Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Ela quer fazer sempre a mesma coisa!”

Annoyed guy eye roll and facepalm irritated | Free Picture on Freepik

“A minha esposa quer fazer amor sempre da mesma maneira porque acha que se assim temos prazer não há motivo para mudar. Já tentei pedir-lhe para fazermos outras posições mas ela não quer mudar, e confesso que isto me está a fazer perder o desejo por ela. O que hei-de fazer?”

Nuno, Sacavém

Caro leitor,

A questão principal tem a ver com a comunicação entre os parceiros. Nem sempre as duas pessoas apreciam o mesmo tipo de práticas, mas importa compreender quais são os motivos que levam a sua esposa a não querer mudar. Poderá haver receios que ela não manifesta ou pode não se sentir suficientemente à vontade com o seu corpo e com a sua sexualidade, preferindo manter uma postura dentro do que ela considera tradicional. Pode, também, haver algum tipo de experiência que a marcou de forma negativa, mesmo que não tenha acontecido especificamente com ela, e que ela associe a algo que é desagradável ou indesejável. Assim, lembre-se que se não conversar abertamente com ela, deixando sobretudo espaço para que ela se sinta confortável a explicar os motivos que a levam a agir dessa forma, estará a afastar-se cada vez mais, e será cada vez mais difícil preservar a união. Quando um casal se cala em relação a algo que está a incomodar um ou os dois, está apenas a deixar que aumente a distância entre ambos, chegando a pontos muitas vezes irreversíveis. Pode ser benéfico para ambos, também, fazer terapia de casal com um terapeuta especializado, mesmo que as consultas sejam feitas por videochamada.

“Sexo oral… diferente!”

 503,401 BEST Wondering IMAGES, STOCK PHOTOS & VECTORS | Adobe Stock

“Gostava que o meu namorado me fizesse sexo oral no ânus, mas não sei se isso é saudável, nem sei se ele não vai achar nojento. É uma prática comum entre os casais?”

 

Joana, Setúbal

Cara leitora,

Desde que seja consensual e que não ponha em risco a integridade física, mental e moral, nem a saúde dos envolvidos, qualquer atividade sexual pode ser usada para dinamizar a vida de casal. A prática que refere é apreciada por várias pessoas de ambos os sexos, sendo usada muitas vezes como preliminar ao sexo oral. Também chamada anilingus, consiste em beijar, acariciar com os lábios, lamber ou penetrar com a língua o ânus do parceiro. Uma vez que a abertura anal contém inúmeras terminações nervosas, esta prática pode proporcionar um prazer intenso. Para além de ser essencial uma boa higiene, a comunicação entre os dois é o fator-chave para que esta prática seja agradável para ambos. Portanto, partilhe este seu desejo com o seu namorado sem receio de ser mal-interpretada. Tenham sempre em atenção que esta região é muito delicada, e como tal são de evitar os gestos mais bruscos, que podem causar dor e danificar os tecidos. Mantenham uma higiene muito cuidada, porque esta área é propensa à existência de bactérias, e lembre-se que há infeções sexualmente transmissíveis por via anal, como a gonorreia, sendo aconselhável utilizar uma barreira dental (ou película aderente) como forma de proteção.

“Estou a pensar pôr implantes no peito”

Free Photo | Front view confident woman in studio“Sempre tive o peito pequeno, e por isso estou a ponderar a hipótese de colocar implantes, mas tenho receio que isso traga consequências negativas para a minha saúde, nomeadamente que me impeça de vir a amamentar. Quais são os efeitos secundários de colocar implantes no peito?”

 

Luísa, Viana do Castelo

 

Cara leitora,

É bastante sensato da sua parte informar-se antes de tomar uma decisão como aquela que refere. Os implantes mamários podem trazer alguns riscos para a saúde, razão pela qual é fundamental que se aconselhe com o seu médico antes de avançar para essa possibilidade. Caso decida fazer a operação, o cirurgião irá esclarecê-la e discutir consigo várias opções, nomeadamente o tipo de implante, o tipo de inicisão, a anestesia, etc. O risco de infeção, dor, hemorragia, rutura do implante, dificuldades de cicatrização, alterações temporárias ou permanentes nas sensações dos seios… são alguns dos possíveis efeitos secundários, caso a cirgurgia não corra bem. Quanto à sua questão, não há estudos que comprovem o impacto dos implantes na capacidade de amamentação, até porque a forma como estes são colocados não afeta geralmente as glândulas mamárias e permite a produção de leite, assim como a sua deslocação. Ainda assim, é possível que haja uma certa remoção de tecido mamário na cirurgia e isso pode interferir com a qualidade do leite produzido ou com a facilidade em fazê-lo. O mesmo pode suceder em relação ao tipo de incisão feita, pois em alguns casos esta pode danificar nervos essenciais à amamentação.

