Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Ele quer tirar fotos de mim nua”

fantasia

 

O meu namorado faz muitas viagens de negócios, e ultimamente ele tem-me pedido para tirar fotos de mim nua para levar quando for viajar durante uns meses. Será que este comportamento é normal?…”

 

Cristina, Lagos

 

Cara leitora,

É natural e até positivo que ele queira levar recordações de si quando vai de viagem, pois dessa forma não vai recorrer a outros tipos de fantasias. Se se sente à vontade para deixar que lhe tirem fotos despida, vá em frente, mas antes de decidir, avalie o quão sólida é a vossa relação e o quanto confia no seu namorado, pois hoje em dia as fotos podem facilmente acabar por ir parar a uma página do Facebook, onde o mundo inteiro as pode ver. Pondere bem, pois um dia esta sua relação poderá acabar e estas fotos poderão vir a comprometê-la. 

“Ela tem um fetiche e quer que eu a penetre quando está vestida!”

A minha namorada um dia lembrou-se de termos relações sexuais vestidos. O problema é que agora ela só quer que eu a penetre quando estamos vestidos, e não quer ter relações de mais forma nenhuma.”

José, Linda-Velha

 

Caro leitor,

Fantasias e variedade a nível sexual são geralmente algo positivo. No entanto, por vezes é difícil perceber quando certos comportamentos deixam de ser fantasia e começam a ser um fetiche, sem o qual o homem ou a mulher não se conseguem excitar, o que parece ser o caso da sua namorada. Tentem atingir um entendimento em que os dois possam desfrutar das maravilhas do sexo, por isso, fale com a sua namorada acerca deste assunto, e tentem chegar a um meio-termo, talvez fazer amor vestidos apenas algumas vezes em vez de sempre, podendo dessa forma também realizar algumas das suas fantasias. 

"O que é a Hipnose sexual?"

"Descobri em pesquisas feitas na Internet que existe uma prática chamada hipnose sexual, e que muitas pessoas a têm como uma espécie de fetiche. Pode explicar-me de que se trata? Como é que eu e o meu marido a podemos experimentar?"

 

Eduarda, Beja

Cara leitora,

A hipnose erótica utiliza as práticas da hipnose para fins sensuais ou sexuais. Ao contrário da hipnoterapia, que usa a hipnose num contexto terapêutico, para ajudar o paciente, a hipnose erótica visa estimular o prazer, sendo recreativa e não terapêutica. A hipnoterapia ou hipnose clínica pode, contudo, ser utilizada para tratar disfunções sexuais, por exemplo, com ótimos resultados. Esta técnica induz o paciente a uma espécie de estado de transe, relaxado, mais descontraído, mas no qual o livre arbítrio se mantém. Quando é levada a cabo por um terapeuta especializado é muito eficaz no tratamento, ajudando a eliminar hábitos nocivos e a vencer receios, entre outras coisas. A hipnose erótica, que nunca deve ser feita por alguém que não seja especializado e exige confiança total na pessoa com quem é feita, ajuda a libertar-se de inibições, sedo por isso apreciada por algumas pessoas. Através dela, a pessoa torna-se mais desinibida, aumenta a sua sensualidade e capacidade de sentir excitação, correspondendo ainda à fantasia de estar "submetido" à vontade do outro, num contexto de jogo de casal. Um terapeuta sexual pode acompanhar o vosso caso específico e avaliar se pode ou não fazê-lo com o seu marido. Em sites e fóruns de grupos associados a fetiches poderá, também, conhecer outros casais que pratiquem a hipnose erótica e que possam orientá-los. Lembre-se sempre que nunca nada deve ser feito contra a sua vontade.

“Sou aventureiro na cama, será que isso é mau?”

“Tenho 22 anos e sempre gostei de dinamizar a minha vida sexual e de experimentar posições novas, assim como de fazer amor em locais diferentes e em situações inesperadas. Conheci recentemente uma rapariga com quem comecei a namorar e por quem estou apaixonado, gostava de partilhar com ela os meus desejos mas tenho receio que isso a afugente. Será que ser aventureiro na cama é mau?”

