Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Kama Sutra

A Mistura de Gergelim com Arroz


"Quando os amantes estão deitados num leito e se abraçam com tanta força que os braços e

as coxas de um se entrelaçam com os braços e as coxas do outro em uma fricção mútua".

O nome deste abraço evoca poeticamente a união total de corpos e membros, maximizando

o contacto pele-a-pele, que é descrito aqui."

 

 

Kama Sutra - Posições

Utphallaka - A flor desabrochada

 

 

"Ela põe as mãos em forma de concha e levanta as nádegas com as palmas. Abre bem as coxas e põe os calcanhares ao lado das ancas, enquanto acaricias os seus seios."

 

(Mini Kama Sutra, Ed. Gailivro)

 

“Ela esqueceu-se de tomar a pílula”

 

“A minha namorada toma um anti-concepcional diariamente, porém ela esqueceu-se de tomar durante 2 dias e tomou no dia seguinte quando acordou. Tivemos relações sexuais, mas não ejaculei dentro da vagina. Há probabilidades de engravidar? São grandes?

Filipe, Seixal

 

Caro leitor,

As probabilidades de se engravidar não podem ser contabilizadas. Esclareça com a sua namorada quantas horas depois da hora habitual é que ela tomou a pílula, pois se for tomada algumas horas depois a eficácia é ainda mantida. O coito interrompido, o método contraceptivo que refere ter realizado, não é eficaz e tem bastantes probabilidades de engravidar, por isso nestas situações deve utilizar o preservativo e ficar descansado – será bem melhor para o vosso prazer e para a relação sexual.

Kama Sutra

"O eterno fascínio que o cabelo de uma mulher exerce sobre o homem é reconhecido pelo

Kama Sutra, que declara que uma das artes que a mulher deveria aprender é "compor o

cabelo com unguentos e perfumes e entrançá-lo". O poder erótico do cabelo da mulher é

retribuído quando, ao admirá-lo e acariciá-lo, o parceiro experimenta sentimentos de desejo

por ela, que em seguida se incumbe de satisfazer. No tempo de Vatsyayana, o cabelo

comprido era apreciado nas mulheres e nos homens. Agora, como naquela época, é um grande trunfo no jogo do amor.


Os pêlos púbicos também têm um papel importante nos preliminares do acto sexual e, para os amantes, ver e sentir os pêlos púbicos um do outro anuncia os prazeres do acto sexual. Mas o acto de acaricia-los não precisa ser limitado aos preliminares, porque depois do acto sexual pode expressar ternura tão eloquentemente quanto mostrar o desejo de fazer amor de novo.

Deveriam ser tocados suavemente - acariciados, em vez de puxados."

 

 

“Qual é a posição do pénis?”

 

“Sou um jovem de 17 anos e não sei qual a posição do pénis, porque o meu quando erecto sobe para o umbigo e faz uma ligeira curvinha. Estive com a minha namorada numa relação mais íntima na cama mas só que quando foi para avançar notei que o meu pénis não ficava erecto duma forma contínua, o que me deixou mal e também tem vindo a prejudicar-me. Tenho ainda esta dúvida: o homem teoricamente pode ter relações sexuais quase seguidas, mas questiono-me se há um número máximo de orgasmos para a saúde do homem.

Carlos, Évora

Caro leitor,

A curvatura do pénis depende de homem para homem e não poderei ajudá-lo através de e-mail. Esclareça esta questão com o seu médico de família, se tiver consultas com privacidade, ou vá a uma consulta de planeamento familiar num centro de saúde, pois são gratuitas e um técnico de saúde fará uma observação que o deixará mais descansado. Não adie estas questões, pois elas alimentam a sua ansiedade desnecessariamente.

