
Exitem muitas pessoas que, principalmente quando estão em princípio de carreira, preferem salvaguardar a vida profissional em detrimento da sua vontade de ter uma vida afectiva consolidada e até mesmo construir uma família. Deve ser nesta base que o seu namorado pretende reger a sua vida, ou seja, apostar numa carreira de sucesso nem que para isso tenha abdicar da vida amorosa. Porém, se não concorda com o estilo de vida pelo qual o seu ex-namorado optou, tente falar com ele de uma forma franca e objectiva, e relembre-o que o dia se divide em 24 horas que devem ser bem enquadradas, havendo tempo para a família, a profissão, os hobbies e o amor. Lembre-o de que poderá não ser muito positivo para ele, a longo prazo, olhar para trás e verificar que apenas deu importância à vida profissional e que para isso abdicou de uma vida emocional plena e feliz.