Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Insatisfação Sexual

 

Olá boa tarde. Espero estar a proceder bem ao tentar pedir uma explicação e quem sabe solução para o assunto que vou expor... Sou uma mulher nova (28anos) casada e feliz. No entanto, a nível sexual não posso queixar-me, pois tenho uma vida sexual regular, mas embora tenha essa regularidade acho que não está bem de todo... eu amo o meu marido e gosto muito de estar com ele, é meigo e atencioso para eu ter prazer nas relações mas quase nunca tenho... Sinto que o meu corpo responde aos estímulos mas não ao ponto de eu sentir o climax... não tenho problema de dores durante a relação e sou lubrificada daí não ter problemas nesse caso (embora ache que sou demasiado lubrificada). Eu excito-me facilmente e estou sempre receptiva para tal mas o que me magoa é não ter orgasmo... conseguir dar prazer ao meu marido e eu não conseguir… A maior parte das vezes sente-se que estou a ter, por ter todo os ' sintomas' de que estou quase lá, mas não consigo dizer que sei o que é um orgasmo... Com masturbação consigo ter prazer, mas a nível de penetração não sei... Tenho muita dificuldade de falar com alguém neste caso, daí eu estar a pedir neste mail um apoio... Tenho alturas em que penso que talvez assim seja por ser muito lubrificada... se será outro caso... não sei. Gostava imenso de ter uma ajuda para saber como obter a satisfação total... Parece que algo me bloqueia, não me deixa sentir... Será a preocupação de dar prazer ao meu marido ou por pensar que não estou a fazer bem?.... Se for possivel agradecia que me dessem uma solução. Obrigada

Susana

 

 

 

 

 

 

Cara Susana,

Segundo a sua explicação, a Susana consegue atingir o orgasmo através da masturbação mas não através do coito. De facto, grande maioria das mulheres atinge o orgasmo através da estimulação clitorial (sexo oral ou estimulação manual) e não através da penetração. Por isso, não se sinta pressionada a “ter obrigatoriamente” de atingir o orgasmo durante a penetração, porque a sua situação é perfeitamente normal e partilhada por milhões de mulheres. O que algumas mulheres tentam fazer é estimular o clítoris até ao ponto do orgasmo antes da penetração, desta forma quando se dá o coito a mulher não se sente tão pressionada a ter de atingir o orgasmo dessa forma, nem se sente tão frustrada por não ter tido um orgasmo durante a relação sexual. Outras mulheres preferem que a estimulação clitorial seja feita após a penetração e após o parceiro ter atingido o orgasmo. Pode também experimentar comprar um vibrador que seja anatomicamente adequado à estimulação do Ponto G (uma zona no interior da vagina que causa o orgasmo vaginal), dessa forma verá se sozinha consegue atingir o orgasmo através da penetração ou não, se for bem sucedida tente explicar ao seu marido qual o tipo de posições ou estimulação que permitem que isso suceda. Quanto ao caso de ser bastante lubrificada, isso pode diminuir alguma da sensação durante a penetração, por isso experimente fazer uma pausa durante o coito na qual possa limpar alguma dessa lubrificação excessiva que sente.

Dores na glande do pénis

Cara Doutora,

Questão: Tenho 21 anos e o meu pénis não é circuncidado nem tenho qualquer tipo de problema em colocar o prepúcio para trás, mas sinto uma ligeira dor em toda a glande, extremamente sensível, o que me causa desconforto e me perturba quando vou praticar o acto sexual.
Gostaria de saber se deixar a glande fora do prepúcio durante alguns dias (quantos?) é a solução ou, se a Drª me aconselha outro tipo de tratamento.
João
Caro João,
 
O seu caso deve ser observado por um médico de clínica geral ou um especialista em urologia. Há algumas condições que precisam de intervenção médica para aliviar certas dores nas relações sexuais, mas apenas um técnico de saúde e de falar sobre o seu pénis e a sua sexualidade com os técnicos de saúde, eles estão habituados e o seu trabalho é esclarecer as suas dúvidas e preocupações. Deixar a glande de fora por alguns dias não me parece ser uma solução para o seu desconforto, excepto se algum técnico de saúde o recomendar.
Veja também o post da circuncisão masculina.
 

