Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Mulheres de farda!”

 

Tenho 22 anos e comecei a trabalhar numa empresa maioritariamente composta por mulheres, que usam uma farda que acentua as linhas do corpo de forma muito sensual. Quando estou no trabalho fico muito atraído por algumas das minhas colegas, e quando me aproximo mais o cheiro delas deixa-me louco… obviamente que isto me pode causar problemas, mas não me consigo controlar!”

 

Ricardo, Setúbal

 

Caro Leitor,

A aparência física e o odor corporal são, sem dúvida, muito importantes nas relações interpessoais. O facto de ficar perturbado com o corpo e com o cheiro das suas colegas pode dever-se ao facto de que elas demonstram a feminilidade que tanto o atrai numa mulher. Não existe qualquer problema se um homem admirar a beleza de uma mulher, desde que isso não interfira com a sua capacidade de as respeitar e de fazer o seu trabalho de forma eficiente. Qualquer tipo de falta de respeito da sua parte pode causar problemas no trabalho bem como afastar de si algumas das suas colegas. Caso considere que não consegue controlar os seus desejos, talvez tenha de pensar em mudar de emprego.

“Tenho dificuldade em ter ereções…”

 

Tenho 27 anos, e há alguns anos que tenho vindo a ter dificuldades em ter ereções. Não sofri nenhum acidente e não tomo medicação, mas a situação deixa-me muito preocupado e constrangido.”

 

Luís, Almada

 

Caro leitor,

De facto a situação que descreve pode causar bastante constrangimento e ansiedade num homem, o que pode ser a causa do seu problema. Nos homens a ansiedade afeta bastante a capacidade física do sangue em chegar ao pénis e manter-se nele o tempo suficiente para ter uma ereção. Outros fatores que afetam a qualidade das ereções são o tabaco, o álcool, haxixe, alguns remédios para a queda do cabelo, diabetes, problemas de coração, pressão arterial alta, o excesso de peso, falta de exercício físico regular (pelo menos 30 minutos 3 ou 4 vezes por semana), alimentação rica em gorduras, açucares e carbohidratos. Dessa forma, avalie o seu estilo de vida e veja se existem algumas alterações que possa fazer para melhorar a sua vida sexual. 

Dores nos testículos

 

Até há uns meses atrás tudo corria bem com o meu funcionamento sexual, certo dia aleijei-me no testículo esquerdo e na altura senti uma grande dor. Passou durante algumas horas mas depois voltou a doer.

 Estas dores são muito fortes e apareciam frequentemente durante o dia.

 

Alguns dias depois quando estava a masturbar-me reparei que a erecção não era muito forte, não fiquei muito preocupado, o pior foi quando cheguei ao orgasmo e ejaculei reparei que a quantidade de esperma era bastante reduzida e ainda fiquei mais preocupado. Cerca de 2 dias depois, queria-me masturbar, não conseguia de nenhuma maneira obter uma erecção.

Pensei recorrer a um médico mas resolvi esperar. Passou-se cerca de uma semana e já conseguia dificilmente obter uma erecção mas quando ejaculava não saia nada.
Passados quase 4 meses voltou quase tudo ao normal. Consigo obter uma erecção apesar de parecer que não conseguir ter uma erecção completa ou não tão forte como era, e quando ejaculo sinto uma sensação esquisita que não existia antes e que não sei bem explicar.
Com isto não sei se se passará algo de errado e se deveria consultar um médico. Não sei se o urologista é o indicado.


Martinho, Porto

 

Caro leitor,

Penso que deve consultar um médico, seja urologista diretamente, seja um recomendado pelo seu médico de família. Só ele lhe poderá fazer um diagnóstico diferencial e determinar se o seu problema é fisiológico ou psicológico.

Da minha parte, penso que a dor que sentiu pode ter desenvolvido em si um medo exagerado de sofrer consequências ao nível sexual e, como tal, entrou num ciclo vicioso de observação atenta do seu pénis e da resposta sexual que ele fazia, a um ponto que a sua atenção deixou de estar focada no prazer sexual, mas sim na performance, no seu desempenho.

Este ciclo faz com que o próprio corpo não responda da melhor maneira, pois sente-se avaliado, observado e daí que sinta ereções menos fortes e sensações esquisitas na ejaculação.

Esclareça com o médico se ficou com sequelas no testículo ou no aparelho reprodutor e tente não ser observador de si próprio.

Entregue-se às suas fantasias sexuais e deixe-se levar pelo prazer da masturbação, sem se desviar para pormenores técnicos da sua resposta sexual – verá que a sua resposta sexual vai melhorar.

