Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“A minha namorada beijou outra rapariga e eu não gostei”



“Numa festa vi a minha namorada a beijar outra rapariga de forma bastante apaixonada. Os meus amigos dizem que eu sou um sortudo e que devia aproveitar a situação para tentar ter sexo a três, mas eu não gostei nada do comportamento dela e estou bastante chateado.”

 

Diogo, Odivelas

 

Caro leitor

 

Apesar de muitos homens terem a fantasia de ter sexo com duas mulheres ao mesmo tempo, esse não parece ser o seu caso. Ao beijar outra rapariga à sua frente, provavelmente a sua namorada estava apenas a tentar chamar a sua atenção e a tentar excitá-lo sexualmente. Se o leitor não gostou do comportamento que a sua namorada teve, então deve ter uma conversa franca com ela de forma a que ela saiba como se sente. Talvez a sua namorada se sinta insegura a respeito do seu poder de sedução sobre si, por isso assegure-a de que ela tem a sua atenção incondicional e que ela não necessita de se exibir para que o leitor a ache sensual.

“Não tenho tempo para o meu marido”


“Devido ao meu trabalho e aos filhos, não tenho dado muita atenção ao meu marido e, consequentemente, não temos tido relações sexuais com muita frequência, o que está a afectar o nosso casamento?”

Susana, Vila Nova de Gaia

 

Cara Leitora,

 

Se verifica que a sua vida sexual e conjugal estão a ser afectadas pelo facto de andar muito ocupada, é importante que faça algo o mais rápido possível para tentar ultrapassar este problema. É natural que uma vez que anda muito ocupada com o trabalho e com os filhos tenha notado uma diminuição do seu interesse sexual, mas não se esqueça de que tem um marido que sente a sua falta. Procure organizar o seu tempo de forma a poder ter tempo para desfrutar da companhia do seu marido. Arranje alguém que tome conta dos seus filhos durante algumas horas, no fim-de-semana, para que possa ter uma noite romântica com o seu marido, ou experimente colocar os seus filhos na cama um pouco mais cedo para que possa ter mais tempo a sós com o seu marido. Faça um esforço para tentar reacender a chama da paixão no seu relacionamento.

 

 

Tema de hoje:Dúvidas sexuais

 

“Tenho várias amigas que são mais novas do que eu que já são menstruadas. Eu ainda não sou e tenho 14 anos. Será que ainda vou ficar muito tempo sem ter o período?”
Teresa, Vila Nova de Gaia
Cara Leitora,
Antes de mais é importante que a leitora se tranquilize, pois cada mulher tem o seu próprio desenvolvimento e neste sentido não tem que se preocupar com o facto de as suas amigas serem menstruadas e a leitora não.
O corpo de cada mulher vai desenvolvendo o seu próprio processo de maturação durante a adolescência, por isso não é obrigatório que as transformações entre raparigas da mesma idade se dêem ao mesmo tempo.
Por exemplo, é perfeitamente natural que a menstruação possa surgir numa rapariga de 10 e outra de 14 anos não ser menstruada. Ambas encontram-se num padrão normal.
Porém, existem sinais que indiciam a aproximação da primeira menstruação. Alguns desses sinais são: o crescimento do peito, pelos na zona púbica e debaixo dos braços.

Tema de hoje: fertilidade

 

Gostaria de saber quais os dias mais férteis de cada mês, quando se inicia e quando termina.
Obrigado
Cara leitora,
Antes de mais gostaria de a informar que existem outras formas de contracepção mais eficazes do que o método do calendário, em que se calcula o intervalo de tempo em que há mais probabilidades de acontecer uma gravidez, e que não evita a transmissão de infecções sexualmente transmissíveis. Neste sentido, o primeiro passo que deve dar é procurar um ginecologista ou recorrer às consultas de planeamento familiar para que lhe recomendem um contraceptivo mais indicado para si.
O período fértil é calculado a partir do número de dias de cada ciclo menstrual, pelo que a mulher deve fazer o registo sistemático e perceber a sua própria regularidade, sem qualquer esquecimento. Este período inicia-se sensivelmente cinco dias antes da ovulação e cinco dias depois, que ocorre a meio de cada ciclo. Por isso, durante o seu período fértil é aconselhável não ter relações sexuais ou utilizar o preservativo nestes dias.
Este método é, ainda, desvantajoso porque implica que as menstruações sejam bastante regulares e que conheça bastante bem o seu aparelho reprodutor, para saber exactamente quando ocorre a ovulação. Este método é bastante ineficaz e muito raramente utilizado por quem não pretende engravidar, pelo deve consultar, o quanto antes, um especialista nesta área.
Pode ainda consultar o site www.sexualidades.com e fazer o calculo matemático, tendo em conta o registo dos seus ciclos dos últimos meses.

