Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Não tenho lubrificação suficiente para ter relações sexuais”

“Sou casada há 5 anos e a melhor coisa que tenho na vida é a relação que tenho com o meu marido. Ultimamente tenho tido problemas sérios no trabalho e acho que se estão a transbordar também para casa. Chego cansada, não me apetece conversar com ele e quando tentamos fazer amor não tenho lubrificação suficiente. O que se passa comigo? Não quero perder a melhor coisa que tenho e começo a ficar assustada.”

 

Sara, Amadora

 

Cara leitora,

 

Como descreve que tem problemas sérios no trabalho é natural que estes se reflictam no seu estado de humor em casa igualmente e na sua maneira de viver as relações sexuais. Se forem passageiros, tente ter paciência e dar tempo ao tempo para que passem. Se previr que se manterão por muito tempo, então deve encontrar modos saudáveis para si de lidar com eles, de os aceitar e de conseguir abstrair-se deles (pelo menos em casa e noutros contextos), ou mesmo de considerar a procura e mudança de trabalho.

 

A lubrificação vaginal é um sinal de excitação, mas pode sofrer influências do modo como se sente, pelo que pode experimentar utilizar lubrificantes líquidos, em pomadas, comprados em sex-shops, farmácias ou mesmo supermercados. Não a ter ou perdê-la não significa que não esteja a gozar a relação sexual e deve comunicar com o parceiro se desejar uma fase mais longa de preliminares. Comuniquem sobre as coisas que a preocupam, mas dedique-lhes um tempo limitado (por exemplo, meia hora diária depois de chegar do trabalho e não mais do que isso), para que consiga aproveitar o tempo e recuperar as suas forças no seu tempo livre.

Boa sorte!

Uma Noite Ardente

original.jpg

 

Planeie a sua noite de sedução começando pelo menos duas horas antes da chegada do seu parceiro. Prepare um menu delicioso, selecione a sua música favorita, ponha a mesa, e relaxe. Apague as luzes e acenda muitas velas. Crie uma iluminação exótica, adornando as lâmpadas com tecidos. A lareira acesa aquece as emoções no inverno, assim como uma brisa balançando as cortinas numa noite quente de verão encanta o ambiente. Monte uma mesa elegante com um arranjo floral para criar um ambiente romântico. Mas não se limite! Um sofá com almofadas macias e uma mesa baixa com um buffet de entradas afrodisíacas pode ser confortavelmente sensual. Ou, melhor ainda, salte da mesa de jantar para o quarto de dormir, preparando uma mesa revestida com pétalas de rosa na sua cama, de forma a poder explorar os prazeres da comida. Renda-se à magia dos aromas usando velas aromáticas de baunilha (relaxante), ou canela (hilariante) ou abóbora (estimulante). O cheiro da culinária também excita. Alho cozinhado, pimenta, cebola, especiarias… um quarto com aromas evoca excitação sensual. O que beber com o seu menu sedutor? Pode preparar cocktails e bebidas exóticas, mas não exagere no álcool pois o álcool provoca desejo, mas prejudica o desempenho sexual.

“Gostaria de saber o que são afrodisíacos.”

“Eu e os meus amigos por vezes falamos de sexo, e eles falam muito sobre afrodisíacos. Como não sei bem o que são, fico calado e não comento nada. Será que me pode explicar o que são e para que servem os afrodisíacos?”

Márcio, Lousada

Caro leitor,

Os afrodisíacos são um dos elementos mais utilizados para estimular a vida sexual ou para despertar o interesse sexual. Estes são agentes químicos ou naturais que impulsionam o desejo sexual. Dentro dos afrodisíacos podem incluir-se alimentos e cheiros e o seu objectivo é estimular o apetite sexual, manter ou prolongar a excitação. Em termos alimentares a aparência, o gosto e as cores dos alimentos são indispensáveis para produzir o efeito desejado. Dentro dos alimentos considerados afrodisíacos encontram-se os morangos, o pepino, a pimenta, a canela, as ostras e também o álcool se ingerido em pequenas doses, visto que é um desinibidor de comportamentos. Alguns aromas provocados por incensos, velas, perfumes ou loções, tais como o cheiro da abóbora ou do mentol, também exercem uma grande influência no estímulo do apetite sexual. Existem do mesmo modo agentes químicos, prescritos por especialistas, que despertam e intensificam a vida sexual, estimulando a erecção. Porém, neste último caso é importante ter em conta os efeitos secundários quer ao nível cardíaco quer ao nível da erecção dolorosa e prolongada sem qualquer estímulo sexual.

