Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Dores na glande do pénis

Cara Doutora,

Questão: Tenho 21 anos e o meu pénis não é circuncidado nem tenho qualquer tipo de problema em colocar o prepúcio para trás, mas sinto uma ligeira dor em toda a glande, extremamente sensível, o que me causa desconforto e me perturba quando vou praticar o acto sexual.
Gostaria de saber se deixar a glande fora do prepúcio durante alguns dias (quantos?) é a solução ou, se a Drª me aconselha outro tipo de tratamento.
João
Caro João,
 
O seu caso deve ser observado por um médico de clínica geral ou um especialista em urologia. Há algumas condições que precisam de intervenção médica para aliviar certas dores nas relações sexuais, mas apenas um técnico de saúde e de falar sobre o seu pénis e a sua sexualidade com os técnicos de saúde, eles estão habituados e o seu trabalho é esclarecer as suas dúvidas e preocupações. Deixar a glande de fora por alguns dias não me parece ser uma solução para o seu desconforto, excepto se algum técnico de saúde o recomendar.
Veja também o post da circuncisão masculina.
 

Circuncisão ou não eis a questão?

 

 

Mesmo nos tempos que correm ainda existem
muitas mulheres que não percebem o que realmente é a circuncisão masculina, não
entendendo também por que razão deve ser realizada nos homens. Na realidade, a
circuncisão nada mais é do que uma intervenção cirúrgica que permite remover o
prepúcio, ou seja, a pele que cobre a glande do pénis. A tradição de fazer esta
intervenção nos homens é já muito antiga, mas na verdade pode prevenir alguns
problemas nos órgãos genitais, como infecções urinárias, inflamações no pénis,
etc e corrige ainda a fimose (incapacidade que um homem tem de expor a sua glande),
reduz o risco de doenças sexualmente transmissíveis, pois permite uma higiene
mais cuidada. A circuncisão pode ser realizada durante a infância ou já numa
fase adulta, e aí tudo depende das queixas que o indivíduo tenha.

Se já colocou, muitas vezes, a questão de
tentar perceber se um homem é ou não circuncizado basta reparar se o seu pénis,
quando não está erecto, possui a pele (prepúcio) que cobre a glande deste
órgão. Neste caso, não terá feito a intervenção, caso contrário, a pele não
cobre a glande do pénis, é porque foi circuncizado em algum momento da sua
vida.

 

 

Tema de hoje: Circuncisão Masculina

 

Comecei agora a ter relações sexuais e tenho bastantes dores. Acho que é porque ainda tenho aquele cordãozinho que agarra a ponta do pénis ao resto (freio ou prepúcio, penso eu). Devo ir a algum médico? É normal isto acontecer?
 
David
 
Caro David,

 

O prepúcio e o freio são duas partes diferentes da anatomia do órgão sexual masculino: o prepúcio é uma pele fina e elástica que cobre a glande e o freio é a ligação do prepúcio à glande.

 

Como descreve dores intensas nas relações sexuais, tal pode acontecer porque o prepúcio não é suficientemente elástico ou porque o freio é curto – em ambas as situações deve submeter-se à pequena cirurgia que refere e prevenir maiores complicações futuras para si.

 

Saiba que muitos homens fazem a circuncisão logo cedo enquanto bebés, por razões culturais ou familiares, embora na cultura portuguesa apenas se faça em situações recomendadas medicamente, como a sua. Saiba que é uma operação simples e rápida, em que o prepúcio é cortado à volta da glande e suturam as peles. Coloca-se então um penso protector que é retirado depois de 2 a 3 dias e os pontos depois de 7 dias. A cicatrização total ficará completa ao fim de 2 a 3 semanas e poderá aproveitar melhor as relações sexuais a partir daí.

 

Pode ter medo de perda de sensibilidade, mas não se preocupe: depois da operação esta aumenta um pouco, mas será fácil de se habituar e como as dores durante o sexo desaparecem, certamente gostará da sua nova sensibilidade!

 

Os médicos que realizam esta operação chamam-se urologistas e poderá ter acesso a uma consulta da especialidade através do seu médico de família, num hospital da sua área de residência.

 

“A circuncisão feminina faz mal?”

 

“Eu sou circuncidado e gostava que me esclarecesse acerca da circuncisão feminina. Não entendo porque a fazem nem que implicações pode ter na saúde da mulher. Existe alguma vantagem para a mulher em ser circuncidada?”
Sérgio - Felgueiras
Caro Leitor,
A circuncisão nas mulheres é praticada por questões culturais ou religiosas, mas não tem qualquer razão médica para ser praticada. Esta é uma prática cruel que tem por objectivo privar as mulheres de prazer sexual, pois implica a remoção do clítoris e do capuz clitoriano, o que além de ter graves consequências a nível sexual pode também causar hemorragias graves e infecções, podendo mesmo provocar a morte da mulher circuncidada. Estas práticas tiveram início em África e na Arábia e foram efectuadas com o principal objectivo de reduzir o desejo sexual das mulheres, fazendo com que elas não tivessem a pretensão de procurar outros homens que não fossem os respectivos maridos, e que não se masturbassem, por ser algo considerado impuro. Apesar de ser uma prática considerada por muitos como bárbara, infelizmente é ainda efectuada em inúmeros países, apesar de, em muitos deles, já existir informação sobre os riscos que as mulheres correm.