 

João, Porto

Caro leitor,

A variedade nunca fez mal a ninguém, mas tudo tem um limite. Tudo depende de quão aventureiro você é, de com que frequência procura fazer coisas diferentes e, obviamente, da sua parceira, pois há mulheres que também são adeptas de novas experiências no campo sexual, aborrecendo-se facilmente com a rotina, enquanto outras preferem um estilo mais calmo e “tradicional”. O melhor, para esclarecer as suas dúvidas e evitar preocupar-se com algo que até pode nem ser um problema, é conversar com a sua parceira e ver o que ela pensa disso. A sua namorada pode ser uma mulher que goste de variedade, mas saiba que há mulheres que têm outras formas específicas de atingir o orgasmo e, por isso, necessitam de alguma consistência durante o acto sexual. Tenha isso em mente quando decidir arriscar novas aventuras na cama e fale sempre com a sua parceira para saber se ela está na mesma onda que você.

“Sou louco por nádegas!”

“Tenho vinte e três anos e sempre fui louco pelos rabos femininos. Sempre que vejo uma rapariga com um rabo bonito sinto uma vontade quase incontrolável de o agarrar, beliscar, ou de lhe dar palmadas. Gostava de saber se este tipo de pensamento faz de mim um tarado, ou se é parte do comportamento normal do ser humano.”

 

Ricardo, Matosinhos

 

Caro leitor,

É normal as pessoas admirarem e sentirem uma atracção especial por determinadas partes do corpo, formas corporais, cor do cabelo, tom da pele, cheiros, etc. Estes atractivos despertam o desejo e fazem parte da nossa “assinatura sexual” individual. O desejo de “tocar” numa parte específica do corpo de outra pessoa é normal. O que deixa de ser normal é agir de acordo com esses impulsos sem o consentimento da outra pessoa. Desde que reconheça aquilo que o excita e que o discuta com uma parceira que esteja disposta a partilhar fantasias consigo, então não há limites para o seu prazer. No entanto, mesmo quando há mútuo consentimento tenha em consideração que aquilo que é aceite e estimulante num momento poderá deixar de o ser noutras ocasiões. Tocar alguém que não o consente é sempre uma violação do direito individual, por isso lembre-se que as suas fantasias deixam de ser normais a partir do momento em que assumem proporções exageradas no seu pensamento ou que as procura pôr em prática deliberadamente. Nesse caso é aconselhável procurar o apoio de um terapeuta.

 

“Tenho o fetiche de ser amarrada…”

 

“Tenho 29 anos e sempre
vivi a minha sexualidade de forma espontânea e natural. Vivo há um ano com o
meu namorado, mas ultimamente sinto vontade de realizar com ele um dos meus
maiores fetiches: ser amarrada pelo meu namorado enquanto fazemos amor. No
entanto, tenho vergonha de o dizer ao meu namorado, pois não sei o que ele vai
pensar…”

 

Cláudia, Porto

 

Cara Leitora,

A sua fantasia não é nada fora do comum, por isso, a
melhor forma de fazer com que o seu namorado realize a sua fantasia é falar com
ele de forma directa. Ter fantasias sexuais e realizá-las com o parceiro pode
ser bastante excitante e rejuvenescedor para a relação. Por isso, não tenha
receio, pois converse com o seu namorado, aproveite para lhe perguntar se ele
tem algumas fantasia que ele queira realizar, e se elas forem do seu agrado,
ofereça-se para as realizar. Um relacionamento sexual saudável é composto de
uma combinação de dar e receber prazer, aposte nisso.

“Gostaria que o meu namorado me algemasse à cama”

Tenho um fetiche recorrente e gostaria de o experimentar com o meu namorado. Queria que ele me algemasse à cama durante a relação sexual. Como fazer para lhe dizer?

