Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“ Tenho a imaginação sexual muito apurada!”


 

“ Sou casada há 1 ano e gosto de variar as posições sexuais sempre que faço amor com o meu marido, mas por vezes isso incomoda-o e acha que sou demasiado obcecada por posições sexuais. Será que sou mesmo ou esta minha tara é frequente nos casais?”

 

Cara leitora

É muito difícil definir o que é ou não normal para cada pessoa dentro da sua vida sexual. A sexualidade não se limita ao acto sexual em si, sexualidade é um mar de sensações, pensamentos, sentimentos, gostos e cheiros que variam de indivíduo para indivíduo, fazendo com que cada um de nós seja único! Na minha opinião, tudo é normal desde que seja entre adultos, seja consensual e não cause danos físicos ou emocionais.

Parece-me que a leitora está muito mais confortável com a sua sexualidade do que o seu marido. Converse com ele abertamente acerca desse assunto e explique-lhe que a monotonia só estraga as relações!

 

 

“O meu vibrador já não me estimula….”

“Costumo masturbar-me com o meu vibrador, mas já estou tão habituada a ele que já não me consigo excitar com ele… Gostava de comprar um novo, mas será que não vai acabar por ser igual? Como posso escolher um vibrador que me traga novos estímulos?”

 

Ana, Odivelas

 

Cara leitora,

Se se dirigir a uma boa sex shop à partida o/a funcionário(a) saberá apresentar-lhe os diferentes vibradores de que a loja dispõe, sendo que õe, sendo que há vários modelos, vocacionados para diferentes formas de estimulação. Por outro lado, da mesma forma como acontece com um parceiro, também na masturbação é preciso ser criativo, e descobrir novas formas de estimulação para que a rotina e a repetição constante dos mesmos gestos não acabe com o prazer. Mantendo a segurança essencial, experimente dedicar-se a “brincar” e a explorar o seu vibrador, utilizando-o de formas diferentes, varie a velocidade, a intensidade do toque, a área estimulada, use os dedos… em vez do contacto direto também pode experimentar usar o vibrador sobre a lingerie, sobre um tecido de veludo, cetim… o prazer requer, muitas vezes, dedicação e paciência, por isso desfrute em pleno da descoberta do seu próprio corpo.

Orgasmo sim, por favor!

canstockphoto5293360.jpg

 

 

Em primeiro lugar desejo, depois excitação e por fim orgasmo. Esta seria linha orientadora ideal para atingir aquilo que todas as mulheres desejam na cama: prazer.

 

Porém, 27% do sexo feminino português confessa que raramente atinge o clímax, contra 1% dos homens. O que pode estar por detrás desta grande diferença entre os dois sexos? A verdade é que sexo não é apenas penetração e, principalmente, para as mulheres é muito mais do que isso.

 

Ela precisa de estar lubrificada, para se sentir preparada para o coito. A mulher deixou de fingir, nos dias que correm exige mais do seu parceiro e ele, em princípio, também fará tudo para estar à altura de satisfazê-la. Infelizmente, a repressora educação que sempre foi passada ao sexo feminino, ainda domina algumas mentes e isso pode, muitas vezes, inibir ambos.

 

O que contribuiu, sem dúvida, para um orgasmo insatisfatório, principalmente da parte das mulheres que necessitam pelo menos de oito minutos para atingi-lo, contra três minutos que os homens podem levar a consegui-lo. Mas afinal é tudo uma questão de timing?

 

Pode ser, mas não só! Há que “acertar” ritmos, passar ao parceiro informação, pois os homens gostam de ser instruídos. Utilize alguma linguagem corporal, bem como frases provocantes que permitam ao seu companheiro entender aquilo que precisa. Mas antes disso, e para saber dar instruções necessita de conhecer o seu corpo.

 

Para si, também os preliminares são importantes, pois quanto mais longa a excitação, maior o clímax. Alugue filmes picantes, envie mensagens eróticas ao seu parceiro, durante o dia, faça algo com ele que vos provoque muita adrenalina. Na cama, evite a rotina, experimentem novas posições, descubram-se e se necessário utilizem brinquedos sexuais para se estimularem mutuamente.

