Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“A menopausa mudou a minha vida!”

 

Desde que entrei na menopausa a minha vida alterou-se por completo. Sinto que já não sou a mesma pessoa, tanto física como psicologicamente. O meu marido não entende as minhas atitudes, o que tem gerado alguns conflitos na nossa relação, principalmente no que diz respeito à nossa vida sexual. O que se passa comigo?”

Guida, Mafra

Cara Leitora,

Antes de mais gostaria de salientar que nesta fase da vida da mulher existem dois estados: a menopausa e o climatério. A menopausa trata-se da última menstruação e o climatério é a fase em que a mulher passa do período fértil para o infértil, onde existe uma diminuição significativa da produção das hormonas sexuais. Nesta nova etapa da vida da mulher, os ovários deixam de funcionar, terminando, então, as menstruações. Esta redução a nível hormonal pode provocar algumas alterações físicas e psicológicas, por vezes condicionando a sua vida afetiva e social (que é o que está a passar-se consigo).

Esta fase tem um grande peso na vida das mulheres no que diz respeito à forma como se vive a sexualidade e na forma como evidenciam alguns comportamentos e atitudes. Neste sentido, deve ter uma conversa séria com o seu marido, lembrando-lhe que a leitora está a passar por uma fase de adaptação de um novo momento da sua vida e por esse motivo é importante que ele seja mais compreensivo de forma a evitarem conflitos desnecessários. 

O orgasmo feminino

 

 

 

 

Gostava que me tirasse uma dúvida. Quando faço amor com a minha namorada sinto que ela tem muito prazer, e manifesta alguns “comportamentos/sentimentos” estranhos como por exemplo: perde os sentidos dos braços e pernas, e também parte da visão por um determinado período de tempo. Eu pergunto-lhe o que se está a passar com ela,  porque razão fica assim, pois estou a ficar assustado e receio que ela não se esteja a sentir bem, mas ela diz que está mais que bem. No entanto pergunto-lhe às vezes se ela sentiu alguma vez um orgasmo, só que ela tem vergonha e não gosta de tocar no assunto e  diz-me “Eu é que sei o que sinto”.
 A minha dúvida é, como é que eu sei ou quais são os sintomas que uma mulher manifesta quando tem um orgasmo? Não há mal nenhum quando ela reage/sente tudo aquilo que citei anteriormente?
 
Muito obrigado.
 
 
Caro leitor,
O orgasmo feminino, tal como o masculino, é uma experiência muito pessoal e que pode variar muito consoante o momento de vida da pessoa. Não é fácil falar sobre a nossa sexualidade e talvez por isso a sua parceira tenha dificuldades em lhe dizer o que está a sentir. Não tem de ser negativo, pela sua descrição parece que ela está mesmo a sentir prazer e satisfação. Tente encontrar maneiras imaginativas de lhe expressar as suas preocupações e de conhecer os seus sentimentos, sem que ela se sinta avaliada ou julgada.
 
 

Apanhei a minha mulher na cama com outra

mulher 

"Estou desolado, pois recentemente surpreendi a minha mulher na cama com outra mulher. Estou furioso, mas não sei o que fazer, pois amo-a muito e ela diz que aquilo nao significou nada."

 

Simão, Lagoa

 

Caro Leitor,

Realmente deve ser muito difícil ver a sua mulher com outra mulher na cama, e é natural que se sinta confuso, uma vez que ainda ama a sua mulher, mas não consegue perdoar o que sucedeu. Apesar de ela dizer que o sucedido nao significou nada para ela, e sempre difícil, e por isso o melhor é que deixe passar algum tempo para depois com alguma frieza poder tomar uma decisão mais coerente e que vá de encontro ao que realmente deseja. Neste sentido, é importante que fale com a sua esposa, e faça uma avaliação dos sentimentos que sente pela sua mulher e apenas o leitor poderá avaliar se quer continuar a partilhar a sua vida com ela ou não. Tente não tomar uma decisão precipitada da qual se venha a arrepender mais tarde, pois agora uma vez que o leitor esta enfurecido, poderá tomar uma decisão irreflectida.  

"Que devo fazer para proporcionar à minha namorada orgasmos múltiplos?”

Amo imenso a minha namorada e gostava de lhe dar mais prazer. Ouvi falar em orgasmo múltiplo, o que é isso? Como posso praticar isso com a minha namorada?...”

