Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Quais os efeitos dos afrodisíacos?

 

 

“As minhas amigas falam muito sobre afrodisíacos e os poderes que têm, mas gostaria de perceber melhor quais são os seus efeitos.”

Rita, Montemor-o-Novo

 

 

 

Cara leitora,

Os afrodisíacos são produtos que, quando ingeridos, têm como finalidade o estímulo e aumento de desejo sexual e têm de facto efeitos práticos. São agentes químicos ou naturais e podemos encontrá-los em vários alimentos. Por ser uma técnica utilizada há séculos e por variados povos, é utilizada uma grande selecção de condimentos, aromas e incensos para estimular o apetite sexual. Os alimentos e condimentos afrodisíacos mais comuns são a pimenta, o morango, a canela e as ostras. Com estes e outros ingredientes podemos preparar receitas que despertam os sentidos e aumentam o prazer e o desejo sexual. Também existem agentes químicos, prescritos por especialistas, que despertam a vida sexual, ajudando na obtenção da erecção. Porém, há que ter cuidado ao ingerir este tipo de produtos afrodisíacos pois alguns, quando em excesso, podem causar efeitos secundários muito perigosos. 

“Os chás afrodisíacos resultam mesmo?”

“É cada vez mais frequente ver à venda em ervanárias chás que afirmam estimular o apetite sexual. Gostava de saber se esses afrodisíacos resultam mesmo e se, por outro lado, podem trazer alguma consequência negativa para a saúde.”
Manuel 
Caro Leitor,
 
Hoje em dia é bastante usual ver em revistas e sites na Internet anúncios referentes aos poderes milagrosos de certos produtos. Os afrodisíacos têm como objectivo principal ajudar na desenvoltura sexual, porém, é preciso ter bastante cuidado na selecção destes produtos e dos locais onde são adquiridos. Procure uma ervanária de confiança, aconselhe-se sobre o afrodisíaco mais recomendado e esclareça junto do técnico todas as suas dúvidas. Antes de tomar qualquer produto desta natureza aconselho a que tenha alguns cuidados básicos. Certifique-se de que não é alérgico a nenhum dos elementos que compõem o produto e restrinja-se apenas às doses recomendadas. Os afrodisíacos podem ser utilizados de diversas formas, sendo o chá apenas uma delas. Até pequenos detalhes na alimentação poderão fazer com que haja um maior estímulo sexual. Lembre-se contudo que é muito importante que, aliado ao uso de afrodisíacos, esteja criado um clima propício que favoreça e estimule o acto sexual.
 
 

“Não me apetece fazer amor!”

“Tenho 39 anos e sempre gostei de sexo, mas ultimamente não me apetece fazer amor. Tenho uma ótima relação com o meu marido mas já nem sequer consigo dormir ao seu lado, opto por dormir no sofá. Não me sinto mal mas sei que faço o meu marido sofrer.”

Carla, Odemira

 

 

Cara leitora,

As principais causas para a falta de desejo sexual nas mulheres são a entrada na menopausa, problemas de saúde e problemas na relação matrimonial. Parece-me que nenhum destes casos se aplica a si pois diz ter uma boa relação com o seu marido e não ter problemas de saúde. Pode dar-se o caso de ter iniciado o processo da menopausa, o que frequentemente causa dificuldades a este nível. O seu desinteresse sexual pode dever-se também à monotonia. Aconselho-a a experimentar coisas novas com o seu marido, tenham imaginação e criem fantasias. Se quiser pode também tomar um suplemento natural para repor a energia sexual, este pode ser tomado todos os dias e demonstra resultados após duas semanas. Trata-se de um produto que contém afrodisíacos naturais e não necessita de receita médica. Empenhe-se mais na vossa relação e verá que as coisas começarão a aquecer!

Receitas afrodisíacas: ostras

5-modos-de-preparar-ostras-2.jpg

 

As ostras são hermafroditas do reino animal, sendo as alquimistas do oceano, e são o afrodisíaco mais conhecido no mundo. Ao longo da história, as ostras e a dança amorosa do desejo parecem ter sido feitas uma para a outra. As ostras nascem na espuma dos estuários e nas marés de baías, e por esta razão estão associadas com o nascimento de Afrodite e de Vénus, as deusas do amor grega e romana. O amante mais famoso do mundo, Casanova, considerava as ostras como "um estímulo para o espírito e para o amor". Ele comia, rotineiramente, cinquenta ostras ao pequeno-almoço colocando-as nos lábios e corpo das suas amantes e comendo uma por uma.

 

Porque é que as ostras estimulam o paladar e a paixão? Existe uma prova clara, química e fisiológica que suporta há mais de 2 milhões de anos a sua justificação histórica, anedótica e mitológica. As ostras são referidas muitas vezes como o "leite do oceano", são poderosamente nutritivas, de baixas gorduras e calorias (uma ostra tem à volta de 10 calorias) e são compostas por zinco, um elemento importante para a produção de testosterona, o qual aumenta a atividade sexual tanto do homem como da mulher.

