Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Tema de hoje: masturbação

(Desenho de Rodin)

 

Gostaria que me desse uma informação que já há muito me atormenta. Tenho 23 anos e na maior parte das vezes que o meu parceiro sexual me estimula o clítoris, após alguns minutos sinto dor chegando mesmo a deixar de sentir prazer. Será que existe algum motivo? Será uma reacção normal?
Susana
 
Cara Susana,
 
Pela informação que me dá penso que pode estar a sentir uma reacção normal à estimulação que o seu namorado lhe faz. O clítoris é um órgão sensível e que é essencial no prazer feminino, mas não há uma maneira certa de o estimular, nem todas as mulheres gostam de lhe tocar da mesma maneira. A estimulação pode ser feita segundo certos movimentos (vertical, horizontal, circular), pode ser acompanhada ou não de penetração vaginal (com os dedos, a língua, o pénis, ou mesmo brinquedos eróticos), a um certo ritmo (mais ou menos lento, mais ou menos repetitivo) e as variações destes devem respeitar a sua vontade e excitação momentânea. Pode acontecer que perca a lubrificação natural a dada altura, o que pode levar a alguma dor. Pode ter lubrificante adicional para estas situações, de preferência à base de água para que seja compatível com o preservativo, caso o utilizem.
Encontre uma forma de exprimir ao seu namorado como gosta de ser estimulada: pode falar-lhe sobre isto ao ouvido, mostrando-lhe como gosta que ele faça e em que momentos lhe magoa, ou oriente-o com as suas mãos, corpo e sons de prazer. Todos os casais têm de aprender a dar e a receber prazer um do outro – e a comunicação é essencial para esta aprendizagem.
Se ainda assim continuar a sentir desconforto ou dor com a estimulação, procure ajuda sexológica especializada ou falar com o seu ginecologista.

O que é o "fisting"?

top Kissing wallpaper hd 2013.jpg

 

"Sou lésbica e não tive muitas experiências sexuais, mas gostaria de vir a ter. Tenho procurado informação na Internet e em revistas e ouvi falar sobre o fisting, mas não sei exatamente de que se trata ou como seu faz. Pode esclarecer-me?"

Filipa - Sacavém

 

Cara leitora,

A técnica do fisting, que tanto pode ser utilizada entre mulheres como numa relação heterossexual, não é geralmente explicada mesmo quando se abordam as questões relativas às técnicas sexuais. O fisting consiste em introduzir toda a mão dentro da vagina ou do ânus da parceira/(o), e aqueles que são adeptos desta técnica consideram que traz sensações de prazer muito intensas para ambos os parceiros. Há que ter em conta, contudo, que existem riscos envolvidos, pois embora possa proporcionar um prazer muito intenso também causa dor e pode danificar os tecidos da pele. Nesta técnica é fundamental que haja comunicação e confiança mútua, descontração e muito lubrificante. As unhas devem estar cortadas e limpas, sendo aconselhável usar uma luva de látex, bem lubrificada, na mão que é introduzida. Além de o látex tornar a entrada mais suave, funciona como uma barreira de protecção que impede a transmissão de doenças. No caso de fisting vaginal, deve ser utilizado um lubrificante à base de água porque não irrita a pele, no caso de anal pode ser um lubrificante mais oleoso o à base de silicone, para que seja mais duradouro. Embora os lubrificantes oleosos danifiquem o látex as luvas são mais resistentes do que os preservativos. Antes de por esta técnica em prática é fundamental que ambos os parceiros estejam absolutamente descontraídos, e a pessoa que penetra a outra deve começar suavemente por introduzir os dedos, gradualmente e sem pressas. Quando os dedos estiverem introduzidos, devem enrolar suavemente até o punho fechar, enquanto a mão é introduzida também. Quando toda a mão estiver dentro da vagina ou do ânus, a pessoa que faz a penetração pode abri-la e fechá-la suavemente, como se estivesse a apertar uma bola antistress, para estimular a outra pessoa. Durante todo este processo é fundamental que haja uma boa comunicação entre os parceiros para evitar a dor, e tudo deve ser feito com calma e muita suavidade.

