Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Sexo na banheira de Jacuzzi!”

sexo_no_jacuzzi_3431_orig

“Durante uma festa na casa de uns amigos, tentei ter relações com o meu namorado na banheira de Jacuzzi. No inicio ele estava interessado, mas de repente ele ficou muito nervoso e não quis continuar. Porque será que ele fez isso?”

Neusa, Vila Nova de Gaia

 

Cara leitora

Os motivos para o comportamento do seu namorado podem ser os mais variados. Pode dar-se o caso dele ter ficado nervoso e com medo que alguém os apanhasse uma vez que não estavam na vossa casa mas sim na casa de amigos. Pode também dar-se o caso dele ter ficado tão excitado com a situação e ter ejaculado rápido de mais e ter vergonha de lhe dizer e dai ter optado por não continuar. Outra explicação possível é ele não ter achado muito confortável ter relações dentro de água, pois a água faz com que a mulher fique menos lubrificada o que juntamente com o cloro da água pode tornar a penetração um pouco dolorosa. A melhor forma de saber é conversar com ele sobre o assunto e perguntar!!

 

Treine-se para arrasar no sexo oral

sexo-oral.jpg

 

Para evitar dores musculares na língua e nos maxilares depois de uma sessão tórrida de sexo oral convém que faça alguns exercícios de "aquecimento" com regularidade:

- Assim, abra bem a boca, deite a língua de fora e estique-a para baixo, o mais para a frente que puder.

- Os maxilares devem estar bem relaxados. 

- Descaia o maxilar inferior e levante a língua, esticando-a até ao nariz.

- Movimente-a para a esquerda e para a direita. 

-  Para relaxar, deixe a boca ligeiramente aberta. 

- Use a ponta da língua para massajar a parte da frente do céu da boca.

 

Note bem: o sexo oral também comporta riscos para a saúde e a possibilidade de contrair infeções e doenças sexualmente transmissíveis, pelo que deve usar preservativo e ser criteriosa na escolha de parceiro sexual.

"Que devo fazer para proporcionar à minha namorada orgasmos múltiplos?”

Amo imenso a minha namorada e gostava de lhe dar mais prazer. Ouvi falar em orgasmo múltiplo, o que é isso? Como posso praticar isso com a minha namorada?...”

 

Luís Pedro, Sintra

 

 

Caro Leitor,

 

Os orgasmos múltiplos são uma sequência de vários orgasmos cuja intensidade, quantidade e velocidade varia de mulher para mulher. O primeiro passo para atingir o orgasmo múltiplo é dar bastante atenção aos preliminares e estar atento às reacções da sua namorada durante o acto sexual. Descubra o tipo de estimulação que ela mais gosta, e faça-o durante mais tempo do que o normal, sem parar após o primeiro orgasmo. Basicamente, para que uma mulher atinja orgasmos múltiplos requer que o homem proporcione uma estimulação contínua e mais prolongada. Tenha no entanto em mente que nem todas as mulheres têm a capacidade de os experimentar, muitas mulheres com vidas sexuais completamente normais e satisfatórias apenas experienciam um orgasmo independentemente da estimulação que recebam. Converse com a sua namorada sobre isso, pois nenhuma mulher no mundo se vai importar se o seu parceiro lhe quiser dar mais prazer!

 

 

“Tenho dificuldade em ter ereções…”

 

Tenho 27 anos, e há alguns anos que tenho vindo a ter dificuldades em ter ereções. Não sofri nenhum acidente e não tomo medicação, mas a situação deixa-me muito preocupado e constrangido.”

 

Luís, Almada

 

Caro leitor,

De facto a situação que descreve pode causar bastante constrangimento e ansiedade num homem, o que pode ser a causa do seu problema. Nos homens a ansiedade afeta bastante a capacidade física do sangue em chegar ao pénis e manter-se nele o tempo suficiente para ter uma ereção. Outros fatores que afetam a qualidade das ereções são o tabaco, o álcool, haxixe, alguns remédios para a queda do cabelo, diabetes, problemas de coração, pressão arterial alta, o excesso de peso, falta de exercício físico regular (pelo menos 30 minutos 3 ou 4 vezes por semana), alimentação rica em gorduras, açucares e carbohidratos. Dessa forma, avalie o seu estilo de vida e veja se existem algumas alterações que possa fazer para melhorar a sua vida sexual. 