 

Na verdade, a imaginação não tem limites! Entregue-se ao prazer!

Manuais de sedução

"Os manuais de amor chineses vêm da tradição taoísta, os taoístas viam o sexo como uma questão de saúde, mais do que uma questão moral.

Estes sábios achavam que o desenvolvimento saudável de energia sexual é tão crucial para o bem-estar como os alimentos que comemos e o ar que respiramos

 

A sabedoria sexual Taoísta permite uma abordagem holística do sexo, que atrai muitos casais modernos em busca de técnicas que unam corpo, mente e espírito."

 

 

 

(Segredos do Sexo, Michelle Pauli)

 

Kama Sutra

O Enroscar da Trepadeira

 

"Quando uma mulher se prende a um homem como uma trepadeira, baixa a cabeça dele para

a sua com o desejo de beijá-lo e emite um som suave de sut sut, abraça-o e olha

carinhosamente para ele."

 

“As feromonas resultam mesmo?”

“Aqui há tempos estava numa loja e vi à venda uma colónia que continha feromonas, perguntei para que serviam e a vendedora explicou-me que as feromonas são uma substância química que fazem com que as mulheres se sintam atraídas pelos homens, assim como acontece com os animais que se atraem pelo cheiro. Isso é mesmo verdade?”

João Paulo, Sintra

Caro leitor,

As feromonas são substâncias hormonais libertadas pelos seres humanos, pelos animais, insetos e outros organismos, sendo mais popularmente conhecidas pela sua capacidade de atrair ou estimular sexualmente um ser da mesma espécie, normalmente do sexo oposto. No caso dos animais, as feromonas permitem detetar a atração sexual conducente a um comportamento de acasalamento, ou funcionam como um aviso de perigo ou risco de conflito. Os seres humanos não conseguem detetá-las conscientemente, e a forma como o corpo reage ou não é bastante variável. Contudo, o cheiro é, por si só, um dos estímulos sexuais mais importantes, sendo capaz de evocar memórias e associações mesmo passado muito tempo. Isto sucede porque a informação que o cheiro dá ao cérebro é menos filtrada e processada do que aquela que é apreendida por outros sentidos como a visão e o paladar. 

Tema de hoje: fertilidade

 

Gostaria de saber quais os dias mais férteis de cada mês, quando se inicia e quando termina.
Obrigado
 
 
Cara leitora,
Antes de mais gostaria de a informar que existem outras formas de contracepção mais eficazes do que o método do calendário, em que se calcula o intervalo de tempo em que há mais probabilidades de acontecer uma gravidez, e que não evita a transmissão de infecções sexualmente transmissíveis. Neste sentido, o primeiro passo que deve dar é procurar um ginecologista ou recorrer às consultas de planeamento familiar para que lhe recomendem um contraceptivo mais indicado para si.
 
O período fértil é calculado a partir do número de dias de cada ciclo menstrual, pelo que a mulher deve fazer o registo sistemático e perceber a sua própria regularidade, sem qualquer esquecimento. Este período inicia-se sensivelmente cinco dias antes da ovulação e cinco dias depois, que ocorre a meio de cada ciclo. Por isso, durante o seu período fértil é aconselhável não ter relações sexuais ou utilizar o preservativo nestes dias.
Este método é, ainda, desvantajoso porque implica que as menstruações sejam bastante regulares e que conheça bastante bem o seu aparelho reprodutor, para saber exactamente quando ocorre a ovulação. Este método é bastante ineficaz e muito raramente utilizado por quem não pretende engravidar, pelo deve consultar, o quanto antes, um especialista nesta área.
 

Sexo oral à la carte

lips-mouth-saliva-tongue-2525380-1920x1200.jpg

 

"Dar um linguado"… nos lábios vaginais. Peça ao seu mais-que-tudo que repita "em baixo" exatamente o mesmo que faz com a sua boca…

 

Dentadinhas de amor - com muito cuidado para não aleijar, umas dentadinhas aqui e ali – ao de leve – podem surtir resultados inesperados.

