Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Tenho incontinência urinária…”


Depois de ter tido o meu filho mais novo, há 5 anos atrás, comecei a perder urina durante as minhas actividades do dia-a-dia. Passei a consultar médicos porque comecei a achar que não era normal e entretanto foi-me diagnosticada incontinência urinária. Será que a minha situação tem solução?”

Liliana, Évora

Cara Leitora,

A perda involuntária de urina, chamada incontinência urinária, é uma condição que atinge muitas mulheres após o parto e que pode ser causada também por efeitos secundários de medicação, problemas neurológicos, doenças da bexiga, problemas na próstata ou uretra, tratamento de tumores e problemas ginecológicos. No seu caso parece estar directamente relacionada com uma lesão causada pelo parto. Assim sendo, é importante que procure a ajuda de um especialista nesta área, pois a incontinência é uma doença que nos dias de hoje tem cura em grande parte dos casos. A incontinência pode ser tratada por via oral com o auxílio de medicamentos, através da intervenção cirúrgica e, também, através de exercícios da musculatura pélvica.

“Tenho incontinência urinária…”

“Depois de ter tido o meu filho mais novo, há 5 anos atrás, comecei a perder urina durante as minhas actividades do dia-a-dia. Passei a consultar médicos porque comecei a achar que não era normal e entretanto foi-me diagnosticada incontinência urinária. Será que a minha situação tem solução?”
Liliana
 
Cara Leitora,
A perda involuntária de urina, chamada incontinência urinária, é uma condição que atinge muitas mulheres após o parto e que pode ser causada tambem por efeitos secundários de medicação, problemas neurológicos, doenças da bexiga, problemas na próstata ou uretra, tratamento de tumores e problemas ginecológicos. No seu caso parece estar directamente relacionada com uma lesão causada pelo parto. Assim sendo, é importante que procure a ajuda de um especialista nesta área, pois a incontinência é uma doença que nos dias de hoje tem cura em grande parte dos casos. A incontinência pode ser tratada por via oral com o auxílio de medicamentos, através da intervenção cirúrgica e, também, através de exercícios da musculatura pélvica.
 

“A incontinência urinária tem cura?…”

“Depois de ter tido o meu filho mais novo, há 5 anos atrás, comecei a perder urina durante as minhas actividades do dia-a-dia. Passei a consultar médicos porque comecei a achar que não era normal e entretanto foi-me diagnosticada incontinência urinária. Será que a minha situação tem solução?”

Vanessa, Montemor-o-Novo

Cara Leitora,

A perda involuntária de urina, chamada incontinência urinária, é uma condição que atinge muitas mulheres após o parto e que pode ser causada também por efeitos secundários de medicação, problemas neurológicos, doenças da bexiga, problemas na próstata ou uretra, tratamento de tumores e problemas ginecológicos. No seu caso parece estar directamente relacionada com uma lesão causada pelo parto. Assim sendo, é importante que procure a ajuda de um especialista nesta área, pois a incontinência é uma doença que nos dias de hoje tem cura em grande parte dos casos. A incontinência pode ser tratada por via oral com o auxílio de medicamentos, através da intervenção cirúrgica e, também, através de exercícios da musculatura pélvica.

“A incontinência urinária tem cura?”

 

“Depois do parto do meu filho mais novo comecei a perder urina nas diversas actividades do dia-a-dia. Recentemente fui diagnosticada com incontinência urinária. Esta doença tem cura?”
Susana, Chaves
 
 
Cara Leitora,
A incontinência (perda involuntária de urina) é uma doença que atinge muitas mulheres após o parto, principalmente se este foi demorado e a mulher danificou ou esforço demasiado os músculos da pélvis. Assim sendo, a leitora não se deve envergonhar da situação, e o primeiro passo a dar é procurar ajuda médica. A incontinência pode ser tratada por via oral com o auxílio de medicamentos, através da intervenção cirúrgica com o implante de esfíncter artificial e, também, através de exercícios da musculatura pélvica. Por isso não perca mais tempo e procure um médico que a possa ajudar a ultrapassar esse problema de forma a voltar a ter uma vida normal sem preocupações.