Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Como funciona o orgasmo masculino?”

“Gostava que me esclarecesse em relação aos orgasmos masculinos. Um homem tem um orgasmo quando ejacula? Ou é antes? Sou pouco experiente e gostava de agradar mais ao meu namorado.”

 Vanessa, Coimbra

 

Cara leitora,

É natural e muito saudável que procure conhecer melhor o sexo oposto e que esteja empenhada em dar mais prazer ao seu namorado. Lembre-se que a comunicação é fundamental e não deve ser negligenciada: não tenha medo de dizer aquilo de que mais gosta, a forma como gosta de ser tocada, e pergunte o mesmo ao seu namorado. Dediquem bastante tempo a explorar o corpo um do outro, invistam nos preliminares e no conhecimento, pois eles vão ajudar-vos a ter mais prazer. Em relação à sua questão, o orgasmo é apenas uma parte do ciclo de resposta sexual de um homem. A primeira fase é a de excitação, que despoleta reações físicas que originam a ereção, fazendo também com que os testículos aumentem de tamanho e se elevem. A segunda fase, chamada “plateau”, intensifica as manifestações da primeira fase, podendo também ser libertado líquido pré-ejaculatório. Este líquido equilibra o pH da uretra para que o esperma possa “sobreviver” durante a ejaculação. É muito importante que se use preservativo mesmo nesta fase, porque este líquido pré-ejaculatório pode trazer vírus que o homem tenha ou mesmo sémen de ejaculações anteriores. A terceira fase consiste no orgasmo e na ejaculação, que são duas ocorrências distintas, embora sejam normalmente consideradas como uma só. Um homem pode ter um orgasmo sem ejacular, e pode ejacular sem ter um orgasmo. O orgasmo masculino define-se como a resposta do cérebro e corpo à ejaculação, mesmo que esta não ocorra, representa o clímax de sensações. Pode ser mais ou menos duradouro. Há um livro chamado “O Homem multi-orgásmico” que descreve o processo no qual homens podem ter múltiplos orgasmos com apenas uma ejaculação. A última fase da resposta sexual masculina define-se como o “período refratário”, no qual o sangue começa a fluir para fora do pénis e a ereção se vai perdendo. Os músculos relaxam e muitos homens sentem uma certa fadiga – daí que muitas mulheres se queixem de que eles se viram para o lado e adormecem!

 

“Ele trabalha demais!”

Resultado de imagem para businessman

“O meu marido é responsável pela gestão de uma empresa, o que faz com que se dedique inteiramente à carreira profissional e nem queira ouvir falar em ter filhos. Ele trabalha demais e eu já não sei como lidar com a situação.”

 

Joana, Espinho

 

Cara leitora,

As exigências da sociedade actual fazem com que muitas pessoas alterem a sua rotina diária favorecendo a vida profissional em detrimento da vida familiar, verificando-se, então, uma mudança nos padrões sociais inicialmente estipulados. Hoje em dia, algumas pessoas escolhem abdicar do desempenho do papel de pais em favor do prestígio e êxito profissional. Porém, apesar de o seu marido pensar assim, parece que a leitora discorda deste tipo de vida, gostaria que o seu marido trabalhasse menos horas e que constituíssem família. Nesse sentido, aconselho-a a ter uma conversa séria e frontal com o seu marido, dizendo que respeita a sua postura, mas que para si também seria muito importante ter uma família para lhe dar o seu amor e carinho. É fundamental que cheguem a um consenso que promova o equilíbrio e a felicidade do casal.

 

“Serão saudades da minha ex-namorada?”

“Acabei uma relação há cerca de um ano e tenho outra namorada, que é linda e desejável. No entanto, de há uns tempos para cá comecei a sentir falta da minha ex-namorada, tenho andando em baixo e aconteceu-me uma coisa que nunca tinha sucedido antes, não consigo segurar a ereção. Será que se trata de uma depressão? A verdade é que perdi o interesse na minha namorada atual… devo contactar a minha ex?”

