Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Apaixonei-me pela namorada do meu melhor amigo!

free-wallpaper-22.jpg

 

"Tenho 30 anos e desde sempre repudiei as traições. Porém, há cerca de 6 meses percebi que estou apaixonado pela namorada do meu melhor amigo. Não soube como lidar com a situação, ela sente o mesmo por mim mas não quer terminar com o namorado por causa da família de ambos, e por isso temos mantido um caso em segredo já há algum tempo. Odeio-me pelo que estou a fazer, mas não consigo evitá-lo. Não sei o que fazer!"

João - Lisboa

 

Caro leitor,

Sem saber como viu-se numa situação que sempre reprovou, isto é, acabou por se envolver com a namorada do seu melhor amigo e agora não sabe o que fazer. Porém, agora vê-se sem muitas alternativas, pois sente-se incomodado com a situação gerada, mas, também, não consegue deixá-la pelo facto de estar apaixonado. Apesar de estar a viver uma situação complicada cabe-lhe a si refletir no que deseja para a sua vida daqui a frente, visto que a pessoa que ama não pretende deixar o seu amigo para ficar consigo. Pense na sua felicidade e veja se vale a pena estar a investir numa relação em que vai estar sempre em segundo plano.

“Encontrei um vibrador na casa da minha namorada…”

“Tenho 24 anos e namoro há 3 com uma rapariga que amo. Temos um relacionamento feliz a todos os níveis e sempre achei que a nossa relação sexual era muito boa, pelo que fiquei muito surpreendido quando, na semana passada, encontrei um vibrador no quarto dela. Será que eu não a satisfaço sexualmente?”

 

Manuel, Espinho

 

Caro leitor,

A resposta para a questão que colocou varia de mulher para mulher, e por essa razão é fundamental que fale com a sua namorada de forma frontal e honesta, evitando criar mal-entendidos e dúvidas que podem não ter razão de existir. Existem mulheres que gostam de se masturbar com um vibrador mesmo quando estão totalmente satisfeitas com os seus parceiros ou parceiras, sendo que tal não significa que não se sintam plenamente bem com a pessoa com quem estão. A masturbação é uma forma de expressão sexual que não substitui, mas antes complementa, o relacionamento sexual entre dois parceiros. Converse abertamente com a sua parceira acerca do assunto e veja o que ela lhe diz, podem inclusivamente começar a utilizar o vibrador quando estão juntos, descobrindo uma nova dimensão na vossa relação sexual.

“Ela queixa-se que não lhe faço sexo oral!”

 
 

“Sou lésbica e tenho um relacionamento que já dura há 8 meses. Eu e a minha namorada temos uma vida sexual bastante ativa, no entanto ela queixa-se que eu não lhe faço sexo oral.”

                                                                                              Madalena, Lisboa

 

 

Cara leitora,

É esse tipo de atitude que faz com que a vida sexual de um casal acabe por morrer após algum tempo de união. Não é justo para si que a sua namorada esteja descontente, apenas porque uma das necessidades dela não é satisfeita. É natural que as relações se tornem monótonas após alguns anos, mas cabe ao casal diversificar e ser criativo para manter a chama acesa. No entanto, se o sexo oral é algo importante para a sua namorada então tente identificar uma forma de o tornar mais tolerável para si. Por exemplo, experimente usar lubrificantes com sabores. Converse com a sua namorada, tentem descobrir novas práticas sexuais que ambas estejam interessadas em experimentar, de forma a reacender a chama entre ambas.

 

“Eu não me masturbo… mas ela sim!”

“Tenho 24 anos e devo ser o único homem à face da Terra que nunca se masturbou, algo que para mim não representa qualquer problema, mas que incomoda a minha namorada. Ela não compreende nem acha normal, pois masturba-se pelo menos duas vezes por dia e muitas vezes insiste que eu veja. Ela acha que o meu comportamento não é normal porque diz que todos os homens se masturbam. É verdade?”