 

O meu namorado tem um pénis pequeno”

“Namoro há três anos e eu e o meu namorado sempre nos demos bem a nível sexual, mas tanto eu como ele achamos que ele tem um pénis pequeno. Será que não há nada que se possa fazer para aumentar o tamanho do pénis?”

Joana, Santarém

Cara leitora,

O tamanho do pénis é variável de homem para homem, embora essas variações não sejam muito grandes. Para além disso, a grande maioria dos homens tem um órgão sexual cujo tamanho permite a satisfação da parceira Contudo, existem alguns casos excepcionais nos quais o pénis é extremamente grande ou extremamente pequeno, o que provavelmente não é o caso do seu namorado, pois quando digo pequeno refiro-me a alguns centímetros apenas. Existem de facto formas de aumentar o pénis tal como a cirurgia, o que não recomendo a ninguém, uma vez que a cirurgia apenas permite um aumento de mais ou menos 1 centímetro. Como tal, não justifica o seu custo, as dores durante a recuperação e o risco de perda da sensibilidade no pénis. Existe outra forma de aumentar o tamanho do pénis, que é a utilização de um género de prótese de extensão que cobre o pénis da mesma forma que o preservativo. Esta manga é feita de silicone e tem por objectivo o aumento do tamanho do pénis. A utilização desta prótese pode parecer um pouco estranha para si, mas é a única forma de aumentar o tamanho do pénis do seu namorado sem ele ter de recorrer à cirurgia. O que a aconselho a fazer é a conversar com o seu namorado e a perguntar-lhe se ele está disposto a experimentar este produto. De qualquer forma, se a leitora não tem problemas a nível sexual com o seu namorado, significa que o tamanho do pénis dele não constitui um impasse para o vosso prazer.

“Tenho caroços no peito”

2,414 BEST "Sad Woman" IMAGES, STOCK PHOTOS & VECTORS | Adobe Stock

"No outro dia, quando estava a tomar banho, senti dois caroços no peito. O que devo fazer?"

Ana, Portimão

 

Cara leitora,

Todas as mulheres com mais de 30 anos de idade devem efetuar um exame da mama de forma regular. Deve ser feito no banho, tal como a leitora fez, e durante este exame a mulher deve colocar sabonete na mão e apalpar cuidadosamente a mama, de forma a sentir se existem quaisquer caroços na mesma. No caso de verificar que sente alguns caroços, o que é o seu caso, a mulher deve consultar o seu médico ginecologista o mais rapidamente possível, este deve sentir o caroço, e se achar adequado recomendar que a mulher faça uma mamografia.  

 

“O clítoris perde sensibilidade?”

“Eu e o meu namorado fazemos amor quase todos os dias, e como geralmente eu fico por cima o meu clitóris é bastante estimulado, e assim atinjo sempre orgasmos. No entanto, noto que de dia para dia os meus orgasmos ficam menos intensos. É possível que o clítoris perca sensibilidade?”

 

Natália, Guimarães

Cara leitora,

Não há estudos que comprovem que a estimulação intensiva faça com que o clítoris perca a sensibilidade, até porque a parte visível dele é apenas uma pequena porção. O clítoris é, na sua totalidade, bem maior, envolvendo as paredes da vagina: por esse motivo, a parte interna do clítoris é estimulada através da penetração, o que intensifica a excitação e favorece os orgasmos. As mulheres cujo clítoris, na sua totalidade, são mais compactos, ocupando menos espaço em torno da vagina, têm geralmente maior sensibilidade à penetração. Essa é uma das razões pelas quais o tipo de estimulação que proporciona maior prazer varia de pessoa para pessoa. Na situação que refere, experimente utilizar outro tipo de estimulação, mudar de posição, variar o tipo de carícias, a intensidade do toque, etc. É normal que a repetição do mesmo tipo de estimulação deixe de causar excitação e, por conseguinte, faça com que os orgasmos percam intensidade. Por outro lado, nunca é demais lembrar que a preocupação em ter um orgasmo é, quase sempre, uma das principais causas que os tornam mais difíceis de alcançar!

“Ela não se masturba!”

Free Photo | Two girls friends sitting in park

 

“A minha namorada não se masturba, diz que nunca gostou de o fazer, e isso deixa-me bastante surpreendida. A nível sexual ela não demonstra qualquer pudor e diz sempre que tem muito prazer, gostamos muito de masturbar-nos mutuamente, mas acho estranho que ela não o faça sozinha, porque eu sempre gostei de o fazer. É normal que uma mulher não se masturbe, ainda para mais sendo lésbica?”

