Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“O meu marido tem sangue no esperma…”

 

 

 

“Há algum tempo que tenho verificado que o esperma do meu marido possui resíduos de sangue. Já o aconselhei a consultar um médico mas ele não me dá ouvidos. O que será que ele tem?

Carla, Almada

 

Cara leitora,

Se, por um lado, a presença de sangue no esperma pode ser irrelevante, tratando-se de uma pequena inflamação na próstata, por outro lado poderá ser algo que inspire mais cuidado e vigilância. Fale seriamente com o seu marido e convença-o a procurar um médico o mais rapidamente possível, pois a presença de sangue no esperma pode ser sinónimo de hemospermia ou hematospermia. É importante que o seu marido compreenda a seriedade da situação e que decida consultar o médico. A presença de sangue no esperma pode ter origem infecciosa na próstata ou nas vesículas seminais. Para além da alteração da coloração do esperma, o ardor na uretra e a dificuldade em urinar são alguns dos sintomas mais comuns entre os doentes com
hemospermia. Neste sentido, aconselhe o seu marido a procurar o médico assistente a fim de realizar exames de urina e uma ecografia transrectal, a
qual tem como objectivo avaliar a anatomia das vesículas seminais, da próstata e da uretra prostática, e verificar a possível existência de quistos nessas
áreas. Enquanto não apurarem as causas da presença de sangue no esperma é aconselhável que interrompam a actividade sexual e que o seu marido evite exercícios e situações que possam magoar a próstata.

O herpes genital é transmissível, mesmo usando preservativo?

doenças

Tenho uma dúvida que me tem deixado inquieto. A minha namorada, há dois meses, teve herpes genital. Evitámos durante esse período ter relações sexuais. Todavia houve uma vez que não resistimos e fizemos amor, mas utilizámos o preservativo. É possível transmitir o vírus mesmo usando o preservativo?

Pedro, Guimarães

Caro leitor,

O herpes genital é uma das doenças sexualmente transmissíveis mais comuns e é causada por um vírus. Embora a probabilidade da sua transmissão usando o preservativo ser reduzida, o contágio do parceiro não está fora de questão. Isto porque durante o contacto sexual (vaginal, anal ou oral) as áreas que se encontram desprotegidas estarão em contacto directo com a pele de ambos. Todavia, para que seja possível a transmissão é necessário que o vírus esteja activo. Os sintomas mais salientes são bolhas, ardor, comichão e dor. É importante ter em conta que este vírus pode voltar a reaparecer no corpo do seu portador, uma vez que o herpes não tem uma cura definitiva. Assim, é essencial ter bastante cuidado na coordenação da vida sexual e seguir escrupulosamente as indicações médicas de forma a salvaguardar o bem-estar de quem é portador do vírus e a integridade física do parceiro. Como curiosidade, informo-o que as mulheres são mais susceptíveis a este tipo de doenças.