Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Chocolate: O Rei dos Afrodisíacos

Chocolate:
O Rei dos Afrodisíacos

 

O chocolate é considerado como o rei
da comida em todo o mundo. Quimicamente, e culinariamente, o chocolate é um dos
alimentos mais mágicos e tem sido considerado por muitos como a “comida dos
deuses”, já foi usado como dinheiro, valorizado na medicina e, acima de tudo,
considerado como um poderoso afrodisíaco. Poucos alimentos além do chocolate
são tão misteriosos e têm um efeito químico tão poderoso para o cérebro e
corpo. Não só porque os químicos neuroactivos do chocolate produzem uma sensação
de bem estar, mas também porque a perfeita combinação do doce e da gordura
encontradas no chocolate (um bombom de chocolate tem 50 % de açúcar e 50% de
gordura) estimulam os pontos de prazer e a produção de endorfinas no cérebro.
Os hidratos de carbono encontrados num bombom de chocolate também aumentam os
níveis de seratonina no cérebro, um químico que eleva e estabiliza o estado de
humor.

 

 

Soufflé
de Chocolate com Molho de Framboesas

 

Molho de Framboesa

 

Prepare este molho um dia antes de se comer a
sobremesa.

- 1 Xícara de framboesas frescas

- ½ Xícara de açúcar

- 1 Colher de sopa de sumo de limão

- 1 Colher de sopa de cognac

- 1 Colher de sopa de fécula de batata

 

Misture as framboesas com açúcar e leve ao lume até
começar a ferver. Passe as framboesas por um passador para remover as sementes.
Ponha mais açúcar se precisar. Bata a fécula de batata com o sumo de limão e o
cognac. Ponha a ferver o creme de framboesa e misture com o preparado de fécula
e deixe cozinhar até ficar espesso.

Deixe arrefecer e use-o em qualquer sobremesa,
fruta ou qualquer parte do corpo. Mantém-se no frigorífico por duas semanas.

 

Soufflé
de Chocolate

 

- 150 gr. de chocolate de culinária

- 3 Gemas de ovos

- 3 Claras

- 1 Colher de sopa de margarina

- 1 Colher de sopa de farinha de trigo

- 2,5 dl de leite

- 4 Colheres de sopa de açúcar

- Açúcar em pó para polvilhar no fim

- Framboesas

 

Misture um pouco do leite com a
farinha. Ferva o resto do leite com o açúcar.

Derreta o chocolate em banho-maria, junte o leite
morno e o leite com a farinha. Mexa tudo muito bem. Ponha em lume brando a
preparação do chocolate e da farinha até engrossar e ferver. Retire do lume e
ponha por cima a margarina em pedaços.

Num outro recipiente, bata as claras em castelo,
de modo a que fiquem bem firmes.

Junte as gemas ao creme de chocolate, misture bem
e vá juntando as claras em castelo, misturando tudo muito bem, sem usar a
batedeira.

Unte bem com margarina a forma de soufflé. Deite
então na forma e ponha a cozer durante aproximadamente 30 minutos. No fim deite
o molho de framboesa e polvilhe com o açúcar em pó.

“O meu marido nem sempre mantém a erecção durante o acto sexual!”

“Sou casada há quase 40 anos e eu e o meu esposo sempre tivemos uma vida sexual satisfatória e sem problemas. De há uns meses para cá tenho reparado que o meu esposo nem sempre consegue manter a erecção durante o acto sexual, o que nunca tinha
acontecido. O que se passa com ele?”

Reinalda, Póvoa de Santo Adrião

 

Cara Leitora,

 

Devido à idade em que o seu marido se encontra é perfeitamente normal que tenha perdido o vigor sexual que tinha durante a juventude. Já deve ter constatado que o corpo do seu marido sofreu algumas alterações, o que de certa forma justifica a diferença no desempenho sexual. Com o passar dos anos é muito comum as relações sexuais decorrerem com menor frequência e com um menor nível de estimulação relativamente ao desempenho, o que não significa necessariamente que o seu marido esteja a ficar impotente. Com o avançar da idade o homem começa a sentir a necessidade duma estimulação mais directa e prolongada do pénis para conseguir obter e manter a erecção, por isso o casal tem de adaptar a sua forma de fazer amor a este facto. Perante estas últimas dificuldades, fale abertamente com o seu marido sobre o sucedido, não o julgue e colabore com ele de forma a facilitar-lhe uma erecção mais prolongada. Façam valer a cumplicidade do casal para ultrapassar este problema para que ambos possam alcançar relações sexuais mais prolongadas e satisfatórias. Todavia, se o seu marido continuar a perder a erecção devem procurar a ajuda de um especialista para que este possa avaliar o que se está a passar.