Dor na penetração

Tenho 27 anos e sinto dores durante a penetração. Não é aquela dor de queimadura de quando não estamos com lubrificação suficiente. Sinto a dor com a penetração mais profunda, parece que o pénis bate na parede interna e é aí que eu sinto a dor. O que pode ser isto?
Rita
 
Cara Rita,
 
A dor que sente parece ser o pénis a tocar no colo do útero, o que incomoda algumas mulheres, enquanto não incomoda outras e pode até dar prazer. Experimente posições sexuais em que penetração não seja tão profunda como a que lhe dá essa dor, veja em livros como o Kamasutra ou em sites da internet de sugestões de posições (por exemplo: http://mulher.sapo.pt/articles/sexualidade/sexo_sem_tabus/)
Se a dor não melhorar com o lubrificante e estes conselhos não deixe de tentar esclarecer com um médico numa consulta presencial ou de planeamento familiar.

Cozinha de Sedução

Cozinhar e Seduzir são artes deliciosas que envolvem a cabeça, o corpo e o coração. Os bons amantes são inspirados pela paixão, tal como são os grandes chefes de cozinha. A cozinha de sedução, definida pela utilização de receitas de fácil preparação, permite que o cozinheiro passe menos tempo na cozinha e mais tempo envolvido no amor. Explorando comidas que puxam pela sensualidade, sabor, cheiro e toque, vai estimular o apetite sexual do seu parceiro. Escolha pratos que saciem mas que não enfartem e façam o seu parceiro ficar com água na boca.

Comidas sedutoras fazem-nos sentir mais enérgicos, promovendo uma sensação de bem-estar e aumento do vigor. Por coincidência, as comidas consideradas afrodisíacas são aquelas que têm vibrações refrescantes, evocações visuais, e aromas e nutrientes necessários para melhorar o desempenho sexual. Muitas pessoas questionam se os afrodisíacos resultam mesmo. Nem todos estão provados cientificamente, mas lembre-se que a imaginação pode ir longe na arte da sedução, e servir estas comidas sensuais com um ambiente provocante leva qualquer amante ao êxtase. Para além disso, servir uma refeição sedutora com um forte sentido de humor e num ambiente de harmonia vai provocar a melhor recompensa. Seja curiosa e experimente coisas novas. Use uma venda de olhos, vista-se, dispa-se, não vista nada… pois aparecer nua com a sobremesa faz com que tudo se mova na direcção certa.

Por último, use a empatia quando cozinhar para o seu parceiro, seja sensível às suas preferências culinárias e alergias. Nada pode estragar mais o ambiente como ele dizer que “detesta ostras”, ou um caso de urticária.    

Dicas Sexuais

 "Para uma união mais profunda, troque a posição tradicional do "homem por cima" pela "aberta": A mulher estica as pernas e levanta-as, pondo-as em volta da cintura do seu amante, que se ajoelha à frente dela."

 

(Segredos do Sexo, Michelle Pauli)

 

Tenho Herpes Genital e não sei se posso ter relações sexuais novamente

“Tenho 26 anos e uma vida sexual activa. No entanto, recentemente comecei a ter sintomas estranhos e fui ao médico, que me diagnosticou herpes genital. Estou com receio de contagiar uma parceira, apesar de não ter namorada envolvo-me regularmente com raparigas que conheço. Tendo herpes genital posso ter relações sexuais novamente? Agradeço que me esclareça pois não me imagino a viver sem ter relações sexuais.”

