Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Tenho caroços no peito”

No outro dia, quando estava a tomar banho, senti dois caroços no peito. O que devo fazer?"

Ana, Portimão

 

Cara leitora,

Todas as mulheres com mais de 30 anos de idade devem efetuar um exame da mama de forma regular. Deve ser feito no banho, tal como a leitora fez, e durante este exame a mulher deve colocar sabonete na mão e apalpar cuidadosamente a mama, de forma a sentir se existem quaisquer caroços na mesma. No caso de verificar que sente alguns caroços, o que é o seu caso, a mulher deve consultar o seu médico ginecologista o mais rapidamente possível, este deve sentir o caroço, e se achar adequado recomendar que a mulher faça uma mamografia.  

“Ela não se masturba!”

“A minha namorada não se masturba, diz que nunca gostou de o fazer, e isso deixa-me bastante surpreendida. A nível sexual ela não demonstra qualquer pudor e diz sempre que tem muito prazer, gostamos muito de masturbar-nos mutuamente, mas acho estranho que ela não o faça sozinha, porque eu sempre gostei de o fazer. É normal que uma mulher não se masturbe, ainda para mais sendo lésbica?”

 

Leonor, Seixal

 

Cara leitora,

A masturbação faz parte de uma vida sexual saudável, mas não é algo obrigatório nem tem de ser apreciado por todas as pessoas. Se a sua namorada não manifesta qualquer problema relacionado com o seu corpo, e se vive a sexualidade de forma feliz e que lhe traz prazer, não tem de estranhar, pois há pessoas que não sentem essa necessidade, quer seja porque têm menos apetência sexual quando não estão com alguém, quer seja porque não gostam de tocar no seu próprio corpo – o que não significa que não gostem de fazê-lo com outra pessoa. Acima de tudo, a masturbação ajuda a libertar a tensão acumulada no dia-a-dia e também a conhecer melhor o próprio corpo, permitindo reconhecer e identificar melhor aquilo que lhe dá prazer. Mas nem todas as pessoas se sentem confortáveis ao fazê-lo, especialmente quando crescem no seio de uma família muito tradicional ou se forem ensinadas que o prazer é algo impuro ou proibido. A comunicação a duas é sempre o mais importante para saber se a sua namorada está confortável, se tem prazer e se está feliz.

 

“O clítoris perde sensibilidade?”

Young happy couple in bed | Stock Images Page | Everypixel

“Eu e o meu namorado fazemos amor quase todos os dias, e como geralmente eu fico por cima o meu clitóris é bastante estimulado, e assim atinjo sempre orgasmos. No entanto, noto que de dia para dia os meus orgasmos ficam menos intensos. É possível que o clítoris perca sensibilidade?”

 

Natália, Guimarães

Cara leitora,

Não há estudos que comprovem que a estimulação intensiva faça com que o clítoris perca a sensibilidade, até porque a parte visível dele é apenas uma pequena porção. O clítoris é, na sua totalidade, bem maior, envolvendo as paredes da vagina: por esse motivo, a parte interna do clítoris é estimulada através da penetração, o que intensifica a excitação e favorece os orgasmos. As mulheres cujo clítoris, na sua totalidade, são mais compactos, ocupando menos espaço em torno da vagina, têm geralmente maior sensibilidade à penetração. Essa é uma das razões pelas quais o tipo de estimulação que proporciona maior prazer varia de pessoa para pessoa. Na situação que refere, experimente utilizar outro tipo de estimulação, mudar de posição, variar o tipo de carícias, a intensidade do toque, etc. É normal que a repetição do mesmo tipo de estimulação deixe de causar excitação e, por conseguinte, faça com que os orgasmos percam intensidade. Por outro lado, nunca é demais lembrar que a preocupação em ter um orgasmo é, quase sempre, uma das principais causas que os tornam mais difíceis de alcançar!

 

“Perco a ereção durante o ato sexual”

man-frustrated-at-work_1600 - Futurity

“Tenho ereções normalmente, sinto-me excitado com a minha parceira e temos ótimos preliminares. Mas durante a penetração vou perdendo a ereção. No entanto, se, a partir daí, pararmos e iniciarmos os preliminares novamente, o meu pénis fica ereto de novo. Sinto que em geral os preliminares são melhores que o ato sexual em si. Por causa disso, tenho problemas para ejacular pois demoro e nunca ejaculo através da penetração. Como homem, este problema chateia-me muito. O que está errado comigo? O que posso fazer para tentar resolver o problema? O facto de usar preservativo pode atrapalhar o prazer de um homem?”

