Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Sexualidade na adolencência

 

 

Para os pais que têm filhos numa fase de
grandes mudanças, como é a adolescência, há que deixar os tabus para trás e
abrir a mente. Em primeiro lugar, tenha em atenção que, embora não se deva
considerar a melhor amiga do seu filho ou da sua filha, é em si que eles devem
apoiar-se para esclarecer muitas das suas dúvidas, bem como resolver alguns
problemas. Se nunca se mostrar disponível para o diálogo, então será nos amigos
da mesma idade, que sabem tanto quanto eles sobre o assunto, que estes irão
procurar informação sobre sexo, ou outros assuntos, que pouco ou nada se sentem
à vontade para partilhar consigo.

Como muitos pais não se preparam para o
início da vida sexual dos seus filhos adolescentes, estes acabam por se colocar
em situações de risco, tais como: gravidez prematura, contacto com doenças
sexualmente transmissíveis ou experiências sexuais desagradáveis. E não falamos
apenas de países subdesenvolvidos! 

Tenha em conta que não é pelo facto de falar
com o seu filho sobre sexo que este iniciará a sua vida a este nível
levianamente. E para que isso não suceda explique-lhe que o sexo é algo bom e
natural, mas tem um momento certo para acontecer, que temos que estar
psicologicamente e fisicamente preparados. E se dúvidas houver, os
especialistas dizem que meninos e meninas devem receber o mesmo tipo de
orientações. Não podem existir preconceitos. O ideal é que seja o pai a
dialogar com os filhos e a mãe a esclarecer as filhas.

 

"Dei-lhe um pontapé nos testículos…"


 

"Tenho 17 anos e sem querer dei um pontapé nos testículos do meu irmão. Ele tem 16 anos e ele ficou mesmo com muitas dores. A minha mãe ralhou-me e disse-me que ele pode deixar de poder ter filhos. Tenho-me sentido muito culpada, será que posso ter provocado a esterilidade do meu irmão? Ele ficou encolhido no chão a chorar durante uns bons 5 minutos e estou com muito receio…"

 

Cátia, Almada

Cara leitora,
os testículos possuem uma concentração de terminações nervosas muito superior a outras partes do corpo, em que estas estão espalhadas, e como nem os testículos nem o pénis estão protegidos por músculos nem por ossos, qualquer agressão nessa parte do corpo masculino pode ser extremamente dolorosa. Por outro lado, o facto de serem frágeis e compostos por tecido esponjoso faz com que a dor possa fazer sentir-se no resto do corpo, mesmo quando é provocada por um apertão ou uma pancada um pouco mais forte. Felizmente, a dor provocada não indica necessariamente um problema de saúde grave como a infertilidade, mas é aconselhável que o seu irmão seja visto por um médico especialista para poder ter a certeza que não teve consequências mais graves. Quando a dor persiste de forma aguda ao fim de uma hora ou quando os testículos ganham manchas ou ficam inflamados, ou se houver uma ferida, se sentir vómitos ou náuseas, a pessoa deve ir de imediato ao hospital pois pode ter ocorrido uma lesão interna que, essa sim, pode provocar a infertilidade.

“Devo falar com a minha filha sobre sexo?”

“Tenho uma filha com 14 anos que começou recentemente a namorar. Embora saiba que é normal na idade dela aparecerem os primeiros namorados preocupa-me que não esteja informada acerca das implicações e de riscos que corre. Devo falar com ela sobre sexo ou será que ainda é muito cedo? Tenho receio de abordar este assunto e ela ainda ter um namoro “inocente”, sem qualquer implicação sexual. O que devo fazer?”

 

Lurdes, Coimbra

 

Cara leitora,

Acho que não é cedo de mais para ter uma conversa (ou várias conversas) acerca da vida sexual com a sua filha. Uma vez que ela tem 14 anos e já namora, já pode saber muito mais acerca de sexo do que você pode imaginar, pois os jovens conversam sobre o assunto, e têm acesso a muita informação através de revistas e da internet. Por isso, para ter a certeza que ela toma os cuidados necessários quando decidir iniciar a sua vida sexual, fale com ela sobre como se proteger de doenças sexuais e de uma gravidez indesejada. Talvez seja bom comprar um livro sobre o assunto especialmente escrito para jovens, bem como leva-la a uma consulta do planeamento familiar.