 

Leonor, Seixal

 

Cara leitora,

A masturbação faz parte de uma vida sexual saudável, mas não é algo obrigatório nem tem de ser apreciado por todas as pessoas. Se a sua namorada não manifesta qualquer problema relacionado com o seu corpo, e se vive a sexualidade de forma feliz e que lhe traz prazer, não tem de estranhar, pois há pessoas que não sentem essa necessidade, quer seja porque têm menos apetência sexual quando não estão com alguém, quer seja porque não gostam de tocar no seu próprio corpo – o que não significa que não gostem de fazê-lo com outra pessoa. Acima de tudo, a masturbação ajuda a libertar a tensão acumulada no dia-a-dia e também a conhecer melhor o próprio corpo, permitindo reconhecer e identificar melhor aquilo que lhe dá prazer. Mas nem todas as pessoas se sentem confortáveis ao fazê-lo, especialmente quando crescem no seio de uma família muito tradicional ou se forem ensinadas que o prazer é algo impuro ou proibido. A comunicação a duas é sempre o mais importante para saber se a sua namorada está confortável, se tem prazer e se está feliz.

Dicas Sexuais

"Muitos casais excitam-se dizendo palavrões um ao outro durante o sexo, tudo depende da confiança e da imaginação. (...) Tem que acreditar que aquilo que está a dizer vai soltar o animal que há dentro do seu parceiro - e que isso funciona."

 

 

(Sexo Ardente, Flic Everett)

“O meu marido nem sempre mantém a erecção durante o acto sexual!”

“Sou casada há quase 40 anos e eu e o meu esposo sempre tivemos uma vida sexual satisfatória e sem problemas. De há uns meses para cá tenho reparado que o meu esposo nem sempre consegue manter a erecção durante o acto sexual, o que nunca tinha
acontecido. O que se passa com ele?”

Reinalda, Póvoa de Santo Adrião

 

Cara Leitora,

 

Devido à idade em que o seu marido se encontra é perfeitamente normal que tenha perdido o vigor sexual que tinha durante a juventude. Já deve ter constatado que o corpo do seu marido sofreu algumas alterações, o que de certa forma justifica a diferença no desempenho sexual. Com o passar dos anos é muito comum as relações sexuais decorrerem com menor frequência e com um menor nível de estimulação relativamente ao desempenho, o que não significa necessariamente que o seu marido esteja a ficar impotente. Com o avançar da idade o homem começa a sentir a necessidade duma estimulação mais directa e prolongada do pénis para conseguir obter e manter a erecção, por isso o casal tem de adaptar a sua forma de fazer amor a este facto. Perante estas últimas dificuldades, fale abertamente com o seu marido sobre o sucedido, não o julgue e colabore com ele de forma a facilitar-lhe uma erecção mais prolongada. Façam valer a cumplicidade do casal para ultrapassar este problema para que ambos possam alcançar relações sexuais mais prolongadas e satisfatórias. Todavia, se o seu marido continuar a perder a erecção devem procurar a ajuda de um especialista para que este possa avaliar o que se está a passar.

 

 

Tema de hoje: Lubrificação Vaginal

 

(Diego Rivera)

 

 
 
Comecei a ter este problema sem perceber porquê: sempre fiquei muito lubrificada mas desde há uns dias que não fico muito e torna-se muito difícil ter relações sexuais sem lubrificação, pelo que tenho que usar lubrificante. Eu consigo ter relações e até me sinto muito excitada, mas não fico molhada. Isto preocupa-me muito.
 
Aldina
 
Cara Aldina,
 
A lubrificação vaginal pode acompanhar a excitação, mas não necessariamente. Deve consultar um médico ginecologista para perceber se há alguma causa fisiológica que possa estar a influenciar a sua repentina falta de lubrificação, como uma infecção sexualmente transmissível ou infecções fúngicas ou bacterianas. Alguns medicamentos que possa estar a fazer podem também ter alguma influência no modo como sente o sexo e como responde fisicamente a ele.
Reflicta se há algum aspecto que tenha mudado na sua vida que possa influenciar o seu bem-estar geral e as suas relações sexuais em particular: a relação com o seu parceiro ou parceira, a estimulação e excitação sexual que fazem antes de tentarem a penetração, que poderá não estar a responder às suas necessidades em tempo ou qualidade ou outros factores externos a vós e que não pode controlar (família, casa, trabalho)…
Alguns factores hormonais da menopausa podem influenciar a capacidade de lubrificação da mulher, mas não sei a sua idade e se tal poderá ser a razão. Terá de fazer uma avaliação médica para perceber o seu perfil hormonal actual.
Procure numa farmácia ou numa sex-shop lubrificantes adicionais, que podem ter sabores, aquecer e lhe podem resolver este problema e até apimentar a sua relação sexual. É muito natural em algumas mulheres adicionarem estes produtos para resolver o problema que sente. Os lubrificantes à base de água são compatíveis com o preservativo, mas pode também encontrar à base de silicone, óleo (como a conhecida vaselina).
Não se preocupe demasiado com este pormenor, pois a descrição da sua excitação e desejo de ter relações sexuais é bem mais importante para o seu prazer. Demore-se nos preliminares e carícias e experimente falar sobre o que gosta mais de sentir para se excitar… pode ser que tal lhe resolva os seus problemas de lubrificação e se não o fizer compre lubrificantes e aproveite o prazer.