 

Os mistérios da masturbação feminina

 

 

Entre elas costuma ser um assunto proibido, mas a verdade é que as mulheres também se masturbam, simplesmente não confessam. Não é um assunto típico das suas conversas, tão natural entre quase todos os homens. A mulher masturba-se exactamente pelas mesmas razões que o
homem: obter prazer! Porém, enquanto o homem não se envergonha do acto e consegue até fazê-lo com “assistência”, a mulher não quer ajuda para masturbar-se e prefere fazê-lo sozinha, sem “público”. Elas não costumam excitar-se a olhar para fotos ou vídeos, a hora da masturbação, para o sexo feminino, é uma viagem solitária, em que atingir o prazer de olhos fechados é
uma das melhores técnicas.

É através da masturbação que pode descobrir as suas verdadeiras fontes de prazer e na hora do sexo com o parceiro tudo pode ser ainda melhor. Tocar-se ensina-lhe a perceber a força ou a suavidade
necessária que precisa para atingir um orgasmo.

A masturbação feminina ainda é vista por muitos homens como algo negativo e, muitas vezes, eles até se sentem inseguros com esta situação, pensando que as suas parceiras têm fantasias com outros.
Contudo, a verdade é que este exercício é muito positivo para as mulheres, e ajuda a melhorar a intimidade do casal. Se ela não souber encontrar prazer em si, mais dificilmente será retribui-lo ao outro. A masturbação permite à mulher prestar mais atenção a si mesma e não esperar sempre que seja o companheiro a fazer algo para atingir o clímax.

Existem várias técnicas de masturbação feminina, sendo que a mais clássica é a estimulação do clitóris e da vagina.
Para ajudá-la a obter prazer, use lubrificantes nesta hora, pois mais facilmente atingirá o orgasmo. Utilizar brinquedos sexuais, como por exemplo um vibrador, pode também tornar-se um dos métodos eficazes para obter prazer.

A masturbação feminina é também uma forma de procurar vencer a anorgasmia (dificuldade em atingir o orgasmo) e explorar o seu corpo é a melhor receita para conseguir ter com o seu marido ou namorado uma sexualidade plena.

Sexo Baunilha ou com sabor extra forte?

o-sex-facebook.jpg

 

A designação "Sexo Baunilha", refere-se à relação sexual convencional, por oposição ao sexo praticado em relações de BDSM. A expressão deriva do inglês "vanilla sex", por analogia com o sabor de gelados: aqueles que têm medo de arriscar podem pedir baunilha, pois será sempre aquele sabor familiar, sem surpresas nem riscos. Há, contudo, muitas pessoas para quem "extra forte" nunca é picante demais.

 

Qualquer relação sexual beneficia do "amor" e dos gestos e momentos de puro carinho e troca de carícias com meiguice e cuidado. No entanto, a vida sexual de dois adultos pode, de vez em quando, precisar de alguns elementos mais picantes e de arrebatamentos de paixão para não cair na rotina, que leva à monotonia e, por consequência, ao arrefecimento e à apatia. Nem todas as pessoas gostam de gestos impetuosos ou de soltar a fera que há em si quando têm relações sexuais, e as relações BDSM (com e sem sexo) não são para toda a gente. É importante, antes de mais, ter bem claro que nunca deve ir além daquilo que realmente deseja fazer.

 

O prazer de magoar

O sadismo é uma das atividades do BDSM, e define o prazer em infligir dor no outro, retirando deleite e satisfação do facto de estar a fazer sofrer. Para descanso dos mais suscetíveis, saiba que assim como existem sádicos, há também masoquistas, pessoas que sentem real prazer na dor que lhes é causada. Enquanto que no domínio o dominador procura ter controlo sobre o submisso, no sadismo é na dor que assenta o foco de prazer. Esta dor não é, contudo, cruel: é uma dor apaixonada, na medida em que o que a provoca deseja que ela seja sentida com paixão, e o que a sofre deseja que ela seja infligida com paixão. A excitação é aqui retirada do facto de estar submetido à vontade do outro, no caso dos masoquistas, e de humilhar, fazer sofrer, no caso dos sádicos. O facto de dominar os sentidos do outro excita o que pratica o sadismo, que se sente estimulado pelo seu próprio poder. Este é um jogo de contornos extremos, em que pode haver limites negociáveis e outros indiscutíveis, por serem mais pesados.

