Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Será boa ideia fazer um strip?”

Vi na televisão uma rapariga que por gosto começou a fazer striptease e adorou. Por isso, lembrei-me se não seria boa ideia fazer striptease para o meu marido, pra apimentar a nossa relação. O que acha?”

Maria, Amarante

Cara Leitora,

 Surpreender é sempre uma boa fórmula para revitalizar qualquer relação. Neste sentido essa sua vontade em aprender a fazer striptease pode ser um bom elixir para dar um outro ânimo à sua vida conjugal. Desta forma, o uso da sua sensualidade poderá surpreender pela positiva o seu companheiro. Através de um comportamento irreverente e criativo poderá levar o seu marido ao delírio. Imagine a alegria dele ao ver a sua esposa a oferecer-lhe um show repleto de sensualidade. Apesar das dificuldades iniciais não se acanhe. O melhor será preparar tudo pormenorizadamente e não dispensar os pequenos detalhes que farão a diferença. Abra os cordões à bolsa e compre uma lingerie sexy, com um ar atrevido e de preferência com ligas. Não se esqueça dos sapatos altos, mas confortáveis para dançar. É muito importante ter em atenção à música escolhida para criar o ambiente perfeito. Basta colocar a imaginação a funcionar para conseguir proporcionar uma noite inesquecível ao seu marido. Poderá recriar inúmeras cenas fantasiando o que quiser.  Porém, tenha em conta que tudo o que é demais enjoa. Por isso, delicie o seu marido de vez em quando com um espetáculo de strip, mas procure as novidades das sex shops para continuar a sua vida sexual e quebrar a rotina do dia-a-dia.

 

Regras de ouro para manter acesa a sua relação

Enamorados.jpg

 

1 – O trabalho fica à porta

Se o seu dia foi péssimo, se o seu patrão não a tratou como devia ou se não está a ser os resultados que desejava, pense nisto – evitar a relação com o seu par porque está preocupada com o trabalho não vai melhorar em nada a situação no trabalho e só vai contribuir para lhe criar mais um problema – o da sua relação. Assim, é fundamental aprender a desligar pura e simplesmente, para que as questões profissionais não se sobreponham à vida pessoal. Habitue-se a dar um passeio sozinha antes de ir para casa, pratique desporto ou prepare de vez em quando um banho de imersão quando chega, antes de estar com o seu par. Sair do trabalho para se ir enfiar numa fila de supermercado só aumenta a sua tensão e irritação, por isso organize o seu tempo para que na maior parte dos dias esteja já tranquila quando chega ao pé do seu par. Falar sobre o seu dia e contar como anda o trabalho é salutar para qualquer relação, mas deixa de o ser quando assume uma dimensão desproporcional e se sobrepõe aos afetos e à vida íntima do casal.

 

Uma boa forma de conseguir que o trabalho não avassale a intimidade consiste em fazer uma escapadinha romântica de vez em quando. Não precisa de gastar muito dinheiro nem de ir muito longe, por vezes a própria excitação de ir com o seu marido para um motel traz à relação um gosto novo a algo "proibido", que é o bastante para trazer uma dinâmica renovada à relação.

 

Dicas:

- Instituam um "castigo": sempre que um dos dois falar a mais de trabalho terá de compensar o outro com carícias e massagens.

- Deixe-lhe um recado no chuveiro: "vem aqui ter comigo quando saíres do trabalho!"

- A meio do dia, vá à casa de banho e tire uma foto sensual com o telemóvel, a uma parte do seu corpo de que ele goste especialmente, e envie-lha com uma mensagem provocante. Quando ele a receber no trabalho ficará surpreendido e isso atiçará a sua vontade de estar consigo.

- Comece o fim de semana com um pequeno-almoço na cama, sem pressas.

 

2 – O amor precisa de ser…. regado

Quando namoravam faziam surpresas românticas um ao outro, ele oferecia-lhe flores, você comprava aquela lingerie sexy e esperava que ele chegasse para preparar "aquele" clima. Depois foram viver juntos e… tudo se perdeu. A banalização do romance acaba por matá-lo, pois a paixão também precisa de estímulos constantes para se manter viva. Assim, dê o primeiro passo e diga ao seu amado como se sente feliz quando ele é atencioso consigo, mostrando-se disposta a satisfazer os seus desejos. Escreva-lhe um bilhete onde lhe diz aquilo que adora nele. Beije-o… só porque sim. Quando for sair com ele e com outras pessoas, mande-lhe uma mensagem provocante e desafie-o para ir ter consigo à casa de banho. Prepare-lhe um jantar especial. Revejam juntos as fotos do início do namoro.

