Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Depressão e Desejo sexual

Sou casado há 14 anos e de há um ano para cá a minha mulher desinteressou-se de vez de ter sexo. Ela tem problemas de depressão, toma anti-depressivos (fluoxetina e rivotril), mas pelo menos uma vez por mês sentia vontade de fazer sexo, mas agora não quer deixar nem que lhe toque, já conversei com ela, expliquei que devido aos problemas que ela já passou devia procurar um médico. Será que ela esta com problemas hormonais? E se ela for fazer uma reposição hormonal será que melhora? Ela também disse que hormonas causam cancro (devido familiares terem morrido de cancro). É verdade?
Filipe
 
Caro Filipe,
 
O seu email levanta várias questões: se a terapêutica de substituição hormonal causa cancro e porque terá a sua mulher um baixo desejo sexual.
Em primeiro lugar, a depressão e a medicação que a sua mulher toma causam realmente falta de desejo sexual. Pode tentar pedir-lhe que peça ao seu médico que lhe prescreva novos medicamentos, mas terá de ser paciente em relação à progressão da doença e do tratamento desta.
Neste sentido, a causa de tão baixo desejo sexual não é hormonal, mas sim emocional e da terapêutica anti-depressiva. A terapia de substituição hormonal faz-se na menopausa, quando os sintomas desta causam desconforto nas mulheres. Mais uma vez terá de ser o ou os médicos que fazem o seguimento da sua esposa a avaliarem a necessidade de tal, em conjunto com ela. Os riscos de cancro desta terapêutica não são medicamente significativos, por isso ela é recomendada em algumas mulheres. Só um técnico de saúde poderá receitar e avaliar a necessidade ou risco para a saúde e herança genética.
 
Tente agradar-lhe com coisas que ela gosta… criar ambientes românticos, preparar-lhe um banho de imersão de surpresa, escrever-lhe cartas de amor – o que a sua imaginação conseguir inventar e muito mais! Veja o nosso blog para mais sugestões.

Coito interrompido

Boa tarde, há já algum tempo que tenho uma dúvida, tive relações com o meu namorado, no entanto não usámos protecção optámos por fazer coito interrompido, já tive dois períodos menstruais entretanto, mas noto algumas diferenças nos meios seios, já fiz um teste de gravidez e deu negativo. No entanto a menstruação este mês está atrasada. È possível estar grávida?
Judite
 
Cara Judite,
 
É possível estar grávida e ter menstruação, ou seja, perdas de sangue que são confundidas com menstruação: 25% das mulheres grávidas têm o que se pode chamar de “sangramento de implantação”, e muitas delas confundem esse corrimento sanguíneo com a menstruação, e por isso não descobrem que estão grávidas até vários meses após a fecundação.
O coito interrompido não é um método contraceptivo seguro, pois as taxas de falha são altas e antes da ejaculação o homem liberta já alguns espermatozóides na lubrificação.
Vão juntos a uma consulta de planeamento familiar e reflictam sobre um método mais eficaz de contracepção para vocês. Os centros de saúde têm períodos específicos para estas consultas, gratuitas e frequentes.
As alterações nos seios são realmente um sintoma de gravidez, embora isolado não significa que se trate de uma gravidez. Pode ser apenas uma alteração de peso ou hormonal esporádica. Esclareça melhor com um médico esta situação.

Tema de hoje: menopausa

Estou casado há 20 anos e desde há algum tempo que não tenho relações sexuais com a minha mulher, apesar de a amar muito e ela a mim. A minha mulher tem sintomas depressivos (em acompanhamento médico) e apresenta sinais de entrada na menopausa (tem 44 anos), recusa assumir, perante os próprios médicos, a sua não apetência para uma vida sexual, é extremamente clássica e muito ortodoxa no que diz respeito a uma vida sexual.
Eu amo a minha mulher, eu respeito-a como pessoa, tento tudo para que a vida em casal seja o mais linear e feliz possível e, apenas queria que o nosso relacionamento fosse mais completo e feliz para ambos, tanto mais que ambos caminhamos para um momento da vida em que cada vez mais estaremos apenas os dois, dependentes apenas um do outro.
 
