Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Queremos casar virgens”

“Eu e o meu namorado temos 17 anos e queremos casar-nos virgens. No entanto, gostávamos de apimentar o nosso relacionamento… há algum tipo de preliminares que possamos fazer sem ir contra a nossa vontade de nos mantermos virgens? Podemos tocar-nos, desde que continuemos vestidos? Há alguma forma de eu o deixar louco sem chegar a vias de facto?”

Cátia, Vila Franca de Xira

 

Cara leitora,

A vossa decisão de continuarem virgens é legítima e até curiosa num tempo em que a ideia de casar virgem perdeu a importância social que tinha, sendo cada vez menos frequente. No entanto, para manterem acesa a chama da paixão é positivo experimentarem a vossa sexualidade dando largas à imaginação. A provocação verbal é um poderoso estímulo, por isso antes de mais comece por sussurrar mensagens insinuantes ao ouvido do seu namorado, “jogue” com ele ao “gato e ao rato”, provocando-o. Explorem o corpo um do outro com todo o tipo de carícias, massagens, uso de óleos perfumados, etc. A masturbação mútua é um poderoso estímulo sem chegar a consumar o acto sexual, porque não há penetração. O sexo oral é muito apreciado, principalmente pelos homens, pelo que é uma boa forma de estimular a libido do seu namorado. Não devem, no entanto, fazer algo com que não se sintam confortáveis. O dialogo mutuo é fundamental para que possam avançar juntos e com segurança. Tenham também em atenção que o sexo oral transporta riscos para a saúde, pelo que devem fazê-lo sempre com preservativo.

“Será que ela era mesmo virgem?”

Tive relações sexuais com a minha namorada há alguns meses e ela disse-me que era virgem, mas eu não acreditei pois ela não sangrou e não teve dores. Será possível que ela fosse virgem?

Guilherme, Gerês

Caro leitor,

Claro que sim. Nem todas as mulheres sangram ou sentem dores durante a sua primeira experiência sexual. O facto da sua namorada não ter sangrado significa que ela ou não tem um hímen ou então este foi rompido anteriormente através de actividade física. O facto de ela não ter tido dores durante a penetração significa que ambos se preocuparam com os preliminares e que ela estava descontraída e excitada, o que é um bom sinal. Por isso não se preocupe e acredite na sua namorada. 

 

 

“É possível saber quando ela deixou de ser virgem?”

“Gostaria de saber se há alguma possibilidade de saber quando foi a primeira relação sexual de uma pessoa, ou seja, em que altura da sua vida…”

 

Tiago, Guarda

 

Caro leitor,

A melhor maneira e a única que conheço de saber tal coisa é perguntar à pessoa quando teve a sua primeira vez. Se está preocupado com a virgindade da sua parceira, lembre-se que não é obrigatório socialmente que todas as pessoas esperem pelo casamento para iniciarem a suavida sexual. Trata-se antes de uma escolha pessoal e privada. As mulheres foram muito penalizadas com as exigências de virgindade, com observações quase públicas do seu hímen, mas hoje em dia a igualdade permite que cada pessoa defina o seu caminho e como o quer viver e sabemos que cientificamente a membrana do hímen intacta não significa virgindade assegurada, pois mesmo ela pode romper ao longo da vida com outras actividades.

“Ela deixou-me por eu ser virgem…”

“Tenho 20 anos e ainda sou virgem, e há pouco tempo comecei a namorar uma rapariga da minha idade, mas ela deixou-me devido ao facto de eu ser virgem. Será que devo deixar de ser virgem para que ela me queira de volta?”

Luís, Guimarães

 

Caro leitor,

Não existe mal nenhum em ser virgem, pois cada pessoa tem a sua própria história de vida e a sua é essa. Até porque grande parte dos jovens agem como se já tivessem tido relações sexuais, quando na verdade não o fizeram. Por isso, não se sinta envergonhado, e espere até encontrar alguém que
o aceite tal como você é, e não se precipite a ter relações sexuais só para perder a virgindade, pois a sua primeira vez deve ser com alguém de quem você
realmente goste e que goste realmente de si.

“O ginecologista pode descobrir que já não sou virgem?”