 

Paulo, Vila Franca de Xira

 

Caro leitor,

O facto de ter contraído o vírus da Herpes Genital é uma situação bastante desconfortável, mas não faz com que a sua vida sexual tenha chegado ao fim. Compreendo que não seja fácil falar com outras pessoas a respeito deste problema, e muito menos com uma possível parceira, mas é essencial que o faça para preservar a saúde das pessoas com quem se envolve a nível sexual e a sua própria saúde. Existem alguns cuidados que deve ter assim que decida recomeçar a sua vida sexual. Deve utilizar sempre um preservativo, mesmo com uma parceira que conheça bem, pois dessa forma diminui as probabilidades de passar o vírus. É também muito importante que cesse qualquer tipo de contacto sexual assim que note que tem feridas, pois é nesse período que você está mais contagioso. O médico pode (se ainda não o fez) prescrever-lhe medicação que lhe permita reduzir a frequência de incidência do vírus, diminuindo as probabilidades de contágio. Desde que tenha em atenção estes cuidados, não há nada que o impeça de ter uma vida sexual activa e normal.

Tema de Hoje: Sexo oral

Fiz sexo oral a duas pessoas diferentes com um intervalo de mais ou menos 3 meses. Há cerca de 3 semanas beijei outra pessoa onde houve uma intensa troca de saliva. Passado um dia ou dois desse beijo comecei a sentir tipo dor de garganta. Vi ao espelho e tinha do lado direito da garganta aquelas bolhas tipo garganta inflamada. Tenho tomado pastilhas para a dor de garganta mas não passa. Será que contraí alguma doença sexualmente transmissível?
Eduarda
Cara Eduarda,
 
Através do beijo não deve ter transmitido mais que uma constipação, gripe, com uma certa inflamação. O sexo oral pode realmente transmitir algumas infecções sexualmente transmissíveis, pelo que deve ir a uma consulta de planeamento familiar ou ao seu médico assistente com alguma urgência clarificar e fazer um diagnóstico rigoroso e presencial.
Não adie esta questão de saúde, pois a falta de tratamento pode piorar em muito os sintomas de infecções.
Lembre-se que também no sexo oral o preservativo a pode proteger de contrair infecções sexualmente transmissíveis e pode utilizar os que têm sabores, para ser mais agradável para si.    
 

Tema de hoje: Problemas de erecção

Preciso da sua ajuda... Nunca tive problemas com a erecção, porém este sábado saí com a pessoa com quem estou há 3 meses e não consegui fazer sexo. E o que mais me deixou perplexo é que eu já tive relações com ela. O que devo fazer?
 
Rodrigo
 
Caro Rodrigo,
 
Não se preocupe com o sucedido, pois o seu problema parece ter surgido por factores de uma situação pontual, ou momentânea – como refere ter saído, pode ter tido essas dificuldades por ter bebido álcool, estar cansado de trabalhar, ou mesmo ter uma preocupação a atormentá-lo.
Tente não entrar num ciclo vicioso, pois quando sente que uma experiência corre mal, pode começar a sentir ansiedade de antecipação e ficar preocupado com isso, o que influencia muito a próxima relação sexual, de modo negativo.
Um homem não tem de querer e desejar relações sexuais a toda a hora: pode estar bem com a sua parceria, mas não lhe apetecer naquele momento e, por isso, o seu cérebro e o seu corpo não responderem aos estímulos de prazer.
Tente abstrair-se de problemas e não pensar nessa única vez em que as coisas não correram como gostaria, tente relaxar, não partir logo para a penetração mas demorar-se nas carícias, em sentir o corpo da outra pessoa e o prazer e satisfação que lhe pode oferecer, em descobrir as suas zonas erógenas preferidas…
Se o problema persistir, pense em consultar um médico especialista ou um sexólogo/a, para que não deixe esta pequena dificuldade crescer em bola de neve na sua vida.

Dicas sexuais

"Beijar não é restringido à face. Pode beijar em todo o lado, especialmente nas zonas erógenas incluindo atrás dos joelhos, nos lóbulos das orelhas, pescoço, nádegas, seios ou peito e mãos. Algumas pessoas adoram que lhes beijem os pés, mas alguns recusam essa ideia com horror, por isso verifique primeiro a receptividade".

 

 

 

(Sexo Ardente, Flic Everett)

Pág. 3/3