Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Dicas sexuais

Fantasie sobre sexo durante o dia, imagine o que quer fazer com o seu parceiro/a quando chegar a casa.

 

Telefone ao seu parceiro/a e diga-lhe as fantasias, e verá que isso o/a irá deixar em chamas.

 

“Ele faz amor sempre com a TV ligada!”

 

 
 
 

 

 
 
"O meu namorado gosta de fazer amor com a televisão ligada, o que me incomoda bastante. Não sei como devo proceder para que ele entenda isso sem ficar magoado, pois cada vez evito mais estar com ele por causa disso."
Carla, Évora
 
Cara leitora
Fale com o seu namorado, pois segundo diz essa situação incomoda-a muito, chegando mesmo a evitar ter relações com ele. Não deixe que algo tão simples de resolver interfira na vossa relação. Seja sedutora e diga ao seu namorado que a televisão a distrai, e que dessa forma não lhe pode dedicar 100% da sua atenção quando estão a fazer amor. Imagino que ele não será tão egoísta ao ponto de lhe negar o pedido, fazer amor é dar e receber prazer e não é justo que só ele receba! Tentem encontrar uma forma de resolver a situação que agrade aos dois. Se é o som que a incomoda, tenha a televisão ligada mas apague o som, se é a luz que agrada ao seu namorado experimentem usar velas, enfim, usem a imaginação.
 
 

“Será que ainda é cedo para apresentar a minha namorada?”

 

“Já tenho 37 anos e sou solteiro. No entanto, conheci uma rapariga com quem comecei a namorar há 3 meses. Gosto muito da minha namorada e gostaria de a apresentar à minha família mas não sei se é ainda muito cedo, e se ela está preparado para isso!”
 
Luís, Albufeira
Caro leitor,
Quando uma mulher conhece a família do namorado pode-se criar bastante ansiedade, pois ela sente-se desconfortável e avaliada pelos familiares do seu amado. No seu caso aconselho-o a ter certeza que a quer apresentar à sua família mas se acha que é uma relação sem futuro e que pode acabar a qualquer momento, então não o faça pois vai estar a criar falsas expectativas tanto na sua família como na sua namorada. Depois de ter a certeza do que quer fazer, tem de verificar se a sua namorada se sente preparada para dar esse passo. Se ela não estiver preparada corre o risco de a assustar fazendo com que ela se sinta pressionada a assumir um compromisso para o qual ela não se sente preparada. Aborde o assunto de forma casual dizendo-lhe que vai jantar com os seus pais na próxima semana e se ela esta gostaria de o acompanhar. Não a pressione, e espere para ver a sua reacção. Se ela disser que não pode e inventar uma desculpa “barata” então fica a saber que é cedo demais para a apresentar à sua família.
 
 

Tema de hoje: dores vaginais

 

Há algum tempo atrás magoei-me ao introduzir o tampão na vagina. Com o aplicador fiz um pequeno arranhão. Entretanto fui ao médico,  e fiz um tratamento com uma pomada que ele me receitou, mas nunca ficou bem cicatrizado. Estive cerca de 15 dias sem ter relações sexuais, a ver se cicatrizava de uma vez... E na primeira vez que tive relações após este período tudo correu bem, mas de seguida tive relações novamente, e tive dores... O meu marido esteve a ver e disse que tinha uma pequena fissura nas paredes da vagina. Como é que eu faço para curar isto de uma vez? Evitar ter relações é muito penoso para nós...

 

Cara Leitora,

A vagina é uma área bastante sensível e quando existe alguma fissura esta costuma levar semanas a sarar. Para sarar, as feridas necessitam de um ambiente seco e de ar e, como pode imaginar, a vagina não permite nenhum desses factores, pois está constantemente coberta e tem lubrificação. Desta forma aconselho que contacte o mesmo médico, ou um medico diferente e que seja novamente examinada. Depois vai ter de ter paciência e esperar algumas semanas até poder ter relações sexuais, pois apenas dessa forma irá sarar completamente. Experimentem praticar sexo oral em vez de vaginal, e dessa forma não será tão difícil esperar até que esteja completamente curada.

 

“Sonho que estou a beijar mulheres!”

“Tenho sonhado várias vezes que beijo mulheres. Para mal dos meus pecados eu até gosto. No início achei piada, mas agora estou a ficar preocupada. Será que a minha orientação sexual está a mudar?”