Cláudio, Beja

 

Caro leitor,

Por aquilo que descreve parece já ter encontrado a explicação para o seu problema. A depressão e o stress interferem no desempenho sexual, mas à partida o facto de pensar constantemente na sua ex pode estar relacionado com a perda de interesse pela sua parceira atual (e não o contrário). Se estivesse satisfeito com a sua relação atual não pensaria numa relação que, se fosse satisfatória, não teria terminado. Assim o melhor será terminar com a sua atual namorada e, antes de entrar em contacto com a sua ex, avaliar o que se passa consigo. Deve consultar o seu médico, caso tenha outros sintomas depressivos. Se continuar com o desejo de retomar o contacto com a sua ex pode fazê-lo, estando, no entanto, preparado para uma possível rejeição que pode, ainda assim, ajudá-lo a aceitar definitivamente o fim. Deve ter também em consideração o estado de calamidade em que vivemos, evitando correr riscos. Lembre-se também que só quando estiver tudo bem claro na sua cabeça pode e deve iniciar outro relacionamento – é mais honesto consigo, e com a pessoa com quem está.

 

“Tenho tido dificuldade em ficar lubrificada.”

T4L Workshop Image - sad woman on rainy day - Certified Career & Life Coach  for Women—Specialty: Transitions

“Tenho 36 anos e estou casada há 8. Eu e o meu marido nunca tivemos problemas a nível sexual, mas ultimamente tenho tido dificuldade em ficar lubrificada. Será que passado todos estes anos estou a ficar seca?”

 

Vânia, Matosinhos

 

Cara leitora,

Existem várias explicações para o seu problema. Pode dar-se o caso de ter uma infecção vaginal, que causa desconforto durante a penetração e, logo, dificuldade na lubrificação. Pode também dar-se o caso de estar a tomar algum medicamento que diminua a lubrificação ou o desejo sexual, fazendo com que tenha mais dificuldade em excitar-se sexualmente e atingir a lubrificação necessária para a penetração. Outra possibilidade é a leitora estar em fase de pré-menopausa. Apesar de a maioria das mulheres atingirem a menopausa em idades mais avançadas, existem excepções nas quais mulheres entram em fase de pré-menopausa por volta dos 35 ou 36 anos de idade. Se esse for o seu caso, a dificuldade em ficar lubrificada é devida a níveis irregulares de estrogénio, que nem sempre são acompanhados por ausência de menstruação. Aconselho-a a consultar um médico para descobrir qual a causa da sua dificuldade em ficar lubrificada, mas entretanto utilize lubrificante o que tornará a penetração bastante mais confortável.

“O que acontece ao sémen?”

“Tenho muito medo de engravidar e comecei há pouco tempo uma relação. Eu e o meu namorado temos relações sexuais com frequência e usamos sempre preservativo. No entanto, tenho uma dúvida que gostava que me esclarecesse. O que acontece ao sémen quando o homem ejacula dentro da vagina, caso não use preservativo? É absorvido pelo corpo da mulher?”

 

Diana, Massamá

 

Cara leitora,

Quando não é usado um método contracetivo que sirva de barreira e o sémen entra dentro da vagina, ele tanto pode desfazer-se em pequenas partículas, ser absorvido pela vagina ou secar e acabar por cair. O sistema reprodutor feminino tem uma série de mecanismos que limitam o acesso a corpos estranhos, o que faz com que o sémen nunca “vá muito longe”. Em primeiro lugar, o mais comum que aconteça é que seja expelido para fora da vagina, devido à força da gravidade. Uma vez que a vagina é sobretudo ácida, esse ambiente é hostil ao sémen, que acaba por desfazer-se. Para além disso, o muco cervical também cria barreiras que tendem a desfazer o esperma. Assim sendo, apenas uma pequena quantidade pode conseguir ascender pela vagina, tendo de passar por um buraco estreito no colo do útero. Terá, depois, de subir pelo útero até às trompas de Falópio, pequenos tubos que transportam o óvulo desde o ovário até ao útero. É aí que um espermatozoide consegue fertilizar um óvulo, originando uma gravidez. O sémen que permanecer dentro do corpo conterá espermatozoides que podem sobreviver até aproximadamente 6 dias. acima de tudo, use sempre preservativo para poder proteger-se não só de uma gravidez indesejada como também de infeções sexualmente transmitidas.

