Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“A menopausa mudou a minha vida!”

 

Desde que entrei na menopausa a minha vida alterou-se por completo. Sinto que já não sou a mesma pessoa, tanto física como psicologicamente. O meu marido não entende as minhas atitudes, o que tem gerado alguns conflitos na nossa relação, principalmente no que diz respeito à nossa vida sexual. O que se passa comigo?”

Guida, Mafra

Cara Leitora,

Antes de mais gostaria de salientar que nesta fase da vida da mulher existem dois estados: a menopausa e o climatério. A menopausa trata-se da última menstruação e o climatério é a fase em que a mulher passa do período fértil para o infértil, onde existe uma diminuição significativa da produção das hormonas sexuais. Nesta nova etapa da vida da mulher, os ovários deixam de funcionar, terminando, então, as menstruações. Esta redução a nível hormonal pode provocar algumas alterações físicas e psicológicas, por vezes condicionando a sua vida afetiva e social (que é o que está a passar-se consigo).

Esta fase tem um grande peso na vida das mulheres no que diz respeito à forma como se vive a sexualidade e na forma como evidenciam alguns comportamentos e atitudes. Neste sentido, deve ter uma conversa séria com o seu marido, lembrando-lhe que a leitora está a passar por uma fase de adaptação de um novo momento da sua vida e por esse motivo é importante que ele seja mais compreensivo de forma a evitarem conflitos desnecessários. 

“O que é que os homens vêem numas mulheres e noutras não?”

“Tenho 36 anos e ainda sou solteira. Já tive várias relações mas até agora nenhuma chegou a ponto de ele me pedir em  casamento. No entanto, quase todas as mulheres que conheço da minha idade já estão casadas. Não consigo perceber o que é que os homens vêem
numa mulher para a pedirem em casamento…”

Lurdes, Beja

 

Cara leitora,

segundo um estudo realizado nos Estados Unidos sobre os factores que pesam na decisão de casamento, chegou-se à conclusão que os homens casam mais frequentemente com mulheres que nos primeiros encontros não falam de casamento, filhos ou compromissos sérios e que mostram estar mais interessadas em conhecer o homem e divertir-se do que propriamente em arranjar marido. Por isso, quando iniciar um novo namoro tente levar as coisas com calma e não fale de compromissos sérios muito cedo na relação, senão vai acabar por assustar o seu pretendente. Por outro lado, aconselho-a a dar alguma “luta” ao seu próximo namorado. Os homens gostam de sentir que dominam a situação e que estão a “conquistar” a mulher (mesmo que seja exactamente o contrario…). Boa sorte!

“Fui infiel a dois meses do casamento…”

Amo muito a minha namorada e daqui a poucas semanas iremos casar. Porém, há uns tempos atrás depois de uma discussão descabida encontrei-me com a minha ex-namorada e acabámos por dormir juntos. Gostava de contar tudo à minha noiva, mas temo a sua reação…”

Paulo, Penafiel

Caro Leitor,

O que aconteceu consigo foi fruto da impulsividade e de alguma imaturidade. Mas pelo que vejo os sentimentos que nutre pela sua namorada estão intactos, o leitor foi levado a cometer um delito pelo ambiente envolvente e por uma discussão que abalou a vossa relação. Uma vez que estão próximo da data do vosso casamento, aconselho-o a agir com prudência. Ao contar a verdade à sua namorada deve ter noção da gravidade das suas ações e estar preparado para sofrer as consequências que daí possam advir. Se decidir contar a verdade à sua namorada, mostre-lhe que para si o que aconteceu não teve qualquer significado e que optou por contar toda a verdade, pois não iria suportar iniciar uma nova etapa da sua vida (o casamento) com uma mentira a assombrar o vosso relacionamento. Esteja preparado, pois a primeira reação da sua namorada poderá não ser pacífica, mas se ela o ama da mesma forma que o leitor a ama esteja certo que o amor acabará por vencer.

“Procuro mulheres fora do casamento!”

