Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Engravidar depois dos 40

A minha mulher ainda pode engravidar com 40 anos?

 João Cláudio da Cunha Nunes

 

Caro João,

 

A gravidez depois dos 35 anos é considerada de risco, mas tal não significa que não se possa arriscar com cuidados e alguma segurança relativa.

Há hoje muitos exames médicos que se realizam complementarmente aos exames habituais da gravidez que diagnosticam precocemente algumas das possíveis complicações que podem advir da idade tardia da mãe, como a amniocentese, por exemplo, identificando possíveis malformações fetais a tempo de se agir e impedir a gravidez de continuar, de modo seguro e previsto dentro das leis do nosso país.

Se ter um filho é desejo de ambos e o momento da vossa vida vos permite tal, não há razões para esperar mais.

Falem com o vosso médico de família, para fazerem alguns exames prévios e arrisquem, sabendo que podem ter uma gravidez um pouco mais complicada e, como tal, a sua mulher pode precisar bastante da sua ajuda e participação. Não se esqueçam que a maturidade e o amor adulto dos pais na educação de uma criança podem ser grandes vantagens para a futura criança.

Boa Sorte!

 

“O meu marido nunca quer ter relações comigo.”

“Engordei bastante depois de ter tido o meu filho e sinto-me bastante mal por causa disso, pois era uma mulher atraente e normalmente chamava as atenções, cheguei a ganhar um concurso de modelos quando era mais jovem. Para piorar ainda mais a situação, noto que o meu marido perdeu o interesse sexual em mim, nunca me procura e quando eu quero fazer amor ele esquiva-se. O que devo fazer?”

 

Joana, Braga

 

Cara leitora,

Parece que o peso que ganhou a incomoda bastante, e imagino que apesar de dizer que o seu marido não tem interesse em si sexualmente, que você também não se deve sentir muito atraente ou sexy. Por isso, terá de decidir primeiro o que quer fazer para melhorar a sua auto-estima, pode tentar perder algum desse peso pois parece que isso a iria fazer mais feliz, e pode entretanto tentar vestir-se de forma que se sinta mais bonita e atraente, mesmo com o peso que tem, pois existem muitas mulheres que têm excesso de peso e nem por isso deixam de ser sexy e bonitas. Quanto ao seu marido, converse com ele acerca do que tem estado a sentir, pois pode ser que algo diferente se esteja a passar com ele e que faça com que ele tenha esta atitude em relação a si. Lembre-se que ter um bebé em casa muda muito a rotina e a vida do casal, e o seu marido pode estar também a sentir-se perdido em relação ao papel que tem na família e na sua relação consigo, ou apenas cansado com o acréscimo de tarefas que o cuidado de um bebé implica.

Sexo na gravidez

sexo na gravidez.jpg

Estou grávida de 5 meses e desde que soubemos que eu estou grávida temos evitado fazer amor. O médico diz que não faz mal, mas nós temos receio.

 Maria

Cara Leitora,

Pelo que parece já tiveram um parecer médico que não colocou qualquer entrave às relações sexuais, por isso tranquilize-se. Se a gravidez estiver a decorrer dentro da normalidade não existe qualquer problema em ter relações sexuais. Obviamente, o acto sexual deve ser interrompido caso ocorram perdas de sangue, dores abdominais ou outros sintomas e aí devem solicitar de imediato a intervenção médica. Tanto o leitor como a sua esposa devem agir com tranquilidade e se as dúvidas persistirem não hesitem em conversar com o vosso médico assistente. O facto de estar grávida não quer dizer que não possa viver a sua sexualidade de forma plena e satisfatória.

Tomei a pílula do dia seguinte várias vezes… faz mal?

c9cbwbpk-1397091399.jpg

 

"Já tomei 3 vezes a pílula do dia seguinte porque o preservativo rebentou e o meu namorado ejaculou dentro de mim. Tenho medo de vir a ter problemas de saúde porque já ouvi dizer que é muito forte. Será que faz mal? O que devo fazer?"

