Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Será que andar com preservativos é ser promíscuo?”

“Tenho por hábito andar com um ou dois preservativos comigo, dentro da carteira, e os meus amigos chamam-me de promíscua por esse motivo. Eu penso que não estou a fazer nada de errado, mas gostaria de saber se será assim tão mau andar com preservativos na
carteira?”

 

                                                                           Catarina, Vouzela

 

Cara leitora,

 

A resposta à sua pergunta é “Não”. De facto, andar com contraceptivos na carteira ou em qualquer outro sítio não é, por si só, um sinal de promiscuidade. Uma rapariga que tenha esta atitude é sinal que aceita e assume a responsabilidade das suas acções, demonstrando a preocupação tanto com ela como com o parceiro, e demonstra uma grande maturidade a nível sexual. Relativamente à promiscuidade, ou seja, andar
constantemente a trocar de parceiro num período muito curto de tempo, é lamentável por uma série de razões. Em primeiro lugar, devido ao risco de se poder contrair doenças sexualmente transmissíveis, e em segundo lugar, mas não menos importante, deve-se ter em consideração o lado emocional, pois não se desenvolve qualquer capacidade de carinho ou de estabelecimento de compromissos se se mudar de parceiro sexual tão rapidamente. O maior apelo da promiscuidade é a satisfação sexual imediata, mas não a realização que se tem do relacionamento amoroso com um único parceiro. Os indivíduos promíscuos são, na sua maioria e em grande parte das vezes, muito solitários.