 

3 – Dar um novo impulso à vida sexual

Quando o sexo deixa de ser uma novidade, quando já sabem o que excita o outro e parecem seguir um guião pré-definido… o sexo tornou-se "baunilha", isto é, ganhou aquele sabor que é bom… mas não é nada de especial. A única forma de contrariar esta tendência é acrescentar um ou outro “topping” especial de vez em quando. Para o fazer, diversifique as posições e as carícias e criem um espaço e tempo para falarem de sexo. Diga-lhe o que mais gosta, faça-lhe perguntas a ele, conversem sobre as fantasias mais ousadas que têm e pensem em pô-las em prática. Na cama, conduza-o a tocar-lhe exatamente naqueles pontos que a levam ao êxtase. Experimentem passar um dia inteiro na cama, entregues ao corpo um do outro. Encomende comida e peça que lha vão entregar, para que não tenham de preocupar-se com nada. Em vez de achar que já não têm segredos um para o outro, procure encarar o seu companheiro como alguém que conheceu recentemente, e dediquem-se a explorar o corpo um do outro como se fosse uma nova relação.

 

Dicas:

- Nos preliminares, experimentem acariciar-se com penas e cubos de gelo, e brincar com sopros sobre a pele um do outro.

- Faça um desenho numa parte do seu corpo – ou escreva a resposta para algo que ele deseja saber – e faça-o procurá-la.

- Quando ele estiver a trabalhar em casa, leve o seu computador para outra divisão da casa, meta conversa com ele no skype e comece a fazer-lhe um striptease pela webcam.

 

4 - Troque as voltas à rotina

Ao fim de alguns meses, ou anos, de convivência, é normal que haja rotinas instauradas, hábitos que cumprem todos os dias ou semanalmente, como irem jantar àquele "vosso" restaurante à sexta-feira, almoçarem na casa dos pais dele ao domingo ou convidarem "aqueles" amigos para sair. Apesar de ser saudável a partilha de atividades, é essencial deixar de parte os comportamentos repetidos, que acabam por retirar o prazer de tudo o que se faz. Assim, habituem-se a fazer coisas em separado, pois quando se encontrarem terão muito mais para conversar e partilhar. Faça uma lista de coisas que não faz e que gostava de fazer, sozinha, com as amigas, com a sua irmã… sem ele! Assim, terá mais para lhe ensinar, e ele a si. Em vez de irem sempre ao sítio do costume, procurem novos restaurantes, cafés diferentes… estabeleçam a regra de descobrirem lugares novos quando saem. Desafiem-se um ao outro para fazerem algo que ambos sempre desejaram mas que nunca se decidiram a pôr em prática, como andar de balão ou fazer mergulho.

 

5 – Vestida para… reconquistar

É fatal como o destino: a partir de alguns meses de relação deixa de se preocupar se tem a depilação feita, se o verniz das unhas está lascado, se a camisola combina com as calças… e ele também já não lhe faz elogios quando usa um decote mais generoso nem repara se muda de penteado. Com o passar dos dias, esta banalização acaba por destruir o romance. Assim, é urgente recuperar o clima de sedução que existia nos primeiros tempos de namoro. Como?

- Peça-lhe que lhe ofereça uma lingerie sexy.

- Faça uma depilação diferente nas virilhas.

- Cole um post-it no frasco da compota a dizer "Lambuza-me e abusa".

- Vestir-se para jantar com ele como se fosse o vosso primeiro encontro.

- Olhá-lo fixamente até ele lhe perguntar porque é que o está a fazer, e então diga-lhe: "continuas a ser um pão!"

