Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Sexo na Terceira Idade

universo-jatoba-sexo-terceira1.jpg

 

Apesar da informação ser, muitas vezes, escassa a verdade é que o desejo sexual, a ereção, a lubrificação ou a ejaculação não terminam à medida que a idade vai avançando.

 

Tanto o homem como a mulher podem ser potencialmente ativos a nível sexual até ao fim da vida. É normal, no entanto, que necessitem de mais estímulos, pois há certamente algumas mudanças fisiológicas que merecem também algumas mudanças a nível de ação. Muitas vezes, é até mesmo o pessimismo ou a ansiedade (de não ser capaz) que geram o fracasso sexual.

 

Existe ainda um preconceito em relação às pessoas mais velhas que deve e tem que ser ultrapassado. E há ainda que ter em conta que se a quantidade de vezes com que pratica sexo diminui com a idade, não significa que o desejo sexual desapareceu.

 

A qualidade deve, nesta altura, passar a ser muito mais importante do que a quantidade, esta sim tão importante para os mais jovens. O homem é potente sexualmente e consegue ter uma ereção até estar vivo, e consegue igualmente ejacular até aproximadamente aos 100 anos.

 

Existe ainda a ideia errada de que a mulher, depois de deixar de menstruar, deixa também de ter desejo sexual. Uma ideia formada na sociedade e que está completamente errada.

 

A menopausa não interfere em nada com o desejo sexual ou com a capacidade da mulher de continuar a ser atraente e sensual. Existem sim, nesta fase, algumas alterações na mulher que se prendem com a redução da lubrificação e da mucosa vaginal, mas que podem ser colmatadas também com o aumento de preliminares antes da penetração, capazes de estimulá-la mais facilmente.

 

Tal como o homem, a mulher pode ser sexualmente activa até ao final da vida. Quando entra na terceira idade, tanto ele como ela só necessitam aprender a explorar melhor o todo o seu potencial sexual!

“Tenho tido dificuldade em ficar lubrificada.”

“Tenho 36 anos e estou casada há 8. Eu e o meu marido nunca tivemos problemas a nível sexual, mas ultimamente tenho tido dificuldade em ficar lubrificada. Será que passado todos estes anos estou a ficar seca?”

Vânia, Matosinhos

 

Cara leitora:

Existem várias explicações para o seu problema. Pode dar-se o caso de ter uma infecção vaginal, que causa desconforto durante a penetração e, logo,
dificuldade na lubrificação. Pode também dar-se o caso de estar a tomar algum medicamento que diminua o desejo sexual, fazendo com que tenha mais dificuldade em excitar-se sexualmente e atingir a lubrificação necessária para a penetração. Outra possibilidade é a leitora estar em fase de pré-menopausa. Apesar de a maioria das mulheres atingirem a menopausa em idades mais avançadas, existem excepções nas quais mulheres entram em fase de pré-menopausa por volta dos 35 ou 36 anos de idade. Se esse for o seu caso, a dificuldade em ficar lubrificada é devida a níveis irregulares de estrogénio, que nem sempre são acompanhados por ausência de menstruação. Aconselho-a a consultar um médico para descobrir qual a causa da sua dificuldade em ficar lubrificada, mas entretanto utilize lubrificante o que tornará a penetração bastante mais confortável.

“Não tenho lubrificação suficiente para ter relações sexuais”

“Sou casada há 5 anos e a melhor coisa que tenho na vida é a relação que tenho com o meu marido. Ultimamente tenho tido problemas sérios no trabalho e acho que se estão a transbordar também para casa. Chego cansada, não me apetece conversar com ele e quando
tentamos fazer amor não tenho lubrificação suficiente. O que se passa comigo? Não quero perder a melhor coisa que tenho e começo a ficar assustada.”

 

Sara, Amadora

 

Cara leitora,

 

Como descreve que tem problemas sérios no trabalho é natural que estes se reflictam no seu estado de humor em casa igualmente e na sua maneira de viver as relações sexuais. Se forem passageiros, tente ter paciência e dar tempo ao tempo para que passem. Se previr que se manterão por muito tempo, então deve encontrar modos saudáveis para si de lidar com eles, de os aceitar e de conseguir abstrair-se deles (pelo menos em casa e noutros
contextos), ou mesmo de considerar a procura e mudança de trabalho.

 

A lubrificação vaginal é um sinal de excitação, mas pode sofrer influências do modo como se sente, pelo que pode experimentar utilizar lubrificantes líquidos, em pomadas, comprados em sex-shops, farmácias ou mesmo supermercados. Não a ter ou perdê-la não significa que não esteja a gozar a relação sexual e deve comunicar com o parceiro se desejar uma fase mais longa de preliminares. Comuniquem sobre as coisas que a preocupam, mas dedique-lhes um tempo limitado (por exemplo, meia hora diária depois de chegar do trabalho e não mais do que isso), para que consiga aproveitar o tempo e recuperar as suas forças no seu tempo livre.

Boa sorte!