Educação sexual

femenino&masculino-myphotoscape.png

 

Durante muitos anos falar de sexo em casa com a família ou na escola era tabu. Aliás, quem ousasse puxar esse tipo de assunto poderia ser imediatamente acusado de depravado.

 

Hoje em dia, para além das mentes estarem mais abertas, é essencial que também a escola sirva como meio de educação sexual. Dessa forma, pode evitar-se muitos problemas, tais como as DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis) ou gravidezes indesejadas na adolescência.

 

Por isso, se os seus filhos chegarem a casa com muitas perguntas sobre sexo, referindo que têm dúvidas sobre aquilo que lhes ensinaram na escola, não aja como uma mulher do século XIX.

 

Ajude a complementar a educação que eles recebem a este nível nos seus estabelecimentos de ensino e esteja seja pronta para responder às suas perguntas, mesmo que de início se sinta um pouco mais envergonhada. Isso só fará dos seus filhos seres humanos mais esclarecidos, capazes de se orientarem sexualmente, sem se perderem pelo caminho.

“Tenho 14 anos e não tenho peito!”

“Tenho 14 anos e não me sinto nada confortável com o meu corpo, pois continuo sem ter peito, enquanto todas as minhas amigas já usam soutien e algumas têm o peito mesmo bastante pronunciado. O que se passa de errado comigo? Também ainda não tenho a menstruação, e gostava de saber se há algo que possa fazer para acelerar esse processo.”

Luísa, Évora

Cara leitora,

De fato a única coisa que pode fazer é ter experiência e esperar, pois o desenvolvimento do corpo não acontece na mesma altura para todas as raparigas e rapazes, e embora geralmente a primeira menstruação e o crescimento do peito surjam entre os 12, 13 anos, há raparigas que só passam por essa transformação mais tarde, sendo que até aos 16 anos não tem motivos para considerar essa demora preocupante. Pode perguntar à sua mãe e tias como se processou esta alteração na adolescência delas, pois há boas probabilidade de herdar o mesmo tipo de desenvolvimento. Não deixe que a falta de peito diminua a sua auto-estima, desfrute de cada fase do seu crescimento e invista na sua beleza de outras formas. A seu tempo verá que tudo vai ao seu devido lugar. 

Fico muito stressado quando tenho relações!

Tenho 17 anos e ultimamente tenho andado tão stressado que cada vez que tenho relações com a minha namorada fico com torcicolos, e não sei o que fazer.

 

Diogo, Carcavelos

 

Caro leitor,

A adolescência é uma etapa da vida cheia de incertezas e emoções nas quais todos os acontecimentos do dia a dia são vividos de forma bastante intensa, principalmente aquando se dá o inicio da vida sexual. Muitas pessoas sentem sintomas físicos quando estão sob stress, o que parece ser o seu caso, uma vez que cada vez que tem relações com a sua namorada fica tão tenso que fica até com torcicolos. A não ser que o leitor  pratique umas posições que
necessitem de grandes malabarismos, a causa do seu torcicolo é de facto ansiedade, por isso tente descontrair mais nos momentos de intimidade com a sua namorada. Uma forma de aliviar o stress é a prática de desporto, ou de um hobby, o leitor pode também experimentar fazer massagens quando estiver bastante stressado, o que vai ajudar com a tensão muscular que tem sentido no pescoço.

 

“Tenho sonhos húmidos!”

“Tenho 18 anos e por vezes acordo molhado, depois de ter sonhos eróticos. Serei tarado?”

Ângelo, Miraflores

 

Caro Leitor,

 Não fique preocupado, pois o que se passa consigo é absolutamente normal na sua idade e está relacionado com o desenvolvimento hormonal. É comum no universo masculino a ocorrência de orgasmos durante o sono, podendo estar ou não directamente relacionada com perspectivações sexuais, pois as ejaculações nocturnas podem surgir de forma involuntária.

Os sonhos molhados dão-se quando as glândulas sexuais começam a produzir esperma e este se acumula nos testículos. Tal com os outros sonhos não é possível controlá-los e a sua frequência varia de indivíduo para indivíduo, sendo bastantes comuns durante a adolescência. Neste sentido, tranquilize-se e viva a sua sexualidade com naturalidade, pois estes sonhos fazem parte do seu crescimento.