 

Luís Pedro, Sintra

 

 

Caro Leitor,

 

Os orgasmos múltiplos são uma sequência de vários orgasmos cuja intensidade, quantidade e velocidade varia de mulher para mulher. O primeiro passo para atingir o orgasmo múltiplo é dar bastante atenção aos preliminares e estar atento às reacções da sua namorada durante o acto sexual. Descubra o tipo de estimulação que ela mais gosta, e faça-o durante mais tempo do que o normal, sem parar após o primeiro orgasmo. Basicamente, para que uma mulher atinja orgasmos múltiplos requer que o homem proporcione uma estimulação contínua e mais prolongada. Tenha no entanto em mente que nem todas as mulheres têm a capacidade de os experimentar, muitas mulheres com vidas sexuais completamente normais e satisfatórias apenas experienciam um orgasmo independentemente da estimulação que recebam. Converse com a sua namorada sobre isso, pois nenhuma mulher no mundo se vai importar se o seu parceiro lhe quiser dar mais prazer!

 

 

Dormi com muitas mulheres na minha vida!

 

Tenho 26 anos e já tive várias parceiras durante a minha vida, pois sempre gostei de praticar sexo. A minha atual namorada quer saber quantas ao certo. Se disser a verdade ela pensará que sou um promíscuo, o que devo fazer?”

 

Lucas, Massamá

 

Caro leitor,

Será que é assim tão importante o número de pessoas com quem se dormiu antes? Para algumas mulheres é importante saber se o parceiro já teve muitas amantes pois sentem-se intimidadas, tendo receio que alguma delas tenha sido melhor amante do que ela, o que pode ser o caso da sua atual namorada. Na realidade, o que fez antes de começar este relacionamento é só assunto seu, por isso contar ou não vai depender de si. Faça-lhe a mesma pergunta e veja se ela gosta que você se intrometa na sua privacidade. Pense bem antes de decidir se lhe quer contar a verdade ou não, pois a sua resposta pode ter um peso bastante grande na vossa relação, por isso se precisar de “amaciar” a resposta faça-o, pois a sua vida íntima só a si diz respeito. 

“A minha mulher não consegue engravidar”

“Sou casado há 10 anos e há cerca de dois eu e a minha mulher temos tentado ter um filho mas ela nunca conseguiu engravidar. Já consultámos vários especialistas mas nunca chegaram a nenhuma conclusão. Será que temos algum problema?”

Gonçalo, Tomar

 

 

Caro leitor,

Estudos indicam que a partir dos 34 anos a fertilidade feminina começa a diminuir significativamente e consequentemente as hipóteses de engravidar são menores.

Tendo em conta que tem tido o cuidado de consultar alguns especialistas de forma a averiguar que tanto o leitor como a sua mulher reúnem os requisitos físicos para serem pais, a melhor atitude a tomar é controlar o estado de ansiedade em que se encontram. Em muitas situações, a ansiedade é uma das causas que impede algumas mulheres de ficarem grávidas. Tanto o leitor como a sua mulher devem adotar uma atitude mais tranquila, evitem o stress, procurem descansar mais, sobretudo durante o período fértil, e ter em consideração alguns cuidados que ajudam a sua mulher a ficar mais fértil. Sendo assim, recomende à sua mulher que aumente a sua exposição ao sol e que tenha uma alimentação equilibrada, fatores que facilitam uma ovulação regular. 

“Sou lésbica, e agora?”

 

“Tenho 20 anos e descobri recentemente que sou lésbica. Iniciei um relacionamento com uma mulher um pouco mais velha e experiente do que eu, e embora tudo esteja a correr bem entre nós não sei como contar à minha família e amigos, especialmente aos meus pais, pois acho que vão reagir mal.”

 

Liliana, Leiria

 

Cara Leitora,

Apesar de existir socialmente uma maior abertura, a questão da homossexualidade continua a ser um assunto tabu e rejeitado por muitas famílias. Neste sentido, é natural o seu receio em abordar esta questão com os seus pais. A maior expectativa dos pais é quase sempre que os filhos se casem e lhes dêem netos de modo a alargar a família. Por isso, muitas vezes, falar de relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo revela-se bastante complicado.

Tente compreender a posição dos seus pais, não é fácil aceitar e lidar com uma situação que em nada tem a ver com aquela que idealizaram. Procure mostrar-lhes, de forma cautelosa, que a sua felicidade está junto da pessoa que ama, independentemente do seu sexo. Mostre-lhes que compreende a posição deles, mas peça-lhes que compreendam também os seus sentimentos. Certamente que, por gostarem de si, entenderão e respeitarão a sua decisão. Não desista de lutar pela sua felicidade!

