Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

O meu tio abusa da filha...

maxresdefault.jpg

 

"Tenho dois primos de quem sou muito amigo, e um deles disse-me que uma noite viu o pai dele a abusar da própria filha, irmã dele. Queria muito ajudá-los mas não sei como devo proceder. Será que me poderia ajudar?"

Bruno - Santo Tirso

 

Caro leitor,

A situação que me descreve é bastante preocupante, dado que se trata de uma violação, sendo também incesto. Como tal, é muito difícil para uma jovem lidar com este tipo de investidas sexuais por parte de um adulto, principalmente sendo este o próprio pai. Tal situação deve ser informada imediatamente às entidades competentes, pois é punida por lei e, como tal, o pai da sua prima deve ser detido. O incesto significa a prática de relações sexuais com indivíduos da mesma família e com os quais não podemos casar, tal como irmãos, pais, etc. Infelizmente o abuso sexual de menores acontece, na sua maioria, entre membros da mesma família, principalmente entre pais e filhos, e entre irmãos. Estes indivíduos, vítimas de incesto, evidenciam perturbações muito graves a nível psicológico quando adultos. A melhor atitude que poderá tomar em relação à sua prima é informá-la e apoiá-la neste momento tão difícil para ela, incentivando-a a que não pode consentir que isto aconteça, e que deve apresentar queixa, mesmo tratando-se do pai. Fale com ela e com o seu primo, juntos tentem saber qual a sua relação com a mãe de modo a que possam falar com ela, se não se sentirem à vontade para tal, pois nem sempre isto acontece, tente que ela se dirija a uma pessoa adulta com a qual haja confiança, tal como um médico, um professor ou um psicólogo. Qualquer um deles poderá agir de forma que esta situação pare e não haja mais ameaças à saúde tanto física como psicológica da sua prima.

Tema de hoje: Parafilias e Disfunções sexuais

(Andy Wahrol)

 

 

O meu irmão gosta de penetrar os meus sapatos de salto alto, os meus soutiens, tangas, bikinis, ligas. Acho que ele se masturba enquanto faz isto. Gostava de saber o motivo.

Cara Leitora,
Tenho pouca informação para lhe dar uma boa resposta: não sei que idade o seu irmão tem, não sei se ele tem estes comportamentos regularmente, não sei como reagiu a sua família e a leitora a eles…
Posso dizer-lhe que os comportamentos que descreve me parecem precursores de parafilias – são disfunções sexuais, mas o seu diagnóstico é complexo e não devemos fazê-lo por email. As características principais consistem em fantasias intensas e recorrentes, sexualmente excitantes, impulsos sexuais ou comportamentos que podem implicar: objectos não humanos; o sofrimento ou humilhação de si mesmo ou do outro (no caso do masoquismo e sadismo, respectivamente); ou crianças ou outras pessoas sob coação.
Alguns exemplos de parafilias são: o fetichismo (usar objectos como fonte de excitação exclusiva); o exibicionismo (exibir os órgãos ou comportamentos sexuais em frente a outros) ; frotteurismo (esfregar-se em pessoas sem o seu consentimento), pedofilia (foco sexual em crianças pré-pubertárias), masochismo (sentir prazer através da dor ou humilhação) e sadismo sexual(sentir prazer em infligir dor ou humilhação) , fetichismo trasvestido (trasvestir-se com o objectivo de atingir satisfação sexual), voyeurismo (observar outras pessoas sem que estas o saibam), entre muitos outros.
No caso do seu irmão, como os objectos de que ele retira o prazer são seus, há um certo carácter incestuoso preocupante, para além de estar a agir sob um impulso sexual com um objecto inanimado, sem que você consinta e os objectos podem vir a tornar-se exclusivos para o desejo e excitação dele, pela acção reforçadora da masturbação, que lhe vai dando prazer e aumentando a probabilidade de voltar a ter tal comportamento.
É aconselhável que procurem tratamento especializado e se aconselhem também da melhor atitude a ter em casa como resposta aos comportamentos dele, da sua parte e de outros que vivam convosco, para que a família e o seu irmão não entrem num ciclo vicioso indesejado para todos. É importante que ele encontre um meio mais adequado socialmente e sexualmente de satisfazer as suas necessidades sexuais, para que no futuro não venha a desenvolver uma parafilia indesejada.