Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Tema de hoje: fantasias

“Às vezes chateio-me com a minha namorada porque ela está sempre a inventar coisas novas para fazer na cama e eu prefiro a tranquilidade de fazer amor na nossa casa, sem grandes aventuras. ”
Cândido, Porto
 
 
 
Caro leitor,
O acto sexual é algo que deve ser desfrutado por ambos os parceiros de forma consensual, evitando o constrangimento e o desconforto por parte de um dos elementos do casal. Não é correcto que um parceiro queira fazer prevalecer uma ideia no sentido apenas da obtenção do próprio prazer. Regra geral, os casais preferem cenários recatados e confortáveis para terem uma maior intimidade na vida sexual. Porém, há quem prefira fugir à rotina, optando por recorrer ao imaginário e a fantasias para estimular a vida sexual. Procure falar com a sua namorada para que ela perceba que o leitor está feliz com a vossa vida sexual e não sente a necessidade de estar constantemente a inovar nas vossas práticas sexuais. A inovação é saudável e aconselhável para a vida sexual do casal, mas só deve acontecer com o consentimento de ambos os parceiros.
 

“Não consigo atingir o orgasmo”

“Não consigo perceber a razão pela qual não consigo atingir o orgasmo quando faço amor com o meu marido. Mas, curiosamente quando me masturbo atinjo sempre e tenho total sensação de satisfação.”

 

Carlota, Póvoa de Varzim

 

Cara leitora,

Este tipo de situações é mais comum do que aquilo que possa imaginar, pois a maioria das mulheres atinge o orgasmo através da estimulação clitorial e não através da penetração. Por isso não se sinta culpada por apenas conseguir atingir o prazer através da masturbação. Para si é mais fácil estimular-se a si própria, uma vez que já conhece o seu próprio corpo e sabe, perfeitamente, os locais mais sensíveis. Aconselho que a leitora juntamente com o seu marido tentem explorar o seu corpo de forma a que ele possa conhecer melhor o seu corpo e, assim, proporcionar-lhe mais prazer.

 

“Estou a atravessar a menopausa e o sexo é doloroso”

“Tenho 45 anos e estou casada há 20. A nossa vida sexual sempre foi satisfatória, mas desde que entrei na menopausa sinto menos apetite sexual, e quando tenho relações com o meu marido sofro muito com as dores. É normal?”

Teresa, Viana do Castelo

 

Cara Leitora,

O que está a sentir é algo bastante comum. Durante a menopausa o seu corpo passa por várias alterações hormonais que podem causar redução do desejo sexual e da lubrificação vaginal, daí o motivo do seu desconforto. Sugiro-lhe que consulte o seu ginecologista para averiguar melhor o seu caso e ter a certeza de que tudo está bem a nível físico. Depois consulte um endocrinologista que seja especializado em questões relacionadas com a menopausa, pois hoje em dia existem vários tratamentos para reduzir os seus efeitos. Mas se se decidir por algum tratamento informe-se muito bem dos efeitos secundários da medicação antes de tomar qualquer decisão. Entretanto use lubrificante durante as relações sexuais para evitar o desconforto.

 

“Sou lésbica, e agora?”

 

“Tenho 20 anos e descobri recentemente que sou lésbica. Iniciei um relacionamento com uma mulher um pouco mais velha e experiente do que eu, e embora tudo esteja a correr bem entre nós não sei como contar à minha família e amigos, especialmente aos meus pais, pois acho que vão reagir mal.”

 

Liliana, Leiria

 

Cara Leitora,

Apesar de existir socialmente uma maior abertura, a questão da homossexualidade continua a ser um assunto tabu e rejeitado por muitas famílias. Neste sentido, é natural o seu receio em abordar esta questão com os seus pais. A maior expectativa dos pais é quase sempre que os filhos se casem e lhes dêem netos de modo a alargar a família. Por isso, muitas vezes, falar de relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo revela-se bastante complicado.

