Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Quero fazer sexo anal!”

 

“Sempre tive o desejo de experimentar fazer sexo anal, mas tenho algum medo de o dizer à minha namorada pois acho que ela não vai aceitar muito bem esta ideia. Como devo abordar o assunto?”
 
Ricardo, Vila Franca de Xira
 
Caro Leitor,
O sexo anal é um tabu para a grande parte das mulheres. Deve falar sobre esse assunto de forma cuidadosa sem que a sua namorada se sinta obrigada a concordar. Exponha-lhe a sua fantasia dando sempre a entender que não ficará magoado se ela lho negar, mesmo que até fique um pouco desapontado. Assegure-lhe que não a forçará a nada e que se decidirem fazê-lo, parará se ela assim o pedir. Caso a sua namorada concorde com a prática, não se esqueça do lubrificante, que é fundamental nesta situação!
 
 

“Gostaria que o meu namorado me algemasse à cama”

Tenho um fetiche recorrente e gostaria de o experimentar com o meu namorado. Queria que ele me algemasse à cama durante a relação sexual. Como fazer para lhe dizer?

Sara – Alfragide

 

Cara Leitora,

Realmente este assunto é bastante delicado e um pouco difícil de ser abordado, mas a melhor forma de conseguir realizar a sua fantasia será conversar com o seu namorado sobre esta questão. Considera-se este tipo de jogos como fazendo parte do chamado Sadismo, no qual a pessoa que controla tem prazer através do sofrimento do outro, embora o Sadismo faça parte integrante das relações humanas mais elementares e seja vivido consoante os
preconceitos de cada indivíduo. Nos jogos Sadomasoquistas, de acordo mútuo, a cada sádico corresponde uma vítima, o masoquista, e é necessário existir por parte de ambos um acordo. É necessário que tenham atenção aos instrumentos utilizados, para que os actos não provoquem dor. Como tal, em vez de utilizar as algemas que poderão provocar ferimentos, usem gravatas ou lenços em que os nós sejam fáceis de desapertar, se por qualquer razão for necessário. Deve responder de forma calma e serena a todas as dúvidas que ele lhe colocar, e se por qualquer motivo ele não aceitar, seja compreensiva e tente entender as suas razões. Terão ambos que acordar para que, assim que um de vós se sinta desconfortável, o jogo termine, de modo a que não provoque qualquer tipo de dor.

 

“Ela quer fazer um ménage à trois!”

 

“(…)Namoro há três anos e sempre tive uma vida sexual bastante activa e divertida. Ultimamente tenho-me surpreendido com a vontade da minha namorada em fazermos amor com mais um homem. ”

Diogo, Santiago do Cacém

 

Caro leitor,

Existem inúmeras práticas sexuais que podem trazer novidade para a vida sexual do casal, sendo o sexo a três uma delas. Pelo que parece a sua namorada quer expandir as vossas práticas sexuais mas o leitor não está perfeitamente à vontade para arriscar no tipo de aventuras sexuais sugeridas pela sua namorada. Converse com ela pois ninguém deve participar em práticas sexuais com as quais não concorda ou que o façam sentir-se desconfortável. É importante que, em conjunto com a sua parceira, explore outras perspectivas que sejam de comum acordo, para que nenhum dos dois
fique constrangido com as escolhas que fizerem. É relevante que respeitem o espaço e a vontade de cada um, pois fazer o que quer que seja para agradar ao parceiro não é a melhor solução para uma vida a dois. Seja sincero, converse com a sua namorada e explique-lhe que não se sente bem ao ter de partilhar os seus momentos de intimidade com uma outra pessoa. Pondo a vossa imaginação a funcionar podem surpreender-se um ao outro e viver momentos bastante proveitosos para ambos. 

 

“Quero fazer amor com dois homens”

“Tenho namorado, no entanto, de há uns tempos para cá, não consigo deixar de pensar em fazer amor com dois homens ao mesmo tempo. Sei que o meu namorado nunca iria concordar, mas não consigo deixar de pensar nesta minha fantasia…”

Sara, Moscavide

 

Cara Leitora,

Fantasiar sobre os mais variados cenários sexuais é perfeitamente normal, sendo a sua fantasia comum nas mulheres. O único problema é quando as fantasias começam a interferir na relação do casal, o que parece ser o seu caso, visto que não consegue deixar de pensar em fazer amor com dois homens ao mesmo tempo. As fantasias podem ser bastante divertidas, mas lembre-se que nem sempre devem ser passadas à prática pois podem ter repercussões bastante sérias não valendo a pena os problemas que podem vir a causar. Segundo nos disse, o seu namorado não iria concordar com essa prática, por isso, se gosta realmente dele, não tenha nenhuma atitude que possa prejudicar a vossa relação. Lembre-se que a realidade pode ser bastante diferente da fantasia!

“Gostava de ser algemada!”

“Já há muitos anos
que tenho um fetiche que gostaria de o experimentar com o meu namorado. Queria
que ele me algemasse à cama durante a relação sexual. Como hei-de fazer para
lhe dizer? Namoramos há 3 meses e não quero que ache que sou uma tarada
sexual!”

 

Sara, Almada

 

Cara Leitora,

Realmente este assunto é bastante delicado e um pouco
difícil de ser abordado, mas a melhor forma de conseguir realizar a sua
fantasia será conversar com o seu namorado sobre esta questão. Considera-se
este tipo de jogos como fazendo parte do chamado Sadismo, no qual a pessoa que
controla tem prazer através do sofrimento do outro, embora o Sadismo faça parte
integrante das relações humanas mais elementares e seja vivido consoante os
preconceitos de cada indivíduo. Nos jogos Sadomasoquistas, de acordo mútuo, a
cada sádico corresponde uma vítima, o masoquista, e é necessário existir por
parte de ambos um acordo. É necessário que tenham atenção aos instrumentos
utilizados, para que os actos não provoquem dor. Como tal, em vez de utilizar
as algemas que poderão provocar ferimentos, usem gravatas ou lenços em que os
nós sejam fáceis de desapertar, se por qualquer razão for necessário. Deve
responder de forma calma e serena a todas as dúvidas que ele lhe colocar, e se
por qualquer motivo ele não aceitar, seja compreensiva e tente entender as suas
razões. Terão ambos que acordar para que, assim que um de vós se sinta
desconfortável, o jogo termine, de modo a que não provoque qualquer tipo de
dor.