Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“A diabetes influencia a sexualidade?”

 

 

 

 

 

 

 

 

“Tenho 49 anos e sou diabética, e como tal tomo medicação bastante rígida prescrita pelo médico. Gostava de saber se a doença pode condicionar a minha sexualidade, pois já ouvi falar em algumas coisas a esse respeito que me deixaram alarmada.”

Luísa, Fátima

 

Cara Leitora,

Estudos feitos têm demonstrado que algumas mulheres com diabetes têm tendência a ter certas dificuldades no que respeita ao seu desempenho sexual. Os problemas mais diagnosticados são: diminuição do desejo sexual, redução da lubrificação vaginal e dor durante a penetração sexual.

Porém, se considera que o facto de ter diabetes e de ter uma medicação rígida de alguma forma pode condicionar a sua vida sexual, é importante que fale com o seu médico assistente ou solicite a ajuda dos membros da sua equipa de aconselhamento da diabetes para que juntos possam encontrar alternativas para ultrapassar esta questão. Muitas medicações para a diabetes têm como efeito secundário a redução da libido que é responsável pelo desejo sexual. Mas tenha em consideração que cada pessoa é um caso e a diabetes tem diferentes repercussões de pessoa para pessoa. Não encare a doença como um entrave à sua vida sexual. Tente ter uma postura mais descontraída e se necessário peça ajuda ou uma orientação médica.

 

 

“A diabetes influencia a sexualidade?”

“Sou uma rapariga de 19 anos e iniciei a minha vida sexual recentemente. Gostaria de saber se a diabetes influencia a vida sexual, pois tenho esta doença e estou preocupada, uma vez que tomo medicação. Será que esta doença pode prejudicar a minha vida sexual e impedir-me de ter prazer?”
 
Cláudia, Peniche
 
 
 
Cara Leitora,
Certos estudos têm demonstrado que algumas mulheres com diabetes têm tendência a ter dificuldades a nível do seu desempenho sexual. Dos problemas diagnosticados destacam-se a diminuição do desejo sexual, a redução da lubrificação vaginal e a dor durante a penetração sexual.
Porém, é importante que fale com o seu médico assistente ou solicite a ajuda dos membros da sua equipa de aconselhamento da diabetes de modo a que possam ser encontradas alternativas para ultrapassar esta questão. Certo tipo de medicação para a diabetes tem como efeito secundário a redução da libido, a qual é responsável pelo desejo sexual, mas cada caso deve ser estudado isoladamente pois a diabetes tem repercussões variáveis de pessoa para pessoa.
Não encare a diabetes como um entrave à sua vida sexual, adopte uma postura mais descontraída e, não se sinta inibida de pedir ajuda ou uma orientação médica.