Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Quais são os melhores momentos para a concepção?

emagrecimento-e-sindrome-dos-ovarios-policisticos.

 

"Sou uma mulher ansiosa por ser mãe, mas que não sabe muito a respeito do seu corpo. Gostaria de saber quais são os melhores momentos para conseguir engravidar, sei que se encontram a meio do meu ciclo, mas quando? O meu período menstrual dura cerca de 30 dias, e tenho o período nos primeiros 4 dias. Seguindo este ciclo, pode dizer-me em que dias tenho maior probabilidade de conseguir engravidar?"

Luísa - Barcarena

 

 

Cara leitora,

Conhecer bem os ritmos e ciclos do seu corpo é fundamental, tanto se pretende engravidar, como se deseja evitar que isso aconteça, ou para poder desfrutar plenamente da sua sexualidade. Uma vez que a menstruação difere de mulher para mulher, o melhor período para engravidar varia, mas seguindo a regra do seu ciclo é possível encontrar o que procura. As mulheres têm tendência para ovular a meio do ciclo, contudo, é mais acertado dizer que ovulam 14 dias antes da menstruação. Embora seja fora do comum, as mulheres podem ovular em qualquer momento do ciclo. A fertilidade depende essencialmente de três fatores: um óvulo saudável, esperma saudável e muco cervical favorável. A mulher ovula uma vez em cada ciclo. O óvulo vive de 12 a 24 horas e depois desintegra-se se não for fertilizado. Em condições favoráveis do muco cervical, o esperma pode sobreviver até cinco dias dentro do corpo. Estas condições criam cerca de uma semana de intervalo no qual é mais provável engravidar. Consulte o seu médico para definir o seu ciclo em pormenor, para poder identificar com uma margem de erro o mais pequena possível quais são os dias em que deve tentar engravidar.

"Tenho um “affair” com um colega de trabalho"

Estou noiva de um rapaz de quem gosto bastante, mas há dois meses atrás comecei a ter um “affair” com um colega de trabalho. Agora estou bastante confusa e não sei se devo casar com o meu noivo ou se devo acabar a relação.

 

                                                                                                                   Isabel, Tavira

 

Cara leitora,

O casamento é um passo bastante sério e representa um compromisso para a vida inteira. A leitora diz que há dois meses que mantém um caso com um colega de trabalho e por isso não sabe se deve casar com o seu noivo. Essa é uma decisão que só a leitora pode tomar, mas parece-me que se a leitora tem estado a trair o seu noivo com outro homem é porque alguma coisa não está bem no seu
relacionamento com o seu noivo. Caso contrário a leitora não sentiria a necessidade de o trair. Pense bem antes de decidir levar por diante os seus planos para casar. O casamento é algo difícil e as probabilidades de divórcio já são tão elevadas entre casais que estão completamente apaixonados, agora imagine as probabilidades entre casais onde um dos membros não tem certeza se deve casar ou não.

Ritual para melhorar a vida sexual

sexo-c3a9-bom.jpg

 

Sabia que a relação sexual afeta muito a vida de um casal? Quando algo não está bem isso abre espaço na relação para que haja ressentimentos e desconfianças, que por sua vez levam ao afastamento dos parceiros. Todos nós temos necessidades sexuais, fazem parte do desenvolvimento natural do ser humano. No entanto, o cansaço, o stress, a rotina contribuem para que não seja fácil manter sempre acesa a chama da paixão.

 

Hoje vou ensinar-lhe um ritual para tornar a sua vida sexual mais ardente, utilizando as propriedades energéticas de alguns elementos da natureza!

 

Vai precisar de:

- uma taça grande
- 2 rosas vermelhas – a vossa paixão
- cristal da paixão ardente – aumenta o magnetismo sexual
- 2 malaguetas – trazer picante à relação
- pau de cabinda – aumenta o vigor sexual
- gengibre – afrodisíaco, refresca a relação
- canela – afrodisíaca, estimula a sensualidade
- mel – traz o envolvimento e a cumplicidade
- água – para juntar a energia de todos os ingredientes e impregná-la no seu corpo

 

Preparação:

- Desfolhe as duas rosas e deite as pétalas para dentro da taça.

