Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Que devo fazer para proporcionar à minha namorada orgasmos múltiplos?”

“Amo imenso a minha namorada e gostava de lhe dar mais prazer. Ouvi falar em orgasmos múltiplos, o que é isso? Como posso praticar isso com a minha namorada?...”

Carlos – Moita

 

 

Caro Leitor:

Os orgasmos múltiplos são uma sequência de vários orgasmos cuja intensidade, quantidade e velocidade variam de mulher para mulher. O primeiro passo para atingir o orgasmo múltiplo é dar bastante atenção aos preliminares e estar atento às reacções da sua namorada durante o acto sexual. Descubra o tipo de estimulação de que ela mais gosta, e faça-o durante mais tempo do que o normal, sem parar após o primeiro orgasmo. Basicamente, para que uma mulher atinja orgasmos múltiplos é necessário que o homem proporcione uma estimulação contínua e mais prolongada. Tenha no entanto em mente que nem todas as mulheres têm a capacidade de os experimentar, muitas mulheres com vidas sexuais completamente normais e satisfatórias conseguem ter apenas um orgasmo, independentemente da estimulação que recebam. Converse com a sua namorada sobre isso, pois nenhuma mulher no Mundo se vai importar se o seu parceiro lhe quiser dar mais prazer!

 

Sinais de Infecções Sexualmente Transmissíveis

Às vezes o meu namorado penetra-me e sinto um ardor na vagina que incomoda, principalmente se for de 4. Queria saber se tenho algum problema?
 
Lia
 
 
 
 
 
Cara Lia,
 
Deve dirigir-se a uma consulta de planeamento familiar sempre que sentir qualquer um deste sintomas:
· Ardor ou prurido;
· Comichão;
· Alteração de cheiro ou aparência dos genitais;
· Corrimento vaginal anormal, frequentemente com mau cheiro ou corrimento uretral
· Presença de vermelhidão, bolhas, verrugas ou vesículas nos órgãos genitais ou à sua volta
· Dor ou sensação de queimadura ao urinar
· Sensação de dor ou queimadura aquando das relações sexuais
· Dores difusas no baixo ventre
· Febre
Como refere ardor na penetração, poderá ter uma infecção sexualmente transmissível, mas apenas um técnico de saúde pode diagnosticar e observar cuidadosamente e propor-lhe um tratamento adequado.
A posição em que tem as relações sexuais pode influenciar na medida em que a profundidade da penetração influencia o contacto na localização exacta do foco da infecção, provocando dor ou ardor posterior.
As consulta de planeamento familiar são gratuitas e estão em centros de saúde espalhados pelo país – informe-se sobre os horários do seu e não hesite em esclarecer esta sua dúvida numa consulta presencial.

Tema de Hoje: Orgasmos

(Andy Wharol)

 

 
Sinto-me muito diferente das outras mulheres: acho que nunca senti um orgasmo a ter relações sexuais. Tenho uma boa relação com o meu marido, mas nunca falámos sobre orgasmos e eu nunca tive coragem de lhe dizer que não consigo ter com ele. Ainda por cima estou sempre a ler coisas sobre as mulheres terem orgasmos múltiplos - sinto-me uma anormal!
 
Sofia
 
Cara Sofia,
 
Não precisa de se sentir diferente das outras mulheres – há um grupo de mulheres que não sente orgasmos, apesar de gostar de ter relações sexuais -pois a maioria das mulheres não atinge o orgasmo atraves da penetração vaginal. A estimulação oral e manual do clítoris são outras maneiras que pode experimentar para ver se consegue atingir o orgasmo.
Os orgasmos múltiplos são também raros na maioria das mulheres - apenas algumas o conseguem e depende de muitos factores, não quer dizer que o consigam na penetração e muito menos em todas as relações sexuais que têm. Não se deixe influenciar pelas conversas públicas, pois estas escondem muito a realidade do que acontece em privado.
Muitas vezes o que acontece é o casal ter dificuldades em exprimir o que dá mais prazer aos dois e cada pessoa varia muito, mesmo ao longo da vida. Tente descobrir sozinha, na masturbação, se consegue sentir orgasmos e depois tente mostrar ao seu marido ou partilhe com ele, com calma e algum jogo erótico o que gostava que ele lhe fizesse.
Tente não estar preocupada com isso durante as relações sexuais e deixar-se levar a sentir o prazer delas… A intimidade e as sensações físicas são mais importantes do que a satisfação final que pode tirar do sexo. Se pensa que este facto a está a prejudicar muito na relação, então procure ajuda especializada da sexologia, para mais conselhos úteis para descobrir a sua sexualidade.

