Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Desvende a arte da masturbação

o-ORGASM-facebook.jpg

 


Existe um número infindável de técnicas que pode e deve usar enquanto se masturba. Acima de tudo, a regra básica é deixar-se levar pelas suas próprias sensações, com uma mente liberta de receios ou tabus.

 

Masturbação a dois

Praticar a masturbação a dois é uma das melhores formas de revitalizar a relação, aumentando a cumplicidade e estimulando a união. No entanto, pode ser difícil partilhar algo tão íntimo com outra pessoa. Libertar-se desse receio é também uma excitante forma de quebrar tabus e de se superar a si própria.

 

Para partilhar a masturbação com o seu par é importante entender o que lhe provoca o orgasmo. Muitas pessoas têm um estilo de masturbação desde a adolescência e mantêm-no. Não sendo necessariamente negativo, isso faz com que não descubram outras potencialidades. De um modo geral, a maior parte dos orgasmos são provocados através da pressão e da tensão provocadas na masturbação. No entanto, este tipo de orgasmos proporciona um nível de prazer consideravelmente baixo e também não é fácil de ser partilhado com o parceiro, porque se passa tudo a um nível muito interno, dependendo da tensão dos músculos e da pressão sobre a zona genital. Existem também orgasmos provocados pelo relaxamento ou uma variação combinada de todos os outros.

 

Masturbação por pressão

Muitas mulheres chegam ao orgasmo ao friccionarem o clítoris sobre qualquer objeto, seja o braço de um sofá, uma almofada, um boneco de peluche. Este tipo de masturbação dispensa o uso das mãos, sendo que algumas mulheres limitam-se a cruzar as pernas, fechando-as com força e massajando a região genital através da pressão por elas exercida. Colocar-se sobre uma almofada ou qualquer outro objeto que lhe ofereça esse tipo de pressão, sendo mais ou menos rígido, à frente do seu companheiro, mesmo vestida, pode ser extremamente provocador e excitante para ambos.

 

Masturbação por tensão

Ao conjugar a estimulação genital com alguma tensão muscular a libertação trazida pelo orgasmo é maior e este é mais intenso. Neste caso, os músculos das pernas e das nádegas contraem-se com força, apertando enquanto o resto do corpo se mantém rígido. Enquanto sustem a respiração, exerce maior pressão sobre o clítoris apertando os músculos, o que proporciona com relativa facilidade um orgasmo silencioso, que alivia a tensão numa rápida descarga. Este tipo de orgasmos pode acontecer mesmo enquanto se pratica ginástica, como por exemplo ao subir a uma corda, pois todo o corpo está em tensão. Embora estes orgasmos rápidos sejam dos mais comuns, devem ser vistos como a fast food – saciam a fome mas não alimentam plenamente.

 

Masturbação por relaxamento

Este tipo de masturbação é ideal para ser praticada a dois, até porque não é fácil relaxar completamente e estimular ao mesmo tempo a área genital. Assim, é essencial que se deixe pura e simplesmente descontrair, relaxando todos os músculos, como se fosse a Bela Adormecida, enquanto o seu par a masturba com a mão dele, deslizando suavemente os dedos pelos seus lábios vaginais, brincando com o seu clítoris. Deixe-se ir, simplesmente, sem pressas. Este tipo de contacto íntimo é extremamente erótico para ambos, estimulando a cumplicidade do casal.

 

Masturbação combinada

Usa os princípios subjacentes às três formas de obter prazer que foram anteriormente descritas. Assim, neste caso usa-se a tensão e o relaxamento em simultâneo com a estimulação direta do clítoris ou a penetração vaginal, usando os dedos ou um vibrador. Assim, deve contrair os músculos vaginais e libertá-los de seguida, repetindo algumas vezes. Use então um vibrador que deve introduzir devagar na vagina, enquanto continua a contrair e relaxar os músculos vaginais. Com os dedos estimule o clítoris (este tipo de masturbação pode e deve ser feita a dois), continuando a trabalhar os músculos vaginais, inspirando com força quando contrai e expirando profundamente quando liberta os músculos. Ao conjugar todos estes fatores obterá orgasmos mais intensos e mais profundos. Pode também fazer você a estimulação do clítoris enquanto o seu companheiro "se encarrega" da penetração vaginal, com os dedos ou um vibrador. Este tipo de masturbação cria o ambiente adequado para a relação sexual, pois proporciona à mulher orgasmos intensos e libertadores.