 

“Não consigo penetrá-la…”

Tenho 49 anos e sempre fui um homem sexualmente activo. De há uns tempos para cá, contudo, tenho muitas dificuldades em conseguir uma erecção que possibilite a penetração. Sinto que a minha esposa está a afastar-se cada vez mais de mim e temo que ela me deixe.”

 

Álvaro, Massamá

 

Caro Leitor,

 

Antes de mais deixe-me lembrá-lo que a falta de erecção, ou incapacidade para atingir e/ou manter uma erecção adequada para uma actividade sexual satisfatória, não é uma situação rara, mas um problema que afecta milhões de homens, logo não deve ser algo que o envergonhe. Trata-se pois de uma disfunção que atinge ambos os elementos do casal, é extremamente importante estes comunicarem abertamente durante este período, potencialmente muito difícil. Vários factores podem causar dificuldade em atingir e manter a erecção em homens, tais como diabetes, depressão, problemas de coração, hipertensão, consumo excessivo de tabaco ou álcool, bem como quaisquer medicamentos associados a estas condições. Consulte o seu médico e tente identificar se existem algumas causas orgânicas para o seu problema. Se possível, deve também tentar discutir o modo como esta situação pode ter mudado a relação do casal, perspectivando uma caminhada de mãos dadas rumo ao diagnóstico e consequente terapia. Por isso não se afaste da sua esposa, mas também não a deixe afastar-se, fale abertamente com ela e faça desta situação um momento único de partilha de emoções e sentimentos, reforçando assim o que vos une.

“O meu marido tem erecção todas as manhãs!”

 

 

Casei ha dois meses, e o meu marido acorda com uma erecção todas as manhãs mesmo depois de termos tido relações sexuais na noite anterior. Será que isso significa que ele aida está excitado?”

Suzana, Coimbra

 

Cara leitora,

Muitos homens têm erecção matinal devido ao contacto com os cobertores ou devido à pressão na área genital resultante de terem a bexiga cheia. Muitos homens e mulheres acreditam que só porque o homem tem uma erecção significa que ele está excitado e quer ter relações sexuais, mas a realidade não é bem assim. O homem pode ter uma erecção mesmo sem estar sujeito a qualquer tipo de estímulo sexual e sem o intuito de ter relações. Por isso, o facto do seu marido acordar todos os dias com uma erecção não significa, obrigatoriamente, que ele queira ter relações mas sim que ele precisa de urinar. No entanto, existem pessoas que preferem ter relações de manhã devido a sentirem-se mais descansadas e com mais energia. Observe o comportamento do seu marido e veja o que ele faz. Se ele a procurar com mais frequência de manhã significa que prefere ter relações a essa hora, mas por opção pessoal e não porque tem de ter relações só porque acordou com uma erecção!

O que significa quando um homem e castrado?

 

Ouvi recentemente a noticia de um homem que tinha sido castrado num acidente, e eu gostaria de saber o que acontece aos homens depois de serem castrados, será que ainda podem ter relações ou perdem toda a capacidade de ter uma erecção?

 

Luis, Alhandra

 

Caro leitor,

A castração significa a remoção dos testículos, que pode ser feita atravez de uma cirurgia, ou no caso da noticia que ouviu, no resultado de um acidente. Os testiculos sao o local onde a hormona masculina testosterona é produzida, e como resultado, inicialmente após a castração o homem ainda tem desejo sexual, mas com o passar do tempo, devido a não haver mais produção de Testosterona no organismo, o homem vai perdendo a pouco e pouco o desejo sexual. Ele pode tambem perder algumas das caracteristicas masculinas secundarias, como a voz grossa e a massa muscular, mas existem alguns tratamentos de reposição hormonal que fazem com que homens castrados possam atingir a erecção permitindo ter uma relação sexual satisfatória, no entanto devido à ausência de testículos o homem não vai ejacular.

“Não consigo ter erecções como antigamente.”

“Tenho 53 anos e desde que tive um ataque cardíaco não consigo ter erecções como antigamente, o que devo fazer? Será que esta situação vai manter-se para sempre, ou é apenas passageira?”

 

Nuno, Sacavém

 

Caro leitor,

A situação que descreve não é fora do comum, pois uma vez que teve um ataque cardíaco, calculo que deve estar a tomar medicação para o coração, e talvez ate para a tensão alta. Quaisquer problemas de coração, de pressão arterial e diabetes, bem como muito dos medicamentos recomendados para esses problemas de saúde, afectam a capacidade do homem em ter e manter uma erecção. Existem, no entanto, medicamentos que têm menos efeitos secundários, por isso converse com o seu médico acerca desse problemas que tem tido. Saiba que o exercício físico, perder peso, deixar de fumar e uma dieta saudável (rica em amêndoas e vegetais) podem ajudar a melhorar a erecção, por isso aconselho que tente alterar alguns dos seus hábitos alimentares e de estilo de vida, e veja se isso o ajuda.