“Sempre tive muitas aventuras e mulheres nunca me faltaram. Tenho uma família muito feliz e o ambiente é saudável. Mas, não sei porquê tenho tendência para a conquista. A minha esposa nunca desconfiou. Devo controlar esta tendência e omiti-la à minha esposa ou conto-lhe a verdade?

Óscar, Ajuda

Caro Leitor,

 

Apesar de mulherengo, o leitor preza a sua família, o amor que a sua esposa sente por si e o bem-estar entre todos. A estabilidade e o equilíbrio emocional são valores importantes para si. Porém, existe um senão que contrapõe a tendência de coesão e de salvaguarda da família, ou seja, a sua vontade incansável de conquistar e de ter outras mulheres na sua vida. Existe algo que deve ter em conta que é o facto de reconhecer que esse comportamento não é o mais correto e que tem vindo a desrespeitar o seu matrimónio e a sua família. O seu comportamento de conquista revela da sua parte alguma imaturidade e vontade de se afirmar perante as outras mulheres e mostrar a sua virilidade. Quanto à sua dúvida, isto é, se deve ou não contar toda a verdade, cabe-lhe a si essa decisão e deve estar bastante consciente das consequências inerentes a isso. A reação poderá não ser a melhor aquando da verdade. Pense bem e tenha a maturidade suficiente para saber arcar com as consequências dos atos irrefletidos destes anos todos.

“O meu marido tem erecção todas as manhãs!”

 

 

Casei ha dois meses, e o meu marido acorda com uma erecção todas as manhãs mesmo depois de termos tido relações sexuais na noite anterior. Será que isso significa que ele aida está excitado?”

Suzana, Coimbra

 

Cara leitora,

Muitos homens têm erecção matinal devido ao contacto com os cobertores ou devido à pressão na área genital resultante de terem a bexiga cheia. Muitos homens e mulheres acreditam que só porque o homem tem uma erecção significa que ele está excitado e quer ter relações sexuais, mas a realidade não é bem assim. O homem pode ter uma erecção mesmo sem estar sujeito a qualquer tipo de estímulo sexual e sem o intuito de ter relações. Por isso, o facto do seu marido acordar todos os dias com uma erecção não significa, obrigatoriamente, que ele queira ter relações mas sim que ele precisa de urinar. No entanto, existem pessoas que preferem ter relações de manhã devido a sentirem-se mais descansadas e com mais energia. Observe o comportamento do seu marido e veja o que ele faz. Se ele a procurar com mais frequência de manhã significa que prefere ter relações a essa hora, mas por opção pessoal e não porque tem de ter relações só porque acordou com uma erecção!

Sonho com o meu instrutor de fitness!

Jones4FitnessPersonalTrainerinDC-challenge.jpg

 

"Considero que tenho um casamento harmonioso e por isso não entendo porque sonho constantemente com o meu instrutor de fitness. Sinto-me muito bem nesses sonhos. Apesar de amar muito o meu marido, penso se não estarei a traí-lo!"

Luísa - Setúbal

 

Cara leitora,

Muitas vezes é através dos sonhos que se colocam em prática algumas das fantasias que não se vive na vida real. A leitora sente-se atraída pelo seu instrutor de fitness, mas uma vez que é casada e não deseja trair o seu marido, o seu desejo por ele realiza-se através dos seus sonhos. Pelo que relata, o que nutre pelo seu marido é inquestionável e não está em risco. Por isso, o facto de sonhar com outro homem não quer dizer que queira concretizar esses cenários. São apenas fantasias e não atos de traição, pois em nada interferem na sua relação com o seu marido nem têm consequências diretas no seu casamento. Porém, se esses sonhos a estão a incomodar cabe-lhe a si decidir se deve continuar a ter o mesmo instrutor e se deve ou não contar ao seu marido o conteúdo dos seus sonhos. Parece-me que é uma questão de consciência. Faça o que for melhor para si e para o bem-estar do seu casamento.