Masturbação, uma prática saudável

female-masturbation.jpg

 

Uma mulher consegue levar-se ao orgasmo em menos de 5 minutos. Para além de melhorar a vida sexual a dois pelo autoconhecimento que proporciona, a masturbação relaxa e ajuda a adormecer, aliviando o stress e desviando a mente das preocupações. Também é benéfica para aliviar as dores de cabeça, porque como descontrai diminui a tensão nervosa e favorece o fluxo sanguíneo.

 

Algumas receitas de prazer:

Expresso – deitada de barriga para cima, consiste em estimular diretamente o clítoris, da forma como reconhecidamente sabe que atinge o orgasmo com maior facilidade. É ideal para quando não consegue adormecer ou precisa de uma descontração rápida.

 

Conquistador – Se já sabe como chegar ao orgasmo em poucos minutos, experimente explorar outras partes do seu corpo, tais como a parte interior das coxas, o estômago, o peito. Acaricie-se e massaje-se com as mãos ou experimente utilizar um vibrador ou outro brinquedo erótico. É um momento para se desejar a si própria, sem pressas nem restrições.

 

Secreto – Contraia os músculos vaginais várias vezes com mais ou menos força, mudando de ritmo e intensidade, até chegar ao orgasmo. É muito excitante porque pode fazê-lo em qualquer sítio, sem que as pessoas à sua volta saibam o que está a fazer. Pode, ainda, utilizar um vibrador discreto, com comando à distância. É muito eficaz para despertar a sua libido e ajudá-la a libertar-se e a dar largas à imaginação, pois a ideia de se excitar em público pode ser extremamente excitante.

 

Aquático – Enquanto toma duche faça com que o jato de água incida diretamente sobre os seus lábios vaginais e o clítoris, brincando com os dedos e a pressão da água (atenção à temperatura da mesma!), o manípulo do chuveiro, a esponja do duche…

 

Despertador – Para começar o dia com mais energia e boa-disposição, masturbe-se logo que acorda… experimente concentrar-se mais na vagina, percorra os lábios vaginais com os dedos e acabe por introduzi-los, massajando o ponto G. Se estiver sozinha será uma forma de começar bem o dia, se estiver acompanhada o seu companheiro certamente apreciará vê-la sentir prazer e não resistirá a querer juntar-se a si…

 

Íntimo – Comece por acariciar a vulva e toque nas zonas mais sensíveis, nomeadamente aquelas que normalmente não toca, como cada uma das partes que compõem o clítoris, a vagina e o períneo. Use um lubrificante à base de água para que os seus dedos deslizem mais facilmente. Sinta as sensações que cada toque lhe provoca, detenha-se mais naquelas que lhe proporcionam maior prazer…

 

Selvagem – Amontoe algumas almofadas e deite-se sobre elas com as pernas abertas. Liberte a sua imaginação e movimente as ancas para cima e para baixo, como se estivesse em cima de um touro de rodeo, fazendo com que a sua zona genital roce com pressão sobre as almofadas. Liberte-se e deixe-se levar pelas sensações enquanto a sua mente dá asas às suas mais loucas fantasias.

 

Completo – Masturbe-se com calma, sem pressas, acariciando o clítoris e os lábios vaginais e, quando se sentir quase a ter um orgasmo, introduza um ou dois dedos na vagina, mantendo o dedo polegar em contacto com o clítoris, continuando a acariciá-lo, enquanto os outros dedos se movimentam dentro da vagina. Pode ainda movimentar as ancas para dar maior ritmo e aumentar a excitação.

 

Com adereços – Experimente acariciar a sua zona genital com outros objetos, nomeadamente penas, uma roupa de seda, uma toalha, etc… Descubra a sensação provocada por diferentes texturas e tipos de toque. Use também brinquedos sexuais como vibradores ou bolas vaginais. Ao usar objetos é fundamental assegurar uma boa higiene para evitar doenças e infeções. Deve utilizar, também, um bom lubrificante, para facilitar o contacto com esta parte tão sensível do seu corpo.

Estimulação anal para homens!

83254002.jpg

 

"Estou casada há dois anos e gostaria de inovar a nossa vida sexual através de estimulação anal ao meu marido. Será que isso é muito atrevido, será que ele vai gostar?"

Nicole - Madeira

 

Cara leitora,

O que é considerado muito atrevido para alguns, é o pão-nosso de cada dia para outros. Existem muitos casais que praticam esse tipo de estimulação e existem de facto muitos homens que, independentemente da sua orientação sexual, deliram com essa prática, chegando mesmo a atingir o orgasmo sem necessitar de mais nenhum tipo de estimulação. Por isso não se preocupe com rótulos e seja inovadora na cama com o seu marido. A estimulação anal em homens deve ser feita sempre com a utilização de um lubrificante e de forma gradual e cuidadosa. Experimente e verá que o seu marido vai gostar.