- Voltar a ter os mesmos cuidados que tinha quando se conheceram, evitar comer cebola quando estão num jantar romântico, não besuntar a cara com creme antes de se irem deitar, etc.…

 

6 – Voltar a fazer dele uma prioridade na sua vida

Lembra-se quando não se poupava a esforços para o ver, independentemente do que tinha para fazer? O que mudou entretanto? Ao passar a tomá-lo como um dado adquirido na sua vida isso fez com que deixasse de o ver com aquela aura de excitação que lhe provocava borboletas no estômago, e que é vital para a saúde de qualquer relação. Tenha presente que os nossos pensamentos se convertem em ações, que por sua vez criam aquilo que temos na nossa vida. Assim, se procurar reviver as sensações que tinha no início do namoro isso fará com que a sua mente volte a estar em sintonia com as emoções desse tempo, trazendo-as de volta à sua vida. O preço de por um relacionamento em segundo plano, por causa de exigências profissionais ou domésticas, pode ser muito mais alto do que imagina, por isso não arrisque. Retome o seu comportamento inicial com ele, e sobretudo volte a encará-lo como "aquela" pessoa que você tem de ver… custe o que custar.

 

7 – Elogiá-lo

Sentir que é especial, único e importante, faz com que qualquer homem se sinta o melhor à face da Terra, o que por sua vez cria nele os mesmos sentimentos para consigo. Pense com franqueza: "há quanto tempo não o elogia quando fala dele às suas amigas?" Provavelmente quando o conheceu não se cansava de lhe gabar as qualidades e de as enumerar a todas as pessoas à sua volta… depois que casaram, contudo, aproveita a mínima oportunidade para se queixar dele à sua mãe, à sua prima, à irmã dele… está na altura de parar esse comportamento e de inverter essa tendência! Faça-lhe elogios a ele diretamente e fale bem dele às pessoas com quem lida diariamente, e verá como isso opera grandes mudanças na relação. Se sente que ele também não a valoriza, fale sinceramente com ele, sem queixumes nem recriminações, mas para que ele perceba o que você sente, pois se não a sabe valorizar… algo precisa de ser mudado, e já.

 

8 – Todos os dias são bons para amar… e fazer amor

No início da relação qualquer momento era bom para fazerem amor, em qualquer sítio e a qualquer hora. Entretanto, com a habituação e a rotina o sexo acaba por ser desvalorizado, relegado para segundo ou terceiro plano… Lembre-se que intimidade partilhada através do sexo é uma das ligações mais fortes num casal. Vai deixá-la perder-se?

Sexo em grupo: quando três não é demais

MAT-1_0017.jpg

 

Embora uma relação seja, em termos convencionais, vivida entre duas pessoas, muitos casais optam pela introdução de outras pessoas na sua vida sexual como forma de escapar à rotina e de fortalecer os laços de um relacionamento. Desde as ménages a trois, aos swings, ao poliamor e às orgias, conheça formas de relacionamento alternativas que podem salvar um relacionamento.

 

Por contraditório que possa parecer, por vezes a introdução de uma ou mais pessoas num relacionamento faz com que duas pessoas que se amam se mantenham juntas e ainda mais unidas. De acordo com a personalidade individual de cada um, há pessoas para quem a monogamia é castradora ou limitadora, tendo dificuldade em serem fiéis, ou precisando de estímulos novos para quebrar a rotina, arrefecendo quando estes deixam de existir. Assim, o envolvimento sexual com outra pessoa acaba por fazer com que valorize mais a cumplicidade única que tem com o companheiro, trazendo de volta a união do casal. Para evitar uma traição, e também para criar uma nova dinâmica de envolvimento sexual, muitos casais acordam aceitar outras pessoas na relação.

 

Ménage a trois ou sexo a três
Os chamados "ménage a trois" acontecem quando três pessoas estão envolvidas no ato sexual e tanto podem ser realizados por um casal que "convida" uma terceira pessoa a juntar-se, como por três pessoas que não têm qualquer relacionamento amoroso umas com as outras, desfrutando apenas do prazer do sexo a três.

 

Mas o que torna esta prática tão excitante? O facto de criar uma nova dinâmica, em que as três pessoas se proporcionam prazer umas às outras, ou duas de cada vez proporcionam prazer a uma terceira, ou uma pessoa dá prazer a duas ao mesmo tempo, abre as portas para um novo território de luxúria e prazer, amplificando as fantasias. Fazer sexo com duas mulheres ao mesmo tempo é uma das fantasias masculinas mais comuns, mas também há homens que gostam de ter relações em simultâneo com um homem e uma mulher, permitindo-se nesse jogo experiências homossexuais que não definem no entanto a sua orientação sexual, pois não exprimem uma preferência, mas sim uma aventura partilhada.