Posso namorar a minha prima?

canstockphoto0634055.jpg

 

"Tenho 23 anos e ultimamente tenho passado muito tempo com a minha prima direita. Gostaria de saber se posso namorar com ela ou se existe alguma lei que impede esse tipo de relação."

 Luís - Caminha

 

Caro leitor,

Que eu saiba não existem leis em Portugal que impedem o relacionamento amoroso entre primos direitos. No entanto, primos direitos têm duas vezes mais probabilidades de vir a ter filhos com deficiências, e uma em cada quatro crianças nascidas de pais que são primos direitos tem algum tipo de deficiência. Por isso há que ver que tipo de intenções o leitor tem em relação à sua prima, se pretende namorar e possivelmente casar com ela e ter filhos, isso não é muito indicado devido às probabilidades de virem a ter filhos com problemas. Tambem existe o problema do casamento, apesar de legalmente não haver uma lei que impeça o casamento civil entre primos, existem impedimentos em relação a um casamento religioso. Por isso pense bem se realmente quer enfrentar todos estes problemas ou se prefere manter a relação com a sua prima como "família" e não namorada.

Sexo na gravidez

113593471.jpg

 

Depois da gravidez, a mulher está com a atenção mais voltada para o bebé e o sexo acaba por ficar de lado. As novas responsabilidades, a adaptação à rotina, um bebé que precisa da mãe para tudo, as condicionantes, físicas, psicológicas e as hormonas que diminuem a libido, tudo contribui para que a vida sexual do casal sofra.

 

O sonho
Os pais sabem que a sua vida vai mudar após a chegada do seu novo filho, mas muitos deles esperam que a vida seja "cheia de alegria" e "cheia de emoção", com o bebé a deliciá-los com as suas gracinhas.


A realidade
Após a chegada de uma criança e sem saberem os parceiros entram num período de alto risco da sua vida amorosa, em termos de conflito de relacionamento e insatisfação. Uma vez que a realidade da paternidade não era como tinham esperado ou idealizado, os pais podem sentir-se oprimidos e dececionados.

 

A relação muda o seu foco para o bebé, e não para o casal, e parceiros que já foram antes amantes, melhores amigos e confidentes, já não têm tempo para si. Muitos parceiros relatam mudanças negativas na sua relação sexual depois de terem um bebé. A frequência da relação sexual diminui em quase todos os casais nos primeiros meses de paternidade, após ter diminuído para metade durante o final da gravidez (Cowan&Cowan, 2000).

 

No entanto, alguns casais dizem que, apesar da frequência do sexo ter diminuído, o sexo é muito bom quando o voltam a praticar.

 

O que provoca estas mudanças?

Discrepâncias no desejo, mudanças na identidade e papéis, diferentes pontos de vista sobre a sexualidade e a paternidade, mudanças físicas durante a gravidez, complicações no parto, stresse, privação de sono, conflitos no relacionamento. Tudo pode desempenhar um papel importante na vida amorosa do casal.

 

Para além das mudanças internas, os papéis dos parceiros também mudam em muitos aspetos uma vez que os parceiros se tornam pais. A divisão do trabalho em cuidar do bebé, as tarefas domésticas, a preparação de refeições, e trabalhar fora de casa. Todas estas alterações afetam os sentimentos do casal sobre si mesmo, sobre os seus parceiros e sobre a sua relação global (Cowan&Cowan, 1992).


Ambos os parceiros têm que fazer grandes ajustes nas suas vidas de um momento para o outro, em que os dois são forçados a isso, e acabam por ter menos oportunidades para estarem juntos. Os parceiros muitas vezes descobrem que têm valores diferentes, necessidades e expectativas de como as coisas deveriam ser, depois da chegada do bebé. A divisão de tarefas é a questão mais propensa a causar conflitos durante os primeiros dois anos após a chegada de um bebé.