A questão de erecção contínua está confusa: o que significa contínua para si? No tempo? É normal que a erecção acompanhe a excitação e, como tal, diminua e aumente na sua força ao longo da relação sexual, sem que tal represente uma perda ou deficiência; contínua em linha recta? A sua questão anatómica pode estar a prejudicá-lo no seu prazer por ficar ansioso e entrar num ciclo vicioso de preocupações sobre a sua capacidade de erecção e de virilidade para ter relações sexuais (tem de cortar esse ciclo negativo e deixar-se levar pelo prazer); contínua na intensidade com que a sente? Lembro-o que esta varia ao longo da relação sexual e não deve dar demasiada atenção à observação do pénis – isso fará com que esteja a fazer amor apenas com o seu pénis em vez de com todo o seu corpo.

Quanto ao número máximo de orgasmos masculinos não há absolutamente um número e lembro-o que um homem pode ter várias relações sexuais seguidas, mas com o intervalo do período refractário (última fase da resposta sexual humana chamada período de resolução, em que, depois do desejo, excitação, planalto, orgasmo, o homem perde a erecção e não consegue fisicamente ter uma nova). Este intervalo varia, uma vez mais, muito de pessoa para pessoa e ao longo da vida, pelo que é normal que na adolescência seja muito curto e vá aumentando com a idade e igualmente vá precisando de mais estimulação para voltar a ter erecção, tal como o tempo para atingir o orgasmo aumenta. 

Kama Sutra

"A maior obra alguma vez escrita sobre a arte de fazer amor, Kama Sutra, foi escrita pelo indiano Vatasyayana, que viveu entre 100 e 600 a.C. A obra original contém cerca de 1250 versiculos e inclui conselhos sobre cortesãs, como atrair amantes e, naturalmente, as melhores posições para se fazer amor."

 

 

 

(Mini Kama Sutra, Ed. Gailivro)

 

 

 

O nome Kama Sutra provém da divindade masculina hindu Kama, que simboliza o desejo e o amor carnal, e Sutra, que significa conjunto de ensinamentos, no antigo sânscrito.

 

Este manual indiano foi escrito para a nobreza da Índia, especificamente para os homens, embora as necessidades femininas não tenham sido ignoradas: o autor relata detalhadamente as instruções correctas para a excitação da mulher pelo parceiro, incluindo a importância de o homem fazer a mulher atingir o orgasmo, seja pelo acto sexual em si, seja através de carícias.

 

 

“Serei viciada na minha relação?”

 

“Será possível alguém ser viciado numa relação que não é saudável? Namoro há 2 anos com o homem com que me vejo casada e tenho um caso com um homem 8 anos mais velho, há cerca de 5 anos. Às vezes tenho a sensação que este meu caso é doentio, é um "relacionamento" muito pouco saudável em quase tudo, existe muita agressão verbal de parte a parte, milhentas vezes dizemos um ao outro que não nos queremos ver mais, etc... E, no máximo, passadas 2 semanas já estamos envolvidos novamente, sem nunca se pedir desculpas pelo que foi dito anteriormente... E muitas das vezes quando saio de ao pé dele, venho com quase 100% de certezas de que foi a ultima vez, porque cada vez é pior, porque eu saio de lá frustrada, que isto só me faz mal, porque estou farta de tudo (dele, da situação).... Mas até agora este fim ainda não apareceu.  Porquê?”

Carla, Almada

 

 

Cara leitora,

O seu caso é bastante complexo e requer alguma reflexão da sua parte e muita coragem e força. A dependência que existe é sua e dele, do homem com quem tem uma relação escondida e cabe-lhe a si procurar no seu íntimo o que ele lhe oferece que a sua relação de compromisso não faz: perigo de ser descoberta? Nervosismo de estar às escondidas? Sexo que lhe agrada mais? Sensação de liberdade por não haver compromisso? Paixão em vez de amor? Intensidade em vez de tranquilidade amorosa?

Se ambos voltam a encontrar-se e se mantêm esta relação há 5 anos cada um terá as suas necessidades emocionais a que este modelo de relação responde.