 

 

Orgasmo sim, por favor!

canstockphoto5293360.jpg

 

 

Em primeiro lugar desejo, depois excitação e por fim orgasmo. Esta seria linha orientadora ideal para atingir aquilo que todas as mulheres desejam na cama: prazer.

 

Porém, 27% do sexo feminino português confessa que raramente atinge o clímax, contra 1% dos homens. O que pode estar por detrás desta grande diferença entre os dois sexos? A verdade é que sexo não é apenas penetração e, principalmente, para as mulheres é muito mais do que isso.

 

Ela precisa de estar lubrificada, para se sentir preparada para o coito. A mulher deixou de fingir, nos dias que correm exige mais do seu parceiro e ele, em princípio, também fará tudo para estar à altura de satisfazê-la. Infelizmente, a repressora educação que sempre foi passada ao sexo feminino, ainda domina algumas mentes e isso pode, muitas vezes, inibir ambos.

 

O que contribuiu, sem dúvida, para um orgasmo insatisfatório, principalmente da parte das mulheres que necessitam pelo menos de oito minutos para atingi-lo, contra três minutos que os homens podem levar a consegui-lo. Mas afinal é tudo uma questão de timing?

 

Pode ser, mas não só! Há que “acertar” ritmos, passar ao parceiro informação, pois os homens gostam de ser instruídos. Utilize alguma linguagem corporal, bem como frases provocantes que permitam ao seu companheiro entender aquilo que precisa. Mas antes disso, e para saber dar instruções necessita de conhecer o seu corpo.

 

Para si, também os preliminares são importantes, pois quanto mais longa a excitação, maior o clímax. Alugue filmes picantes, envie mensagens eróticas ao seu parceiro, durante o dia, faça algo com ele que vos provoque muita adrenalina. Na cama, evite a rotina, experimentem novas posições, descubram-se e se necessário utilizem brinquedos sexuais para se estimularem mutuamente.

 

Na verdade, a imaginação não tem limites! Entregue-se ao prazer!

“Tive um bebé e não me apetece ter relações sexuais…”

 

“Tenho 33 anos e fui mãe há 3 meses da minha primeira filha. Apesar de estar tudo bem comigo e com a bebé, deixei de ter qualquer vontade de ter relações sexuais. Embora o meu marido tenha sido muito compreensivo comigo sinto que já está a perder a paciência, mas esquivo-me de cada vez que ele tenta fazer amor comigo. É normal isto suceder? Será por estar a amamentar? O que posso fazer para evitar que suceda? Estou encantada com a minha filha mas não quero perder o meu marido.”

 

Teresa, Montijo

 

 

Cara leitora,

A sua situação não é fora do comum, especialmente para mães que estão a amamentar. Devido a estar a dar de mamar à sua filha, o seu corpo está constantemente a produzir oxitocina, que é uma hormona produzida também durante o acto sexual. Uma vez que o seu organismo já tem uma grande quantidade dessa hormona devido ao facto de estar a amamentar, é natural que o seu corpo não sinta necessidade de ter relações sexuais, e por isso nota em si uma ausência de desejo sexual. Uma vez que a sua filha comece a comer outro tipo de alimentos e deixe de mamar, você notará que o seu desejo vai voltar. Se, nessa altura, tal não acontecer é aconselhável que consulte o seu médico. Entretanto converse com o seu parceiro para que ele esteja a par do que se está a passar consigo, e para que possa perceber que não se trata de o estar a rejeitar ou de já não querer fazer amor com ele, mas sim de uma alteração hormonal.

 

O bê-a-bá do sexo oral

conocimiento-adictamente (11).png

 

1 - Dispa-lhe as cuecas ou boxers com cuidado, puxando suavemente para baixo enquanto lhe vai mordiscando a pele das virilhas e do interior da coxa.