 

O que pode ser feito?
É Importante educar os casais sobre as mudanças que ocorrem durante a gravidez e após o parto e como elas podem afetar a sexualidade dos casais. É importante esclarecer que, embora após 6 semanas, possa ser "seguro" ter relações sexuais, as mulheres podem não estar "prontas" para iniciar a atividade sexual. Por isso é essencial:
. Ajudar os casais a mudarem algumas rotinas sexuais com defeito.
. Discutir os impactos da nova parentalidade/parto poderá ter em ambos os parceiros e na sua relação.
. Encorajar os casais a planear "tempos sozinhos" (providenciar amas, etc.).
. Encorajar os casais a planear "o tempo de sono" para reduzir a privação de sono comum nos primeiros tempos.
. Ajudar os casais a expandir a sua perceção da sexualidade e a promover atividades que aumentam a intimidade sem pressão para o coito.
. Ajudá-los a incluir abraços, beijos, masturbação mútua, etc. como alternativas ao coito.
. Importante fazer referências para ajudar a tratar condições físicas que podem tornar o sexo doloroso (obstetrícia e ginecologia, fisioterapia, etc. ...)
. Tratamento da depressão em homens e mulheres com medicação que tem efeitos colaterais baixos.
. Tratar problemas de relacionamento no casal.

O meu namorado tem horror ao tema casamento

4652334623_cc8b030bbe_o.jpg

 

"Namoro à 7 anos, e gosto bastante do meu namorado, mas ele evita sempre falar em casamento, o que me deixa bastante incomodada e confusa pois já estou a entrar numa fase da minha vida em que construir família se está a tornar a minha maior prioridade, o que devo fazer?"

Carla - Montijo

 

Cara leitora,

Compreendo a sua frustração, mas acredite que isso não acontece só consigo, muitas mulheres se queixam do mesmo. O homem por natureza é um caçador, precisa saber que ainda pode caçar, mesmo que opte por não o fazer devido a estar numa relação, por isso o casamento é tão assustador para alguns homens. Para eles, casar significa deixar de caçar, ou seja, tomam consciência que nunca mais vão dormir com outra mulher, e não se sentem preparados para isso. Parece ser esse o caso do seu namorado, é obvio que ele não tem qualquer intenção de se casar tão cedo, pois se tivesse ele próprio puxaria o assunto. Avalie a relação e faça o que for melhor para si, caso procura alguém com quem partilhar a sua vida e iniciar uma família, parece-me que não está com a pessoa certa. Tenha uma conversa franca com ele e veja o que ele tem a dizer sobre o assunto!

Fantasias sexuais

0SDhEO7NCFlCTkE-7brE8NiU_.jpg

 

Há alguns anos atrás este assunto era um tabu na nossa sociedade. Não quer dizer que muitos homens e mulheres não tivessem inúmeras fantasias sexuais, mas na verdade, estes pensamentos libidinosos eram considerados pecado e, na maior parte das vezes, jamais eram revelados e poucas vezes concretizados.

 

Hoje em dia, a mente está mais aberta a estas situações e, a verdade é que, muitas vezes, a realização destas fantasias pode salvar casamentos, que desta forma conseguem fugir à rotina.

 

A fantasia sexual é descrita como um desejo que um determinado indivíduo tem, de fazer algo diferente do habitual a nível sexual, que só de imaginar lhe dá um enorme prazer. É claro que existem algumas fantasias que são condenáveis, porém outras podem tornar a nossa intimidade cada vez mais saudável.

 

As fantasias sexuais mais comuns entre os homens revelam-se na vontade que estes têm de fazer amor com uma enfermeira, uma professora ou uma empregada doméstica.

 

No caso das mulheres, elas fantasiam com homens de farda e também com um professor, por exemplo. Os ambientes onde se possa ter uma relação sexual com alguém, são também muito fantasiados, sendo que locais perigosos, onde haja hipótese de se ser apanhado, são os mais usuais. Falamos, por exemplo, de elevadores, em piscinas ou dentro do carro.

 

Não se envergonhe de realizar as suas fantasias sexuais, desde que não se coloque em perigos reais e não prejudique ninguém.