- Coloque por cima o cristal da paixão ardente energizado.

- Coloque as duas malaguetas.

- Deite por cima um pouco de pau de cabinda, gengibre ralado ou em pó, canela e regue com um fio de mel.

- Peça a Vénus, deusa do amor e a Eros, deus do erotismo, que tragam o vigor de volta à sua relação sexual:

"Que os deuses do amor e da paixão
Devolvam o ardor à minha relação!"

- Derrame então um litro de água morna sobre este preparado e agite para misturar.

- Retire as malaguetas e o cristal da paixão ardente e coloque tudo debaixo do seu colchão, para energizar o vosso leito de amor.

- Tome um banho e no final verta o preparado do pescoço para baixo.

- Vista uma roupa sensual e espere o seu marido para uma noite inesquecível!

Tema de hoje: Andropausa

 

 

 
“Tenho 58 anos e ultimamente tenho notado diferenças a nível emocional e sexual, e por isso me pergunto se estarei a entrar na andropausa?
 
José, Tavira
 
Caro Leitor,
 
Da mesma forma que a menopausa provoca alterações no corpo e no comportamento das mulheres, a andropausa manifesta-se nos homens provocando oscilações a nível físico e psicológico. Na andropausa, os homens podem observar mudanças a nível do desempenho sexual, bem como algumas alterações físicas e psicológicas. A andropausa define-se pela diminuição do nível de testosterona no homem, resultando no enfraquecimento do desejo sexual, bem como na dificuldade em manter a erecção. Outros sintomas que podem ser resultantes da andropausa são a diminuição do nível de energia física e a depressão. Convém referir que esta não é uma regra básica, pois cada homem é um caso. Porém, se achar necessário aconselho-o a dissipar as suas dúvidas junto de um especialista.
 

“Sexo dentro de água!”

 


 

“Nem eu nem o meu namorado temos qualquer tipo de pudor ou preconceito, e já experimentámos as mais diversas brincadeiras sexuais. Fazemos amor dentro de água regularmente e, por incrível que pareça, é aí que mais facilmente atinjo o orgasmo. Há algum problema em continuar a fazê-lo?”

 

Lídia, Abrantes

 

 

 

Cara Leitora,

 

O facto de experimentar diversas brincadeiras sexuais é algo salutar pois é através dessas brincadeiras que ambos vão conhecendo a melhor forma de satisfazer o parceiro e, ao mesmo tempo, vão fazendo novas descobertas em relação ao seu próprio corpo. No seu caso, ter relações sexuais dentro de água demonstrou ser algo bastante agradável, pois trata-se de um outro contexto que proporciona a leveza do corpo e o relaxamento. Este meio, através das características a si inerentes, incita à tranquilidade e à descontracção facilitando o clímax, isto é, a obtenção máxima de prazer. Porém, como qualquer experiência levada ao extremo, pode cair na rotina e deixar de ter o efeito inicial. Procure não limitar a sua actividade sexual a apenas sexo dentro de água, pois muito facilmente a sua vida sexual pode ficar rotineira.

 

 

Kama Sutra - Posições

"Marditaka - Esmagar especiarias

 

 

"Se te sentares e movimentares rotativamente as tuas ancas como uma abelha negra, na abertura das suas coxas, isso é Markata (o Macaco).

 

E se, nesta pose, te afastares dela, isso é Marditaka (esmagar especiarias).

 

(Mini Kama Sutra, Ed. Gailivro)

“Serei estéril?”