Orgasmo difícil

Tenho uma vida sexual activa há mais de 5 anos, adoro fazer sexo, mas nunca gozei. Sinto um grande prazer quando sou tocada e quando estou fazendo sexo, mas sei que demoro para atingir o orgasmo tanto que nunca cheguei, porquê? Gostaria muito de saber o que eu posso fazer para chegar ao orgasmo? O problema deve estar comigo, tambem gostaria de saber que problema é esse.
Ana Maria
 
Cara Ana Maria,
 
Há muitas mulheres com dificuldades em atingir o orgasmo, principalmente na penetração vaginal. No entanto, pode tentar estimular-se no clítoris (pode ser a Ana ou o seu parceiro ou parceira a fazê-lo antes, durante ou depois da penetração), com sexo oral, com a masturbação utilizando os dedos ou um vibrador…
Há muitas alternativas que deve explorar para descobrir o que a excita mais, demorando-se o tempo que for necessário, sem pressas nem pressões! Não se preocupe em atingir o orgasmo e disfrute o prazer que diz ter no sexo – o orgasmo feminino tem de ser aprendido, leva o seu tempo, pode precisar de intimidade, confiança, amor…Deixe-se levar pelo prazer e pela curiosidade para saber qual é o seu rastilho!

Clítoris inchado

 

 

Tenho 17 anos e cada vez que eu e o meu namorado curtimos ele toca-me no clítoris, mas eu nunca atinjo o orgasmo, o problema é que passados alguns dias este ainda está inchado e dói-me. O que será que devo fazer?

 

Margarida, Alcácer do Sal

 

Cara leitora,

Quando as mulheres estão sexualmente excitadas dá-se um aumento da circulação sanguínea na zona genital, e algumas mulheres atingem o orgasmo e outras não. No seu caso, a leitora fica excitada mas acaba por não atingir o orgasmo, o que se deve à sua pouca idade e inexperiência sexual. Por isso não se preocupe pois uma vez que conheça melhor o seu corpo, vai ver que se tornará mais fácil sentir prazer sexual. Quanto ao inchaço do seu clítoris este deve ser devido a um excesso de estimulação por parte do seu namorado, por isso fale com ele para que a estimule de forma mais gentil e durante menos tempo. Experimente também utilizar um gel lubrificante durante a masturbação mutua, ou experimente guiar a mão do seu namorado, para que ele saiba onde e de que forma a deve tocar sem causar desconforto.

“Não consigo ter prazer…”

“Sempre gostei de praticar sexo, mas nunca consegui atingir o orgasmo, apesar de já ter tido vários parceiros. Será que o problema é meu? As minhas amigas já me disseram que poderei ser frígida...”

Sara, Carcavelos

 

Cara leitora:

A anorgasmia, ou ausência de orgasmo, é infelizmente bastante frequente nas mulheres. Essa situação deve-se, normalmente, a factores do foro  psicológico, como uma educação severa, crenças religiosas, ou ansiedade durante a relação sexual. Se essa for a questão…lembre-se que não há nada de mal no sexo. É algo que faz parte da vida de todos os seres, é tão natural como respirar. Comece por conhecer o seu próprio corpo, através da masturbação, para que depois possa ensinar ao seu companheiro quais as partes do corpo que são mais sensíveis. Se achar necessário, aconselho-a a marcar algumas sessões com um terapeuta sexual.

Estimulação anal para homens!


 

Estou casada há dois anos e gostaria de inovar a nossa vida sexual através de estimulação anal ao meu marido. Será que isso é muito atrevido, será que ele vai gostar?

 

Nicole, Madeira

 

Cara Leitora,

O que é considerado muito atrevido para alguns, é o pão-nosso de cada dia para outros. Existem muitos casais que praticam esse tipo de estimulação e existem de facto muitos homens que, independentemente da sua orientação sexual, deliram com essa prática, chegando mesmo a atingir o orgasmo sem necessitar de mais nenhum tipo de estimulação. Por isso não se preocupe com rótulos e seja inovadora na cama com o seu marido. A estimulação anal em homens deve ser feita sempre com a utilização de um lubrificante e de forma gradual e cuidadosa. Experimente e verá que o seu marido vai gostar.