Ele é pouco experiente…

"Tenho 30 anos e namoro com um rapaz 5 anos mais novo do que eu. Há pouco tempo iniciámos a vida sexual, no entanto ele é pouco experiente e não consegue dar-me total satisfação. O que devo fazer nesta situação?"

 Simone - Faro

 

Cara leitora,

Para que possa resolver esta questão sugiro que, numa fase inicial, opte por falar com o seu namorado e, de uma forma delicada, lhe dê a entender que necessitam de conhecer melhor a sexualidade de cada um para que possam proporcionar momentos de prazer e satisfação um ao outro. Experimente sugerir o jogo de descoberta do corpo, no qual cada parceiro estimula o corpo do outro parceiro ao mesmo tempo que este explica como gosta de ser tocado. Desta forma podem conhecer os pontos sensíveis de cada um e esta poderá ser uma excelente maneira de ultrapassar o obstáculo que tem enfrentado. Toda esta aprendizagem é benéfica para ambos e, assim, podem ter mais prazer sexual com o avançar do tempo.

Será que ela é frígida?

 

“Tenho notado que a minha esposa inventa cada vez mais desculpas para não fazermos amor. A verdade é que somos casados há já seis anos e nunca tivemos uma vida sexual muito activa, por isso gostaria de saber se ela sofre de frigidez.
César, Coimbra
 
Caro Leitor,
É normal que o desejo sexual da mulher diminua devido a diversas condicionantes físicas e psicológicas, por exemplo o nascimento de filhos, o stress causado pelo trabalho ou a entrada na menopausa. A frigidez é uma disfunção sexual que afecta as mulheres, fazendo com não sintam prazer durante o acto sexual e, consequentemente, não consigam atingir o orgasmo. Em termos práticos, tanto as mulheres que sofrem de frigidez como as que sofrem de falta de desejo sexual raramente procuram o parceiro, e quando este as procura a tendência é para rejeitá-lo. Esta situação causa constrangimentos e tensão no ambiente familiar, pois o facto de a esposa não estar muito receptiva a participar do acto sexual muitas vezes pode gerar incompreensão por parte do marido. Aconselho a que fale abertamente com a sua esposa, pois através do diálogo e da compreensão esta situação pode ser ultrapassada.

“Que alimentos ajudam a evitar o cancro da mama?”

“Gostava de saber quais são os alimentos que podem ajudar a evitar o cancro da mama pois, apesar de ir frequentemente ao médico e de não ter nenhum sintoma, tenho um historial de cancro da mama na família e tenho receio de vir a ter essa doença.”

Teresa, Funchal

Cara leitora,

A dieta, embora haja muitos estudos que apontam para a sua influência no aparecimento e desenvolvimento desta doença, é apenas um dos fatores que contribuem para ela. Ainda assim, o facto de ser vigiada pelo médico e de ter a preocupação de adotar uma postura correta e saudável é já muito benéfica e é aquilo que melhor pode fazer como prevenção. Embora a dieta, por si só, não evite a doença, é um fator que depende de si e por isso deve usá-lo a seu favor, fazendo uma alimentação que seja tão saudável quanto possível. De um modo geral, deve ingerir muitos frutos e legumes como couve roxa, pimento vermelho e frutos vermelhos, ricos em antioxidantes. Os vegetais ricos em fibras, como os brócolos, a couve e a couve-flor são também benéficos, assim como os produtos ricos em proteínas, que também aumentam a saciedade e vão ajudá-la a evitar comida de plástico, prejudicial ao organismo. O iogurte magro e o queijo fresco são boas opções para comer entre refeições. Os alimentos ricos em ómega 3 devem também ser consumidos diariamente de forma moderada, nomeadamente os abacates, frutos secos e azeite. Evite as gorduras saturadas, pois estudos realizados apontam para uma relação entre as dietas ricas em gorduras e o desenvolvimento do cancro da mama. A carne vermelha e o álcool são também inimigos que deve evitar. Uma dieta rica em fibras, vitaminas e minerais, com muita hortaliça, ajuda a diminuir o risco de qualquer tipo de cancro, assim como os alimentos baixos em gorduras, sal e açúcar. Deve manter um peso equilibrado através de uma dieta saudável e de exercício físico regular de intensidade moderada. O excesso de peso pode contribuir para um risco mais elevado de contrair cancro da mama. Deve evitar alimentos que aumentem os níveis de estrogénio, mas deve falar com o seu médico e decidir um plano adequado para si. O acompanhamento regular do seu médico é sempre fundamental na prevenção.