“ Não me entendo com a minha filha mais velha!”

"Sou divorciado e tenho duas filhas a viver comigo, mas a mais velha tem dado comigo em doido… Ela tem 17 anos e está no liceu, ultimamente quando sai com os amigos não volta para casa ou então volta embriagada. Tenho medo que ela ande com más companhias e que isso interfira com a escola."

Mário, Costa da Caparica

 

Caro leitor,

Nunca ninguém disse que educar filhos era tarefa fácil, principalmente adolescentes. Essa é uma fase de descoberta e de mudanças na vida de qualquer jovem, sendo normal que ela se sinta desorientada e acabe por fazer coisas que não deve. Esta é uma fase em que os jovens precisam de bastante supervisão por parte da família, pois sem orientação é muito provável que se deixem influenciar por más companhias. Converse com a sua filha explicando-lhe os perigos associados aos comportamentos que ela tem tido ultimamente. Faça perguntas sobre os amigos com quem ela costuma andar e sobre os lugares que frequentam. Não tenha medo de se intrometer na vida da sua filha, pois por mais que resmungue e amue, ela vai acabar por ouvi-lo.  

“Não consegui estar à altura dela”

 

“Estou muito preocupado com o que me aconteceu na minha primeira vez. Namoro há 2 meses, tenho 18 anos, e tentámos ter relações sexuais pela primeira vez, na casa dela quando os pais estavam fora. Não consegui fazer nada, sentia-me muito nervoso e agora tenho medo que ela conte aos nossos amigos e me deixe. Por favor, ajude-me.”

 

Hugo, Braga

 

Caro leitor,

 

O que lhe aconteceu é muito normal nas primeiras tentativas de ter relações sexuais: ficou ansioso por ser a primeira vez, por querer agradar à sua parceira, por não estar seguro de que vá correr bem, pode também ter medo de engravidar a sua parceira cedo demais na vossa vida…Podem ser muitas as preocupações – mas não desespere! Fale com ela sobre aquilo que o preocupa e vai ver que também ela pode ter preocupações semelhantes e tal irá aproximar-vos e deixar-vos mais à vontade para a descoberta da sexualidade. Aconselho-o igualmente a masturbar-se sozinho e a colocar o preservativo masculino (que pode ter gratuitamente em centros de saúde, centros de jovens ou outros), para que se habitue e se sinta mais à vontade e
confortável com este método contraceptivo e de protecção das infecções sexualmente transmissíveis.

É importante que comuniquem e preparem a vossa primeira relação. Não se apressem, relaxem, acariciem-se durante muito tempo – fazer amor não é só a penetração, mas a intimidade, o carinho, podem fazer massagens, inventar brincadeiras para descobrirem o que vos dá mais prazer, experimentar
óleos, lubrificantes, brinquedos eróticos… deixem-se levar pela imaginação!

“A minha filha de 13 anos veste-se e comporta-se de forma sedutora!”


“Ultimamente  minha filha de 13 anos tem se vestido e comportado de forma sedutora cada vez que o meu namorado está na minha casa. Será que devemos falar com ela sobre isso ou devemos ignorar esse comportamento?”

Teresa, Sacavém


Cara leitora

A sua filha está a entrar numa fase de transformação na qual ela necessita validar a sua sensualidade, e por isso ela pode estar a vestir-se e a comportar-se dessa forma com todas as pessoas, mas a leitora só reparou quando isso acontece em casa. Pode também dar-se o caso dela estar a querer competir consigo pela atenção e afecto do seu namorado e para tal ela está a copiar o seu comportamento quando o seu namorado está na sua casa. Ela pode também estar a expressar a sua frustração por a leitora partilhar o seu tempo com alguém que não ela. Como vê as hipóteses para o comportamento da sua filha são várias e por isso o mais importante não é criticar a forma como ela se veste ou comporta mas sim descobrir a razão desse comportamento. Converse com ela e pergunte como ela se sente em relação a você ter um namorado e passar tempo com ele? Pergunte também como ela acha que as pessoas a vêm quando ela se comporta e veste de forma sedutora?. Explique-lhe que o seu corpo está a alterar-se e ela está a tornar-se uma mulher, e que por isso deve ter cuidado pois as nossas acções mandam mensagens que nem sempre são aquelas que queremos mandar!