 

“Tenho 17 anos e perdi a virgindade há pouco tempo. Desde que comecei a ter a menstruação, aos 14 anos, que vou pelo menos uma vez por ano ao ginecologista. Tenho uma consulta brevemente e tenho vergonha de dizer que já não sou virgem, principalmente porque a minha mãe vai sempre comigo. Se eu não disser ele pode descobrir que iniciei a minha vida sexual?
Carla, Castelo Branco
 
 
Cara Leitora,
 Não tenha receio em ir à consulta de ginecologia, pois existe uma convenção associada ao sigilo médico. Assim, o seu ginecologista não deve divulgar nenhum tipo de informação sem o seu consentimento. Também não vejo qualquer razão para que sinta vergonha em não ser virgem. A perda da virgindade é um processo natural, por isso esteja tranquila e vá à sua consulta normalmente. Primeiro porque o seu médico lida frequentemente com este tipo de situações e segundo não deve colocar em risco o seu bem-estar por estar acanhada. Existem de facto vantagens em o seu médico saber que a leitora é sexualmente activa. Dessa forma, pode informá-la a respeito das diferentes formas de contracepção, e pode também realizar testes de rastreio para detectar doenças transmitidas sexualmente, coisa que todas as pessoas que são sexualmente activas deviam fazer. Quanto ao facto do ginecologista poder perceber se já não é virgem, entenda que o seu médico não esta lá para a julgar, mas sim para assegurar que tudo está bem com a sua saúde, por isso é até bom para si que ele esteja a par do facto de que a leitora é sexualmente activa. Se preferir não contar ao seu médico, durante o exame ginecológico, o médico pode verificar se o seu hímen rompeu ou não, porém, o seu hímen pode ser um hímen complacente (ser tão elástico que não se rompa com a penetração). Neste caso, não há forma de se saber se é virgem ou não. Não receie ir à consulta, é apenas para o seu bem.
 

Tema de hoje: virgindade

Fiz agora 20 anos e sou virgem. Eu e meu namorado já tentamos várias vezes a penetração vaginal, mas não obtivemos sucesso. Estou segura que é com ele que eu quero perder a minha virgindade. Mas tenho muito medo da dor, chega a ser estranho de tanto medo que eu tenho. Cada vez mais acho que as dores são mais psicológicas que físicas...O que posso fazer?
Amália
Cara Amália,
Através de email é-me difícil dar-lhe uma resposta satisfatória. Não sei se o insucesso que sentem é por não conseguir a penetração, pelas dores de a sua vagina se contrair ou se não chegam a fazer penetração, pelo seu medo. Há disfunções sexuais femininas – o vaginismo e a dispareunia – que têm tratamento sexológico e que não permitem a penetração, tal como o descreve. No entanto, tal diagnóstico terá de ser feito numa consulta de ginecologia ou de sexologia. Não tenha vergonha de recorrer a uma e terá mais respostas.
Até o fazer, explore com o seu namorado outras formas de relações sexuais: as carícias e massagens, até que se sinta muito à vontade e relaxada. Se tentar a penetração sentindo-se bem consigo mesma e na intimidade com ele poderá conseguir alguns resultados. Usem lubrificante, comprado em farmácias ou sexshops e peça ao seu namorado que a penetre aos poucos e de forma gentil, ou seja, sem colocar o pénis todo na vagina de uma vez. À medida que ele for introduzindo o pénis controle a profundidade e a velocidade da penetração, deve também contrair e relaxar os músculos da vagina durante este exercício. Desta forma irá sentir mais controle durante a penetração e vai acabar por descontrair e por sua vez sentir mais prazer. Aconselho também que explore o seu corpo através da masturbação, para que possa descobrir como gosta de ser tocada e o que lhe da prazer, pois o primeiro passo para sentir prazer com um parceiro e ser capaz de o fazer sozinha.
Apesar destes conselhos, deve consultar um técnico de saúde que a guiará nesta descoberta da sexualidade, que nos pode surpreender de muitas maneiras. Não tenha medos, proteja a sua saúde sexual, faça planeamento familiar para não ter preocupações com gravidezes indesejadas e divirta-se com ele a descobrir o prazer!

Relacionamento

 

Eu perdi a minha virgindade há pouco tempo e eu e o meu namorado queríamos experimentar eu ficar por cima. Só que eu estou em dúvida se o vou conseguir fazer bem. Queria pedir umas dicas. Obrigado.

 

Cara leitora,

 

Não se preocupe, pois naturalmente você vai descobrir o que lhe dá mais prazer tanto a si como ao seu parceiro. A posição superior permite que a Telma controle a velocidade e profundidade da penetração. Esta posição permite também a estimulação clitorial manual ou através da fricção contra o corpo do seu namorado, o que, como vai verificar, pode dar maior prazer à mulher. Por isso, não se preocupe e descontraia, experimente diferentes movimentos e naturalmente irá descobrir qual a melhor técnica para si.