Lubrificação e excitação

Gostaria de perceber porque é que sempre que não atinjo o orgasmo, isto é, não fico lubrificada, fico com infecção urinaria...porque será??
Paula Cristina
Cara Paula Cristina,
Vou primeiro esclarecer alguns conceitos, para não lhe dar uma informação errada. A resposta sexual humana tem várias fases: desejo, excitação, planalto, orgasmo e resolução. O desejo é a fase da vontade, do apetecer, que pode variar muito as situações em que surge. Na fase da excitação, na mulher, há um aumento do ritmo respiratório e de tensão muscular e surge a lubrificação vaginal produz-se um aumento das dimensões dos pequenos lábios e os grandes lábios ficam menos visíveis. A parte externa da vagina separa-se, o útero encolhe e a vagina torna-se maior. O clítoris aumenta de volume e fica erecto. Também os mamilos ficam erectos e produz-se um aumento de volume dos seios. Na fase seguinte, de planalto, estas mudanças fisiológicas intensificam-se. Na fase de orgasmo há uma libertação da tensão sexual acumulada e sentem-se intensas sensações de prazer. Nem todas as mulheres atingem esta fase, mesmo tendo muita excitação e prazer. Na fase de resolução, o retorno ao estado de repouso produz uma sensação de relaxamento por todo o corpo.
Assim, a lubrificação vaginal está associada à excitação e o orgasmo a um certo culminar da excitação. Quando não fica lubrificada, pode significar que está pouco excitada, a sua vagina está mais apertada e os lábios vaginais menos preparados para a relação sexual. Se tentar a penetração, a fricção pode magoar a mucosa vaginal, pode levar ao desenvolvimento de bactérias da urina (presentes no pénis ou na sua vagina, se não se limparem com cuidado depois de urinar) – o que facilita uma infecção urinária.
Aconselho-a a falar com o seu parceiro sobre ele se limpar cuidadosamente; utilize roupa interior de algodão e roupa pouco apertada; não use sabões vaginais agressivos, apenas de PH neutro. Antes de cada relação sexual beba água e logo depois do orgasmo, da ejaculação e da penetração, urine e lave com água os seus genitais – pode reduzir o aparecimento de infecções urinárias.
Se tem dificuldades de lubrificação, apesar de se sentir excitada, compre lubrificante artificial, em farmácias, sexshops ou supermercados e resolva esse problema.

“Tenho tido dificuldade em ficar lubrificada”

 

“Tenho 38 anos estou casada há 10 anos. Nunca tivemos problemas a nível sexual mas ultimamente tenho tido dificuldade em ficar lubrificada. Será que passado todos estes anos estou a ficar seca?”


Margarida, Cacém

 

Cara leitora

Existem varias explicações para o seu problema. Pode dar-se o caso de ter uma infecção vaginal que causa desconforto durante a penetração e logo dificuldade na lubrificação. Pode também dar-se o caso de estar a tomar algum medicamento que diminua o desejo sexual fazendo com que tenha mais dificuldade em excitar-se sexualmente, e atingir a lubrificação necessária para a penetração. Outra possibilidade é a leitora estar em fase de pré-menopausa. Apesar da maioria das mulheres atingirem a menopausa em idades mais avançadas, existem excepções nas quais mulheres entram em fase de pré-menopausa por volta dos 35 ou 36 anos de idade. Se esse for o seu caso a dificuldade em ficar lubrificada é devida a níveis irregulares de estrogenio, que nem sempre são acompanhados por ausência de menstruação. Aconselho-a a consultar um médico para descobrir qual a causa da sua dificuldade em ficar lubrificada, mas entretanto utilize lubrificante o que tornará a penetração bastante mais confortável.

 

 

 

Tema de hoje: Lubrificação Vaginal

 

(Diego Rivera)

 

Comecei a ter este problema sem perceber porquê: sempre fiquei muito lubrificada mas desde há uns dias que não fico muito e torna-se muito difícil ter relações sexuais sem lubrificação, pelo que tenho que usar lubrificante. Eu consigo ter relações e até me sinto muito excitada, mas não fico molhada. Isto preocupa-me muito.
Aldina
Cara Aldina,
A lubrificação vaginal pode acompanhar a excitação, mas não necessariamente. Deve consultar um médico ginecologista para perceber se há alguma causa fisiológica que possa estar a influenciar a sua repentina falta de lubrificação, como uma infecção sexualmente transmissível ou infecções fúngicas ou bacterianas. Alguns medicamentos que possa estar a fazer podem também ter alguma influência no modo como sente o sexo e como responde fisicamente a ele.
Reflicta se há algum aspecto que tenha mudado na sua vida que possa influenciar o seu bem-estar geral e as suas relações sexuais em particular: a relação com o seu parceiro ou parceira, a estimulação e excitação sexual que fazem antes de tentarem a penetração, que poderá não estar a responder às suas necessidades em tempo ou qualidade ou outros factores externos a vós e que não pode controlar (família, casa, trabalho)…
Alguns factores hormonais da menopausa podem influenciar a capacidade de lubrificação da mulher, mas não sei a sua idade e se tal poderá ser a razão. Terá de fazer uma avaliação médica para perceber o seu perfil hormonal actual.
Procure numa farmácia ou numa sex-shop lubrificantes adicionais, que podem ter sabores, aquecer e lhe podem resolver este problema e até apimentar a sua relação sexual. É muito natural em algumas mulheres adicionarem estes produtos para resolver o problema que sente. Os lubrificantes à base de água são compatíveis com o preservativo, mas pode também encontrar à base de silicone, óleo (como a conhecida vaselina).
Não se preocupe demasiado com este pormenor, pois a descrição da sua excitação e desejo de ter relações sexuais é bem mais importante para o seu prazer. Demore-se nos preliminares e carícias e experimente falar sobre o que gosta mais de sentir para se excitar… pode ser que tal lhe resolva os seus problemas de lubrificação e se não o fizer compre lubrificantes e aproveite o prazer.