Francisco
 
Caro Francisco,
 
Actualmente, como a sua esposa está deprimida e em tratamento devo dizer-lhe que a diminuição do desejo é devida à doença e aos tratamentos anti-depressivos Enquanto essa situação persistir a sexualidade da sua mulher dificilmente mudará, mas devem falar com o médico que a acompanha para tentarem uma outra medicação.
A menopausa pode ter efeitos igualmente na sexualidade da sua mulher, pois algumas mulheres sentem-se diminuídas pela perda da capacidade reprodutiva e mesmo fisicamente a lubrificação vaginal é mais difícil e pode levar a algumas dores. Compre lubrificantes para experimentar nas relações sexuais com ela, para resdolver este problema, se ela o tiver.
Quando refere estar disposto a tudo para a seduzir e melhorar a vossa vida sexual tem de ter em conta a abertura da sua mulher à descoberta da sua sexualidade. Posso recomendar-lhe banhos de imersão, leituras eróticas (desde Mário Vargas Llosa à banda desenhada de Manara), filmes eróticos (Nove Semanas e Meia, filmes pornográficos com histórias do vosso agrado), viagens a destinos paradisíacos, descobertas de produtos eróticos de sexshops… Mas tem de haver uma certa abertura a tais planos e só o Francisco pode saber se a sua mulher a terá.
O acompanhamento sexológico seria igualmente desejável, por isso contacte-nos pelo telefone 21 318 25 91.

“O meu namorado tem erecção todas as manhãs!”

 

“O meu namorado acorda com uma erecção todas as manhãs mesmo depois de termos tido relações na noite anterior. Será que isso significa que ele está excitado e quer ter relações?”
Mónica, Vila Real de Santo António
 
Cara leitora,
Muitos homens e mulheres acreditam que só porque o homem tem uma erecção significa que ele está excitado e tem de ter relações, mas a realidade não é bem assim. O homem pode ter uma erecção mesmo sem estar sujeito a qualquer tipo de estímulo sexual e sem o intuito de ter relações. Muitos homens têm erecção matinal devido ao contacto com os cobertores ou devido à pressão na área genital resultante de terem a bexiga cheia. Por isso, o facto do seu namorado acordar todos os dias com uma erecção não significa, obrigatoriamente, que ele queira ter relações mas sim que ele precisa de urinar. No entanto, existem pessoas que preferem ter relações de manhã devido a sentirem-se mais descansadas e com mais energia. Observe o comportamento do seu namorado e veja o que ele faz. Se ele a procurar com mais frequência de manhã significa que prefere ter relações a essa hora, mas por opção pessoal e não porque tem de ter relações só porque acordou com uma erecção!

“Os vibradores são seguros?”

 

 

 

 

 

“Quero comprar um vibrador, mas tenho receio de que não seja seguro. Devo confiar?”
 
Tânia, Vila Nova de Gaia
 
 
 
Cara Leitora,
Quando utilizados de forma correcta os vibradores não devem acarretar quaisquer perigos, no entanto, a sua utilização pressupõe algumas regras de segurança e de higiene. Deste modo, é necessário ter a percepção de que os vibradores após serem utilizados devem ser correctamente limpos para que se possam evitar contaminações bacterianas. É importante referir que nem todos os vibradores são para ser introduzidos na vagina ou no ânus. Assim sendo, é importante conhecer especificamente a funcionalidade do vibrador e seguir as suas regras de utilização. Os vibradores podem ser adquiridos nas sex-shops, ou pode escolhê-los através de catálogos da especialidade. Caso queira aprimorar o seu conhecimento sobre estes objectos deve comprar livros ou filmes que lhe dêem a conhecer a sua versatilidade.
 

Colocação do preservativo

 

 

 

Tenho 22 anos e uma vida sexual activa com algumas mulheres diferentes. Sou estudante universitário e, por enquanto, ainda não me apaixonei ao ponto de querer ficar com uma só. O meu problema é que tenho dificuldades em colocar o preservativo (atrapalho-me e perco a erecção) e começo a ter medo de apanhar alguma coisa com alguma delas. O que posso fazer?

 

Mário

 

Caro Mário,

 

É normal atrapalhar-se com a colocação do preservativo na relação sexual. Se não estiver habituado e à vontade com a parceira ou parceiro, pode ser difícil até mesmo tirá-lo da carteira. Como tem várias parcerias sexuais seria realmente conveniente, para a sua própria saúde e a delas, protegerem-se das infecções sexualmente transmissíveis e de gravidezes indesejadas.