Tente compreender a posição dos seus pais, não é fácil aceitar e lidar com uma situação que em nada tem a ver com aquela que idealizaram. Procure mostrar-lhes, de forma cautelosa, que a sua felicidade está junto da pessoa que ama, independentemente do seu sexo. Mostre-lhes que compreende a posição deles, mas peça-lhes que compreendam também os seus sentimentos. Certamente que, por gostarem de si, entenderão e respeitarão a sua decisão. Não desista de lutar pela sua felicidade!

 

“A sua maior fantasia sexual é usar vibradores!”

“Tenho uma namorada que é bastante imaginativa a nível sexual e ultimamente ela tem-me pedido para realizar a sua maior fantasia sexual, que é utilizar um vibrador quando fazemos amor. Eu não sei como reagir!”

 

Nuno, Porto

 

Caro leitor,

Apesar de não ser de conhecimento comum, muitas pessoas utilizam vibradores como forma de atingir prazer sexual, quer nas práticas sexuais com os seus companheiros quer nos momentos solitários. Se essa é uma fantasia da sua namorada tente ser mais arrojado e aventureiro e experimente satisfazer o desejo dela. Sugiro que ambos visitem uma sex Shop, que escolham um vibrador que agrade a ambos e que o experimentem em conjunto. Esta experiência vai fortalecer a vossa relação e aumentar a vossa intimidade. Se depois de experimentar verificar que não gostou da prática sexual converse com a sua namorada de forma carinhosa a descubra outras formas de a satisfazer sexualmente, que agradem a ambos.  

 

Masturbação, uma prática saudável

female-masturbation.jpg

 

Uma mulher consegue levar-se ao orgasmo em menos de 5 minutos. Para além de melhorar a vida sexual a dois pelo autoconhecimento que proporciona, a masturbação relaxa e ajuda a adormecer, aliviando o stress e desviando a mente das preocupações. Também é benéfica para aliviar as dores de cabeça, porque como descontrai diminui a tensão nervosa e favorece o fluxo sanguíneo.

 

Algumas receitas de prazer:

Expresso – deitada de barriga para cima, consiste em estimular diretamente o clítoris, da forma como reconhecidamente sabe que atinge o orgasmo com maior facilidade. É ideal para quando não consegue adormecer ou precisa de uma descontração rápida.

 

Conquistador – Se já sabe como chegar ao orgasmo em poucos minutos, experimente explorar outras partes do seu corpo, tais como a parte interior das coxas, o estômago, o peito. Acaricie-se e massaje-se com as mãos ou experimente utilizar um vibrador ou outro brinquedo erótico. É um momento para se desejar a si própria, sem pressas nem restrições.

 

Secreto – Contraia os músculos vaginais várias vezes com mais ou menos força, mudando de ritmo e intensidade, até chegar ao orgasmo. É muito excitante porque pode fazê-lo em qualquer sítio, sem que as pessoas à sua volta saibam o que está a fazer. Pode, ainda, utilizar um vibrador discreto, com comando à distância. É muito eficaz para despertar a sua libido e ajudá-la a libertar-se e a dar largas à imaginação, pois a ideia de se excitar em público pode ser extremamente excitante.

 

Aquático – Enquanto toma duche faça com que o jato de água incida diretamente sobre os seus lábios vaginais e o clítoris, brincando com os dedos e a pressão da água (atenção à temperatura da mesma!), o manípulo do chuveiro, a esponja do duche…

 

Despertador – Para começar o dia com mais energia e boa-disposição, masturbe-se logo que acorda… experimente concentrar-se mais na vagina, percorra os lábios vaginais com os dedos e acabe por introduzi-los, massajando o ponto G. Se estiver sozinha será uma forma de começar bem o dia, se estiver acompanhada o seu companheiro certamente apreciará vê-la sentir prazer e não resistirá a querer juntar-se a si…

 