 

Tiago, Braga

 

 

Caro leitor,

Há sempre inúmeros mitos no que à sexualidade diz respeito. Um deles é o mito que diz que todos os homens se masturbam, e que as mulheres não o fazem. De forma simples e direta, deixe-me dizer-lhe que tanto o leitor como a sua namorada são ambos absolutamente normais. A decisão de proporcionar prazer a si próprio através da estimulação direta cabe-lhe a si, e embora muitos homens e mulheres o façam – ou digam que o façam – não há de ser a única pessoa à face da Terra que não o faz. O facto de a sua namorada querer que você a veja enquanto ela se masturba também não é estranho, pois alguns casais gostam de o fazer como forma de aumentarem a intimidade a dois. Deve questionar-se, isso sim, se esta questão da masturbação não denota outros problemas entre os dois, falta de comunicação no casal ou posturas diferentes no que ao sexo diz respeito. Aquilo que realmente importa neste caso é que tenham a capacidade de ter um diálogo honesto e frontal acerca da satisfação que ambos retiram da vossa vida sexual, para que esta possa ser melhor. Quem sabe não experimenta praticar a masturbação mútua com a sua namorada e até gosta? O respeito mútuo e a aceitação são alicerces fundamentais para qualquer relação. 

"Que devo fazer para proporcionar à minha namorada orgasmos múltiplos?”

Amo imenso a minha namorada e gostava de lhe dar mais prazer. Ouvi falar em orgasmo múltiplo, o que é isso? Como posso praticar isso com a minha namorada?...”

 

Luís Pedro, Sintra

 

 

Caro Leitor,

 

Os orgasmos múltiplos são uma sequência de vários orgasmos cuja intensidade, quantidade e velocidade varia de mulher para mulher. O primeiro passo para atingir o orgasmo múltiplo é dar bastante atenção aos preliminares e estar atento às reacções da sua namorada durante o acto sexual. Descubra o tipo de estimulação que ela mais gosta, e faça-o durante mais tempo do que o normal, sem parar após o primeiro orgasmo. Basicamente, para que uma mulher atinja orgasmos múltiplos requer que o homem proporcione uma estimulação contínua e mais prolongada. Tenha no entanto em mente que nem todas as mulheres têm a capacidade de os experimentar, muitas mulheres com vidas sexuais completamente normais e satisfatórias apenas experienciam um orgasmo independentemente da estimulação que recebam. Converse com a sua namorada sobre isso, pois nenhuma mulher no mundo se vai importar se o seu parceiro lhe quiser dar mais prazer!

 

 

“Fazer sexo oral é normal?”

“Tenho uma namorada que é mais experiente sexualmente do que eu e todas as vezes que estamos juntos ela pede-me para fazermos sexo oral antes do coito, mas isso não me agrada. Porque será que ela faz esse pedido?”

 

Carlos, Castelo Banco

 

Caro leitor,

A grande maioria das mulheres atinge o orgasmo através da estimulação clitorial que pode ser feita através de estimulação oral ou manual. Uma vez que a sua namorada é mais experiente sexualmente do que o leitor, ela deve ter-se apercebido que essa é a única forma de ela atingir o orgasmo e por isso ela lhe pede para praticarem sexo oral antes do coito de forma a que ela atinja o orgasmo antes da penetração. Se essa prática não lhe agrada, aconselho-o a conversar com a sua namorada e a sugerir outras práticas sexuais que permitam que a sua namorada atinja o orgasmo, tais como a estimulação manual. No entanto a prática de sexo oral é algo perfeitamente normal e não acarreta quaisquer problemas de saúde, mas é importante que esta decorra de forma prazerosa para ambos. Agora cabe-lhe a si decidir se quer continuar a partilhar esse tipo de experiências com a sua companheira, mas deve levar em consideração que numa relação é importante que haja um diálogo aberto e franco para que tudo corra da melhor maneira.

“Ela não se deixa ir até ao orgasmo…”

“Namoro há seis meses com uma rapariga de quem gosto bastante. Temos uma vida sexual activa, mas de cada vez que ela está quase a atingir o orgasmo, pára porque diz que não quer perder o controlo de si própria… Gostava que ela deixasse de agir assim, mas não sei como devo explicar-lhe isso.” 

Ricardo, Arraiolos

 

Caro leitor

talvez a sua namorada realmente não queira perder o controlo durante o orgasmo, mas pode também dar-se o caso de ela não conseguir atingir o orgasmo e por isso decidir parar a estimulação para evitar a frustração. Pergunte-lhe se ela alguma vez teve um orgasmo, e em que circunstâncias.
É importante saber se ela atingiu o orgasmo com outros namorados antes de si e se ela se deixa atingir o orgasmo quando se masturba. Se isto tiver acontecido, então o mais provável é que ela ainda não se sinta suficientemente à vontade consigo para se libertar e atingir o orgasmo. Pode também acontecer que no passado ela se tenha entregue física e emocionalmente e se tenha magoado, daí que tenha medo de passar pela mesma situação. Converse com a sua namorada e demonstre-lhe o quão importante ela é para si, pois só dessa forma vai conquistar a sua confiança, fazendo com que ela se sinta à vontade e se liberte. 

