Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Quais os riscos em fazer sexo oral?”

 

 

“Hoje em dia ouve-se falar muito das doenças sexualmente transmissíveis. Quais os riscos de fazer sexo oral à minha namorada?”

 

 

Carlos, São Pedro do Sul

 

Caro Leitor,

 

O sexo oral é uma das formas mais comuns de transmissão doenças sexualmente transmissíveis. Desde o vírus HIV ao herpes. Tudo é possível desde que não exista uma correcta protecção. Para prevenir situações desconfortáveis movidas por comportamentos irreflectidos a prevenção e a protecção são palavras de ordem.

A maioria das doenças transmitidas sexualmente, com a excepção do HIV, Herpes e Verrugas Genitais, quando diagnosticadas e tratadas em tempo útil, podem evitar o contágio de outras pessoas e consequentes problemas de saúde. Os sintomas de algumas doenças transmitidas sexualmente são, em alguns casos, difíceis de detectar, assim deverá ser efectuado sempre o rastreio ao nível da saúde sexual, mesmo se não se evidenciar qualquer sintoma. Se por acaso pensar que foi infectado, o melhor será dirigir-se ao médico, pois não deverá deixar uma infecção destas por tratar, correndo o risco de originar mais problemas e complicações.

Quando se é sexualmente activo há sempre a possibilidade de haver contágio, mas há formas de se proteger, por exemplo, o casal fazer exames médicos regulares, usar sempre o preservativo ou a folha dental (utilizada aquando da prática de sexo oral em mulheres).

Claro está que a melhor técnica a adoptar será o sexo seguro, isto é, cada vez que tiver relações sexuais, o melhor caminho para a prevenção será o uso regular do preservativo.

 

“Ele teve uma experiência homossexual."

 

“Há pouco tempo vim a descobrir que o meu namorado teve no passado uma experiência sexual com um amigo de liceu. Na altura não soube o que dizer, mas o facto é que isso agora não me sai da cabeça!”
 
Vânia, Vilamoura
 
Cara Leitora,
 
Dada a surpresa da notícia que o seu namorado lhe revelou, a leitora não soube o que dizer, mas agora passado algum tempo, sente-se incomodada e não consegue deixar de pensar na experiência homossexual que o seu namorado teve nos tempos de liceu. Antes de mais tenha em consideração a coragem e sinceridade que o seu namorado demonstrou ter para consigo. Ele podia ter optado por não lhe contar algo tão pessoal a respeito do seu passado, mas pelos bons sentimentos que nutre por si ele considerou ser importante partilhar esse episódio da sua vida consigo. Apesar da revelação do seu namorado a ter deixado chocada, deve ter em conta que pelo facto de uma pessoa ter tido uma experiência homossexual não faz com que a pessoa as venha ter durante toda a vida. Muitas pessoas têm experiências a nível sexual durante a adolescência como forma de explorar a sua sexualidade, vindo assim a descobrir a sua orientação sexual. Reflicta no rumo que deseja dar à sua vida afectiva e não deixe que juízos de valor interferiram na sua relação. 
 
 

Será que ela é frígida?

 

“Tenho notado que a minha esposa cada vez inventa mais desculpas para não fazermos amor. Nunca tivémos uma vida sexual muito activa, por isso gostaria de saber se ela sofre de frigidez.
Cândido, Sesimbra
Caro Leitor,
E normal que o desejo sexual da mulher diminua devido a diversas condicionantes físicas e psicológicas, por exemplo o nascimento de filhos, o stress do trabalho ou a entrada na menopausa. A frigidez trata-se de uma disfunção sexual que atinge as mulheres, fazendo com estas não sintam prazer durante o acto sexual e, consequentemente, não consigam atingir o orgasmo. Em termos práticos tanto as mulheres que sofrem de frigidez como as que sofrem de falta de desejo sexual raramente procuram o parceiro e quando este as procura a tendência é para rejeitá-lo. Esta situação causa constrangimentos e tensão no ambiente familiar, pois o facto de a esposa não estar muito receptiva a participar do acto sexual muitas vezes pode gerar incompreensão por parte do marido. Aconselho a que fale abertamente com a sua esposa, pois através do diálogo e da compreensão esta situação pode ser ultrapassada.