Dicas sexuais

O sono é fundamental para o prazer sexual.

 

Tenha uma boa noite de descanso antes de uma noite de amor.

 

As Mulheres que têm mais horas de sono profundo

atingem mais orgasmos durante a relação sexual.

 

 

 

Massagem Erótica

shiatsu.jpg

 

O tato é uma forma de comunicação simples e eloquente – terapêutica, confortante e essencial. As massagens eróticas são íntimas e relaxantes e são capazes de despertar novas sensações nos casais. Esta prática sensual é uma forma de transmitir a paixão através do tato, estimulando zonas erógenas que dão prazer e estimulam os sentidos para o ato sexual.

 

A massagem pode ser usada por diversas razões: para reduzir o stress, para reduzir as dores ou libertar a tensão, para melhorar a circulação, etc. Tudo isto pode afectar positivamente a sua vida sexual. Muitos casais gostam de praticar a massagem erótica como um aquecimento para o ato sexual em si, outros gostam de a praticar no fim de um encontro sexual. Qualquer que seja a sua preferência, pode beneficiar da massagem erótica para apreciar o toque suave das mãos do seu parceiro e elevar o prazer.

 

A Massagem erótica não tem regras

Prepare o ambiente com a temperatura adequada, velas aromáticas, música calma e relaxante e, para quem gostar, incenso. Desligue os telemóveis e verifique que não será interrompida. A melhor massagem erótica é aquela que é idealizada pelo casal, por isso a massagem erótica não tem regras.

 

Esta prática serve também como um ingrediente a mais para sair da rotina sexual. Os movimentos devem ser livres e feitos em conjunto com uma estimulação mais íntima, nas regiões de maior sensibilidade de cada um. O importante mesmo neste caso em que a massagem é feita pelo casal é soltar a imaginação, utilizar o toque dos cabelos, dos seios, experimentar as várias texturas do corpo e de tecidos como a seda.

 

Exemplo de uma massagem erótica para fazer ao seu companheiro:

1- Com o seu companheiro deitado, aplique óleo de amêndoas doces ou outro óleo mais afrodisiaco no corpo dele e espalhe.

2- Com o seu companheiro deitado de barriga para baixo, faça movimentos circulares rápidos mas de intensidade média por toda a extensão do corpo, incluindo pernas, braços, costas e nádegas.

3 – De seguida, pressione a região do cóccix com os polegares, deslizando do centro da cervical para fora. Suba com o mesmo movimento até às omoplatas, contornando-as.

4 – Faça o mesmo movimento partindo da nuca para a região da clavícula.

5 –Utilize a ponta dos dedos, para além de outras partes do corpo para toques leves. Beijos e abraços também facilitam o relaxamento.

6 – Com ele deitado de frente, comece por massajar o rosto e a cabeça. Pressione o polegar a partir do centro da testa, deslizando no contorno das sobrancelhas até à base do maxilar, unindo as mãos novamente no queixo. Repita o movimento, partindo do orifício lacrimal.

7 – Estimule a região do peito e do abdómen com movimentos circulares. Mantenha a mesma movimentação na região das pernas, principalmente na parte interna das coxas e no músculo da panturrilha.

8 – Nos pés, faça movimentos de sobe e desce com os dedos da mão entrelaçados aos dedos do pé do parceiro e utilizando a palma da mão para massajar também a sola do pé.

9 – Repita todos os movimentos aleatoriamente. Estes movimentos também podem ser aplicados na massagem erótica na mulher.

O Armário de Lingerie

 

A verdadeira mulher sensual tem uma caixa cheia de peças de lingerie. Esta caixa deve ser encantadora e com várias peças de lingerie no seu interior. Não há nenhuma regra para comprar roupa interior, o mais importante é usar o que fica bem no seu corpo. Não precisa de gastar muito dinheiro em ligas especiais se você fica melhor com uma camisa de cetim. A roupa interior certa vai fazer com que se sinta uma deusa. Use só o que realmente a faça sentir bem, mesmo que pense que nunca ninguém a verá.

