Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Orgasmo difícil

Tenho uma vida sexual activa há mais de 5 anos, adoro fazer sexo, mas nunca gozei. Sinto um grande prazer quando sou tocada e quando estou fazendo sexo, mas sei que demoro para atingir o orgasmo tanto que nunca cheguei, porquê? Gostaria muito de saber o que eu posso fazer para chegar ao orgasmo? O problema deve estar comigo, tambem gostaria de saber que problema é esse.
Ana Maria
 
Cara Ana Maria,
 
Há muitas mulheres com dificuldades em atingir o orgasmo, principalmente na penetração vaginal. No entanto, pode tentar estimular-se no clítoris (pode ser a Ana ou o seu parceiro ou parceira a fazê-lo antes, durante ou depois da penetração), com sexo oral, com a masturbação utilizando os dedos ou um vibrador…
Há muitas alternativas que deve explorar para descobrir o que a excita mais, demorando-se o tempo que for necessário, sem pressas nem pressões! Não se preocupe em atingir o orgasmo e disfrute o prazer que diz ter no sexo – o orgasmo feminino tem de ser aprendido, leva o seu tempo, pode precisar de intimidade, confiança, amor… Deixe-se levar pelo prazer e pela curiosidade para saber qual é o seu rastilho!

“Disse-me que o maior desejo dele era fazer sexo em grupo!”

“Pensava que tinha uma vida sexual bastante satisfatória com o meu namorado, mas há pouco tempo ele confessou que o que mais gostaria de fazer a nível sexual seria ter relações em grupo. Sinceramente não tenho grande vontade de lhe satisfazer o desejo, mas não quero perdê-lo.”

 

Carla, Paços de
Ferreira

Cara leitora,

A prática de sexo em grupo é uma das fantasias mais comuns no mundo masculino. Segundo alguns teóricos, através desta prática o homem consegue mais facilmente provar a sua masculinidade, a sua virilidade e o seu poder. Mas pelo que me dá a entender, a leitora não se encontra muito receptiva a ceder ao pedido do seu namorado. Porém, isto é algo que deve ser debatido entre o casal, pois apenas devem fazer aquilo que ambos têm vontade de fazer. A sexualidade não deve ser vista como algo obrigatório, antes pelo contrário, deve ser algo vivido através da cumplicidade. Esta prática geralmente não é tão empolgante ou excitante quanto os indivíduos inicialmente imaginam que seja, e pode causar bastantes conflitos a nível do relacionamento do casal, pois os ciúmes e desconfiança após o acto sexual são bastante comuns e podem destruir uma relação a pouco e pouco. Converse de uma forma objectiva com o seu namorado, mostre-lhe que respeita as suas fantasias mas peça-lhe também que respeite a sua vontade. Para que tudo dê certo na vida a dois é necessário respeito, compreensão e tolerância. Não ceda a nada que não deseja fazer, apenas com a intenção de não perder quem ama. Se ele também gosta de si, então certamente respeitará a sua vontade.

“Não sabemos pôr o preservativo!”

“Tenho 17 anos e já namoro há dois. Eu e o meu namorado decidimos começar a ter relações sexuais, mas não temos bem a certeza de como colocar o preservativo, e como temos muito medo de uma gravidez gostávamos que nos ensinasse a fazê-lo com segurança.”

 

Telma, Castelo
Branco

 

Cara leitora:

Para colocar devidamente o preservativo, leiam atentamente as indicações dadas na embalagem. De qualquer forma, as principais indicações são: ter cuidado ao tirar o preservativo da embalagem para não o romper, depois colocar o preservativo apenas quando o seu namorado estiver com o pénis erecto, e para isso segure na ponta do preservativo, coloque-o no pénis e desenrole-o tendo o cuidado de não deixar ar lá dentro, e deixe espaço na ponta do preservativo para o depósito (ou seja para o esperma depois da ejaculação). Depois de terminada a relação retire o preservativo com cuidado para não
derramar o esperma, ate-o e deite-o fora, cada preservativo só pode ser utilizado uma vez.

“Ardor vaginal”

“Tenho 18 anos e iniciei a minha vida sexual recentemente. No entanto, nas últimas vezes em que tenho tido relações com o meu namorado sinto um ardor enorme na zona vaginal, e a pele fica com o aspecto de como  se estivesse "assada", este ardor chega a durar dias após a relação. Quase não consigo urinar. Penso que seja devido à fricção durante o acto. Porque razão isto acontece? O que posso fazer?”

 

Marta,
Coimbra

 

Cara leitora,

Pela sua descrição pode ter desenvolvido algum microorganismo da sua flora vaginal ou ter contraído uma infecção sexualmente transmissível. Utilize produtos ou sabões neutros, pouco agressivos para a flora vaginal. É desejável que consulte um médico de clínica geral ou um ginecologista, que a possam observar e diagnosticar. O seu órgão genital tem uma “flora” composta de microorganismos que protegem a sua saúde genital. No entanto, por vezes, estes microorganismos podem aumentar em número e levar a certos corrimentos, cheiros ou desconfortos, pelo que uma consulta ginecológica é essencial para que um médico lhe faça uma observação, mesmo que apenas externa. É importante que esteja bem lubrificada quando inicia a penetração: demorem-se nas carícias e não parta para ela sem se sentir preparada e bem lubrificada; podem juntar lubrificante adicional, comprado em sexshops, farmácias ou alguns supermercados, para a ajudar, pois nem todas as mulheres têm facilidade na lubrificação vaginal, apesar de se sentirem excitadas.

“Posso engolir o sémen?”

 

 

“O meu namorado adora quando lhe faço sexo oral e gostava que eu engolisse o esperma quando ele atinge o clímax. Será que é seguro fazer-lhe essa vontade?”

 

Cláudia, Santo Tirso

 

Cara leitora,

não existe nenhuma contra-indicação para essa prática. Algumas mulheres gostam de o fazer, mas outras não se sentem à vontade para tal, ou não gostam do sabor do esperma. Fale com o seu namorado e faça-o entender que você poderá recusar, se isto lhe causar algum tipo de incómodo. Tentem os dois chegar a um consenso e desfrutem do sexo de forma desinibida.

 

 

Pág. 2/2