 

“Levo muito tempo a atingir o orgasmo…”

“Tenho 25 anos e sempre levei mais de 20 minutos para conseguir atingir o orgasmo, o que parece aborrecer o meu namorado, será que está algo errado comigo? É comum as outras mulheres levarem assim tanto tempo para conseguirem chegar ao clímax?”

 

Maria, Braga

 

Cara leitora,

O que se passa consigo não é nada de anormal, pois na verdade a maioria das mulheres leva vinte minutos, e até mais, para atingir o orgasmo. Os orgasmos quase imediatos só acontecem, em grande parte dos casos, nos filmes. Por uma questão fisiológica, as mulheres necessitam naturalmente de mais tempo de estimulação e de concentração do que os homens para atingir o orgasmo, sendo talvez por isso que o seu namorado não compreende o que se passa consigo. Converse com ele, pois se a ama desejará certamente que você também tenha prazer, e como tal não devem apressar as coisas. No que diz respeito às mulheres e ao orgasmo feminino, embora cada caso seja um caso muitas vezes quaisquer distrações exteriores, como a televisão ligada, por exemplo, ou fatores emocionais tais como uma preocupação, aborrecimento, e até mesmo o cansaço, afetam a capacidade de se concentrar no seu próprio prazer, bem como o desejo sexual. Por isso, converse com o seu namorado com honestidade, para que ele possa compreender aquilo que a faz sentir confortável e para que juntosdescubram a melhor forma de sentirem prazer e desfrutarem da vossa vida sexual ao máximo.

Não atinjo o orgasmo!

orgasmo-femminile.jpg

 

"Quando tenho relações sexuais com o meu namorado fico muito excitada, mas não consigo atingir o clímax; no entanto, quando estou sozinha consigo atingi-lo. Esta situação trará algum problema à minha saúde?"

Rute – Portimão

 

Cara leitora,

Já pensou que a inibição referente ao seu namorado poderá estar a interferir com a dificuldade em atingir o clímax? Uma mulher pode ficar muito excitada e não atingir orgasmo, sem que isto traga problemas de saúde. O que acontece é que sente uma sensação de tensão ou congestão dos órgãos genitais, que pode ser incómoda, devido ao afluxo de sangue que é maior nessa região. Quando o orgasmo não é atingido, essa congestão pode levar algum tempo a desvanecer-se embora não traga nenhum tipo de problema de saúde. Poderá, eventualmente, sentir-se frustrada, devido à dificuldade em atingir o orgasmo estando mesmo muito excitada. Relativamente ao seu namorado, provavelmente, o que sente é vergonha e preocupação das reacções que possa demonstrar quando atingir o clímax. Não tenha medo do possível descontrolo, já que numa relação sexual ambos têm de aprender a demonstrar e a aceitar os comportamentos e os efeitos dos atos sexuais. Talvez uma conversa com o seu namorado sobre esta situação possa ajudar bastante no seu caso pois, possivelmente, ele poderá ter outro tipo de receios que ainda não tenha tido abertura para falar, também, por medo da sua reacção. Troquem informações sobre estes aspetos que podem, evidentemente, ser ultrapassados e estarem a declinar a vossa relação sexual sem razão.

Orgasmos sem ejaculação?

couple-make-love.jpg

 

"Gostava de saber como é que o sexo tântrico funciona exatamente… Ouvi dizer que leva a um orgasmo muito intenso, sem ejaculação, mas gostava de saber mais pormenores… Como é que isso é possível?"

 Cláudio - Setúbal

 

Caro leitor,

As tradições religiosas tântricas encontram-se no hinduísmo e no budismo e veneram as divindades relacionadas com a energia sexual cósmica. O yoga tântrico defende a ideia de que uma "veia" enorme sobe desta a parte do fundo da espinha, onde repousa a kundalini, ou poder, até à mente, o pico mais elevado, simbolizado pelo lótus. No tantra, a maior fonte de energia que existe no universo advém das relações sexuais ritualizadas e o orgasmo é considerado uma experiência cósmica e divina. A prática tântrica chamada "karezza" envolve uma relação prolongada, sem ejaculação. Para tal, as posturas são trabalhadas, a meditação, o controlo da respiração e a pressão dos dedos são usadas como forma de perpetuar o clímax sem chegar à ejaculação. Estes orgasmos sem ejaculação trazem muito prazer e permitem que a relação sexual continue. Requer, no entanto, preparação e conhecimento da técnica. Fisiologicamente isto é possível porque o clímax e a ejaculação implicam duas funções distintas e, embora aconteçam em simultâneo, o orgasmo não precisa da ejaculação para ser considerado como tal.