Carla - Braga

 

Cara leitora,

A pílula do dia seguinte ou contraceção de emergência é muito semelhante às outras pílulas, pelo que não precisa de se preocupar com efeitos secundários de a ter tomado. A ação desta pílula, que pode ser tomada até 150 horas depois da relação desprotegida, passa por atrasar ou adiantar a ovulação, alterar o revestimento do útero, de modo a torná-lo incapaz de receber o ovo já fecundado, impedindo a sua fixação (implantação) e portanto a evolução de uma gravidez. Se a pílula tiver sido tomada antes de acontecer a ovulação, é natural que o período menstrual atrase. Se foi tomada depois de haver ovulação apenas vai impedir a nidação, o período pode aparecer na altura certa ou até antes. As estatísticas dizem que muitas mulheres têm o período mais ou menos na altura certa, em 20 a 30% antecipa e em 10 a 20% atrasa. Apesar da eficácia desta pílula, deve escolher um método contracetivo de uso sistemático e preventivo, que a deixe mais segura, como a contraceção hormonal (a pílula contracetiva, o anel vaginal, o adesivo, as injeções hormonais), o preservativo, que vos protege igualmente de infeções sexualmente transmissíveis, ou outros métodos recomendados pelo seu médico assistente. Vai ver que se sentirá mais segura e livre para aproveitar as relações sexuais e o prazer que pode ter com elas!

“Faz mal ter relações sexuais na gravidez?”

 

 “Tenho 31 anos e sou muito feliz com o meu marido. Sempre quisemos ter um filho e há um mês descobri que estou grávida. Deixei de ter sexo com o meu marido, porque tenho medo que as relações sexuais prejudiquem o bebé ou a gravidez. Estou a fazer bem?”

Susana, Mafra

 

Cara leitora:

Ter relações sexuais em si não prejudica a gravidez, mas é necessário ter alguns cuidados e evitar determinadas posições que a farão sentir desconfortável, dado que o seu corpo irá sofrer alterações. Fale abertamente com o seu marido sobre o que lhe agrada, e descubram juntos as posições mais confortáveis para fazer amor. Sabia que algumas mulheres sentem maior desejo sexual durante a gravidez, porque o acréscimo de hormonas provoca um aumento da libido? Não faça nada que a incomode, sendo também aconselhável consultar o seu obstetra se alguma coisa a fizer sentir desconfortável durante as relações sexuais.

 

 

 

“Como podemos fazer para engravidar?”

“Há um ano que pretendo engravidar e comigo está tudo bem, mas o meu marido tem poucos espermatozóides. Já fomos ao médico e ele não receitou nada. Disse que não era necessário. Gostaria de saber se é possível engravidar e se me podia dizer algum medicamento para ele tomar e a sua forma de tomar. Por favor responda, gostávamos mesmo de ter um bebé.

Guida, Montemor-o-Novo

 

 

 

Cara leitora,

A medicina só costuma aplicar tratamentos de fertilidade a casais que estão a tentar há mais de um ano e meio a dois anos, sem contracepção e sem conseguir a gravidez. Como só está a tentar há um ano, pode ser a vossa ansiedade de ter um bebé que não deixa o processo desenrolar-se naturalmente, tente relaxar e simplesmente deixar-se levar pelo prazer do sexo, sem pensar demasiado no seu desejo de engravidar.

Se sente que o seu médico não lhe responde às suas dúvidas tente marcar uma consulta para outro especialista e confronte opiniões. Não poderei dar-lhe uma resposta mais completa por e-mail, pois nestas questões complexas de conseguir ou não engravidar terá mesmo de ser uma equipa
especializada a fazer o seu trabalho presencialmente. Boa sorte!



“Serei infértil?”

“Sou casado e temos tentado engravidar mas nao conseguimos, por isso eu gostaria de fazer um teste de infertilidade masculina, mas não sei como fazê-lo. ”
Simão, Fundão
Caro Leitor,
A infertilidade masculina resultar do facto de o homem não ejacular, não produzir a quantidade necessária de espermatozóides quando ejacula, ou de os espermatozóides não se movimentarem da forma adequada para que se dê a penetração do óvulo. O exame que é feito com maior regularidade para testar a infertilidade masculina é o chamado espermograma, onde o objectivo principal é analisar o sémen. Através deste exame é possível medir a quantidade, a mobilidade e o formato dos espermatozóides, contudo deve ser complementado por outros exames. Porém, o teste não deve ser feito apenas por um membro do casal, é importante que ambos façam os testes necessários de modo a averiguar de onde podem advir os problemas.
 

