Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Não lhe apetece fazer sexo!

 

 

Amo muito a minha esposa e sempre nos demos muito bem a nível sexual, mas desde que ela teve o nosso filho, há 6 meses, já não tem vontade de fazer amor comigo…”

Luis, Lisboa

 

Caro leitor,

O nascimento de uma criança é sempre um período de adaptacao tanto a nível do relacionamento como a nivel sexual. Deixar de ter relações depois de ter um filho é bastante comum para vários casais. Alterações hormonais, depressão pós-parto ou cansaço são muitas vezes associados a diminuição de desejo, mas estas não são as únicas razões. É perfeitamente seguro ter relações após o nascimento do bebé, desde que a mulher se sinta psicologicamente e fisicamente preparada para tal. Aconselho-o a tentar aliviar algum do trabalho da sua esposa com o bebe, arranjem uma ama, ou alguem de familia que tome conta do bebe para que voces possam passar tempo juntos, criem novos cenários e fantasias, passe uns dias fora sozinhos, e isto irá ajudar o vosso relacionamento.

 

É seguro ter um bebé depois dos 35 anos?

prisao-de-ventre-na-gravidez.jpeg

 

"Gostava de saber se existe um limite de idade, a partir do qual seja considerado perigoso engravidar. Ainda não tenho a estabilidade financeira e emocional que desejo, e apesar de ter 34 anos gostava de ser mãe, mas sem pressas. Será seguro esperar, ou devo procurer engravidar antes de fazer 35 anos?"

Teresa, Mafra

 

Cara leitora,

Hoje em dia as mulheres engravidam cada vez mais tarde, pois as exigências da vida profissional, a dificuldade em ter estabilidade económica e, também, a maior fluidez nos relacionamentos e a dificuldade maior em ter um compromisso fazem com que seja cada vez mais adiado esse passo. Saiba que a idade afeta a fertilidade, a facilidade em engravidar e, também, a segurança para a mãe e para a criança. Com o aumento da idade, além de se tornar mais difícil engravidar, curiosamente aumentam as probabilidades de ter gémeos. É, também, maior o risco de aborto, assim como de ter uma criança com Síndrome de Down. As complicações durante a gravidez também aumentam, tais como a tensão arterial alta, a diabetes, problemas relacionados com a placenta, complicações durante o parto, etc. No entanto, uma vez pesados todos os riscos que pode correr, é fundamental ter em conta que a decisão de ter um filho só deve ser tomada uma vez que tenha reunidas as condições, materiais e pessoais, para o criar e educar, por isso se sente que ainda não chegou o momento, esperar um ano ou dois pode ser vantajoso.