“Quero pôr um piercing no pénis!”

 

 

 “Tenho 18 anos e gostaria de pôr um piercing no pénis. Ouvi dizer que isso aumenta o prazer sexual da mulher. Gostaria de saber se é verdade, se o piercing vai interferir na minha capacidade de ter relações?”

 

Iuri, Almada

 

Caro leitor,

Se único objectivo é aumentar o prazer sexual da sua namorada, não o aconselharia a fazê-lo, pois existem muitas outras formas de aumentar o prazer sexual feminino sem que tenha de se mutilar. Colocar um piercing no pénis é um processo bastante delicado e doloroso, que pode resultar numa infecção grave. O pénis é um órgão bastante sensível e o piercing fará com que não possa ter relações sexuais durante vários meses até que a ferida cicatrize por completo. Além disso poderá perder alguma sensibilidade no pénis. O piercing pode perfurar a sua uretra, e um dia que resolva retirá-lo, a urina poderá ser libertada por três orifícios em vez de um. Ter um orifício no seu pénis que leva meses a sarar aumenta em muito o risco de apanhar doenças transmitidas sexualmente como Herpes ou HIV. Um piercing mal colocado pode danificar músculos do pénis, causando problemas durante a erecção. Pense bem antes de tomar uma decisão e avalie se os riscos que vai correr compensam o resultado.

 

“O que é a ejaculação retardada?”

“Já tenho ouvido falar sobre a ejaculação precoce e estou mais ou menos esclarecido sobre o tema. No entanto, sei que também existe a ejaculação retardada, e gostava que me explicasse o que é…”
 
Sérgio - Coimbra
 
Caro Leitor,
A ejaculação retardada é o oposto da ejaculação precoce, a qual se manifesta com menos frequência. Como tal, os homens têm dificuldade em atingir o orgasmo por uma série de causas, que podem ser físicas ou psicológicas. Se o homem estiver sob o efeito de bebidas alcoólicas, drogas ou medicamentos, estas situações podem ocorrer, pelo simples facto destes produtos retardarem os reflexos. Outra das causas possíveis é o homem retardar deliberadamente a ejaculação, na esperança de que a parceira atinja o orgasmo ao mesmo tempo. Por fim, as preocupações que o homem possa sentir no momento da relação sexual também dificultam, consequentemente, a própria erecção e a respectiva ejaculação. Não existe nada mais sensato, em qualquer caso, do que uma boa comunicação entre parceiros para poderem ultrapassar todos os obstáculos que possam surgir.
 

Devo ter relações anais?

Tenho quase 23 anos de casamento e nunca tive relações anais, pois tenho medo. O meu marido gostaria de praticar, mas tenho receio que seja doloroso. O ânus não ficará, ao fim de algumas relações, demasiado largo, podendo trazer problemas irreversíveis?

 

Lurdes, Castelo Branco

 

Cara leitora,

Passados tantos anos de casamento é normal que o seu marido queira inovar a nível sexual através da prática de sexo anal, e é também normal que a leitora se sinta nervosa a respeito desta prática. O sexo anal não causa dor se for feito de forma correcta, a pessoa deve estar descontraída, e deve ser dada atenção aos preliminares. Se decidir experimentar sexo anal deve praticá-lo apenas quando sentir que está preparada e deve utilizar um gel lubrificante, o seu marido deve começar por introduzir apenas o dedo no seu ânus e nunca o pénis, e apenas após a leitora se sentir confortável com essa prática pode avançar para a penetração gradual do pénis. A penetração deve ser feita devagar e sempre com a utilização de gel lubrificante. Quanto à sua dúvida se a prática de sexo anal pode danificar os músculos do ânus, se essa prática for regrada e praticada correctamente, não haverá quaisquer problemas. As únicas situações nas quais pode haver lesão dos músculos, é se o receptor não estiver descontraído e houver uma penetração brusca, o que geralmente acontece em casos de sexo não consentido ou se foram introduzidos no ânus objectos extremamente grandes.

“Não consigo atingir o clímax!”