“A ex-namorada dele tinha mais experiência do que eu”

“O meu namorado diz que a ex-namorada dele era bastante experiente sexualmente e que lhe ensinou tudo o que ele sabe a respeito de sexo. Eu sinto-me receosa de ter relações sexuais com ele porque acho que não o vou conseguir satisfazer.(…)”

Sónia, Cascais

 

Cara leitora,

O motivo pelo qual o seu namorado lhe disse que a ex-namorada dele era bastante experiente e lhe ensinou tudo a respeito de sexo é porque ele a quer impressionar, fazendo-a pensar que ele é um “expert” na matéria. Por isso não se preocupe, relaxe e aproveite todo o prazer que o seu namorado lhe pode proporcionar, pois se ele está tão interessado em impressioná-la sexualmente, ele nem vai reparar que a leitora tem pouca experiência. Esteja aberta a novas experiências e descubra com o seu namorado tudo aquilo que lhe dá prazer.

Tema de hoje: Problemas Sexuais

Sydney Owenson

 

 

Olá, boa tarde,
estou casada há 20 dias mas sinto muitas dores quando ele tenta penetrar-me, ao ponto de nunca o deixar ir até ao final, sinto-me muito incomodada com isso porque quero muito dar prazer ao meu marido. O que posso fazer para não sentir tantas dores? Será que existe algum gel ou pomada que seja anestésica, para que eu não sinta essas dores?
Sabrina
Cara Sabrina,
Antes de pensar num anestésico para as dores,  procure cuidadosamente as causas delas com um médico. Pode tratar-se de muitas coisas, desde apenas falta de excitação e lubrificação, por estarem a partir para a penetração rápido demais, até disfunções sexuais femininas, como o vaginismo ou a dispareunia. Deve consultar um/a ginecologista para ver se está tudo bem consigo a nível ginecológico e também iniciar uma terapia sexual presencial, para que consiga resolver os problemas da sua relação e das suas relações sexuais.
As disfunções sexuais femininas interferem muito nas relações íntimas, saiba que estes problemas acontecem a muitas mulheres e não deve deixar de tentar viver a sua sexualidade por estar agora a sentir isto. Por enquanto podem explorar outras formas de ter relações sexuais, não só através da penetração… Explorem as massagens, as carícias, a masturbação mútua, o sexo oral, os brinquedos eróticos… Usem a vossa imaginação para reinventarem a vossa sexualidade sem limites!
Tente pedir ao seu marido que a penetre aos poucos e de forma gentil, ou seja, sem colocar o pénis todo na vagina de uma vez, e à medida que ele for introduzindo o pénis a Sabrina deve controlar a profundidade e velocidade da penetração, deve também contrair e relaxar os músculos da vagina durante este exercício. Desta forma a Sabrina vai sentir mais controlo durante a penetração e vai acabar por descontrair, e por sua vez sentir mais prazer.
Aconselho também que explore o seu corpo através da masturbação, para que possa descobrir como gosta de ser tocada e o que lhe dá prazer, pois o primeiro passo para sentir prazer com um parceiro é ser capaz de o fazer sozinha.
Mas não deixe de procurar ajuda especializada, seria desejável fazer uma consulta presencial. As nossas instalações ficam próximas do Saldanha, em Lisboa, e as consultas podem ser marcadas no telefone 21 318 25 91. Será sempre bem-vinda.

“O meu namorado sente-se intimidado pelo meu vibrador”


 

“O meu namorado pediu para eu deitar fora o meu vibrador porque ele não gosta de imaginar que eu utilizei esse vibrador com outros namorados. Eu não sei o que fazer porque eu gosto bastante do meu vibrador.(…)”

Joana, Faro

 

Cara leitora,

Por mais confiantes que os homens aparentem ser, a grande maioria é na realidade bastante inseguro a respeito da sua performance sexual, sendo por isso natural que o seu namorado se sinta inseguro ao saber que a leitora ainda possui um vibrador que foi utilizado para fazer amor com outros namorados. Provavelmente o seu namorado não gosta de saber que ele não é a primeira pessoa a utilizar esse vibrador consigo e por isso lhe pediu para o deitar fora. Se a utilização do vibrador durante a relação sexual é algo importante para si, aconselho-a a satisfazer o desejo do seu namorado com a condição de que ele vá a uma Sex Shop consigo para comprar um vibrador novo, o qual será o primeiro e único homem a utilizar consigo.