 

Ostras salteadas:

Este é um prato simples de preparar. Quando comprar as ostras lembre-se que as ostras frescas devem vir com os seus próprios fluidos, e que o líquido da ostra deve ser claro. A maneira correcta de comer ostras é deixá-las na boca por alguns segundos, de forma a apreciar o seu sabor, e depois engoli-las sem as mastigar. Prepare este prato delicioso e sirva com pão de alho e salada para uma refeição amorosa completa.

- 2 Dúzias de ostras frescas

- ½ Chávena de farinha

- Sal e Pimenta preta

- 2 Ovos

- ½ Chávena de miolo de pão

- 2 Colheres de sopa de azeite

- 1 Colher de sopa de margarina

- Rodelas de limão

- Molho de Cocktail

Abra as ostras e ponha-as num prato. Misture a farinha com o sal e pimenta, e mexa os ovos pondo 2 colheres de sopa de água. Coloque as ostras, uma de cada vez na farinha e depois o ovo batido com o miolo de pão. Ferva o azeite com a margarina num recipiente grande e pesado. Vá salteando as ostras, virando-as até as ostras estarem douradas, mais ou menos 3 minutos. Servir com rodelas de limão e molho de cocktail.

 

Ostras naturais:

- 1 Dúzia de ostras

- 1 Limão cortado em pedaços

- Gelo picado

Abra as ostras cuidadosamente sem perder o sumo natural das mesmas. Coloque-as abertas num prato sobre gelo picado. Corte o limão em 4 pedaços e ponha um pouco do sumo de limão em cada ostra antes de a comer.

Álcool: afrodisíaco ou perigo para a saúde?

dbb56afea333335a_shutterstock_136921391.xxxlarge_2

 

Tenho uma dúvida que é, em parte, causada por informações dúbias que aparecem na imprensa. Se nalguns jornais e revistas aparece que o álcool é um perigo para a saúde, noutros aparece que é um óptimo afrodisíaco. Afinal em que ficamos? Poderá esclarecer-me esta dúvida?

Francisco – Évora

 

Caro Leitor,

De facto, existem os chamados falsos conceitos relativos ao álcool como por exemplo, que quando consumido pela manhã dá energia, que alimenta durante o dia, que é um afrodisíaco, etc. Este produto quando consumido diariamente e em grandes quantidades pode causar problemas de saúde muito graves. Quando consumido em determinadas quantidades, pode ter um efeito desinibidor, aumentar desejo sexual, mas com um efeito de redução do desempenho sexual. Pode também ser a causa de impotência nos homens e da frigidez nas mulheres. No entanto, o álcool pode ser considerado afrodisíaco se consumido em quantidade pequenas e esporadicamente. Ajuda a libertar as inibições, fazendo com que todos os receios e ansiedades sejam suprimidos e com que a pessoa seja mais receptiva. Podemos dizer que este produto funciona de duas maneiras contraditórias, se por um lado tem um efeito desinibidor, pois o seu efeito reduz os centro inibidores do cérebro, permitindo que certos desejos reprimidos sejam libertados, por outro pode ter o efeito oposto, ou seja, pode fazer com que a pessoa adormeça, ficando sem reflexos e não tire partido da situação de que estava a tentar usufruir. O melhor será optar por outro tipo de afrodisíaco, para não cair na cama e não se divertir.

“O chocolate é mesmo afrodisíaco?”

“Há dias ouvi uma amiga comentar que, para além das ostras e da canela, também o chocolate tem poderes afrodisíacos. É verdade?”

 

Carolina, Paço de
Arcos

Cara leitora,

O chocolate é considerado o rei da comida em todo o mundo. Quimicamente e culinariamente, o chocolate é um dos alimentos mais mágicos e tem sido considerado por muitos como a “comida dos deuses”. Já foi utilizado como dinheiro, valorizado na medicina e, acima de tudo, considerado como um poderoso afrodisíaco. Poucos alimentos para além do chocolate são tão misteriosos e têm um efeito químico tão poderoso para o cérebro e corpo. Não só porque os químicos neuroactivos do chocolate produzem uma sensação de bem-estar, mas também porque a perfeita combinação do doce e da gordura encontradas no chocolate (um bombom de chocolate tem 50 % de açúcar e 50% de gordura) estimulam os pontos de prazer e a produção de endorfinas no cérebro. Os hidratos de carbono encontrados num bombom de chocolate também aumentam os níveis de seratonina no cérebro, um químico que eleva e estabiliza o estado de humor.

“Será que as bebidas alcoólicas têm um poder afrodisíaco?”

“Iniciei a minha vida sexual há pouco tempo e cada vez que vou para ter relações sexuais com o meu namorado sinto-me muito nervosa. Comentei isto com umas amigas e elas disseram-me que se eu bebesse antes do acto que me sentiria mais à-vontade. Será mesmo verdade?”