“Sou casada e tenho uma vida sexual activa, mas de há algum tempo para cá não consigo atingir o orgasmo e não entendo porquê!”

 

Marina – Nisa

 

Cara Leitora:

O facto de não conseguir atingir o orgasmo pode ter várias causas: andar mais cansada do que o habitual, estar a passar por um período de desequilíbrio emocional ou uma crise matrimonial, estar a fazer algum tratamento médico cuja medicação bloqueie os receptores de serotonina no cérebro (o que pode dificultar o orgasmo), ou simplesmente andar a pensar demais nesse problema. O facto de antes de começar a relação sexual pensar que pode não atingir o orgasmo já é meio caminho andado para que isso acabe por acontecer. Liberte-se de todo o stress e preocupações que a rodeiam, procure relaxar bastante, se puder goze um fim-de-semana romântico com o seu marido, e verá como o clímax acabará por chegar.

Dicas Sexuais

 "Tente levar o seu amante ao orgasmo usando apenas a boca e a língua. Demore o mais possível afastado de áreas óbvias - vai notar que o toque da sua boca nos sítios menos prováveis excita o seu parceiro de forma inacreditável!"

 

(Segredos do Sexo, Michelle Pauli)

 

Tema de hoje: ejaculação

Tenho um namoro recente e como ainda não tive a minha primeira relação, fazemos apenas nas "preliminares". No entanto, tenho uma dúvida: ele não colocou o pénis na minha vagina, mas colocou-o na entrada, forçou a entrada mas não mas não ocorreu penetração. Preciso de saber se o líquido que sai antes da ejaculação também pode causar gravidez mesmo sem penetração de facto? Ele não chegou a ejacular e eu estava no meu primeiro dia fértil, por isso tenho muito receio.
Kadhi
 
 
 
 
 
 
Cara Kadhi,
 
O líquido que antecede a ejaculação já tem alguns espermatozóides presentes e o contacto genital desprotegido pode levar a gravidezes indesejadas e à transmissão de infecções sexualmente transmissíveis. Como as probabilidades são menores do que numa relação sexual penetrativa não lhe posso dar uma resposta clara e definitiva. Se a sua menstruação se atrasar faça um teste de gravidez e confirme.
Considere ir a uma consulta de planeamento familiar para iniciar uma contracepção eficaz, pois a sexualidade é para ser vivida com prazer e poucas preocupações.

“O meu marido tem um pénis pequeno”

 

 

“Estou casada há 5 anos e sempre achei
que o meu marido tinha um pénis pequeno. Apesar de não termos problemas a nível
sexual eu gostaria de saber se existe alguma forma de aumentar o tamanho do
pénis?”

Sara, Portimão

 

 

Cara leitora,

O tamanho do pénis
varia de homem para homem, mas geralmente essas variações não são muito grandes
e a grande maioria dos homem tem um pénis cujo tamanho permite a satisfação da
parceira. Existem no entanto alguns casos excepcionais nos quais o pénis é
extremamente grande ou extremamente pequeno, o que provavelmente não é o caso
do seu marido, pois quando digo pequeno estou a referir-me a alguns
centímetros. Existem de facto formas de aumentar o pénis tal como a cirurgia,
coisa que não recomendo a ninguém, pois a cirurgia apenas permite um aumento de
mais ou menos 1 centímetro, o que não justifica o seu custo, as dores durante a
recuperação e o risco de perda da sensibilidade no pénis. Existe outra forma de
aumentar o tamanho do pénis; a utilização de um género de prótese de extensão
que cobre o pénis da mesma forma que o preservativo. Esta manga é feita de
silicone e tem por objectivo aumentar o tamanho do pénis. A utilização desta
prótese pode parecer um pouco estranha para si, mas é a única forma de aumentar
o tamanho do pénis do seu marido sem ele ter de recorrer a cirurgia. Se quiser
converse com o seu marido e veja se ele está disposto a experimentar este
produto. De qualquer forma se a leitora não tem problemas de nível sexual com o
seu marido, significa que o tamanho do pénis não constitui um impasse para o
vosso prazer.

 

Pág. 1/2