 

 

“Tenho trinta e dois anos e sou um homem saudável. Comecei a viver com uma mulher por quem estou muito apaixonado e começámos a falar em ter filhos. No entanto, assaltou-me o medo de que eu possa ser estéril, pois tenho um tio que é. Gostaria de saber o nome do teste de infertilidade masculina e como fazê-lo.”
Jorge
 
Caro Leitor,
A infertilidade masculina acontece quando o homem não ejacula ou não produz a quantidade necessária de espermatozóides, ou estes não se movimentam da forma adequada para poder chegar ao óvulo. O exame que é feito com maior regularidade para testar a infertilidade masculina é o chamado espermograma, cujo objectivo principal é analisar o sémen. Através deste exame é possível medir a quantidade, a mobilidade e o formato dos espermatozóides. Este é um exame bastante comum entre casais que têm dificuldades em conceber uma criança após vários meses de tentativas frustradas. Porém, em casos de casais que tem dificuldade em ter filhos, os testes de infertilidade não devem ser feitos apenas por um membro do casal, é importante que ambos façam os testes necessários de modo a averiguar de onde podem advir os problemas. Note-se que os problemas que mais potenciam a infertilidade masculina são: problemas hormonais (redução de testosterona), acumulação de sangue nos testículos (varizes escrotais), consumo de álcool, drogas e anabolizantes, doenças genéticas, tratamentos de radioterapia e quimioterapia e obstrução dos canais que transportam os espermatozóides dos testículos à uretra.

“Os espermicidas protegem contra Infecções Sexualmente Transmissíveis?”

 

“Tenho um amigo que me disse que os espermicidas ajudam a prevenir o contágio de Infecções Sexualmente Transmissíveis. É verdade?”
 
Carlos, Monte Gordo
 
Caro Leitor,
 
Os espermicidas são contraceptivos cuja função é impedir que os espermatozóides cheguem aos ovários e fecundem o óvulo, ou seja, têm como principal objectivo a prevenção contra uma gravidez indesejada. No entanto, tem-se verificado que para além dessa função os espermicidas ajudam a eliminar alguns micróbios relacionados com algumas infecções sexualmente transmissíveis, entre as quais a clemidia e a gonorreia. É neste sentido que muitos especialistas defendem o uso de espermicida como forma de prevenção das IST para os casais que não podem utilizar o preservativo por razões alérgicas. Todavia, esta teoria não é suportada por todos os especialistas, pois a dose de espermicida que neutraliza os espermatozóides não é a mesma para eliminar os micróbios das IST.

Tema de hoje: Problemas Sexuais

Sydney Owenson

 

 

Olá, boa tarde,
estou casada há 20 dias mas sinto muitas dores quando ele tenta penetrar-me, ao ponto de nunca o deixar ir até ao final, sinto-me muito incomodada com isso porque quero muito dar prazer ao meu marido. O que posso fazer para não sentir tantas dores? Será que existe algum gel ou pomada que seja anestésica, para que eu não sinta essas dores?
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Sabrina
 
 
Cara Sabrina,
Antes de pensar num anestésico para as dores,  procure cuidadosamente as causas delas com um médico. Pode tratar-se de muitas coisas, desde apenas falta de excitação e lubrificação, por estarem a partir para a penetração rápido demais, até disfunções sexuais femininas, como o vaginismo ou a dispareunia. Deve consultar um/a ginecologista para ver se está tudo bem consigo a nível ginecológico e também iniciar uma terapia sexual presencial, para que consiga resolver os problemas da sua relação e das suas relações sexuais.
As disfunções sexuais femininas interferem muito nas relações íntimas, saiba que estes problemas acontecem a muitas mulheres e não deve deixar de tentar viver a sua sexualidade por estar agora a sentir isto. Por enquanto podem explorar outras formas de ter relações sexuais, não só através da penetração… Explorem as massagens, as carícias, a masturbação mútua, o sexo oral, os brinquedos eróticos… Usem a vossa imaginação para reinventarem a vossa sexualidade sem limites!
Tente pedir ao seu marido que a penetre aos poucos e de forma gentil, ou seja, sem colocar o pénis todo na vagina de uma vez, e à medida que ele for introduzindo o pénis a Sabrina deve controlar a profundidade e velocidade da penetração, deve também contrair e relaxar os músculos da vagina durante este exercício. Desta forma a Sabrina vai sentir mais controlo durante a penetração e vai acabar por descontrair, e por sua vez sentir mais prazer.
Aconselho também que explore o seu corpo através da masturbação, para que possa descobrir como gosta de ser tocada e o que lhe dá prazer, pois o primeiro passo para sentir prazer com um parceiro é ser capaz de o fazer sozinha.
Mas não deixe de procurar ajuda especializada, seria desejável fazer uma consulta presencial.
 