Quais os melhores momentos para a concepção?

104241670.jpg

 

"Sou uma mulher ansiosa por ser mãe, mas que não sabe muito a respeito do seu próprio corpo. Gostaria de saber quais são os melhores momentos para conseguir engravidar, sei que se encontram a meio do meu ciclo, mas quando? O meu período menstrual dura cerca de 30 dias, e tenho o período nos primeiros 4 dias. Seguindo este ciclo, pode dizer-me em que dias tenho maior probabilidade de conseguir engravidar?"

Luísa - Barcarena

 

Cara leitora,

Conhecer bem os ritmos e ciclos do seu corpo é fundamental, tanto se pretende engravidar, como se deseja evitar que isso aconteça, ou para poder desfrutar plenamente da sua sexualidade. Uma vez que a menstruação difere de mulher para mulher, o melhor período para engravidar varia, mas seguindo a regra do seu ciclo é possível encontrar o que procura. As mulheres têm tendência para ovular a meio do ciclo, contudo, é mais acertado dizer que ovulam 14 dias antes da menstruação. Embora seja fora do comum, as mulheres podem ovular em qualquer momento do ciclo. A fertilidade depende essencialmente de três fatores: um óvulo saudável, esperma saudável e muco cervical favorável. A mulher ovula uma vez em cada ciclo. O óvulo vive de 12 a 24 horas e depois desintegra-se se não for fertilizado. Em condições favoráveis do muco cervical, o esperma pode sobreviver até cinco dias dentro do corpo. Estas condições criam cerca de uma semana de intervalo no qual é mais provável engravidar. Consulte o seu médico para definir o seu ciclo em pormenor, para poder identificar com uma margem de erro o mais pequena possível quais são os dias em que deve tentar engravidar.

Como engravidar?

 

Como se faz para a mulher ficar grávida de um homem?
 
A gravidez surge quando os espermatozóides masculinos encontram o óvulo feminino, um ou mais conseguem penetrá-lo e este começa a transformar-se num ovo. Para acontecer a gravidez é ainda necessário a implantação, em que o ovo se instala seguramente na parede do útero – é este o momento médico que se chama gravidez e que se desenvolve em embrião, feto e, mais tarde, num bebé.
As relações sexuais desprotegidas, sem qualquer contracepção, de modo regular, levam ao encontro dos espermatozóides com o óvulo, embora dependa de casal para casal a probabilidade de tal acontecer desde logo ou ao longo de vários meses. É necessário haver penetração vaginal, embora possa acontecer uma gravidez sem que o pénis penetre a vagina, mas ejacule muito perto dela e sem protecção.
O periodo fértil é o intervalo de tempo em há maior probabilidade de surgir uma gravidez: são alguns dias antes e depois da ovulação feminina, dias estes que são o tempo médio de vida dos espermatozóides dentro do corpo da mulher (entre 3 a 5 dias). No entanto, quando um casal deseja engravidar não deve apenas ter relações sexuais (com penetração vaginal) nesta fase, mas sim livremente e com prazer, sem obrigações. Tal facilita o processo.
Espero ter ajudado!

“Sexo na gravidez!?”

 

 

“Estou grávida de 5 meses e desde que soubemos que eu estou grávida temos evitado fazer amor. O médico diz que não faz mal, mas nós temos receio.”
 
Teresa, Portimão
 
 
Cara Leitora,
 
Pelo que parece já tiveram um parecer médico que não colocou qualquer entrave às relações sexuais, por isso tranquilize-se. Se a gravidez estiver a decorrer dentro da normalidade não existe qualquer problema em ter relações sexuais. Obviamente, o acto sexual deve ser interrompido caso ocorram perdas de sangue, dores abdominais ou outros sintomas e aí devem solicitar de imediato a intervenção médica. Tanto o leitor como a sua esposa devem agir com tranquilidade e se as dúvidas persistirem não hesitem em conversar com o vosso médico assistente. O facto de estar grávida não quer dizer que não possa viver a sua sexualidade de forma plena e satisfatória.