 

“Ela está quase… mas nunca consegue chegar lá!”

 

“Tenho 20 anos e gosto muito da minha namorada, com que namoro há já dois anos. Começámos a ter relações sexuais seis meses depois de nos envolvermos pois éramos ambos virgens e quisemos esperar, mas desde o início da relação que praticámos sexo oral um no outro. Contudo, a minha namorada nunca consegue chegar ao orgasmo. Parece que está quase… mas não consegue, como se algo a impedisse. Já tentámos várias técnicas e posições, mas mesmo quando se masturba ela também não consegue. Há algo que possamos fazer?”

 

Carlos, Porto

Caro leitor,

Cada mulher precisa do seu tempo, sensibilidade e paciência para explorar o seu corpo e visto que a sua namorada era virgem estão ainda a fazer ambos a descoberta da vossa maneira de viver a sexualidade. Há mulheres que se encontram numa fase pré-orgásmica, quando ainda não experimentaram um orgasmo nem na relação sexual nem através da masturbação, podendo ser anorgásmicas quando não chegam a consegui-lo. Apesar de não alcançarem o orgasmo, outros aspetos da relação sexual podem proporcionar-lhes prazer, sendo essencial que se sintam bem ao desfrutarem do sexo e da intimidade com o parceiro. É também muito importante que ter um orgasmo não se torne uma pressão, pois essa sim pode minar o prazer. Relaxar e focar-se naquilo que a faz sentir-se bem, no que lhe dá prazer e lhe provoca sensações positivas é o ponto de partida, sendo que algumas mulheres que têm dificuldade em ter um orgasmo conseguem-no através do uso de um vibrador, usando lubrificante, perto do clítoris. Sem pressas nem pressão, dediquem mais tempo a explorar o corpo dela, a dois e ela sozinha, e o mais provável será acabar por conseguir “chegar lá”. Se mesmo assim não aconteça, o acompanhamento de um terapeuta irá ajudá-la. 

“Sou amante de uma mulher casada”

 

“Apaixonei-me por uma colega de trabalho e envolvi-me com ela, apesar de saber que ela é casada. Agora não consigo esquecê-la nem terminar com a relação e tenho imensos ciúmes quando ela volta para casa para junto do marido.

Jorge, Cacém

Caro leitor,

 

Viver dividido, constantemente, entre a espada e a parede é difícil. Na verdade gostaria de ter a pessoa que ama inteiramente ao lado, sem ter que partilhá-la com mais ninguém. Porém, é bom que tenha a consciência de que se já tentou mostrar que a desejava ao seu lado de uma forma permanente e ela não mostrou grande interesse em deixar a família para partilhar a vida consigo, será bastante difícil não ficar para segundo plano. Desta forma, cabe-lhe a si refletir no que deseja para a sua vida daqui para a frente, visto que a pessoa que ama não pretende deixar a vida familiar. Pense na sua felicidade e veja se vale a pena estar a investir numa relação em que vai estar sempre em segundo plano. Contudo, aconselho-o a abrir o seu coração mais uma vez e deixe-lhe bem claro que a sua realização passa pelo facto de tê-la ao seu lado e partilharem o mesmo lar.

“O orgasmo do homem é igual ao da mulher?”

Gostaria de saber se o homem e a mulher experimentam o orgasmo da mesma forma, sito é, se sentem o mesmo.”

Bernardo, Beja

 

Caro leitor,

Tanto o homem como a mulher sentem prazer quando têm os seus órgãos genitais estimulados. Masters e Johnson realizaram um estudo sobre
o orgasmo e descobriram que homem pode ter de 6 a 9 contracções da zona pélvica durante o orgasmo enquanto que a mulher pode ter de 9 a 12 contracções durante o orgasmo. Os autores não estabeleceram um valor máximo de contracções da zona pélvica durante o orgasmo, mas os números podem variar bastante, pois cada pessoa é um caso único tendo orgasmos de diferentes intensidades. Em regra geral, o orgasmo masculino é acompanhado de ejaculação enquanto que o feminino não. No entanto, existem excepções nas quais os homens podem ter orgasmos sem ejacular e mulheres podem ejacular durante o orgasmo. Outra diferença entre o orgasmo feminino e o masculino é o facto de a mulher poder ter vários orgasmos
múltiplos durante o mesmo acto sexual enquanto que o homem necessita de algum tempo após terminado o acto sexual até que possa recomeçar e ter outro orgasmo.