 

Uma questão de confiança

Tenha sempre presente que a confiança é a pedra basilar que sustém este tipo de relação. Os praticantes de BDSM (Bondage e Disciplina, Dominação e Submissão, Sadismo e Masoquismo) regem-se por três princípios básicos: ser são, ser seguro e ser consensual. Como tal, existem códigos de conduta que são respeitados. Numa relação de sado-masoquismo, por exemplo, aquele que exerce o domínio apresenta ao que se submete a ele um contrato, onde todos os limites são definidos, assim como o tempo durante o qual o submisso está sob o domínio do seu dominador. A palavra de segurança, que tem de ser acordada entre os dois, é no caso do sado-masoquismo ainda mais importante, pois é ela que define até onde o sádico pode ir. Esta palavra deve ter um significado distanciado do ato praticado, como por exemplo "tangerina" ou "amarelo", pois neste contexto dizer "pára!" ou "não!" pode ser um incentivo a prosseguir…

O sexo contribui para uma vida mais saudável

Estudos indicam que o sexo contribui para uma vida mais saudável e até actua como 'medicamento' preventivo em certas situações. De que forma e em que aspectos isto pode ser verificado?

 

A sexualidade é uma dimensão muito importante da vida dos humanos, ainda mais hoje em dia, em que a sociedade está muito "sexualizada". Os estímulos sexuais chegam-nos de toda a parte e por qualquer coisa. Nunca se falou e mostrou tanto sexo na história. No entanto, tal não significa mais informação adequada e sempre correcta. Provavelmente há tantos mitos e tabus como antes.  

O que constitui uma vida saudável depende muito de cada pessoa, mas para a maior parte de nós certamente que a sexualidade (e o sexo é apenas uma parte dela!) é uma fatia relevante do bolo. Os afectos entre as pessoas, as relações familiares e íntimas, os contactos físicos e de proximidade são necessidades e factores de boa saúde mental e qualidade de vida no geral, que fazem parte da nossa sexualidade enquanto seres humanos. Pode prevenir-se assim a depressão e a ansiedade, o isolamento social e a solidão, as somatizações que alguns de nós têm (sintomas físicos - como dores de cabeça, de costas ou outros - que reflectem problemas inconscientes de foro psicológico) e mesmo doenças que surgem a longo prazo na vida e que uma satisfação e qualidade de vida podem retardar o seu aparecimento.

Ao nível do sexo propriamente dito, das relações sexuais, o provérbio popular responde bem: "A função faz o órgão" – ter ao longo dos anos uma vida sexual saudável e satisfatória previne o aparecimento de disfunções sexuais como a disfunção eréctil (a impotência como se dizia antes), a falta de desejo ou libido, as dificuldades de excitação e de atingir o orgasmo. Desde que seja sexo seguro, protegido pelo preservativo e seguido medicamente pelo menos uma vez por ano (para avaliar possíveis infecções sexualmente transmissíveis, células pré-cancerígenas, fazer o acompanhamento da contracepção utilizada, etc.) é saudável e muito desejável para o corpo e a mente terem uma vida sexual activa e feliz.

 

Young_Couple_In_Love_1920X1200_Wallpaper_6640.jpg

 

“O meu marido tem erecção todas as manhãs!”

 

 

Casei há dois meses, e o meu marido acorda com uma erecção todas as manhãs mesmo depois de termos tido relações sexuais na noite anterior. Será que isso significa que ele aida está excitado?”

Suzana, Coimbra

 

Cara leitora,

Muitos homens têm erecção matinal devido ao contacto com os cobertores ou devido à pressão na área genital resultante de terem a bexiga cheia. Muitos homens e mulheres acreditam que só porque o homem tem uma erecção significa que ele está excitado e quer ter relações sexuais, mas a realidade não é bem assim. O homem pode ter uma erecção mesmo sem estar sujeito a qualquer tipo de estímulo sexual e sem o intuito de ter relações. Por isso, o facto do seu marido acordar todos os dias com uma erecção não significa, obrigatoriamente, que ele queira ter relações mas sim que ele precisa de urinar. No entanto, existem pessoas que preferem ter relações de manhã devido a sentirem-se mais descansadas e com mais energia. Observe o comportamento do seu marido e veja o que ele faz. Se ele a procurar com mais frequência de manhã significa que prefere ter relações a essa hora, mas por opção pessoal e não porque tem de ter relações só porque acordou com uma erecção!

Carícias e malícias: doces torturas

903685.jpg

 

Um objeto tão inofensivo quanto uma pluma pode tornar-se, se usado por uma mão maliciosa e certeira, num torturante objeto de forte carga erótica. Saiba como dar um uso diferente a objetos que usa no seu dia a dia, como a gravata, o lenço de seda e uma pluma ou pena.

 

Na obra 'As Cinquenta Sombras de Grey', Christian Grey usa a sua gravata para prender os pulsos de Anastasia, deixando-a a arder de desejo e ansiedade em relação ao que ele lhe vai fazer a seguir.

