Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Tema de hoje: fantasias

 

 

 

Ter fantasias sexuais é bastante saudável, no entanto quando a imaginação sexual é muito fértil, e as pessoas querem experimentar práticas sexuais alternativas, tais como o Sado-masoquismo, há que tentar estabelecer limites e regras. As regras dos jogos sexuais têm de ser acordadas por ambos para que, chegando a um determinado limite, o jogo acabe sem que haja dor. Nos jogos sexuais sado-masoquistas a excitação é conseguida através de técnicas sexuais com princípios que são por muitos considerados cruéis, pois podem aparentemente acarretar alguma dor. Pode-se considerar este tipo de jogos como fazendo parte do chamado Sadismo, no qual a pessoa que controla o jogo sexual tem prazer através do controle do parceiro. No entanto, nos jogos Sadomasoquistas a cada sádico corresponde um submisso, o masoquista, e é necessário existir por parte de ambos um acordo. É necessário que tenham atenção aos instrumentos utilizados, para que os actos não provoquem demasiada dor ou danos. Por isso, o casal deve escolher uma palavra-chave, e quando esta é dita por algum dos membros do casal o jogo erótico deve ser imediatamente interrompido.

 

Devo aderir ao swing?

swingers-clubs.jpg

 

"Sempre fui feliz com a minha companheira, e sempre experimentamos, a nível sexual, tudo o que existia. Agora estou indeciso em aderir ao swing, talvez por desconhecimento ou receio, mas a verdade é que sinto uma forte curiosidade e a minha companheira partilha do mesmo interesse que eu, sendo que já abordámos este assunto por diversas vezes."

Alexandre - Odivelas 

 

Caro leitor,

O swinger encara a sexualidade desprovida de preconceitos, na qual há uma libertação de tabus e as fantasias ganham vida com outros casais, aceitando que o parceiro tenha relações sexuais com outras pessoas. Há efetivamente um envolvimento carnal e nunca sentimental. Os swingers encaram o casamento como um partilhar em pleno de uma vida a dois, valorizando a fidelidade emocional em detrimento da física. Por isso o que tem de perceber e discutir com a sua parceira é o que pretendem enquanto casal. A introdução desta nova prática sexual na vida do casal pode provocar profundas mudanças na forma de viver a vossa relação de casal e a vossa sexualidade. Procure, em conjunto com a sua parceira, ponderar os prós e os contras na adesão a esta prática, equacionando o que será melhor e mais proveitoso para ambos.

Tema de hoje: Fantasias

O meu namorado ultimamente tem-me pedido para que eu depile a zona púbica por completo, mas eu não sei se lhe devo fazer a vontade.

                                                                                                                  Teresa

Cara Leitora,
E de louvar o bom relacionamento que a leitora mantém com o seu namorado, uma vez que ele se sente à vontade para lhe revelar as suas fantasias e preferências a nível sexual. No entanto, é importante que ambos os parceiros estejam de acordo com o acto, o que não parece ser o caso, pois a leitora parece estar um pouco indecisa. Neste sentido, antes de tomar qualquer decisão em relação a esta fantasia, ou a qualquer outra que o seu namorado sugira, pense no seu bem-estar primeiro e se está disposta a realizá-la ou não. A leitora não deve fazer nada com que não se sinta à vontade. No caso de depilar a sua zona genital por completo, a vantagem é que a depilação não é definitiva, por isso a leitora pode experimentar e ver como se sente, se não gostar da sensação, espere que os pêlos voltem a crescer e não o faça novamente de futuro.

 

 

 

 

 

 

Fantasias Sexuais

 

 

As fantasias sexuais são comuns nos seres humanos, e fantasiar sobre sexo nada mais é do que um recurso natural para alcançar o prazer sexual combinando o corpo e a mente. De acordo com especialistas, as fantasias sexuais possuem vários objectivos, entre os quais aumentar o prazer da actividade sexual, funcionar como substituto da experiência real, induzir à excitação ou ao orgasmo, funcionar como um ‘ensaio mental’ para experiências sexuais posteriores, e fornecer um meio seguro e controlado de experimentar o sexo sem culpa ou constrangimentos. Um dos aspectos mais interessantes das fantasias sexuais é que estas permitem que tanto homens como mulheres se libertem de tabus e experimentem na sua imaginação várias situações sexuais além do limite da realidade, dando um novo sabor ao acto sexual. Existem também casos em que os casais podem partilhar e até mesmo realizar algumas das suas fantasias sexuais, o que contribui para o aumento da cumplicidade entre o casal.

 

Fantasias Sexuais

 

 

 

Há alguns anos atrás este assunto era um tabu na nossa sociedade. Não quer dizer que muitos homens e mulheres não tivessem inúmeras fantasias sexuais, mas na verdade, estes pensamentos
libidinosos eram considerados pecado e, na maior parte das vezes, jamais eram revelados e poucas vezes concretizados. Hoje em dia, a mente está mais aberta a estas situações e, a verdade é que, muitas vezes, a realização destas fantasias pode salvar casamentos, que desta forma conseguem fugir à rotina.