“Como posso ter um orgasmo enquanto faço amor com o meu marido?”

Resultado de imagem para sad couple

 “Amo muito o meu marido e adoro fazer amor com ele. No entanto, não sinto nada quando ele me penetra. Sinto o pénis, mas não tenho nenhuma sensação, nada! A verdade é que foi sempre assim, mesmo com anteriores namorados. Consigo ter orgasmos quando me masturbo, e até quando ele me faz sexo oral, mas quando me penetra não sinto nada. Gostava de poder fazer alguma coisa… Pode ajudar-me?”

Letícia, Cacém

Cara leitora,

Muitas mulheres têm dificuldade e sentem frustração por não conseguirem atingir o orgasmo através da penetração. Na verdade, é muito mais provável que a mulher sinta prazer através da estimulação do clítoris, que é extremamente sensível e cheio de terminações nervosas, proporcionando uma miríade de sensações. Em comparação, as paredes vaginais contêm relativamente poucas terminações nervosas: apenas um terço da vagina contém terminações nervosas suficientes para sentir a estimulação de um pénis, um dedo ou um vibrador, o que diminui a probabilidade de a mulher ter um orgasmo através da penetração. Uma vez que relata ter orgasmos através da masturbação e do sexo oral, procure encontrar, com o seu marido, uma posição que permita a estimulação do clítoris em simultâneo com a penetração, quer seja através da masturbação – ele pode estimular o seu clítoris com a mão ou com um vibrador, ao mesmo tempo que a penetra, ou pode você mesma fazê-lo – da fricção do corpo dele no seu clítoris, ou até da pressão. Usem lubrificante enquanto o fazem, aumentando assim as sensações que sente.

“A minha ereção não acaba!”

Resultado de imagem para worried man

 “Preciso de ajuda, pois enquanto muitos homens têm problemas de impotência ou com ejaculação prematura, a minha ereção mantém-se por um tempo quase interminável. Há alturas em que nem consigo atingir o clímax. O que posso fazer?”

Bruno, Santa Iria da Azoia

 

Caro leitor,

Algumas pessoas, homens e mulheres, têm dificuldade em atingir o orgasmo. Concentrar-se no momento, desfrutando das sensações, ajuda a chegar ao clímax. Consegue atingir o orgasmo através da masturbação? É-lhe mais difícil conseguir com uma parceira? Manter uma ereção muito prolongada, com dificuldade em atingir o orgasmo pode ser, por vezes, um efeito secundário de algumas substâncias, como antidepressivos, que podem afetar o desejo sexual ou dificultar a libertação através do orgasmo. Da mesma forma, o consumo de álcool ou de drogas como a cocaína podem ter o mesmo efeito. Pode haver, também, questões psicológicas por detrás desta dificuldade. Sente ansiedade ou receio de não corresponder às expetativas da sua parceira (e às suas)? Sempre teve esta dificuldade, ou houve alturas em que isto não sucedia? Encontrar as respostas a estas questões, de preferência através de um acompanhamento terapêutico individualizado, poderá certamente ajudá-lo a descobrir a causa para o seu problema, o que tornará muito mais fácil resolvê-lo. Alguns homens que tenham défice de atenção ou hiperatividade têm dificuldade em atingir o orgasmo devido à dificuldade que têm em concentrar-se no momento e no ato sexual.