2 – Segure o pénis pela base, com a mão, de forma firme mas sem apertar.

3 – Explore diferentes movimentos, lambendo-o de baixo para cima e no sentido inverso, usando a totalidade da língua ou apenas a ponta.

4 – Páre em diversos pontos e chupe suavemente, mordisque, desenhe círculos com a língua. Deixe que as suas próprias sensações a guiem.

5 – Alterne movimentos lentos com outros mais rápidos e ávidos.

6 – Quando ele já estiver bastante excitado, introduza a cabeça do pénis na boca e acaricie-a com a língua em movimentos vigorosos, subindo e descendo como se estivesse a chupar um Calippo delicioso.

7 – Acompanhe com a mão, agarrando o pénis e subindo e descendo ao ritmo da excitação.

8- Continue a alternar os movimentos, alterne as carícias na cabeça do pénis com outras na base e no freio. Use os lábios e a língua, seja mais cuidadosa quando usar os dentes. Não esteja sempre focada num ponto, é muito mais excitante se deixar o pénis por breves instantes para mordiscar, beijar e lamber as coxas e virilhas, para voltar depois ao "cerne da questão". Não tenha medo de chupar com vigor quando ele está já bastante excitado, mas tenha muito cuidado para não o aleijar com os dentes.

9 – Alguns homens gostam que lhes acaricie os testículos com a mão enquanto lhe faz sexo oral, mas seja cuidadosa pois são órgãos muito sensíveis.

10 – Quando ele estiver quase a ter um orgasmo, olhe-o fixamente nos olhos enquanto a sua boca o mima.

O bê-a-bá do sexo oral

conocimiento-adictamente (11).png

 

1 - Dispa-lhe as cuecas ou boxers com cuidado, puxando suavemente para baixo enquanto lhe vai mordiscando a pele das virilhas e do interior da coxa.

2 – Segure o pénis pela base, com a mão, de forma firme mas sem apertar.

3 – Explore diferentes movimentos, lambendo-o de baixo para cima e no sentido inverso, usando a totalidade da língua ou apenas a ponta.

4 – Páre em diversos pontos e chupe suavemente, mordisque, desenhe círculos com a língua. Deixe que as suas próprias sensações a guiem.

5 – Alterne movimentos lentos com outros mais rápidos e ávidos.

6 – Quando ele já estiver bastante excitado, introduza a cabeça do pénis na boca e acaricie-a com a língua em movimentos vigorosos, subindo e descendo como se estivesse a chupar um Calippo delicioso.

7 – Acompanhe com a mão, agarrando o pénis e subindo e descendo ao ritmo da excitação.

8- Continue a alternar os movimentos, alterne as carícias na cabeça do pénis com outras na base e no freio. Use os lábios e a língua, seja mais cuidadosa quando usar os dentes. Não esteja sempre focada num ponto, é muito mais excitante se deixar o pénis por breves instantes para mordiscar, beijar e lamber as coxas e virilhas, para voltar depois ao "cerne da questão". Não tenha medo de chupar com vigor quando ele está já bastante excitado, mas tenha muito cuidado para não o aleijar com os dentes.

9 – Alguns homens gostam que lhes acaricie os testículos com a mão enquanto lhe faz sexo oral, mas seja cuidadosa pois são órgãos muito sensíveis.

10 – Quando ele estiver quase a ter um orgasmo, olhe-o fixamente nos olhos enquanto a sua boca o mima.

“Descobri que sou lésbica, e agora o que devo fazer?”


 

Tenho 23 anos e depois de ter tido muitos namorados, descobri recentemente que sou lésbica. Iniciei um relacionamento com uma mulher, e embora tudo esteja a correr bem entre nós não sei como contar aos meus pais, pois acho que vão reagir mal.” 

 

Maria, Faro

 

Cara Leitora,

Apesar de existir hoje em dia na nossa sociedade uma maior abertura a nivel sexual, a questão da homossexualidade continua a ser um assunto tabu e rejeitado por muitas famílias principalmente em países conservadores, devido à influência da Igreja na conduta das pessoas. Neste sentido, é natural o seu receio em abordar esta questão com os seus pais. A expectativa dos pais é quase sempre que os filhos se casem e lhes dêem netos de modo a alargar a família. Por isso, muitas vezes, falar de relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo revela-se bastante complicado.