 

Margarida, Moura

 

Cara leitora,

Realmente existem muitas pessoas que, para que o nível de ansiedade e stress diminua e consigam estar mais desinibidas durante o acto sexual, consomem bebidas alcoólicas antes e durante as relações. Efectivamente, o álcool pode ter estes efeitos mas, infelizmente, quando consumido em grandes quantidades causa mais danos do que benefícios. Tem a capacidade de diminuir a intensidade dos estímulos que se estão a receber, dificultando o orgasmo e impedindo também que os intervenientes se envolvam afectivamente no acto sexual. Vários estudos demonstram que, tanto em homens como em mulheres, o álcool tem efeitos devastadores a nível sexual. A longo prazo pode causar impotência nos homens, e nas mulheres aumenta substancialmente o número de casos de abuso sexual. Tente resolver a sua ansiedade de outra forma, converse com o seu namorado sobre o que sente. Não opte pelo consumo de álcool ou drogas para resolver os seus receios pois este vai apenas camuflar o problema, fazendo com que este tome dimensões bem piores!

 

 

“Gostaria de saber o que são afrodisíacos.”

“Eu e os meus amigos por vezes falamos de sexo, e eles falam muito sobre afrodisíacos. Como não sei bem o que são, fico calado e não comento nada. Será que me pode explicar o que são e para que servem os afrodisíacos?”

Márcio, Lousada

Caro leitor,

Os afrodisíacos são um dos elementos mais utilizados para estimular a vida sexual ou para despertar o interesse sexual. Estes são agentes químicos ou
naturais que impulsionam o desejo sexual. Dentro dos afrodisíacos podem incluir-se alimentos e cheiros e o seu objectivo é estimular o apetite sexual, manter ou prolongar a excitação. Em termos alimentares a aparência, o gosto e as cores dos alimentos são indispensáveis para produzir o efeito desejado. Dentro dos alimentos considerados afrodisíacos encontram-se os morangos, o pepino, a pimenta, a canela, as ostras e também o álcool se ingerido em pequenas doses, visto que é um desinibidor de comportamentos. Alguns aromas provocados por incensos, velas, perfumes ou loções, tais como o cheiro da abóbora ou do mentol, também exercem uma grande influência no estímulo do apetite sexual. Existem do mesmo modo agentes químicos, prescritos por especialistas, que despertam e intensificam a vida sexual, estimulando a erecção. Porém, neste último caso é importante ter em conta os efeitos secundários quer ao nível cardíaco quer ao nível da erecção dolorosa e prolongada sem qualquer estímulo sexual.

 

“Tomar chás afrodisíacos faz mal?”

Uma amiga falou-me de alguns chás afrodisíacos que se vendem em farmácias para estimular o desejo sexual. Será que não fazem mal à saúde?”

Paula, Fátima

 

Cara Leitora,

 

O principal objectivo dos afrodisíacos é ajudar na desenvoltura sexual. Porém, é preciso ter-se bastante cuidado na selecção destes produtos e nos locais onde os adquire. Actualmente é bastante comum ver-se em diversas revistas, placards publicitários e sites, anúncios referentes aos poderes milagrosos dos afrodisíacos. Procure uma ervanária de confiança, aconselhe-se sobre o afrodisíaco mais recomendado e esclareça junto do técnico todas as suas dúvidas. Antes de tomar qualquer produto desta natureza aconselho a que tenha alguns cuidados básicos. Certifique-se de que não é alérgico a nenhum dos elementos que compõem o produto e restrinja-se apenas às doses recomendadas. Os afrodisíacos podem ser utilizados de diversas formas e
o chá é apenas mais uma. Até pequenos detalhes na alimentação poderão fazer com que haja um maior estímulo sexual, embora seja importante que, aliado ao uso de afrodisíacos, esteja criado um clima propício que favoreça e estimule o actosexual.

“O álcool é afrodisíaco ou um perigo para a saúde?”

 

 “Tenho uma dúvida que é, em parte, causada por informações dúbias que aparecem na imprensa. Se é um dado comummente divulgado que o álcool é um perigo para a saúde, nalguns jornais e revistas aparece como sendo considerado um afrodisíaco. Poderá esclarecer-me esta dúvida?"

 

Marco – Lisboa

 

Caro Leitor,

De facto, existem os chamados falsos conceitos relativos ao álcool, como por exemplo que quando consumido pela manhã dá energia, que alimenta durante o dia, que é um afrodisíaco, etc. Este produto, quando consumido diariamente e em grandes quantidades, pode causar problemas de saúde muito graves. Quando consumido numa quantidade muito moderada pode ter um efeito desinibidor e aumentar o desejo sexual, mas com um efeito de redução do desempenho sexual. Pode também ser a causa de impotência nos homens e da frigidez nas mulheres. No entanto, o álcool pode ser considerado afrodisíaco se consumido em quantidades pequenas e esporadicamente. Ajuda a libertar as inibições, fazendo com que todos os receios e ansiedades sejam suprimidos e com que a pessoa seja mais receptiva. Podemos dizer que este produto funciona de duas maneiras contraditórias, se por um lado desinibe, pois o seu efeito reduz os centros inibidores do cérebro, permitindo que certos desejos reprimidos sejam libertados, por outro pode ter o efeito oposto, ou seja, pode fazer com que a pessoa adormeça, ficando sem reflexos e não tire partido da situação de que estava a tentar usufruir. O melhor será optar por outro tipo de afrodisíaco, para não cair na cama e não se divertir.