 

"Cornetto de amor" - peça-lhe que imagine que está a comer um cornetto e que a sua língua reproduza os mesmos movimentos de quando está a lamber o fundo do cone de bolacha…

 

Variações de ritmo - quer seja ao lamber, quer seja ao chupar, as diferenças de intensidade e de ritmo provocam espasmos de prazer.

 

Quente e frio - soprar ar quente, afastar-se da entrada da vagina e soprar ar frio.

 

Borboletas e esquimós - o leve roçar das pestanas dele e os famosos "beijos de esquimó" – em que o nariz esfrega levemente a pele – causam calafrios muito agradáveis. Com a língua, entra e sai da vagina ou da parte interior dos lábios, "penetrando-a".

“ O meu namorado não me satisfaz!”

 

“ Namoro há um ano e há pouco mais de 3 meses iniciei a vida sexual com o meu namorado, acontece que ele não me satisfaz como eu gostava… Como hei-de fazer para que ele perceba isso sem o magoar? Apesar de ele não me satisfazer na cama eu amo-o muito!”

 

 

 

Cara Leitora:

Se não disser ao seu namorado aquilo que gosta que ele lhe faça, ele provavelmente nunca o irá perceber, e continuará na ilusão de que tem desempenhado o seu papel na perfeição. Também pode adoptar outra estratégia que é fazer-lhe a ele o que gostaria que ele lhe fizesse a si. Fazer comentários durante o acto sexual também pode resultar. Verbalize as suas preferências e reforce os comportamentos que quer que ele continue a ter dizendo-lhe o quão bem ele os faz. Faça sugestões de uma forma sedutora, não tenha medo nem receio de falar com o seu namorado acerca de sexo, mas faça-o de uma forma calma, sem lhe dar ordens ou fazendo-o sentir-se um fracasso. O diálogo aberto e sem tabus é fundamental entre um casal.

 

“Onde estão os limites saudáveis na prática Sado-masoquista?”

“Tenho muita curiosidade em experimentar o Sado-masoquismo, pois sempre me fascinou e atraiu. No entanto, tenho algum receio de perder o controlo da situação, e cresci com a ideia de que este tipo de práticas são erradas e doentias. Onde é que se definem os limites para o que está certo ou errado?”

 

Vanessa, Lagos

 

Cara leitora,

No sado-masoquismo é estabelecido um acordo com base no domínio e na submissão. Um dos parceiros assume de antemão o papel de dominador, sendo que o outro aceita antecipadamente submeter-se às vontades e às ordens do primeiro. O mútuo consentimento é o principal limite, e deve ser estabelecido por todos os intervenientes antes de ser iniciada a relação. O sado-masoquismo é normal, desde que todos os seus praticantes o façam de livre vontade e tenham prazer neste tipo de prática, que envolve dor física, desconforto e intensidade, cujo limite é o sinal para parar dado pelo sumbmisso. O sado-masoquismo mistura o prazer com a dor, sendo que os  seus praticantes sentem prazer através desta. O mútuo consentimento é aquilo que torna o Sado-masoquismo “normal” e que o distingue do abuso físico. A confiança desempenha um papel fulcral no Sado-masoquismo, e antes de iniciar a “sessão” os intervenientes têm de discutir aquilo de que gostam e o que estão dispostos a fazer. É habitual haver uma “palavra de segurança”, que não deve estar relacionada com aquilo que estão a fazer, e que é usada quando um dos intervenientes quer parar. Devido ao tipo de interacção que o Sado-masoquismo implica palavras como “não” ou “pára” não são usadas como palavras de segurança, pois podem ser recorrentemente utilizadas. Palavras completamente dissociadas do contexto, como “prata”, “manteiga”, etc. são preferíveis. Se não está segura acerca dos seus próprios limites pessoais, procure fantasiar acerca das cenas. Se nas suas fantasias algo lhe causa impressão, provavelmente também não se sentirá confortável ao pôr isso em prática.

Pág. 1/3