Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Como prevenir o cancro da próstata?”

 

Rodin

 

 

“Tenho 55 anos e o meu pai faleceu há alguns anos devido a um cancro na próstata, por isso gostaria de saber como se pode diagnosticar esta doença, e como posso evitá-la. ”
Luís, Braga
 
 
 
 
Caro leitor,
Para prevenir esta doença, é importante que, a partir dos quarenta e cinco anos, todos os homens consultem um médico e façam o exame do toque rectal, ou seja, um exame no qual o medico examina através do tacto o tamanho da próstata. Caso o médico encontre algo de anormal, é essencial que se faça uma ecografia transrectal com biopsia prostática. Através das partículas retiradas para a biopsia é possível a realização de um exame de análise de patologia, de modo a avaliar o estado do tumor, pois é necessário averiguar se o tumor está apenas restringido à próstata ou se alastrou para outros órgãos periféricos, tais como a bexiga, vesículas seminais ou recto. Os sintomas mais frequentes neste tipo de doença são a extrema dificuldade em urinar, pouca pressão ao urinar, sensação de não esvaziar a bexiga por completo após urinar e, em alguns casos, sangue na urina. Tal como em muitas doenças, a melhor forma de a evitar é a através da prevenção. Quanto mais cedo o cancro for diagnosticado melhores as probabilidades de cura.

“A quimioterapia tira o desejo sexual?”

Infelizmente foi-me recentemente diagnosticado um cancro na próstata e por isso comecei a fazer quimioterapia. Gostaria de saber se existe alguma relação entre este tratamento e a perda de desejo sexual.”

Paulo, Porto

 

Caro Leitor,

Alguns estudos têm demonstrado que este tipo de tratamento a que tem sido submetido, quimioterapia, de facto interfere no desempenho sexual, tanto de homens como de mulheres porque, para além de ter repercussões ao nível físico, também deixa sequelas psicológicas, provocando alterações ao nível da autoestima, do grau de sociabilidade e da imagem corporal. Por outro lado, alguns homens sofrem imenso com os efeitos secundários do tratamento, sentindo-se cansados e maldispostos, o que dificulta a ereção e diminui, naturalmente, a vontade de ter relações sexuais.

Assim sendo, é normal que o seu desejo sexual tenha diminuído, pois esta doença provoca oscilações físicas, psicológicas e emocionais. Nem sempre é fácil deparar-se com este tipo de situação, uma vez que para muitos homens a sua masculinidade e virilidade é provada pelo bom desempenho sexual e quando isso não acontece o nível de frustração é elevada. Aconselhe-o a viver com naturalidade e encare estas dificuldades como situações normais no decorrer no tratamento e das consequências inerentes a ele.

“A quimioterapia tira o desejo sexual?”

 

 

“Infelizmente foi-me recentemente diagnosticado um cancro na próstata e por isso comecei a fazer quimioterapia. Gostaria de saber se existe alguma relação entre este tratamento e a perda de desejo sexual.” 
Paulo, Porto
 
Caro Leitor,
Alguns estudos têm demonstrado que este tipo de tratamento a que tem sido submetido, quimioterapia, de facto interfere no desempenho sexual, tanto de homens como de mulheres porque, para além de ter repercussões ao nível físico, também deixa sequelas psicológicas, provocando alterações ao nível da auto-estima, do grau de sociabilidade e da imagem corporal. Por outro lado, alguns homens sofrem imenso com os efeitos secundários do tratamento, sentindo-se cansados e maldispostos, o que dificulta a erecção e diminui, naturalmente, a vontade de ter relações sexuais.
Assim sendo, é normal que o seu desejo sexual tenha diminuído, pois esta doença provoca oscilações físicas, psicológicas e emocionais. Nem sempre é fácil deparar-se com este tipo de situação, uma vez que para muitos homens a sua masculinidade e virilidade é provada pelo bom desempenho sexual e quando isso não acontece o nível de frustração é elevada. Aconselhe-o a viver com naturalidade e encare estas dificuldades como situações normais no decorrer no tratamento e das consequências inerentes a ele.
 

 

“Posso vir a ter cancro da próstata?”

 

 

 

“Tenho cinquenta anos e ultimamente ando muito apreensivo pois como tenho ouvido falar sobre o cancro da próstata gostaria de saber do que se trata, e como se pode diagnosticar esta doença. Existem possibilidades de vir a contraí-la?”
Alexandre
 
Caro leitor,
O cancro da próstata é uma das doenças que mais afecta os homens com idade superior aos cinquenta anos. No sentido de prevenir esta doença, é importante que, a partir dos quarenta e cinco anos, todos os homens consultem um médico e façam o exame do toque rectal. Caso seja diagnosticado algo de anormal, é essencial que se faça uma ecografia transrectal com biopsia prostática. Através das partículas retiradas para a biópsia é possível a realização de um exame de análise da patologia, de modo a avaliar o estado do tumor, pois é necessário averiguar se está apenas restringido à próstata ou se alastrou para outros órgãos periféricos, tais como a bexiga, vesículas seminais ou recto ou se espalhou metástases. Os sintomas mais frequentes neste tipo de doença são a extrema dificuldade em urinar, pouca pressão ao urinar, sensação de não esvaziar a bexiga por completo após urinar e, em alguns casos, sangue na urina. Tal como em muitas doenças, o ideal é manter um espírito de prevenção.
 

“Como prevenir o cancro da próstata?”


“Tenho 55 anos e o meu pai faleceu há alguns anos devido a um cancro na próstata, por isso gostaria de saber como se pode diagnosticar esta doença, e como posso evitá-la. ”


Luís, Bobadela

Caro leitor,
Para prevenir esta doença é importante que, a partir dos quarenta e cinco anos, todos os homens consultem um médico e façam o exame do toque rectal, ou seja, um exame no qual o médico examina através do tacto o tamanho da próstata. Caso o médico encontre algo de anormal, é essencial que se faça uma ecografia transrectal com biopsia prostática. Através das partículas retiradas para a biopsia é possível a realização de um exame de análise de patologia, de modo a avaliar o estado do tumor, pois é necessário averiguar se o tumor está apenas restringido à próstata ou se alastrou para outros órgãos periféricos, tais como a bexiga, vesículas seminais ou recto. Os sintomas mais frequentes neste tipo de doença são a extrema dificuldade em urinar, pouca pressão ao urinar, sensação de não esvaziar a bexiga por completo após urinar e, em alguns casos, sangue na urina. Tal como em muitas doenças, a melhor forma de a evitar é a através da prevenção. Quanto mais cedo o cancro for diagnosticado melhores as probabilidades de cura.