As jóias também podem ser sensuais, uma simples pulseira de tornozelo também pode ser lingerie se estiver escondida da vista. Só um olho observador poderá vê-la, e essa pessoa sentir-se-á privilegiada. Se você conhecer o seu parceiro muito bem, ou se for casada, deixe-o ser ele a escolher a lingerie. Deixe-o observar todas as suas peças, e coloque talvez até um poema nalguma delas. Se for casada, encoraje o seu marido a experimentar boxers curtos em tecidos macios e coloridos. Ele vai sentir-se mais sensual dessa forma do que se andar pela casa com os velhos boxers e uma t-shirt desbotada. Ponha saquinhos de cheiro de aroma leve nos boxers dele, nas meias e gravatas, e ajude-o a manter tudo arrumado. Isso torna um homem confiante e sexy.

Como engravidar?

 

Como se faz para a mulher ficar grávida de um homem?
 
A gravidez surge quando os espermatozóides masculinos encontram o óvulo feminino, um ou mais conseguem penetrá-lo e este começa a transformar-se num ovo. Para acontecer a gravidez é ainda necessário a implantação, em que o ovo se instala seguramente na parede do útero – é este o momento médico que se chama gravidez e que se desenvolve em embrião, feto e, mais tarde, num bebé.
As relações sexuais desprotegidas, sem qualquer contracepção, de modo regular, levam ao encontro dos espermatozóides com o óvulo, embora dependa de casal para casal a probabilidade de tal acontecer desde logo ou ao longo de vários meses. É necessário haver penetração vaginal, embora possa acontecer uma gravidez sem que o pénis penetre a vagina, mas ejacule muito perto dela e sem protecção.
O periodo fértil é o intervalo de tempo em há maior probabilidade de surgir uma gravidez: são alguns dias antes e depois da ovulação feminina, dias estes que são o tempo médio de vida dos espermatozóides dentro do corpo da mulher (entre 3 a 5 dias). No entanto, quando um casal deseja engravidar não deve apenas ter relações sexuais (com penetração vaginal) nesta fase, mas sim livremente e com prazer, sem obrigações. Tal facilita o processo.
Espero ter ajudado!

Seja mais sensual

Soufflé de Chocolate com Molho de Framboesas

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Molho de Framboesa

 

Prepare este molho um dia antes de se comer a sobremesa.

- 1 Xícara de framboesas frescas

- ½ Xícara de açúcar

- 1 Colher de sopa de sumo de limão

- 1 Colher de sopa de cognac

- 1 Colher de sopa de fécula de batata

 

Misture as framboesas com açúcar e leve ao lume até começar a ferver. Passe as framboesas por um passador para remover as sementes. Ponha mais açúcar se precisar. Bata a fécula de batata com o sumo de limão e o cognac. Ponha a ferver o creme de framboesa e misture com o preparado de fécula e deixe cozinhar até ficar espesso.

Deixe arrefecer e use-o em qualquer sobremesa, fruta ou qualquer parte do corpo. Mantém-se no frigorífico por duas semanas.

 

Soufflé de Chocolate

 

- 150 gr. de chocolate de culinária

- 3 Gemas de ovos

- 3 Claras

- 1 Colher de sopa de margarina

- 1 Colher de sopa de farinha de trigo

- 2,5 dl de leite

- 4 Colheres de sopa de açúcar

- Açúcar em pó para polvilhar no fim

- Framboesas

 

Misture um pouco do leite com a farinha. Ferva o resto do leite com o açúcar.

Derreta o chocolate em banho-maria, junte o leite morno e o leite com a farinha. Mexa tudo muito bem. Ponha em lume brando a preparação do chocolate e da farinha até engrossar e ferver. Retire do lume e ponha por cima a margarina em pedaços.

Tema de hoje: Problemas Sexuais

Mapplethorpe

 

 

Estou a fazer um trabalho sobre doenças sexualmente transmissíveis, a minha
pergunta é:

Refira a relação entre as doenças sexualmente transmissíveis e as condições de vida de grupos sociais específicos (pobreza, desqualificações, estilos de vida, etc). Acha que me pode ajudar?