Repare como escreve “até agora o fim ainda não apareceu”, sem se identificar a si mesma como autónoma e independente para o fazer aparecer, por vontade própria, esse fim, na sua vida pessoal e de mulher. Se ele tiver de acontecer, terá de ser você a decidi-lo… Ou estará à espera que ele o faça por si?! A decisão é sua (ou dele) de continuar ou de acabar com esta relação, todas as relações têm os seus pós e contras. Por pouco romântico que tal pareça, pode escrever numa folha o que ganha e o que perde com as suas duas relações e assim terá uma pequena ajuda na sua reflexão sobre as partes da balança que estão envolvidas na sua vida emocional. Quando tomar a sua decisão, seja ela qual for terá de partir para a acção e resistir ao que for contrário a ela. São precisas forças e determinação, mas elas estão em si, visto que conseguiu lidar até agora com a complexidade de ter duas relações, de aguentar frustrações, agressões verbais… saiba que quando uma pessoa se vincula a alguém que nos trata mal pode haver uma identificação com o agressor (mesmo que se trate apenas de agressão verbal), acreditar no que ele nos diz, assumir o papel de vítima que ele nos impõe e, ao longo do tempo, ir ficando com a auto-estima em baixo e deixar de se sentir forte sem o agressor a tratar da vítima. Pelas suas palavras não sei se tal terá acontecido entre vós, mas não desvalorize a força das agressões verbais – são igualmente agressões, magoam e deixam feridas difíceis de sarar. Leia mais sobre violência conjugal para perceber melhor o que tento mostrar-lhe.

Kama Sutra

"Quando uma mulher tem cabelo comprido, ele pode cair distraidamente sobre o rosto e seios e roçar suavemente contra o corpo nu do parceiro. Se for longo o suficiente, a mulher pode até mesmo envolver os ombros e peito do homem com ele. E se ela estiver por cima, pode posicionar-se de modo a passá-lo de forma provocante sobre todo o corpo do homem, inclusive o seu pénis, aumentando assim o desejo dele por ela.

Dica: Afaste o seu corpo, para que apenas o seu cabelo toque na pele dele."

“Tenho muitas dores”

 

“Tenho 21 anos já tenho uma relação estável há um ano, mas nunca consegui que ele me penetrasse, porque tenho muitas dores na penetração e isso diminui o meu prazer. No final só sinto dores - o que eu devo fazer?”

Teresa, Mafra

 

Cara leitora,

Como refere que nunca conseguiu a penetração tem de consultar um médico ginecologista ou terapeuta sexual, para avaliar as causas – podem ser fisiológicas ou psicológicas ou mesmo ambas, mas apenas uma consulta poderá avaliar a possibilidade de ter uma perturbação sexual feminina, como a dispareunia ou o vaginismo.

Entretanto, nas suas relações sexuais, deve tentar relaxar e entregar-se a carinhos e festas durante um tempo substancial (a lubrificação depende do prazer que sente antes de iniciar a penetração). Não vou definir-lhe um tempo limitado, mas sugiro-lhe um mínimo de meia hora, antes de tentarem a penetração ou sequer de pensarem nisso (podem até nem chegar a concretizá-la mas procurar o prazer na mesma!). Isto irá diminuir a pressão para a penetração que parece sentir.

Experimente utilizar um lubrificante adicional nas suas penetrações, para perceber se será uma mulher que lubrifica pouco e isso que lhe dificulta a penetração.

Tente pedir ao seu namorado que a penetre aos poucos e de forma gentil, ou seja, sem colocar o pénis todo na vagina de uma vez, e à medida que ele for introduzindo o pénis deve controlar a profundidade e velocidade da penetração, deve também contrair e relaxar os músculos da vagina durante este exercício. Desta forma vai sentir mais controlo durante a penetração e vai acabar por descontrair e por sua vez sentir mais prazer. Aconselho também que explore o seu corpo através da masturbação, para que possa descobrir como gosta de ser tocada e o que lhe dá prazer, pois o primeiro passo para sentir prazer com um parceiro é ser capaz de o fazer sozinha.