A fantasia sexual é descrita como um desejo que um determinado indivíduo tem, de fazer algo diferente do habitual a nível sexual, que só de imaginar lhe dá um enorme prazer. É claro que existem algumas fantasias que são condenáveis, porém outras podem tornar a nossa intimidade cada vez mais saudável. As fantasias sexuais mais comuns entre os homens revelam-se na vontade que estes têm de fazer amor com uma enfermeira, uma professora ou uma empregada doméstica. No caso das mulheres, elas fantasiam com homens de farda e também com um professor, por exemplo. Os ambientes onde se possa ter uma relação sexual com alguém, são também muito fantasiados, sendo
que locais perigosos, onde haja hipótese de se ser apanhado, são os mais usuais. Falamos, por exemplo, de elevadores, em piscinas ou dentro do carro.

Não se envergonhe de realizar as suas fantasias sexuais, desde que não se coloque em perigos reais e não prejudique ninguém.

Ele visita sites pornográficos!

“Estou com o meu namorado há quatro anos e temos o que eu considero ser uma boa relação. Estamos a morar juntos e planeamos casar no próximo ano. No entanto, eu costumo passar os fins-de-semana em casa dele e, quando noutro dia precisei de usar o computador dele, reparei que ele costuma visitar vários sites de pornografia. Além de me deixar incomodada isto surpreendeu-me
bastante, pois não estava à espera desta atitude da parte dele. Será que não está satisfeito com a nossa relação?”

Cláudia, Braga

Cara leitora,

É bastante compreensível que se sinta magoada perante essa situação. Pode ser que ele ao comprar casa e comprometer-se a casar consigo se sinta encurralado e queira a todo a custo manter a sua independência. Ele deve sentir-se bastante nervoso com a ideia de manter a monogamia para sempre, e como não pode ter relações com outras mulheres, pois isso iria destruir a vossa relação, optou por recorrer à fantasia. Dessa forma ele pode continuar a imaginar e a fantasiar outras relações sem no entanto a trair. Sugiro-lhe que converse com o seu namorado sem o atacar, pois isso só vai fazer com que ele se retraía. Descubra que temas e que fantasias o excitam e tente incorporá-los na vossa relação. Seja ousada e aberta a novas experiências de forma a que a vossa relação não se torne monótona.

Tema de hoje: Fantasias

“Tenho 22 anos e há uns meses os meus amigos desafiaram-me a assistir a um espectáculo de striptease. Desde então não consigo parar de pensar na forma como aquelas mulheres dançavam, e masturbo-me várias vezes ao dia a pensar nelas. Serei tarado?”
João, Alcochete
 
 
Caro leitor,
O seu comportamento é perfeitamente normal, por isso esteja descansado quanto às atitudes que tem vindo a ter. Ao contrário do que durante muito tempo se pensou, a masturbação não é um acto perverso, obsceno ou indecente. A masturbação é algo inerente à sexualidade humana e deve ser aceite com naturalidade, tal como as fantasias que a estimulam. Quanto ao facto de gostar de striptease não há qualquer problema, pois a grande maioria dos homens partilha do mesmo gosto, caso contrário não existiriam casas de striptease. A mente humana e as suas fantasias são o mais forte afrodisíaco alguma vez inventado, pois na nossa mente podemos realizar todas as nossas fantasias sem receios ou limites. O que pode estar a deixá-lo apreensivo é a frequência com que as fantasias sobre mulheres a fazer stiptease têm surgido na sua mente e a quantidade de vezes que se tem masturbado ao pensar nisso. Se verificar que esse comportamento se torna incontrolavel, tornando-se constrangedor e incomodativo, procure um especialista na área da sexologia para que este possa aconselhá-lo sobre a melhor forma de ultrapassar esta questão.
 

“Porque é que o meu marido se masturba?”

 “Sou casada e tenho uma relação sexual satisfatória com o meu marido. No entanto, sinto-me apreensiva porque há uns dias surpreendi-o a masturbar-se. Não consigo entender porque é que ele se masturba. Será que já não me deseja? Ele diz que é para se livrar do stress do dia-a-dia, mas nunca ouvi falar nisso. O que já ouvi falar é que libertamos a tensão sexual, mas ele diz que não é isso. Gostaria que me ajudasse a compreender o que se passa com ele.”