Tema de Hoje: Orgasmos

 “Não aguento tempo nenhum!”

 

“Tenho 25 anos e nunca consegui aguentar muito tempo no sexo. Já tentei líquidos das sex-shops, mas nunca me aguentei mais de 5 minutos, o que faz com que não consiga ficar com nenhuma das minhas namoradas. Até já cheguei a acabar a relação antes de ter sexo, para não ter de viver a vergonha. Acha que tenho tratamento?”

 

Rodrigo, Figueira da Foz

 

Caro Leitor,

A sua carta mostra um grande desespero e problemas nas relações não só sexuais, mas também íntimas. A ejaculação precoce, descrita pela sua insatisfação com o tempo que dura a penetração, tem tratamento psicológico e medicamentoso, através da sexologia, pelo que deve tentar fazê-lo o mais rápido possível para que a vergonha que nos conta não o domine desnecessariamente.

Como não aprofunda a intimidade nas suas relações não se chega a sentir à vontade e a ansiedade que sente antes, durante e depois das relações sexuais contribui para a ejaculação tal como a sente. O tempo não é o factor mais determinante da satisfação de um casal com a sua sexualidade, repare que uma relação sexual, desde o momento da penetração até à ejaculação e sem contar com os preliminares, dura para a maioria dos casais de 3 a 13 minutos (segundo um estudo recente da Society for Sex Therapy and Research, publicado em Maio no Journal of Sexual Medicine). Conversas públicas muitas vezes criam-nos expectativas irrealistas e podem deixar-nos insatisfeitos com situações perfeitamente normais.

Há algumas técnicas que pode experimentar para aumentar o tempo até à sua ejaculação: masturbar-se algum tempo antes do encontro sexual; colocar um preservativo (masturbe-se antes com ele, pois pode inibi-lo a colocação frente a outra pessoa e assim treina a sua utilização); e não desistir de ter relações sexuais só porque ejaculou e perdeu a erecção…Deixe-se ficar nas carícias, na estimulação mútua, descubra outras coisas que dão prazer às suas companheiras para além da penetração e até que volte a ter erecção suficiente para voltar a tentar a penetração.

Se estas sugestões não funcionarem, tente a técnica dos terapeutas sexuais – o “squeeze” – que consiste em parar a estimulação sexual e apertar a base ou freio do pénis com três dedos (polegar, indicador e dedo médio) antes da ejaculação e por 3 a 4 segundos, o que parará a ejaculação e causará uma redução da erecção. Continue a estimulação e excitação mútua para voltar a recuperar a erecção. Esta técnica deve ser repetida 3 vezes até permitir a ejaculação. É normal que nas primeiras vezes não seja bem sucedido em conseguir parar a estimulação antes de ejacular, mas deve continuar a tentar. Demora em média 3 semanas, fazendo o exercício 3 ou 4 vezes por dia até que se notem os resultados. Esta técnica pode parecer difícil de executar, pelo que a ajuda de um técnico especializado em sexologia pode ser útil. Não deve ter medo de recuperar a erecção, como refere, pois esse medo em antecipação é que o deve estar a impedir de a recuperar. É ter tranquilidade e não ser observador da sua relação, mas estar presente a sentir todo o prazer possível. Pode ainda masturbar-se até atingir o orgasmo e a ejaculação umas horas antes da relação sexual (ou na própria relação sexual), para que na próxima penetração o tempo desta seja mais duradouro.