Sara – Alfragide

 

Cara Leitora,

Realmente este assunto é bastante delicado e um pouco difícil de ser abordado, mas a melhor forma de conseguir realizar a sua fantasia será conversar com o seu namorado sobre esta questão. Considera-se este tipo de jogos como fazendo parte do chamado Sadismo, no qual a pessoa que controla tem prazer através do sofrimento do outro, embora o Sadismo faça parte integrante das relações humanas mais elementares e seja vivido consoante os
preconceitos de cada indivíduo. Nos jogos Sadomasoquistas, de acordo mútuo, a cada sádico corresponde uma vítima, o masoquista, e é necessário existir por parte de ambos um acordo. É necessário que tenham atenção aos instrumentos utilizados, para que os actos não provoquem dor. Como tal, em vez de utilizar as algemas que poderão provocar ferimentos, usem gravatas ou lenços em que os nós sejam fáceis de desapertar, se por qualquer razão for necessário. Deve responder de forma calma e serena a todas as dúvidas que ele lhe colocar, e se por qualquer motivo ele não aceitar, seja compreensiva e tente entender as suas razões. Terão ambos que acordar para que, assim que um de vós se sinta desconfortável, o jogo termine, de modo a que não provoque qualquer tipo de dor.

 

“Ela quer fazer um ménage à trois!”

 

“(…)Namoro há três anos e sempre tive uma vida sexual bastante activa e divertida. Ultimamente tenho-me surpreendido com a vontade da minha namorada em fazermos amor com mais um homem. ”

Diogo, Santiago do Cacém

 

Caro leitor,

Existem inúmeras práticas sexuais que podem trazer novidade para a vida sexual do casal, sendo o sexo a três uma delas. Pelo que parece a sua namorada quer expandir as vossas práticas sexuais mas o leitor não está perfeitamente à vontade para arriscar no tipo de aventuras sexuais sugeridas pela sua namorada. Converse com ela pois ninguém deve participar em práticas sexuais com as quais não concorda ou que o façam sentir-se desconfortável. É importante que, em conjunto com a sua parceira, explore outras perspectivas que sejam de comum acordo, para que nenhum dos dois
fique constrangido com as escolhas que fizerem. É relevante que respeitem o espaço e a vontade de cada um, pois fazer o que quer que seja para agradar ao parceiro não é a melhor solução para uma vida a dois. Seja sincero, converse com a sua namorada e explique-lhe que não se sente bem ao ter de partilhar os seus momentos de intimidade com uma outra pessoa. Pondo a vossa imaginação a funcionar podem surpreender-se um ao outro e viver momentos bastante proveitosos para ambos. 

 

“Ela quer tirar fotos de mim nu”

“A minha namorada tem um alto cargo numa empresa e faz muitas viagens de negócios. Agora ela quer tirar fotos de mim nu para levar quando for viajar durante uns meses. Este comportamento é normal?…”

Cristiano, Aveiro

 

Caro leitor,

é natural e muito positivo ela querer levar recordações de si… Se se sente à vontade para deixar que lhe tire fotos despido, vá em frente, mas antes de decidir, avalie o quão sólida é a vossa relação e o quanto confia na sua namorada. Pondere bem, pois um dia esta sua relação poderá acabar e estas fotos poderão vir a comprometê-lo. Pense nos prós e contras da satisfação deste pedido, e acima de tudo proteja a sua privacidade!

 

“O meu marido excita-se com os meus Pés”

 

“O meu marido e eu estamos casados há 5 anos, mas só na semana passada ele confessou que gosta de pés!!! Ele diz que os acha bastante excitantes e quer que eu ande pela casa descalça. Eu acho um pouco estranho e não sei se é algo normal entre homens."

Ermelinda, Viseu

 

Cara leitora

O seu marido tem um fetiche por pés, ou seja, ele sente-se excitado quando vê ou toca pés femininos. Existem milhares de pessoas com os mais variados tipos de fetiches, dos mais simples aos mais arrojados. Há quem se sinta excitado com certas peças de vestuário, com partes do corpo, ou mesmo com determinados objectos. O único senão com este tipo de prática sexual é quando o indivíduo não consegue sentir-se estimulado sexualmente sem a presença do seu alvo de interesse. Quando isto acontece o fetichismo passa a ser uma dependência e a controlar a actividade sexual do casal, o que não é saudável. O fetiche do seu marido é totalmente inofensivo, por isso não se preocupe e divirtam-se.