 

Por outro lado, ver o companheiro ou a companheira a ter relações com outra pessoa, a ser desejado e até de certa forma "disputado" por outra pessoa, pode ser extremamente erótico. Também há mulheres que fantasiam com o facto de serem penetradas por dois homens em simultâneo ou de terem relações sexuais com um homem e com outra mulher, obtendo assim os prazeres diferenciados que são proporcionados por um tipo de envolvimento e por outro. Nestas situações é muito importante definir os limites, para que não haja espaço para o ciúme, e estar disposto a partilhar o parceiro com outra pessoa, mesmo que seja por breves horas, a um nível sexual, sem envolvimento afetivo.

 

Swing ou troca de casais
Para alguns casais a experiência de fazer sexo a três não é por si só satisfatória ou atrativa, optando por uma outra dinâmica de grupo, na qual os dois membros do casal têm relações sexuais com outras pessoas, também elas membros de um outro casal. Podem estar os quatro juntos num mesmo espaço, ou não, mas neste caso é essencial que as quatro pessoas envolvidas sejam parte de um casal, havendo assim uma troca.

 

As pessoas que se dedicam a este tipo de pratica chamam-se "swingers", existindo bares e sites de encontros onde podem conhecer outros casais disponíveis para o fazer. Existe um conhecimento prévio, onde uma vez mais as fronteiras são definidas e as regras são acordadas. Também neste caso não deve haver um envolvimento emocional, embora esse risco exista sempre, e deve haver a disponibilidade psíquica e emocional para "partilhar" o corpo do parceiro com outra pessoa, sendo que neste caso também pode haver outro tipo de dinâmicas: para além de a mulher de cada casal ficar com o homem do outro casal, também podem ficar os dois homens a ver as mulheres envolverem-se uma com a outra, ou vice-versa, ou interagirem os quatro em simultâneo.

 

O poliamor
Para algumas pessoas a monogamia é impraticável, defendendo que é possível amar várias pessoas em simultâneo, ou ter relacionamentos sexuais com mais do que uma pessoa, retirando grande prazer dessa variedade. Porque temos maior afinidade em alguns aspetos com uma pessoa, gostamos mais de outro tipo de atividades com outra, e criamos uma dinâmica diferente com outra, as pessoas que praticam o poliamor vivem relações abertas, em que todos são livres para ter relações com outras pessoas e sabem que em nenhuma delas existe exclusividade. Como em todas estas dinâmicas, é essencial que haja respeito pelos limites previamente definidos, sabendo todos aquilo com que podem contar. As pessoas interessadas no poliamor podem conhecer outras que também o praticam através de sites na internet.

 

As orgias
Os cenários luxuriosos em que várias pessoas reunidas numa mesma sala ou espaço têm livremente relações sexuais.

Tema de hoje: Fantasias

O meu namorado ultimamente tem-me pedido para que eu depile a zona púbica por completo, mas eu não sei se lhe devo fazer a vontade.

                                                                                                                  Teresa

Cara Leitora,
E de louvar o bom relacionamento que a leitora mantém com o seu namorado, uma vez que ele se sente à vontade para lhe revelar as suas fantasias e preferências a nível sexual. No entanto, é importante que ambos os parceiros estejam de acordo com o acto, o que não parece ser o caso, pois a leitora parece estar um pouco indecisa. Neste sentido, antes de tomar qualquer decisão em relação a esta fantasia, ou a qualquer outra que o seu namorado sugira, pense no seu bem-estar primeiro e se está disposta a realizá-la ou não. A leitora não deve fazer nada com que não se sinta à vontade. No caso de depilar a sua zona genital por completo, a vantagem é que a depilação não é definitiva, por isso a leitora pode experimentar e ver como se sente, se não gostar da sensação, espere que os pêlos voltem a crescer e não o faça novamente de futuro.

