Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“A minha mulher tem pouca lubrificação…”

 

“A minha mulher tem muitas dores durante o acto sexual devido a ter dificuldade em ficar lubrificada. A que se deve essa dificuldade?”

João, Castelo de Vide

Caro leitor,

Algumas mulheres necessitam de mais tempo para atingir uma lubrificação que permita  que o coito seja praticado de forma confortável. Para evitar que a sua mulher tenha dores durante a penetração é importante que ela esteja bem lubrificada antes de inserir o pénis, e isto pode ser conseguido através de preliminares mais demorados. Use e abuse da sua imaginação para que possa excitar a sua esposa, pois a excitação ajuda bastante no processo de lubrificação. Esta fase dos preliminares é importante para que se conheçam as zonas erógenas do parceiro de forma a promover uma relação satisfatória.
Experimentem outras posições sexuais, pois algumas posições são absolutamente desconfortáveis para as mulheres, minorando a lubrificação e dificultando a penetração. Pode também recorrer a utilização de um gel lubrificante que pode ser utilizado no sexo vaginal e anal antes da penetração. 

 “Sangrei depois do sexo anal”

“Eu e o meu marido costumamos fazer sexo anal, mas da última vez notei que depois havia sangue no pénis dele, embora não tivéssemos detetado qualquer ferida. No entanto, no dia seguinte senti dores internas mas não consegui detetar o local exato onde estão. É normal isto acontecer com o sexo anal, ou devo ir ao médico?”

 

Cátia, Faro

Cara leitora,

Não é frequente haver danos sérios causados pelo sexo anal, mas se houve perda de sangue e se tem dores deve sem dúvida consultar o seu médico. O sangue que referiu pode ser resultante de uma hemorroida, que consiste numa veia inchada na região anal. As hemorroidas podem libertar sangue, mas não causam normalmente as dores internas que descreve. Pode, também, ter uma fissura anal, que pode ser bastante dolorosa e que demora a cicatrizar pois encontra-se numa região muito delicada. Um problema menos frequente mas mais grave consiste num buraco ou perfuração do cólon, que requer uma cirurgia para ser reparado. É indispensável que consulte o médico para que possa saber exatamente de que se trata e começar a ter o tratamento adequado. Não pratique sexo anal enquanto não estiver completamente restabelecida e, quando voltar a fazê-lo, assegure-se que tomas as medidas necessárias de precaução. O seu parceiro deve penetrá-la de forma lenta e com suavidade, sem forçar o ânus, e devem usar bastante lubrificante. Se ele introduzir dedos no seu ânus deve garantir que as unhas estão curtas e limpas. Devem parar sempre que sentir dor ou desconforto, deve respirar profundamente e então retomar. A respiração ajuda o esfíncter a relaxar, evitando a dor causada pela tensão. Se estiver deitada de barriga para baixo quando o seu marido a penetra será também mais fácil e menos doloroso, visto que existe menos pressão anal.

“Preservativos de poliuretano ou de látex?”

“Pessoalmente prefiro usar preservativos de poliuretano, porque são mais finos e permitem-me sentir um contacto mais próximo, mas gostava de saber se em termos de eficácia são equiparados aos de látex.”

 

Jonas, Lisboa

 

Caro leitor,

De acordo com estudos efetuados a eficácia dos preservativos de poliuretano é equiparada à dos preservativos de látex, quer seja em termos de proteção contra infeções sexualmente transmissíveis quer para prevenir uma gravidez indesejada. O poliuretano é um plástico mais forte que o látex mas que tem menor elasticidade, razão pela qual estes preservativos têm um prazo menor de validade, já que têm maior propensão para se rasgarem. Ainda assim, o seu nível de eficácia é semelhante, pelo que a escolha recai sobre a preferência de cada pessoa e aquilo que considera mais confortável, para além de haver pessoas que são alérgicas ao látex. Os preservativos de poliuretano, sendo mais finos, transmitem mais facilmente o calor, o que faz com que haja pessoas que os preferem, por proporcionarem maior sensação de contacto físico. Existem, ainda, preservativos de poliisopreno, que oferecem uma boa sensação de proximidade com a pele, sendo mais finos que os de látex e tendo maior elasticidade que os de poliuretano.

Pág. 4/4