Íntimo – Comece por acariciar a vulva e toque nas zonas mais sensíveis, nomeadamente aquelas que normalmente não toca, como cada uma das partes que compõem o clítoris, a vagina e o períneo. Use um lubrificante à base de água para que os seus dedos deslizem mais facilmente. Sinta as sensações que cada toque lhe provoca, detenha-se mais naquelas que lhe proporcionam maior prazer…

 

Selvagem – Amontoe algumas almofadas e deite-se sobre elas com as pernas abertas. Liberte a sua imaginação e movimente as ancas para cima e para baixo, como se estivesse em cima de um touro de rodeo, fazendo com que a sua zona genital roce com pressão sobre as almofadas. Liberte-se e deixe-se levar pelas sensações enquanto a sua mente dá asas às suas mais loucas fantasias.

 

Completo – Masturbe-se com calma, sem pressas, acariciando o clítoris e os lábios vaginais e, quando se sentir quase a ter um orgasmo, introduza um ou dois dedos na vagina, mantendo o dedo polegar em contacto com o clítoris, continuando a acariciá-lo, enquanto os outros dedos se movimentam dentro da vagina. Pode ainda movimentar as ancas para dar maior ritmo e aumentar a excitação.

 

Com adereços – Experimente acariciar a sua zona genital com outros objetos, nomeadamente penas, uma roupa de seda, uma toalha, etc… Descubra a sensação provocada por diferentes texturas e tipos de toque. Use também brinquedos sexuais como vibradores ou bolas vaginais. Ao usar objetos é fundamental assegurar uma boa higiene para evitar doenças e infeções. Deve utilizar, também, um bom lubrificante, para facilitar o contacto com esta parte tão sensível do seu corpo.

Estimulação anal para homens!

83254002.jpg

 

"Estou casada há dois anos e gostaria de inovar a nossa vida sexual através de estimulação anal ao meu marido. Será que isso é muito atrevido, será que ele vai gostar?"

Nicole - Madeira

 

Cara leitora,

O que é considerado muito atrevido para alguns, é o pão-nosso de cada dia para outros. Existem muitos casais que praticam esse tipo de estimulação e existem de facto muitos homens que, independentemente da sua orientação sexual, deliram com essa prática, chegando mesmo a atingir o orgasmo sem necessitar de mais nenhum tipo de estimulação. Por isso não se preocupe com rótulos e seja inovadora na cama com o seu marido. A estimulação anal em homens deve ser feita sempre com a utilização de um lubrificante e de forma gradual e cuidadosa. Experimente e verá que o seu marido vai gostar.

Masturbação

(Auguste Rodin)

 

Escrevo para me esclarecer uma dúvida, não é que não saiba mas parece que as coisas mudaram… Estive noutro dia numa sessão de conversa de mulheres e como é de esperar o assunto foi homens e sexo e fiquei um bocado intrigada quando todas me afirmaram que se pode engravidar com a masturbação, claro que sempre li o contrário, mas com tantas opiniões diferentes não sei o que pensar, e esta é a minha dúvida – pode-se engravidar com a masturbação?
 
Maria de Fátima
 
 
Cara Maria de Fátima,
 
Penso que todas terão razão: por um lado a masturbação não leva à gravidez, pois há carícias mútuas nos órgãos genitais, que não permitem por si só o encontro de espermatozóides com um óvulo; no entanto, por outro lado, se não houver o cuidado de evitar os contactos genitais, tal encontro pode mesmo acontecer, se o pénis tocar nos lábios vaginais (sem qualquer roupa ou outra protecção) e ejacular, os espermatozóides podem subir o canal vaginal e fecundar um óvulo, embora com menos probabilidades. Há ainda a possibilidade, de o homem se masturbar e, com a ajuda de uma seringa, se fazer a entrada do sémen no canal vaginal (para não sobrecarregar o casal com problemas de fertilidade com relações sexuais à hora marcada) e se tal for feito rapidamente os espermatozóides estão ainda vivos e com boa mobilidade. Portanto, as probabilidades de se engravidar com masturbação são pequenas, mas existem em casos especiais.

Pág. 3/3