Tente compreender a posição dos seus pais, procure mostrar-lhes, que a sua felicidade está junto da pessoa que ama, independentemente do seu sexo. Não desista de lutar pela sua felicidade! Mostre-lhes que compreende a posição deles, mas peça-lhes que compreendam e respeitem também os seus sentimentos. Certamente que, por gostarem de si, entenderão e respeitarão a sua decisão. 

“O líquido pré-ejaculatório engravida?”

“Às vezes faço amor com o meu namorado sem preservativo, e ele tira o pénis antes de ejacular para evitar uma gravidez. No entanto, já por algumas vezes aconteceu reparar num líquido que o pénis dele liberta antes da ejaculação, e tenho medo que possa engravidar por causa dele. Isso pode acontecer?”

 

Carina, Braga

 

Cara leitora,

Embora não seja provável, existe a possibilidade de engravidar pelo líquido pré-ejaculatório. Este líquido em si não contém esperma, mas pode haver restos de esperma que tenha ficado da ejaculação anterior e que seja expelido com este líquido. Este líquido pré-ejaculatório é um fluido alcalino libertado por glândulas existentes no topo da uretra, por baixo da próstata, e tem como função proteger o esperma que passa pela uretra durante a ejaculação. Depois da ejaculação pode haver resíduos de esperma na uretra, por onde o sémen circula, e quando se pratica sexo sem proteção, mesmo no líquido pré-ejaculatório pode haver alguns destes resíduos, que podem fertilizar o óvulo mesmo que o coito seja interrompido. Assim, e até pela necessidade de se protegerem contra infeções, devem usar sempre preservativo.

“Será que não consigo satisfazer a minha parceira?”

“Tenho 50 anos e estou com a minha parceira há 20 anos. Algumas vezes, depois de fazermos amor ela diz, em tom de riso, que já não sou como antes. Isso deixa-me bastante preocupada pois acho que já não consigo satisfazê-la e isso angustia-me. ”

  

Vera, Lagos

 

Cara leitora,

O facto de a sua parceira fazer esse tipo de comentário significa que algo mudou na vossa relação e é importante que ambas conversem acerca desse assunto. Apenas a comunicação aberta entre ambas poderá resolver esse problema. Converse com a sua companheira, de forma a tentar descobrir o que ela quer dizer com esse comentário e o que a leitora pode fazer de diferente para resolver a situação. Não se sinta desanimada, pois é natural que o seu corpo e as vossas práticas sexuais se tenham alterado durante os 20 anos que já partilharam. Tente ser imaginativa e quebrar a rotina de forma a surpreender a sua companheira da próxima vez que fizerem amor

 

“A vagina dá mais prazer que o clítoris?”

“Noutro dia eu e as minhas amigas estávamos a falar sobre a nossa vida sexual e uma delas disse que sente mais prazer quando o namorado lhe toca na vagina sente mais prazer do que com a estimulação do clítoris. É possível? Pensava que o prazer da mulher se concentrava no clítoris…”

 

Susana, Barcelos

 

Cara leitora,

Embora as sensações que produzem sejam diferentes, tanto o clítoris como a vagina propiciam prazer à mulher. Cada mulher é um ser humano único, e que vive o prazer de forma diferente e única também. O que dá muito prazer a uma mulher pode não provocar qualquer sensação a outra. Por essa razão, conhecer bem o próprio corpo é essencial para poder descobrir aquilo que lhe dá prazer a si e para que, dessa forma, o possa transmitir ao seu companheiro. Em primeiro lugar, há que compreender a diferença entre o prazer e a sensibilidade. Embora existam muitas áreas sensíveis ao longo do corpo, não quer dizer que todas elas proporcionem prazer. As zonas erógenas, que o provocam, estão associadas a terminações nervosas. O clítoris contém inúmeras terminações nervosas, provocando intensas sensações de prazer quando é estimulado. Embora seja menos comum, há muitas mulheres que também sentem muito prazer pela estimulação da vagina, pois também contém muitas terminações nervosas. A estimulação da vagina e do clítoris em simultâneo pode provocar inesperadas ondas de prazer!