Paulo, Setúbal

 

Caro leitor,

Penso que o seu problema é encarar a penetração como um momento de performance, de competição consigo mesmo, de luta interna para mostrar que consegue… Consegue excitar-se antes de ter de enfrentar a situação da penetração e depois, mas no momento exato deve entrar num papel de espectador de si mesmo, a ver como funciona e o que o seu pénis está a fazer, que o distrai de sentir o prazer e as coisas boas associadas à relação sexual. Descontraia, tenha pensamentos positivos, não se preocupe em perder e voltar a ter ereções – o corpo e a cabeça funcionam mesmo assim e tal pode significar um aumento do prazer para a sua parceira. Se continuar a preocupar-se nas situações sexuais a dificuldade que descreve pode tornar-se num problema em bola de neve, com cada vez mais preocupações. Não há nada de errado consigo e usar preservativo é muito positivo para a sexualidade…pratique um pouco sozinho e na masturbação o seu uso para que não o atrapalhe no momento da colocação. Se o problema persistir, consulte um médico urologista ou de sexologia de modo a resolver o problema desde cedo e ter o prazer a que tem direito.

 

“Sofro de tiroidite de Hashimoto”

“Tenho uma doença chamada tiroidite de Hashimoto, e por esse motivo tenho receio de tomar a pílula. Apesar de viver com o meu namorado ainda não queremos ter filhos, mas queremos deixar de usar preservativo. No entanto, tenho amigas com hipotiroidismo que me disseram que não devia tomar a pílula. É verdade?”

 

Carina, Moita

Cara leitora,

Antes de mais devo esclarecer que o seu médico, que conhece o seu historial clínico, é a pessoa que melhor a pode aconselhar em relação à toma de anticoncecionais, porque acompanha o seu caso específico. Embora a pílula possa ser tomada por mulheres com tiroidite de Hashimoto, o tratamento para esta doença pode interferir com as hormonas da pílula, para além de que o estrogénio da pílula também pode afetar a sua tiroide, uma vez que aumenta a globulina fixadora de tiroxina e isso pode fazer com que tenha maior necessidade de terapia de substituição hormonal para a tiroide. Um excesso de hormonas pode causar problemas de figado. Para quem não sabe, a tiroidite de Hashimoto é uma doença autoimune que afeta a tiroide, que é responsável por regular a energia do corpo através de hormonas chamadas T3 e T4. O corpo de uma pessoa que sofre desta doença cria anticorpos que danificam as células da tiroide, afetando assim a capacidade de produzir estas hormonas, necessárias ao bom funcionamento do organismo. Nesse sentido, deve aconselhar-se com o seu médico, que pode esclarecê-la até por telefone visto que conhece o seu caso, sendo ainda assim desaconselhada a toma da pílula.

 

“O Herpes genital transmite-se aos filhos?”

“Tenho herpes genital e gostava de saber quais são as taxas de recorrência. Vou ter de usar preservativo para o resto da vida? E se eu vier a ter filhos, posso transmitir-lhes o vírus?”

Maria, Valongo

Cara leitora,

Descobrir que tem herpes genital pode ser preocupante, uma vez que passa a precisar de ter alguns cuidados acrescidos. A taxa de transmissão do vírus é menos quando este não está ativo, mas ainda assim existe sempre o risco de contágio por via oral, vaginal ou anal. Nesse sentido, usar barreiras de proteção, como o preservativo ou barreiras dentais, além de uma comunicação franca entre parceiros, é fundamental. A taxa de recorrência é difícil de prever; algumas pessoas têm apenas um caso isolado de incidência mais forte. Depois dele, pode reincidir com uma frequência progressivamente menos, dependendo do seu sistema imunitário, do tipo de Herpes e de onde ele se instalou no seu corpo. O seu médico pode receitar-lhe um medicamento que, quando tomado no primeiro dia que sente sintomas, pode reduzir a duração e descomforto causado por um novo episódio. É muito raro haver transmissão do vírus a um feto, mas se suceder pode trazer graves problemas de saúde tais como parto prematuro ou nascimento com peso abaixo do normal. Se a mãe já tiver Herpes, o risco de contágio diminui porque os anticorpos que o combatem propagam-se ao filho. Se contrair Herpes durante a gravidez os riscos são maiores. Existem casos nos quais uma cesariana pode ser efectuada para prevenir o contágio do bebé, mas apenas um médico pode avaliar cada caso e fazer essa recomendação. Aconselho a que fale com o seu médico pois ele conhece o seu caso e pode ajudá-la não só em relação à reincidência do vírus no seu caso específico como na proteção numa futura gravidez.

“Quantas calorias se queimam durante a relação sexual?”

Fotografia do Stock: Beautiful passionate young couple having sex on the bed  at home - Intimate and sensual moments of a couple kissing in the bedroom -  Relationship, intimate, love concept | Adobe Stock 

“Eu e o meu marido somos sexualmente muito ativos e desde o início da pandemia temos aproveitado o tempo em casa… para fazer amor mais vezes do que era habitual. No entanto, uma vez que estamos em teletrabalho também ingerimos alimentos mais calóricos, e já ganhei cinco quilos. Gostava de saber se é possível queimar mais calorias através do ato sexual, e de que forma.”