 

Rute, Alcobaça

Cara Leitora,

O facto de sonhar com mulheres e, principalmente, de beijá-las foi uma novidade que surgiu na sua vida de uma forma repentina e por isso, inicialmente, foi do seu agrado. Talvez esse sonho tenha sido a indicação que deseja ter uma vida sexual mais apimentada, mas não quer dizer necessariamente que esteja a mudar de orientação sexual. Neste sentido, não dê tanto valor a esses sonhos. Interprete-os, antes, como um sinal de mudança. Procure introduzir novidades na sua rotina sexual. Por exemplo, vá a uma sex-shop e explore tudo aquilo que poderá trazer algum dinamismo à sua performance sexual. Assim sendo, evite ficar com ideias pessimistas em mente. Procure viver a sua sexualidade com prazer e satisfação e cabe-lhe a si fazer com que a monotonia se instale no seu dia-a-dia.

“Recusa-se a fazer amor de manhã!”

 

“Sempre desejei fazer amor pela manhã, mas a minha esposa recusa-se. Acho que não estou a pedir nada do outro mundo… Porque será que ela tem esta atitude?

 

César, Peniche

Caro Leitor,

Possivelmente a sua esposa já tem uma rotina diária em que todos os minutos já estão definidos. Esta é uma hipótese. Porém, para que possa desmistificar a sua dúvida, não há nada melhor do que falar com ela e mostrar-lhe que adoraria realizar a sua fantasia. Proponha-lhe experimentar pelo menos uma vez num fim-de-semana em que tenham todo o tempo do mundo para estar a desfrutar o vosso momento de intimidade. Mostre-se apaixonado e sedutor, de modo a que ela não possa recusar ao seu assédio. 

Tente deixar claro que não é necessário levar a vida sexual de uma forma rígida, para quebrar a rotina e a monotonia é importante inovar e partir à descoberta de novas coisas. Quebrem as regras pré-definidas e verão que a vossa vida sexual ganhará um novo vigor, que se poderá refletir na vossa vida em geral.

Duas relações

Tenho 39 anos sou casada há 20 anos só conheço meu marido na cama, mas há 3 meses comecei a relacionar-me com outro homem, não  relações sexuais com ele por não ter coragem, mas ele excita-me muito. Os actos sexuais com o meu marido aumentaram algumas vezes e são bem prazeirosos, mas desde há um mês tenho sentido leves dores na virilha, pequenas cólicas e estou constantemente excitada. O que podem ser estas sensações que estou sentindo?
Rosário
Cara Rosário,
Parece que a possibilidade de traição lhe trouxe um novo fôlego à relação com o seu marido – tal acontece em bastantes relações estáveis e de longa duração. Como aumentou a frequência das relações na sua vida sexual as dores na virilha podem ser do exercício físico associado. As cólicas e excitação podem ser do seu nervosismo e das emoções de estar a viver esta experiência de estar entre duas relações muito diferentes – uma de compromisso e outra pontual, que pode ser sentida como mais apaixonante, visto que não se conhecem bem e não têm a intimidade de uma relação estável.
A sensação de excitação pode ser também devida à sua idade e à aproximação da menopausa, mas tal terá de ser melhor investigado por um médico.

Tema de hoje: fantasias

 

 

 

Ter fantasias sexuais é bastante saudável, no entanto quando a imaginação sexual é muito fértil, e as pessoas querem experimentar práticas sexuais alternativas, tais como o Sado-masoquismo, há que tentar estabelecer limites e regras. As regras dos jogos sexuais têm de ser acordadas por ambos para que, chegando a um determinado limite, o jogo acabe sem que haja dor. Nos jogos sexuais sado-masoquistas a excitação é conseguida através de técnicas sexuais com princípios que são por muitos considerados cruéis, pois podem aparentemente acarretar alguma dor. Pode-se considerar este tipo de jogos como fazendo parte do chamado Sadismo, no qual a pessoa que controla o jogo sexual tem prazer através do controle do parceiro. No entanto, nos jogos Sadomasoquistas a cada sádico corresponde um submisso, o masoquista, e é necessário existir por parte de ambos um acordo. É necessário que tenham atenção aos instrumentos utilizados, para que os actos não provoquem demasiada dor ou danos. Por isso, o casal deve escolher uma palavra-chave, e quando esta é dita por algum dos membros do casal o jogo erótico deve ser imediatamente interrompido.