“Não quero que a minha mãe saiba que já não sou virgem.”

 

“Tenho 15 anos, namoro há seis meses e perdi a virgindade há dois. Ele usa preservativo como precaução, mas eu gostava de começar a tomar a pílula. Disse à minha mãe e ela quer ir comigo ao ginecologista dela. Só que eu não quero que ela saiba que não sou virgem. O que devo fazer?”

 

Tatiana, Porto

Cara Leitora,

A sua opção em consultar um especialista é bastante sensata e demonstra já alguma maturidade da sua parte. Ainda bem que adoptou essa postura porque a escolha de um método contraceptivo, e neste caso a pílula, deve ser algo ponderado e com avaliação médica.

O principal objectivo do uso da pílula é impedir a ovulação, evitando assim a gravidez. Aproveite a sua ida ao médico para se informar sobre outros métodos anti-concepcionais.

No mercado pode encontrar inúmeras marcas deste contraceptivo com diferentes dosagens e/ou combinações de hormonas. Assim sendo, cada mulher deve tomar a pílula que melhor se adequa ao seu organismo.

Em relação ao que mais a preocupa, que é a presença da sua mãe na consulta de ginecologia, converse com ela e dê-lhe a perceber que existem certos aspectos da vida em que deve respeitar as opções de cada um, bem como a sua privacidade. Gradualmente, faça com que ela compreenda o seu ponto de vista e quando tiver o à vontade suficiente para contar que já não é virgem, faça-o. Afinal, a sua preocupação demonstra alguma maturidade da sua parte.

Vá ao centro de saúde da sua região, marque a sua consulta e dissipe as suas dúvidas. Evite conflitos desnecessários com a sua mãe.

Fique tranquila que o sigilo é algo fundamental na profissão de médico. 

“Ela tem medo da primeira vez!”

 

 “Tenho 19 anos e namoro com uma rapariga há 6 meses. Gostava de fazer amor com ela, mas ela tem tanto receio de ter dores que não me deixa avançar. Como posso ajudá-la a conseguir ultrapassar isso? Este problema está a deixar-nos cada vez mais ansiosos!”


Tiago, Coimbra

 

Caro Leitor,

O receio que a sua namorada tem em iniciar a sua sexualidade é partilhado por diversas mulheres. Por isso, procure tranquilizá-la, pois ela não tem qualquer problema que não possa ser ultrapassado. É natural sentir algum receio e desconforto aquando do início da vida sexual, mas isso perderá importância com o decorrer das relações sexuais. As dores que ela sente inicialmente começarão a desaparecer quando o canal vaginal se adaptar ao tamanho e ao formato do pénis. Neste sentido, procure ajudá-la a relaxar, pois esse medo apenas fará com que fique tensa, não consiga descontrair e, consequentemente, não consiga ficar excitada nem lubrificada. Ajude a sua namorada a perder essa tensão, pois sem lubrificação o desconforto será notório e será mais difícil alcançar a satisfação sexual. Experimentem utilizar um gel lubrificante de forma a facilitar a penetração e a diminuir as dores. Mostre-se compreensivo, pois juntos poderão arranjar estratégias que melhorem a relação sexual.

“Tenho medo da primeira vez!”

 

“Já tentei iniciar a minha vida sexual, mas tenho tanto receio de ter dores que não deixo que o meu namorado me penetre. Será que vou conseguir ultrapassar isso ou terei algum problema?”
Carla, Abrantes
Cara Leitora,
O receio que tem em iniciar a sua sexualidade é partilhado por diversas mulheres. Por isso, tranquilize-se, pois a leitora não tem qualquer problema que não possa ser ultrapassado. É natural sentir algum receio e desconforto aquando do início da vida sexual, mas isso perderá importância com o decorrer das relações sexuais. As dores que sente inicialmente começarão a desaparecer quando o canal vaginal se adaptar ao tamanho e ao formato do pénis. Neste sentido, procure relaxar, pois esse medo apenas fará com que fique tensa, não consiga descontrair e, consequentemente, não consiga ficar excitada nem lubrificada. Tente perder essa tensão, pois sem lubrificação o desconforto será notório e será mais difícil alcançar a satisfação sexual. Experimente utilizar um gel lubrificante de forma a facilitar a penetração e a diminuir as dores. Peça a colaboração e a compreensão do seu namorado, pois juntos poderão arranjar estratégias que melhorem a relação sexual.