 

De facto, quando um homem chega a casa e cumprimenta a sua parceira com um demorado beijo na boca, se ao mesmo tempo desapertar a gravata que teve vestida durante todo o dia e, com um gesto firme, a usar para imobilizar os pulsos da parceira, facilmente despertará nela arrepios de prazer.

 

O facto de combinar um acessório de vestuário que esteve à vista de todos com um ato tão secreto e privado entre o casal pode ser poderosamente estimulante. Não tem, de todo, de ser o homem a prender a mulher. Ela própria pode sub-repticiamente tirar-lhe a gravata e usá-la para atar os pulsos dele atrás das suas costas, por exemplo. Pode, também, usar um lenço de seda que ela própria tenha posto durante o dia para lhe prender as mãos ou, em alternativa, para vendá-lo. O toque da seda ou do cetim evoca cenários luxuriosos, sensuais e estimulantes, deslizando suavemente sobre a pele.

 

Estando ele vendado e/ou amarrado, experimente utilizar um divertido objeto que lhe provocará sensações inesquecíveis: a pluma. Embora possa adquirir plumas específicas para este efeito na sex-shop, pode também usar uma pena suave que tenha em casa. Use-a deslizando pelo corpo, tocando-o muito subtilmente. Alterne entre os ombros, desça e suba as costas se ele estiver voltado, os braços, o peito, a barriga, a parte exterior e interior das coxas, as pernas, o pescoço… até chegar à região genital. Faça algumas cócegas mas não abuse demasiado, pois o objetivo do jogo é provocar excitação. Use a pluma como se fosse um pincel, dando pinceladas longas e arrastadas por certas partes do corpo, depois alternando com toques rápidos com a ponta da pluma. Desenhe círculos, oitos, linhas verticais e horizontais. Escreva, desenhando a letra a letra com movimentos da pluma uma palavra no corpo dele, e obrigue-o a adivinhar qual é. A pluma é um excelente acessório para usar nos preliminares. Quando a excitação estiver ao rubro, pode passar a outras brincadeiras, como o sexo oral, a masturbação ou o coito.

“Perco a erecção durante o acto sexual”

“Tenho erecções normalmente, sinto-me excitado com a minha parceira e temos óptimos preliminares. Mas durante a penetração vou perdendo a erecção. No entanto, se, a partir daí, pararmos e iniciarmos os preliminares novamente, o meu pénis fica erecto de novo. Sinto que em geral os preliminares são melhores que o acto sexual em si. Por causa disso, tenho problemas para ejacular pois demoro demais e nunca ejaculo através da penetração. Como homem, este problema chateia-me muito. O que está errado comigo? O que posso fazer para tentar resolver o problema? O facto de usar preservativo pode atrapalhar o prazer de um homem?”

 

Mário, Setúbal

 

Caro leitor,

Penso que o seu problema é encarar a penetração como um momento de performance, de competição consigo mesmo, de luta interna para mostrar que consegue… Consegue excitar-se antes de ter de enfrentar a situação da penetração e depois, mas no momento exacto deve entrar num papel de espectador de si mesmo, a ver como funciona e o que o seu pénis está a fazer, que o distrai de sentir o prazer e as coisas boas associadas à relação sexual. Descontraia, tenha pensamentos positivos, não se preocupe em perder e voltar a ter erecções – o corpo e a cabeça funcionam mesmo assim e tal pode significar um aumento do prazer para a ua parceira. Se continuar a preocupar-se nas situações sexuais a dificuldade que descreve pode tornar-se num problema em bola de neve, com cada vez mais preocupações. Não há nada de errado consigo e usar preservativo é muito positivo para a sexualidade…pratique um pouco sozinho e na masturbação o seu uso para que não o atrapalhe no momento da colocação. Se o problema persistir, consulte um médico urologista ou de sexologia de modo a resolver o problema desde cedo e ter o prazer a que tem direito.

 

Kama Sutra - Posições

A Posição Envolvente

 

Segundo Kalyana Malla, a Posição Envolvente é "muito adequada para aqueles que ardem

de desejo". Deitada de costas, a mulher levanta um pouco os pés e cruza-os

de modo a que suas pernas tomem a forma de um diamante. Então o homem deita-se sobre ela e penetra-a, como na posição básica.

 

 

Grande excitação

Como as suas pernas parecem apontar para a sua vagina e emoldurá-la, esta posição pode ser

muito excitante para ambos.

 

Apoio das mãos

Apoie-se com as mãos para evitar exercer muita pressão sobre as pernas da parceira.

Para ela esta posição lembra um acto de servidão, talvez pelo fato de a pélvis estar bem

aberta e o clitóris exposto, o que é bastante sensual para a relação. A penetração não é muito

profunda, mas a posição é prazerosa para ela.