“Sexo virtual”

“Tenho passado bastante tempo na net desde que a minha namorada terminou o namoro, e no outro dia proporcionou-se ter sexo virtual como uma mulher com quem estava a conversar, será que fiz mal em ter este comportamento?

 

Diogo, Setúbal

Caro Leitor,

 

Existem muitas pessoas que utilizam a Internet como forma de realizar as suas fantasias sexuais, por isso, tranquilize-se pois o leitor não é o único. A Internet é um local onde as pessoas podem dar asas à imaginação, uma vez que não precisam de apresentar a sua verdadeira identidade, basta “teclar” e
deixar-se embarcar numa viagem de prazer. De facto 20% das pessoas que mantêm relacionamentos na Net confessam que não dão a informação correcta a seu respeito. O sexo virtual é considerada uma nova forma de fazer sexo, pois envolve fantasia e imaginação num ambiente fora do vulgar.

“Ela quer fazer um ménage à trois!”

 

“(…)Namoro há três anos e sempre tive uma vida sexual bastante activa e divertida. Ultimamente tenho-me surpreendido com a vontade da minha namorada em fazermos amor com mais um homem. ”

Diogo, Santiago do Cacém

 

Caro leitor,

Existem inúmeras práticas sexuais que podem trazer novidade para a vida sexual do casal, sendo o sexo a três uma delas. Pelo que parece a sua namorada quer expandir as vossas práticas sexuais mas o leitor não está perfeitamente à vontade para arriscar no tipo de aventuras sexuais sugeridas pela sua namorada. Converse com ela pois ninguém deve participar em práticas sexuais com as quais não concorda ou que o façam sentir-se desconfortável. É importante que, em conjunto com a sua parceira, explore outras perspectivas que sejam de comum acordo, para que nenhum dos dois
fique constrangido com as escolhas que fizerem. É relevante que respeitem o espaço e a vontade de cada um, pois fazer o que quer que seja para agradar ao parceiro não é a melhor solução para uma vida a dois. Seja sincero, converse com a sua namorada e explique-lhe que não se sente bem ao ter de partilhar os seus momentos de intimidade com uma outra pessoa. Pondo a vossa imaginação a funcionar podem surpreender-se um ao outro e viver momentos bastante proveitosos para ambos. 

 

Não sei onde fica o Clítoris!!

 

 

 

Tenho 23 anos e iniciei a minha actividade sexual há 6 meses, e por inexperiência não sei onde esta localizado o clítoris da minha namorada. Como posso descobrir?

Luis, Alameda da Linha de Torres

 

Caro Leitor,

Esse tipo de dúvidas e bastante normal quando se inicia a actividade sexual, por isso não se acanhe e seja destemido na sua descoberta da sexualidade. Converse com a sua namorada e peça que esta lhe diga onde gosta de ser tocada e onde sente mais prazer quando você a toca na zona genital, quando ela começar a vibrar de prazer o leitor vai saber que acertou em cheio no alvo.

“Quais as doenças que me podem ser transmitidas se não usar protecção?”

“Tenho 15 anos e pretendo iniciar a minha vida sexual. No entanto, tenho algumas duvidas que gostava que me fossem esclarecidas. Se eu não usar preservativo nas minhas relações sexuais quais são as doenças sexualmente transmitidas que posso vir a contrair?”