“Fui infiel a dois meses do casamento…”

Amo muito a minha namorada e daqui a poucas semanas iremos casar. Porém, há uns tempos atrás depois de uma discussão descabida encontrei-me com a minha ex-namorada e acabámos por dormir juntos. Gostava de contar tudo à minha noiva, mas temo a sua reação…”

Paulo, Penafiel

Caro Leitor,

O que aconteceu consigo foi fruto da impulsividade e de alguma imaturidade. Mas pelo que vejo os sentimentos que nutre pela sua namorada estão intactos, o leitor foi levado a cometer um delito pelo ambiente envolvente e por uma discussão que abalou a vossa relação. Uma vez que estão próximo da data do vosso casamento, aconselho-o a agir com prudência. Ao contar a verdade à sua namorada deve ter noção da gravidade das suas ações e estar preparado para sofrer as consequências que daí possam advir. Se decidir contar a verdade à sua namorada, mostre-lhe que para si o que aconteceu não teve qualquer significado e que optou por contar toda a verdade, pois não iria suportar iniciar uma nova etapa da sua vida (o casamento) com uma mentira a assombrar o vosso relacionamento. Esteja preparado, pois a primeira reação da sua namorada poderá não ser pacífica, mas se ela o ama da mesma forma que o leitor a ama esteja certo que o amor acabará por vencer.

“A minha namorada quer que eu lhe dê palmadinhas…”

namorados.jpg

 

“A minha namorada vai fazer anos daqui a um mês e confessou-me que gostava que eu lhe desse palmadinhas no rabo como presente de aniversário. Fiquei surpreendido mas ela disse-me que lhe dava prazer e pediu-me para lhe dar uma por cada ano que ela faz, vai fazer 29 anos. Sinto-me confuso, é normal este pedido dela?”

 

Marco, Lisboa

 

Caro leitor,

Há muitas pessoas para quem a dor e o prazer estão associados. Os praticantes das práticas Sadomasoquistas ou BDSM sentem prazer ao infligir dor ou quando o parceiro lhes provoca dor a eles. As palmadas podem ser excitantes não só para praticantes do sadomasoquismo, pois pelo imaginário que provocam, em que um dos parceiros notavelmente assume uma posição de domínio perante o outro, podem provocar excitação e adrenalina que conduz ao prazer. Estas palmadinhas podem ser dadas com a mão ou com um brinquedo sexual especial, havendo diversos tipos de chicotes, chibatas ou palmatórias à venda nas sex shops. A intensidade da dor dependerá naturalmente da intensidade com que o faça. Converse com a sua namorada e, se ambos estiverem à vontade com a situação, satisfaça-lhe a vontade. Quem sabe não descobrem uma nova brincadeira a dois?

 

“É possível fazer sexo seguro na piscina?”

“Eu e a minha namorada adoramos água e gostávamos muito de experimentar fazer sexo na piscina, pois o pai dela trabalha num hotel e podemos estar a sós na piscina. No entanto, temos receio de praticar sexo sem preservativo, pois apesar de sermos o primeiro parceiro um do outro e à partida estarmos livres de doenças ainda temos ambos 17 anos e não queremos uma gravidez indesejada…”

 

João, Oeiras

Caro leitor,

A sua questão é pertinente e demonstra maturidade da sua parte. Na verdade, os preservativos não são habitualmente testados em piscinas ou banheiras de jacuzzi, por exemplo, nem com os produtos químicos que geralmente se encontram nestes ambientes. De qualquer dos modos, a prática de sexo na banheira não é segura pois a água não imobiliza nem extermina os espermatozoides, e os vírus podem ser transmitidos da mesma forma. Por outro lado, o espermicida é facilmente dissipável na água, perdendo o seu efeito, e a água pode deteriorar o látex. As bactérias e químicos existentes na água da piscina podem também provocar irritações e infeções vaginais. Embora seja preferível usar preservativo na água do que fazer sexo sem qualquer proteção, tenham em conta que o grau de proteção mesmo assim é muito reduzido.