 

 

 

 

 

 

Fantasias Sexuais

 

 

As fantasias sexuais são comuns nos seres humanos, e fantasiar sobre sexo nada mais é do que um recurso natural para alcançar o prazer sexual combinando o corpo e a mente. De acordo com especialistas, as fantasias sexuais possuem vários objectivos, entre os quais aumentar o prazer da actividade sexual, funcionar como substituto da experiência real, induzir à excitação ou ao orgasmo, funcionar como um ‘ensaio mental’ para experiências sexuais posteriores, e fornecer um meio seguro e controlado de experimentar o sexo sem culpa ou constrangimentos. Um dos aspectos mais interessantes das fantasias sexuais é que estas permitem que tanto homens como mulheres se libertem de tabus e experimentem na sua imaginação várias situações sexuais além do limite da realidade, dando um novo sabor ao acto sexual. Existem também casos em que os casais podem partilhar e até mesmo realizar algumas das suas fantasias sexuais, o que contribui para o aumento da cumplicidade entre o casal.

 

“Estimulação anal para homens!”

Estou casada há dois anos e gostaria de inovar a nossa vida sexual através de estimulação anal ao meu marido. Será que isso é muito atrevido, será que ele vai gostar?

 

Nicole, Madeira

 

Cara Leitora,

O que é considerado muito atrevido para alguns, é o pão-nosso de cada dia para outros. Existem muitos casais que praticam esse tipo de estimulação e existem de facto muitos homens que, independentemente da sua orientação sexual, deliram com essa prática, chegando mesmo a atingir o orgasmo sem necessitar de mais nenhum tipode estimulação. Por isso não se preocupe com rótulos e seja inovadora na cama com o seu marido. A estimulação anal em homens deve ser feita sempre com a utilização de um lubrificante e de forma gradual e cuidadosa. Experimente e verá que o seu marido vai gostar.

Fantasias Sexuais

aaa_1.jpg

 

Há alguns anos atrás este assunto era um tabu na nossa sociedade. Não quer dizer que muitos homens e mulheres não tivessem inúmeras fantasias sexuais, mas na verdade, estes pensamentos libidinosos eram considerados pecado e, na maior parte das vezes, jamais eram revelados e poucas vezes concretizados.

 

Hoje em dia, a mente está mais aberta a estas situações e, a verdade é que, muitas vezes, a realização destas fantasias pode salvar casamentos, que desta forma conseguem fugir à rotina.

 

A fantasia sexual é descrita como um desejo que um determinado indivíduo tem, de fazer algo diferente do habitual a nível sexual, que só de imaginar lhe dá um enorme prazer.

 

É claro que existem algumas fantasias que são condenáveis, porém outras podem tornar a nossa intimidade cada vez mais saudável.

 

As fantasias sexuais mais comuns entre os homens revelam-se na vontade que estes têm de fazer amor com uma enfermeira, uma professora ou uma empregada doméstica.

 

No caso das mulheres, elas fantasiam com homens de farda e também com um professor, por exemplo. Os ambientes onde se possa ter uma relação sexual com alguém, são também muito fantasiados, sendo que locais perigosos, onde haja hipótese de se ser apanhado, são os mais usuais. Falamos, por exemplo, de elevadores, em piscinas ou dentro do carro.

 

Não se envergonhe de realizar as suas fantasias sexuais, desde que não se coloque em perigos reais e não prejudique ninguém.

“Tenho pouca lubrificação…”

 

 

“Para mim as relações sexuais são um pouco dolorosas, porque não tenho lubrificação suficiente. O que devo fazer, para estimular a lubrificação?”

Irene, Vila Franca de Xira

Cara leitora,

Cada mulher é um caso diferente na forma como vive e se adapta à vida
sexual. Algumas posições adoptadas pelos casais podem não ser as mais indicadas
para as mulheres, provocando algum desconforto. Também a forma como a
sexualidade é encarada pelo casal pode não ser a melhor para a entrega e
excitação da mulher, o que dificulta o processo de lubrificação. Aconselho que
utilizem a imaginação e a ousadia para incrementar um outro dinamismo à sua
vida sexual. Não menosprezem os preliminares, pois é nesta fase que existe
maior probabilidade de produzir mais lubrificação. Para estimular a excitação
optem por fantasias sexuais e jogos de sedução porque desta forma é mais fácil
obter uma resposta satisfatória dos órgãos sexuais. Também é importante que o
casal saiba muito bem onde se localizam as zonas erógenas do parceiro, para que
a relação sexual seja prazenteira e satisfatória para ambos. Porém, se quer
aproveitar ao máximo os preliminares, utilize um gel lubrificante que pode
adquirir em farmácias e sex-shops. O lubrificante pode ser utilizado no sexo
vaginal (colocando-o na vagina e à volta do pénis), anal e, inclusive, na
masturbação (pondo-o sobre o clítoris).