 

Gonçalo, Santarém

 

Caro Leitor,

Para que consiga evitar contrair e contagiar outras pessoas, o mais seguro será o diagnóstico precoce das Infecções Sexualmente Transmitidas. Para tal, é necessário que consulte um médico assim que sentir algo fora do habitual no seu organismo. Se, por algum acaso, pensar que foi infectado, o melhor será dirigir-se ao seu médico o mais rapidamente possível, pois não deverá deixar uma infecção destas por tratar, correndo o risco de vir
a ter complicações mais sérias. As IST que se verificam com maior frequência são: o HIV, que conduz à SIDA; o Herpes Genital, semelhante ao cieiro habitual da boca e dos lábios; a Gonorreia, que tanto em homens como em mulheres poderá ser evidenciada por uma sensação de ardor ao urinar e que só se trata com penicilina; as Verrugas Genitais, inchaços pequenos e duros que aparecem junto aos órgãos genitais e que podem causar cancro no colo do útero; a Sífilis, a qual deverá ser detectada logo na fase inicial pois poderá afectar a saúde de todo o organismo, podendo mesmo levar à morte; a Clamídia, cujos sintomas são semelhantes aos da Gonorreia; a Tricomoníase, que é causada por um parasita e que provoca infecções do tracto urinário; a Pediculose Púbica, que é causada por piolhos, entre outras. Desta forma, deverá estar atento a quaisquer sinais fora do normal, tanto em si como na sua parceira, de modo a que sejam tratados na fase inicial. Claro está que a melhor técnica a adoptar será o sexo seguro, isto é, cada vez que tiver relações sexuais o melhor caminho para a prevenção será o uso regular do preservativo.

“Sofro muito de cólicas menstruais…”

“Tenho 19 anos e desde sempre sofri muito com dores do período. É uma sensação horrível e já não sei o que fazer para que me possa sentir melhor. As cólicas que sinto são horríveis e muitas vezes falto às aulas por causa disso.”

 

Ana, Lisboa

 

Cara Leitora,

Infelizmente a menstruação nem sempre é um momento tranquilo para todas as mulheres, pois há aquelas que sofrem bastante com cólicas, tal como é o seu caso. A estas cólicas dá-se o nome de dismenorreia, e resultam da contracção acentuada das paredes musculares do estômago, intestinos, vesícula biliar, bexiga e útero. A dismenorreia pode ser primária (dores provocadas pela condição natural de estar menstruada) ou secundária (causadas por irregularidades do aparelho reprodutor). O mal-estar associado a estas dores pode ser combatido com o recurso a anticoncepcionais com base hormonal tais como a pilula Diane 35 que evitam a ovulação, bem como com o recurso a medicamentos anti-inflamatórios, ou tratamentos mais caseiros como sacos de água quente colocados na barriga. Desta forma não há necessidade de continuar a sofrer, por isso procure a ajuda de um ginecologista, pois este encaminhá-la-á para o melhor tratamento para o seu problema.

 

“Penetração anal e vaginal…”

“Tenho 26 anos e eu e o meu namorado temos uma relação sexual saudável e descontraída. Costumamos praticar a penetração anal com o pénis e com os dedos, mas da última vez que o fizemos fiquei preocupada pois ele pôs um dedo no meu ânus e, logo depois, pôs
o mesmo dedo na minha vagina. Tenho medo que isso me traga infecções e doenças… existe esse risco?”

Maria, Esposende

Cara leitora,

De facto a prática que refere pode acarretar riscos para a sua saúde, porque o dedo que explorou as profundidades da cavidade anal pode ter apanhado a bactéria E.coli. O facto de esta bactéria do cólon chegar de alguma forma à uretra é uma das causas mais frequentes de infecções urinárias, por isso ao colocar na vagina um dedo que esteve no ânus está a aumentar a probabilidade de transmissão desta bactéria. Para evitarem que isto aconteça o seu namorado pode usar uma mão para a penetração anal e outra para a penetração vaginal. As mãos devem ser bem lavadas após a penetração do ânus (o uso de sabão é fundamental) e ele pode também usar luvas de látex caso se sinta confortável ao fazê-lo. É essencial manterem as unhas curtas, porque as bactérias alojam-se mais facilmente nas pontas dos dedos em unhas compridas.

 

Pág. 1/3