 

“O que é o priapismo?”

“Aqui há tempos vi escrita numa revista a palavra priapismo, e percebi que se tratava de uma
disfunção do pénis. Intrigou-me, mas já questionei os meus amigos e eles também
nunca tinham ouvido falar. De que se trata? Qualquer pessoa pode sofrer com
essa doença?”

Luís, Covilhã

Caro
leitor,

De um modo geral, o priapismo consiste numa erecção prolongada e dolorosa, que pode durar desde várias
horas até alguns dias. Ao contrário do que se possa pensar, este estado não
está associado a pensamentos ou a desejo sexual, ainda que a palavra derive
etimologicamente do nome do deus grego da fertilidade masculina, Priapo. No
processo normal de erecção o sangue segue até ao pénis e, geralmente após um
orgasmo, “desce” do pénis sem que tal cause desconforto ou dor. Quando existe
um problema de priapismo, o sangue não consegue “sair” do pénis como deveria,
porque tem pouco espaço para circular dentro do pénis, estagnando e perdendo
oxigénio. Embora o priapismo possa acontecer sem que haja uma razão evidente
para tal, existem alguns tratamentos que podem potenciar essa doença. A
injecção directa no pénis, usada para tratar a disfunção eréctil, pode induzir
ao priapismo, especialmente se for injectado mais do que um medicamento. Alguns
anti-depressivos também podem induzir ao priapismo, o mesmo acontecendo com
doenças do sangue, como anemia, leucemia, embora tal seja sempre variável de
pessoa para pessoa, e nem sempre aconteça. O priapismo pode levar à impotência
se não for tratado a tempo. Alguns homens optam por tratar o priapismo através
de medicamentação a ajude a contrair os vasos sanguíneos, para diminuir a
quantidade de sangue no pénis. Existe, também, a possibilidade de realizar uma
cirurgia, mas todos estes tratamentos são avaliados pelo médico em função do
caso específico.

“Não consigo manter a erecção como dantes…”

“Sou um homem saudável, casado e bastante feliz com a minha esposa. A nossa vida sexual sempre foi muito satisfatória, mas devido ao aumento de trabalho que tenho tido a minha esposa queixou-se de que a minha erecção já não é tão firme. Não sei o que se passará, pois ainda nem tenho 40 anos…”

Paulo, Amadora

 

Caro leitor,

A sua situação é mais comum do que possa imaginar. Uma vez que diz ser saudável, ter uma boa relação com a sua esposa e não estar a
tomar quaisquer medicações, então em princípio as causas não estarão relacionadas com questões físicas ou interferência de medicação. O principal factor que parece estar a afectá-lo é o cansaço, é natural que depois de trabalhar o dia inteiro se sinta com menos vontade e forças para ter relações sexuais. Assim sendo, aconselho-o a descansar e tentar dormir bem de noite, bem como tomar um suplemento vitamínico para repor as energias. Existem no mercado produtos naturais bastante bons que tomados com frequência têm demonstrado resultados bastante positivos e que o podem ajudar a recuperar a sua energia tanto a nível físico como sexual.  

 

 

“Terei desejo a mais?”

 

“Tenho 18 anos e considero-me um pouco obcecado por sexo. Namoro há 2 anos com uma rapariga que amo muito, temos relações regularmente que me satisfazem bastante, mas por mim eu tinha todos os dias, a toda a hora! Eu penso em sexo todos os dias, e também me excito muito facilmente, o que se torna embaraçoso. O que devo fazer?”

 

 

Pedro,
Aveiro

 

 

Caro leitor,

Na sua idade é natural que se excite facilmente e que tenha erecções espontâneas, mesmo que isso seja embaraçoso em algumas situações. Se andar com roupa larga poderá esconder mais facilmente, mas terá de passar por isso, e é bastante saudável. Sobre a sua obsessão com o sexo, só será considerada um problema se o puser em perigo, procurando ter relações sexuais impulsivas, por exemplo, com desconhecidos ou em lugares
desadequados. Se tem relações regularmente e sente prazer nelas, é natural que pense muito em sexo.  Masturbe-se antes de sair de casa, ou à noite, o que o pode ajudar a controlar melhor o tempo entre as relações que tem com a sua namorada. Lembre-se que o órgão sexual mais importante é o cérebro e, por isso, deve cortejar a sua namorada, sem a pressionar, para que o desejo sexual dela se aproxime do seu. Ser um bom namorado, fazê-la sentir-se amada e respeitada como mulher, é a melhor maneira de a fazer desejar ter sexo consigo. E não se esqueça de fazer sempre sexo seguro, com preservativo, evitando gravidezes indesejadas e infecções sexualmente transmissíveis.