 

Lídia, Setúbal

 

 

Cara leitora,

 A masturbação é uma actividade de busca de prazer com o próprio corpo e órgãos genitais, que pode ser feita solitariamente ou numa relação sexual. O prazer que o seu marido sente ao fazê-lo sozinho não significa que não goste de si, não goste da vossa relação ou que precise de mais qualquer coisa sexualmente. Há efectivamente pessoas que utilizam a masturbação para aliviar o stress (quanto mais nervosas mais o fazem) e, se isso não significar falta de controlo, inadequação dos sítios e situações onde o fazem, ou seja, se não houver um carácter compulsivo no comportamento, não há problema nem é disfuncional. Apenas pode chocar se não souber que é possível e se moralmente não gostar da ideia de masturbação. Como reagiu negativamente ao perceber que ele o fazia na sua ausência, ele sentiu-se pressionado a dizer que não sentia prazer. Pode ser que o sinta ou não, mas tal não põe em causa o que sente por si e as relações sexuais que tem consigo.

Não se afaste do seu marido nem o trate mal por ter descoberto isto. Tente falar e compreender melhor e abertamente como ele se sente consigo e com a vossa relação e fique descansada que a masturbação não deve interferir no vosso amor. Pode pensar se lhe apetece apimentar a vossa relação e ser a leitora a masturbá-lo – informe-se em livros, em sites da internet ou entre amigas sobre como fazê-lo e como tratar o pénis, para o surpreender e lhe mostrar que a masturbação feita por si pode ser um estímulo de prazer intenso!

“Desejo que a minha namorada me domine!”

 

“Namoro há um ano e sempre quis que a minha namorada me dominasse na cama. Gostaria que ela fosse mais agressiva, mas não sei como pedir-lhe que faça isso, tenho medo que ela me ache depravado.”

 

Miguel, Seixal

 

Caro leitor

Não existe mal algum em gostar de ser dominado quando faz amor com a sua namorada desde que a prática seja inofensiva. Existem milhares de homens e mulheres que partilham da sua preferência, o que pode até ser o caso da sua namorada. Pessoas que optam pela prática sexual sadomasoquista estabelecem regras bem claras para que nenhum dos intervenientes se magoe. Qualquer prática sadomasoquista deve ser consensual, segura, e deve ser terminada assim que um dos intervenientes o deseje. Seja ousado e provoque a sua namorada, leve um lenço de seda para a cama e peça que ela lhe vende os olhos, ou lhe ate as mãos enquanto fazem amor. Fale durante o acto sexual e diga à sua namorada como quer que o toque, isso pode ser bastante excitante para ambos. Dessa forma com certeza que ela vai realizar os seus desejos.

 

“Ejaculo muito depressa…”

 

 

 

 

Terminei há três meses uma relação que durou seis anos, e os meus amigos não me dão descanso. Querem que eu conheça novas pessoas e estão sempre a insistir para ir com eles assistir a shows de striptease. Na verdade, recuso porque tenho vergonha de confessar que quando vejo uma bailarina a despir-se ejaculo muito rapidamente. Muitas vezes penso em consultar um especialista para ver se essa reacção é normal, mas sinto-me embaraçado.”

 

Paulo, Coimbra

 

Caro Leitor,

 

Não leve a mal o facto de os seus amigos o quererem levar para as saídas nocturnas, pois muito provavelmente o que eles querem é divertir-se na sua companhia e proporcionar-lhe uma noite diferente. Desta forma, o melhor será manter uma postura tranquila e mais sociável. Talvez até seja melhor para si sair com os seus amigos, pois poderá ser uma oportunidade para quebrar a monotonia do dia-a-dia e para conhecer novas pessoas. Pense seriamente nisso, pois ficar em casa enclausurado com certeza não há-de resolver os seus problemas. Procure ser mais espirituoso. Quanto ao facto de ejacular precocemente, provavelmente deve estar relacionado com o estado de ansiedade e tensão em que se encontra nessa ocasião. Por isso, relaxe e aproveite o que a vida tem de melhor para lhe oferecer. Caso considere necessário experimente masturbar-se antes de sair à noite com os seus amigos, dessa forma não se excitará tão rapidamente quando forem assistir a shows femininos.

 

 

“Quero fazer amor no elevador ”

 

 

“Uma das minhas fantasias é fazer amor no elevador do meu prédio, e só de pensar nisso fico extremamente excitado. Como hei-de contar esta minha fantasia à minha namorada?

Sandro, Lisboa


As fantasias fazem parte da sexualidade de qualquer indivíduo. Deve tentar abordar esse tema de uma forma casual, por exemplo dizendo-lhe que teve um sonho no qual isso acontecia, ou que um amigo lhe contou ter experimentado e que adorou. Aí vai poder observar a reacção da sua namorada. Se vir que ela acha a ideia apelativa, então num tom malandro sugira que o façam da próxima vez que tenham uma oportunidade. Se ela concordar, aí sim, pode contar-lhe que essa é uma fantasia que já tem há bastante tempo e que está contente por poder realizá-la com ela. No entanto, se achar que a sua namorada não ficou minimamente interessada, então não insista e deixe a conversa morrer por aí.