Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Como posso tê-la de volta?

“Terminei um namoro de quase 6 anos com a mulher que amo, sobretudo devido à minha incapacidade de fazê-la sentir-se desejada. No início da relação tínhamos relações sexuais com bastante frequência, o sexo era muito bom, mas isto durou apenas nos primeiros meses. A partir daí, à medida que íamos ganhando intimidade um com o outro, o desejo foi desaparecendo, cada vez tínhamos menos relações, até que recentemente chegámos a estar 3 ou 4 meses sem as fazer. Acho-a extremamente bonita e atraente, é uma pessoa que atrai a atenção dos outros homens pela suabeleza e sensualidade. A dificuldade para mim está em olhar para ela e vê-la como mulher que é, minha parceira, e desejá-la ao ponto de iniciar a relação sexual. Porque depois de a iniciarmos, normalmente sinto-me bem e o sexo é bom. Ela é uma pessoa com muita libido, e frequentemente tentava que tivéssemos sexo, mas eu sempre arranjava uma desculpa para que tal não acontecesse.Gostava de a recuperar e de mudar… O que posso fazer?

César, Peniche


Caro leitor,

os problemas de desejo sexual que descreve são cada vez mais frequentes, dado o estilo de vida stressante que muitos de nós temos hoje em
dia. Uma das maneiras de os resolver é encontrar alguém que tenha um desejo semelhante ao nosso – a frequência varia muito de pessoa para pessoa e a complementaridade de um casal varia muito ao longo do tempo. O desejo sexual, sendo uma das fases da resposta sexual humana, não é apenas espontâneo, como muita gente pensa. Pode surgir igualmente em resposta a estímulos que a pessoa considere excitantes, bonitos, românticos, adequados. Procure encontrar os seus, pode fazê-lo com a ajuda de um especialista ou pode fazê-lo sozinho e em casal. Não deixe de tentar, pois a sua
tendência para não precisar de ter relações sexuais pode ser “contrariada” pelo hábito e pela aprendizagem de comportamentos sexuais saudáveis e adequados a si, que lhe estimulem uma maior frequência, não só de comportamentos, como de pensamentos e de sentimentos. Leia, veja filmes, procure coisas de cariz sexual para se manter activo e para se estimular, mesmo que não tenha relação. A masturbação é saudável e deve mantê-la na sua rotina. Descubra quais são os estímulos que fazem parte da sua sexualidade e dê largas à sua imaginação. Se sentir que pode ainda beneficiar de terapia sexual.