Experimente sozinho colocar o preservativo e masturbar-se com ele – assim ganhará confiança em si e irá habituar-se melhor à sensibilidade diferente do preservativo.

Leia sobre a correcta colocação deste método, pois há vários passos a ter em conta:

 

1) Verifique antes do encontro o estado da embalagem, a data de validade e se tem certificado de qualidade de Comunidade Europeia, que garante que está em boas condições;

 

2) Quando tiver uma erecção satisfatória e antes de qualquer contacto genital, abra a embalagem exterior do preservativo, sem utilizar os dentes, tesouras, unhas ou algo afiado (pode empurrar o preservativo para um dos lados da embalagem);

 

3) Com três dedos (polegar, indicador e médio) agarre a ponta/recipiente do preservativo, para haver espaço para onde o esperma sair.

 

4) Logo depois de ejacular, retire o preservativo a partir da base do seu pénis, para que não permita que saia algum sémen para a zona genital vaginal, dê um nó, embrulhe em papel e deite num caixote do lixo.

 

Se seguir estas regras e apenas utilizar lubrificante adicional à base de água e nunca à base de óleo, a eficácia na protecção dos riscos sexuais é de 95%. Há alguns pormenores que pode pesquisar para que se sinta melhor, como adicionar lubrificante dentro do preservativo.

Pratique sozinho e arrisque com alguma audácia, pense antecipadamente em frases para lhes pedir para o colocar – as suas parceiras irão achar graça e ficarão também mais seguras e desinibidas! Não se esqueça que existem em vários formatos, cores, sabores…Descubra qual é o melhor para si!

“O que é e onde se situa o Ponto G?”

 

 

“Eu e a minha namorada gostaríamos de saber o que é e onde se situa o Ponto G para que ela possa ter orgasmos mais intensos.”

 

Bruno, Oeiras

 

Caro leitor:

A existência, localização e importância do Ponto G para o orgasmo feminino foi descoberto recentemente pelos sexólogos americanos Perry e Whipple. O Ponto G é constituído por uma pequena aglomeração de terminações nervosas e glândulas no interior da vagina que, quando estimulado, pode fazer a mulher alcançar um grau de excitação extremamente intenso capaz de provocar o que os autores definem como “orgasmos uterinos”. O Ponto G situa-se na parede superior da vagina e é uma zona particularmente sensível que pode fazer qualquer mulher perder o controlo. Para conseguir proporcionar este tipo de orgasmo à sua companheira aconselho-o a estimular manualmente o interior da vagina conversando com a sua namorada sobre o que lhe dá mais prazer. Um factor bastante importante é que ela relaxe e não se sinta pressionada a atingir o orgasmo, pois só assim ele surgirá naturalmente.

 

Acho que estou a ficar impotente!

 

 

“Penso estar a ficar com impotência
sexual, mas a vergonha é tanta que não consigo ir ao médico. Venho pedir-lhe
algumas sugestões para ultrapassar esta fase.”

Miguel -Tomar

 

 

 

Caro Leitor,

Em
primeiro lugar, a vergonha, neste caso e noutros, pode ser um dos principais
obstáculos para que se possa agir a tempo, de modo a controlar e ultrapassar
determinados problemas. Ninguém melhor do que o seu médico sabe agir de acordo
com os problemas de saúde; se tiver vergonha e não consultar um especialista, o
que poderá acontecer é haver um aumento dos sintomas e, consequentemente, um
adiantamento significativo do problema, que torna a sua resolução mais difícil
ou mesmo impossível. Assim, o melhor é perder essa vergonha e pedir ajuda
especializada para este problema que o atormenta. No entanto, relativamente à
impotência sexual masculina, o que decerto está a passar é por uma fase mais
vulnerável da sua vida, em que as consequências podem estar a manifestar-se
desta forma. Para ser diagnosticada impotência sexual a um homem é necessário
existir um conjunto de exames médicos e psicológicos que são muito bem
estudados e analisados durante um intervalo de tempo. Não pense que é o fim do
mundo, pois a maioria dos homens passam por este tipo de experiência durante a
sua vida. Provavelmente os sintomas que tem são não conseguir ter erecção, se
tem é muito fraca e não consegue mantê-la, o que não lhe permite a penetração.
Um dos aspectos a ter em muita consideração é a sua auto-confiança, tente levar
este acontecimento com mais descontracção, vai ver que a aprendizagem neste
sentido faz “milagres”. A maioria dos casos de impotência pode ser superado,
desde que deixe de haver uma preocupação extrema com este pensamento. Quanto
mais se preocupar mais dificuldades poderão existir para que possa superá-lo.
Se costumava ter erecções e se ainda tem ocasionalmente, mesmo que seja por
meio da masturbação, é sinal de que não existe nenhum problema, pelo menos de
ordem física. Se este não for o seu caso, então o melhor é procurar um
especialista de modo a fazer uma terapia hormonal. Existem muitas causas que
podem, eventualmente, causar impotência sexual, tais como o stress, o abuso de
determinadas substâncias, como o álcool e estupefacientes, alguns medicamentos,
a obesidade, a ansiedade aliada ao medo de falhar e, em alguns casos, o
sentimento de culpa, se se tem uma relação extraconjugal.