António Mendes
 
 
 
Caro António,
Não sei se o poderei ajudar muito pois de momento a minha área de investigação não envolve infecções sexualmente transmissíveis. Para obter informação mais recente e correcta aconselho que consulte a biblioteca da sua escola e tente fazer uma busca em sites profissionais tais como o PubMed, PsycInfo, etc... O que lhe posso dizer é que os resultados de estudos variam bastante dependendo do país onde foi realizado o estudo, etc.... De forma geral, as infecções sexualmente transmissíveis não afectam grupos sociais específicos, mas sim pessoas que têm comportamentos sexuais de risco, como ter sexo ou contactos genitais desprotegidos, sem preservativo. Tal pode acontecer a qualquer pessoa que tenha uma vida sexual activa e com isto não me refiro apenas a relações sexuais com penetração, mas também a carícias, contactos genitais, sexo oral ou anal, entre pessoas do sexo oposto ou do mesmo sexo.
O que me parece essencial na questão das infecções sexualmente transmissíveis é cada pessoa deve conhecer bem o seu próprio corpo e estar atenta a sinais de alterações como comichões, inchaço, dores, mudança de cor, de cheiro ou outras. Quando estes sinais aparecem, deve consultar-se um médico o mais rápido possível, sem vergonhas nem hesitações, de modo a iniciar tratamento se necessário e não ter relações sexuais desprotegidas até ser observada e tratada.
O preservativo é o método de barreira essencial para prevenir o contágio, se bem colocado e retirado na hora certa, e tem muitas vantagens: previne igualmente das gravidezes indesejadas, há em vários sabores, cores, texturas, materiais (látex é o mais utilizado, mas existem outros, como o poliuretano), prolonga a relação sexual…
 
A correcta colocação deste método é:
1) Verificar antes do encontro o estado da embalagem, a data de validade e se tem certificado de qualidade de Comunidade Europeia, que garante que está em boas condições;
2) Quando há uma erecção satisfatória e antes de qualquer contacto genital, abrir a embalagem exterior do preservativo, sem utilizar os dentes, tesouras, unhas ou algo afiado (pode empurrar-se o preservativo para um dos lados da embalagem);
3) Com três dedos (polegar, indicador e médio) agarrar a ponta/recipiente do preservativo, para haver espaço para onde o esperma sair.
4) Logo depois de ejacular, retirar o preservativo a partir da base do pénis, para que não deixe sair nenhum sémen para a zona genital vaginal, dar um nó, embrulhar em papel e deitar num caixote do lixo.
Se se seguir estas regras e apenas se utilizar lubrificante adicional à base de água e nunca à base de óleo, a eficácia na protecção dos riscos sexuais é de 95%.
Espero tê-lo ajudado – bom trabalho!

Dores nos testículos

 

Até há uns meses atrás tudo corria bem com o meu funcionamento sexual, certo dia aleijei-me no testículo esquerdo e na altura senti uma grande dor. Passou durante algumas horas mas depois voltou a doer.

 Estas dores são muito fortes e apareciam frequentemente durante o dia.

 

Alguns dias depois quando estava a masturbar-me reparei que a erecção não era muito forte, não fiquei muito preocupado, o pior foi quando cheguei ao orgasmo e ejaculei reparei que a quantidade de esperma era bastante reduzida e ainda fiquei mais preocupado. Cerca de 2 dias depois, queria-me masturbar, não conseguia de nenhuma maneira obter uma erecção.

Pensei recorrer a um médico mas resolvi esperar. Passou-se cerca de uma semana e já conseguia dificilmente obter uma erecção mas quando ejaculava não saia nada.
Passados quase 4 meses voltou quase tudo ao normal. Consigo obter uma erecção apesar de parecer que não conseguir ter uma erecção completa ou não tão forte como era, e quando ejaculo sinto uma sensação esquisita que não existia antes e que não sei bem explicar.
Com isto não sei se se passará algo de errado e se deveria consultar um médico. Não sei se o urologista é o indicado.


Martinho, Porto

 

Caro leitor,

Penso que deve consultar um médico, seja urologista diretamente, seja um recomendado pelo seu médico de família. Só ele lhe poderá fazer um diagnóstico diferencial e determinar se o seu problema é fisiológico ou psicológico.

Da minha parte, penso que a dor que sentiu pode ter desenvolvido em si um medo exagerado de sofrer consequências ao nível sexual e, como tal, entrou num ciclo vicioso de observação atenta do seu pénis e da resposta sexual que ele fazia, a um ponto que a sua atenção deixou de estar focada no prazer sexual, mas sim na performance, no seu desempenho.

Este ciclo faz com que o próprio corpo não responda da melhor maneira, pois sente-se avaliado, observado e daí que sinta ereções menos fortes e sensações esquisitas na ejaculação.

Esclareça com o médico se ficou com sequelas no testículo ou no aparelho reprodutor e tente não ser observador de si próprio.

Entregue-se às suas fantasias sexuais e deixe-se levar pelo prazer da masturbação, sem se desviar para pormenores técnicos da sua resposta sexual – verá que a sua resposta sexual vai melhorar.