 

Fantasias Sexuais

 

 

 

Há alguns anos atrás este assunto era um tabu na nossa sociedade. Não quer dizer que muitos homens e mulheres não tivessem inúmeras fantasias sexuais, mas na verdade, estes pensamentos
libidinosos eram considerados pecado e, na maior parte das vezes, jamais eram revelados e poucas vezes concretizados. Hoje em dia, a mente está mais aberta a estas situações e, a verdade é que, muitas vezes, a realização destas fantasias pode salvar casamentos, que desta forma conseguem fugir à rotina.

A fantasia sexual é descrita como um desejo que um determinado indivíduo tem, de fazer algo diferente do habitual a nível sexual, que só de imaginar lhe dá um enorme prazer. É claro que existem algumas fantasias que são condenáveis, porém outras podem tornar a nossa intimidade cada vez mais saudável. As fantasias sexuais mais comuns entre os homens revelam-se na vontade que estes têm de fazer amor com uma enfermeira, uma professora ou uma empregada doméstica. No caso das mulheres, elas fantasiam com homens de farda e também com um professor, por exemplo. Os ambientes onde se possa ter uma relação sexual com alguém, são também muito fantasiados, sendo
que locais perigosos, onde haja hipótese de se ser apanhado, são os mais usuais. Falamos, por exemplo, de elevadores, em piscinas ou dentro do carro.

Não se envergonhe de realizar as suas fantasias sexuais, desde que não se coloque em perigos reais e não prejudique ninguém.

“Gostaria que o meu namorado me algemasse à cama”

Tenho um fetiche recorrente e gostaria de o experimentar com o meu namorado. Queria que ele me algemasse à cama durante a relação sexual. Como fazer para lhe dizer?

Sara – Alfragide

 

Cara Leitora,

Realmente este assunto é bastante delicado e um pouco difícil de ser abordado, mas a melhor forma de conseguir realizar a sua fantasia será conversar com o seu namorado sobre esta questão. Considera-se este tipo de jogos como fazendo parte do chamado Sadismo, no qual a pessoa que controla tem prazer através do sofrimento do outro, embora o Sadismo faça parte integrante das relações humanas mais elementares e seja vivido consoante os
preconceitos de cada indivíduo. Nos jogos Sadomasoquistas, de acordo mútuo, a cada sádico corresponde uma vítima, o masoquista, e é necessário existir por parte de ambos um acordo. É necessário que tenham atenção aos instrumentos utilizados, para que os actos não provoquem dor. Como tal, em vez de utilizar as algemas que poderão provocar ferimentos, usem gravatas ou lenços em que os nós sejam fáceis de desapertar, se por qualquer razão for necessário. Deve responder de forma calma e serena a todas as dúvidas que ele lhe colocar, e se por qualquer motivo ele não aceitar, seja compreensiva e tente entender as suas razões. Terão ambos que acordar para que, assim que um de vós se sinta desconfortável, o jogo termine, de modo a que não provoque qualquer tipo de dor.

 

“Sexo virtual”

“Tenho passado bastante tempo na net desde que a minha namorada terminou o namoro, e no outro dia proporcionou-se ter sexo virtual como uma mulher com quem estava a conversar, será que fiz mal em ter este comportamento?

 

Diogo, Setúbal

Caro Leitor,

 

Existem muitas pessoas que utilizam a Internet como forma de realizar as suas fantasias sexuais, por isso, tranquilize-se pois o leitor não é o único. A Internet é um local onde as pessoas podem dar asas à imaginação, uma vez que não precisam de apresentar a sua verdadeira identidade, basta “teclar” e
deixar-se embarcar numa viagem de prazer. De facto 20% das pessoas que mantêm relacionamentos na Net confessam que não dão a informação correcta a seu respeito. O sexo virtual é considerada uma nova forma de fazer sexo, pois envolve fantasia e imaginação num ambiente fora do vulgar.