Vera, Faro

 

Cara leitora,

A atividade sexual pode trazer alguns dos benefícios associados à prática de exercício físico, mas não é bem a mesma coisa! Assim, se a sua preocupação é perder peso, aconselho vivamente a que opte por retomar uma dieta mais saudável e que para além da prática sexual optem por uma atividade física, que até pode ser praticada em conjunto, escolhendo uma modalidade que seja do vosso agrado ou até mesmo optando por praticar atividades diversificadas. Relativamente à sua pergunta, segundo alguns estudos efetuados estima-se que uma pessoa pode queimar cerca de 20 calorias em 6 minutos de atividade sexual, e entre 77 a 105 calorias em 25 minutos. O número de calorias queimadas varia em função do peso da pessoa, do sexo, do seu estado físico e, naturalmente, do tipo de atividade sexual praticada, da posição, intensidade e duração da mesma. Há um maior desgaste energético no orgasmo, mas ao fim de 2 a 3 minutos é retomado o estado normal, o que significa que, embora se queimem mais calorias, este estado não se mantém por tempo suficiente para ter resultados expressivos. Comparativamente com outras atividades físicas, a prática sexual não é tão eficaz para perder peso. Dançar ou fazer exercícios de resistência pode queimar entre 2 a 5 vezes mais calorias no mesmo período de tempo. Ainda assim, a prática sexual ajuda a aliviar o stress, fortalece os músculos, melhorando também a atividade cardíaca, o que pode ajudar a manter o corpo em forma.

 

“Ela sente dores quando a penetro…”

Top View of Young Cute Couple Sleeping Together in Bed by nimito | VideoHive

 

“Acho que o meu pénis é grande, comparativamente com o de alguns colegas e amigos e com o que já tenho visto na Internet. A minha namorada sente sempre muitas dores quando a penetro, e por isso gostava de saber o que posso fazer para que não seja doloroso.”

Filipe, Guarda

 

 

Caro leitor,

Quanto mais lubrificada e descontraída a sua namorada estiver, mais fácil será a penetração e mais prazerosa. Lembre-se que um bebé também sai pela vagina no parto natural, o que mostra quão elástica a vagina pode ser. Por isso, mesmo que o seu pénis seja maior do que o comum, a penetração não tem de ser dolorosa. É fundamental que ela esteja bastante excitada, e por isso aconselho a que invistam mais nos preliminares. Poderá fazer-lhe sexo oral ou dedicar mais tempo ao prazer dela antes de a penetrar. Aconselho também a que utilizem um lubrificante à base de água e a que experimentem variar as posições, pois a profundidade da penetração varia de acordo com a posição escolhida. Mostre à sua namorada que se preocupa com o seu bem-estar e deixe que ela comande a ação, para evitar magoá-la.

Fantasias Sexuais

 

 

 

Há alguns anos atrás este assunto era um tabu na nossa sociedade. Não quer dizer que muitos homens e mulheres não tivessem inúmeras fantasias sexuais, mas na verdade, estes pensamentos
libidinosos eram considerados pecado e, na maior parte das vezes, jamais eram revelados e poucas vezes concretizados. Hoje em dia, a mente está mais aberta a estas situações e, a verdade é que, muitas vezes, a realização destas fantasias pode salvar casamentos, que desta forma conseguem fugir à rotina.

A fantasia sexual é descrita como um desejo que um determinado indivíduo tem, de fazer algo diferente do habitual a nível sexual, que só de imaginar lhe dá um enorme prazer. É claro que existem algumas fantasias que são condenáveis, porém outras podem tornar a nossa intimidade cada vez mais saudável. As fantasias sexuais mais comuns entre os homens revelam-se na vontade que estes têm de fazer amor com uma enfermeira, uma professora ou uma empregada doméstica. No caso das mulheres, elas fantasiam com homens de farda e também com um professor, por exemplo. Os ambientes onde se possa ter uma relação sexual com alguém, são também muito fantasiados, sendo
que locais perigosos, onde haja hipótese de se ser apanhado, são os mais usuais. Falamos, por exemplo, de elevadores, em piscinas ou dentro do carro.

Não se envergonhe de realizar as suas fantasias sexuais, desde que não se coloque em perigos reais e não prejudique ninguém.

“Não tenho lubrificação suficiente!”

 
“Tenho 43 anos e sempre tive uma vida sexual activa e feliz. No entanto, ultimamente quando faço amor noto que fico menos lubrificada, o que me causa dores e mal-estar. Não entendo por que aconteceu esta mudança, mas está a provocar-me um grande desconforto e constrangimento.”
 
Mariana, Queluz
 
Cara Leitora,
Esta dificuldade poderá ser causada por uma infecção vaginal que provoca dores durante a penetração e a redução da lubrificação. Por outro lado, existem alguns medicamentos que têm como efeitos secundários a redução da lubrificação e do desejo sexual. Uma outra hipótese a ter em consideração é o facto de estar num período pré-menopausa, onde poderá ocorrer uma alteração dos níveis hormonais que poderão justificar essa tendência, principalmente a níveis irregulares de estrogénio. Porém, de forma a dissipar todas as suas dúvidas a este respeito, aconselho a que consulte o seu ginecologista para que juntos encontrem a solução para o seu problema de forma a recuperar a satisfação e plenitude sexual.