Tema de hoje: fantasias

 

 

 

Ter fantasias sexuais é bastante saudável, no entanto quando a imaginação sexual é muito fértil, e as pessoas querem experimentar práticas sexuais alternativas, tais como o Sado-masoquismo, há que tentar estabelecer limites e regras. As regras dos jogos sexuais têm de ser acordadas por ambos para que, chegando a um determinado limite, o jogo acabe sem que haja dor. Nos jogos sexuais sado-masoquistas a excitação é conseguida através de técnicas sexuais com princípios que são por muitos considerados cruéis, pois podem aparentemente acarretar alguma dor. Pode-se considerar este tipo de jogos como fazendo parte do chamado Sadismo, no qual a pessoa que controla o jogo sexual tem prazer através do controle do parceiro. No entanto, nos jogos Sadomasoquistas a cada sádico corresponde um submisso, o masoquista, e é necessário existir por parte de ambos um acordo. É necessário que tenham atenção aos instrumentos utilizados, para que os actos não provoquem demasiada dor ou danos. Por isso, o casal deve escolher uma palavra-chave, e quando esta é dita por algum dos membros do casal o jogo erótico deve ser imediatamente interrompido.

 

“Tenho muitas dores ao fazer amor!”

“Não sei o que se passa comigo, mas de um momento para o outro comecei a ter imensas dores durante o ato sexual. Receio desiludir o meu marido, pois sinto que estou a atrapalhá-lo. O que se passa?”

 

Carla, Beja

 

Cara Leitora,

Tendo em conta que começou a sentir esse desconforto repentinamente, talvez se trate de uma infeção vaginal. Porém, seja o que for, a melhor atitude a tomar será consultar um médico o quanto antes, pois poderá estar a sofrer desnecessariamente bem como poderá colocar a saúde do seu marido em risco. Consulte urgentemente um médico ginecologista, pois neste caso só ele poderá ajudá-la a detetar o que se passa consigo, fazer a despistagem e aconselhar um tratamento. Por vezes as infeções originam a falta de lubrificação, o que provoca um enorme desconforto sexual e, consequentemente, dores insuportáveis.

Em relação à sua preocupação no que diz respeito ao bem-estar sexual do seu marido, converse com ele, pedindo para que ele seja compreensivo, pois, para o bem de ambos, irá consultar um médico e enquanto não souber a causa dessas dores o melhor será suspender a atividade sexual. 

“Custa-me penetrar a minha namorada em outras posições!”

  

 
“A minha namorada diz que lhe custa quando eu a tento penetrar noutras posições além da do missionário. Quando tentamos inovar ela diz que sente muitas dores durante a penetração.”
Tiago, Santarém
 
Caro Leitor,
Nem sempre a descoberta de novas posições sexuais se traduz em mais prazer para ambos os parceiros, pois algumas posições podem ser desconfortáveis, originando dores e mal-estar, o que parece ser o caso da sua namorada. Procurem experimentar posições novas, mas apenas depois da sua namorada estar bem lubrificada, desta forma ambos poderão aproveitar da melhor forma esse momento de entrega e partilha. Procurem ser cuidadosos nas posições que adoptam e se mesmo assim as dores persistirem não hesite em aconselhar a sua namorada a consultar um médico. Não percam essa vontade de continuar a dinamizar a vossa vida a dois.
 

Ele tem o pénis muito grande

casal

 

 

Tenho 25 anos, e recentemente comecei a namorar com um rapaz de cor, de quem gosto muito, mas ele tem um pénis muito grande, o que me causa dores durante o acto sexual. Não sei o que fazer pois gosto muito dele.

 

Carina, Vilamoura

 

Cara Leitora,

De facto essa é uma situação desconfortável, e nem sempre fácil de resolver. Muitas vezes os homens preocupam-se com o tamanho do seu pénis, por acharem que este é muito pequeno, e não se lembram que de facto se o pénis for muito grande não há muito a fazer. Os casais que eu conheço que estão na mesma situação que a sua acabam por utilizar um gel lubrificante durante o acto sexual, bem como tentam posições diferentes, que não magoem tanto. Pode também pedir para ele ter cuidado durante a penetração, e colocar a mão à volta do pénis para que este não a penetre de forma tão profunda. Converse com ele e experimente algumas alternativas para ajudar a vossa relação.