 

Tema de hoje: problemas sexuais femininos

Bettina Rheims

 

 

 

Bom dia,
Em Outubro de 2007 foi-me diagnosticada uma depressão e estou a ser tratada com fármacos e psicoterapia!
Por volta de Janeiro-Fevereiro comecei a notar que a minha líbido começou a diminuir vertiginosamente! Claro que isso nunca foi impedimento para diminuir o meu ritmo sexual com o meu namorado, mas a verdade é que já não obtenho tanto prazer como obtia!
Deve-se ao tratamento com anti-depressivos? E após passar esta fase da depressão tudo isto irá reverter-se?
Cumprimentos
Cara leitora,
Com efeito, a depressão e o tratamento dela têm efeitos nas várias fases da resposta sexual, desde o desejo sexual, à excitação e orgasmo – dependendo de cada pessoa e dos momentos da vida. Seja paciente e continue a medicação e a psicoterapia, falando destas questões com os técnicos que a acompanham. Não se preocupe com as alterações que sente no prazer, tal irá mudar com as suas melhorias globais, mas deve mencionar estes efeitos secundários ao seu médico assistente bem como ao terapeuta. Existem vários medicamentos no mercado com efeitos secundários diferentes, por isso nao tenha receio de conversar com o seu médico a esse respeito. Não se afaste do seu namorado, explique-lhe e peça-lhe também a sua compreensão. Há muitas formas de ter relações sexuais e de viver a intimidade, pelo que podem aproveitar esta fase da sua vida para as explorarem em conjunto e descobrirem novas formas de viverem a vossa sexualidade, que vos dêem prazer a ambos, ao ritmo que preferir e a deixar confortável.
Desejo-lhe boa sorte para o seu tratamento e para a sua relação e esteja confiante que esta fase difícil irá passar e muitas alegria e prazer a esperam no futuro!

Glandulas de Tyson

Tenho 16 anos e estou com uma duvida sobre glândulas de tyson. Desde meus 11 anos começaram a aparecer pequenas bolinhas brancas ao redor da glande do meu pénis.. Eu nunca dei importância pois sei que são normais. Só que agora estão me incomodando, pois algumas destas bolinhas estão mais desenvolvidas! Uma delas tem 1mm. Eu gostaria de saber se é possível a remoção destas bolinhas por remédio ou cirurgia? Caso haja um remédio poderia me indicar?
David

Caro David,
Os pequenos pontos que descreve na sua glande são muto normais e chamam-se glândulas de Tyson, produzem uma secreção esbranquiçada chamada "esmegma", que se acumula quando a higiene não é regular. Não sei se o incómodo que descreve é dor, visto que sempre as teve, tal como todos os outros homens. Penso que não há razão para pensarmos que se trata de uma infecção; mas se sentir comichões, ardor, mudanças de cor consulte um médico para fazer uma observação cuidada e rigorosa.
Não coce nem tente removê-las por si, pois tal pode agredir o seu pénis. Lave-se regularmente com um sabão pouco agressivo, de PH neutro e não dê demasiada importância. Se o incómodo persisitir marque uma consulta num médico de clínica geral ou um dermatologista.

“O Herpes genital transmite-se mesmo com preservativo?”


 

“Tenho uma dúvida que me tem deixado inquieta. O meu namorado teve herpes genital há dois meses. Evitámos durante esse período ter relações sexuais. Todavia, houve uma vez em que não resistimos e fizemos amor, mas utilizámos o preservativo. É possível transmitir o vírus mesmo usando o preservativo?

 

Carla, Sesimbra

 

 

 

Cara leitora,

O herpes genital é uma das doenças sexualmente transmissíveis mais comuns e é causada por um vírus. Embora a probabilidade de a sua transmissão usando o preservativo ser reduzida, o contágio do parceiro não está fora de questão, porque durante o contacto sexual (vaginal, anal ou oral) as áreas que se encontram desprotegidas estarão em contacto directo com a pele de ambos. Todavia, para que seja possível a transmissão é necessário que o vírus esteja activo. Os sintomas mais salientes são bolhas, ardor, comichão e dor. É importante ter em conta que este vírus pode voltar a reaparecer no corpo do seu portador, uma vez que o herpes não tem uma cura definitiva. Assim, é essencial ter bastante cuidado na coordenação da vida sexual e seguir escrupulosamente as indicações médicas de forma a salvaguardar o bem-estar de quem é portador do vírus e a integridade física do parceiro. Como curiosidade, informo-a que as mulheres são mais susceptíveis a este tipo de doenças.

 

Pág. 1/4