 

Tema de hoje: fantasias

 
 
 
 
Sou o Marco (nome fictício) e gostava de fazer amor com duas mulheres, a minha esposa já sabe dessa minha fantasia e eu até já lhe pedi que fizéssemos amor com outra mulher mas ela recusou e disse que não iria conseguir.
Mas ontem, estava eu descansado no meu escritório em casa, entretanto levantei-me e dei com ela a ver um filme de lésbicas e a masturbar-se.
Será que ela estará interessada? Deverei fazer-lhe uma surpresa com outra mulher? Ou deverei mais uma vez perguntar-lhe se está pronta para essa fantasia?
 
 
Caro Marco,
A sexualidade humana é muito complexa e tem vários níveis e modos de interpretação. Para a compreendermos há que ser paciente, ter respeito e comunicar muito, de muitas maneiras. O nível das fantasias e o dos comportamentos são diferentes: a sua mulher pode não querer ter a experiência real de estar com outra mulher, mas isso excitá-la visualmente. A masturbação pode ser um comportamento solitário ou ser parte da relação sexual – não fique chocado por descobrir que a sua mulher o faz sozinha.
Fale com ela, sem pressas nem pressões, pergunte o que ela gostaria de fazer, uma fantasia pode ser encenada por vocês os dois e responder a um desejo (seu ou dos dois – não sabemos!), sem ter de arriscar ter outra pessoa na vossa relação sexual, se isso não deixa um membro do casal à vontade. Se ela for muito tímida e não se sentir bem a falar sobre a vossa sexualidade, experimente novas formas, como escrever-lhe cartas, emails, deixar-lhe bilhetes românticos…use a sua imaginação para perceber como pode melhorar a sua relação, sem afastar a sua mulher.
 

“Para que serve um anel peniano?”

 


“Tenho 34 anos e uma vida sexual ativa. Já ouvi falar de um brinquedo sexual chamado anel peniano, gostava de saber para que serve e quais são os benefícios da sua utilização. Já tenho ido às sex shops mas tenho tido vergonha de pedir informações por não querer revelar ignorância, mas a verdade é que tenho bastante curiosidade e gostava de experimentar utilizá-lo. Pode esclarecer-me?”

 

Santiago, Beja

 

Caro leitor,

Não deve ter vergonha de fazer perguntas a respeito do que ainda não sabe, pois os funcionários das sex shops, como de qualquer outro estabelecimento comercial, estão preparados para esclarecer os seus clientes a respeito dos produtos que têm à venda, sendo perfeitamente normal não saber para que serve este “brinquedo” sexual, assim como muitos outros que existem no mercado. O que importa é procurar aprender e inovar a sua vida sexual! O anel peniano é sobretudo utilizado para fazer com que o pénis ereto fique maior e mais duro, e para o manter assim durante mais tempo, atrasando e intensificando o orgasmo. Consiste num anel, como o nome indica, que se coloca à volta do pénis, e que constringe o fluxo sanguíneo, de tal modo que quando finalmente ejacula a sensação é muito mais intensa, porque levou mais tempo a chegar e porque o pénis tem mais sangue contido. Existem anéis penianos de metal ou de borracha, devendo escolher o tamanho certo que se adeque a si. Os anéis de metal podem provocar alergias ou aleijar o pénis, sendo que também existem anéis penianos ajustáveis, que são mais indicados para principiantes. Tenho em atenção que a ereção deve aumentar apenas ligeiramente, se o pénis fica muito apertado então não é esse o tamanho correto. 

Pág. 1/3