Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Devemos esperar que a infeção passe?”

"A minha namorada foi ao médico e foi-lhe diagnosticada uma infeção urinária. Está a tomar a medicação devida, mas gostávamos de saber se existe algum risco em continuarmos a ter relações sexuais enquanto ela não estiver restabelecida."

Pedro, Corroios

 

Caro leitor,

As infeções urinárias provocam ardor e desconforto vaginal, o que por si só pode fazer com que a sua namorada não sinta vontade de ter relações sexuais enquanto continua a ter esses sintomas. Muitos médicos desaconselham a prática sexual enquanto se tem um infeção urinária, e até duas semanas após o desaparecimento dos sintomas. Uma vez que o ato sexual pode causar dor por pressionar a uretra ou a bexiga que estão inflamadas, apenas a sua namorada poderá dizer-lhe quando se sente preparada para retomar a vossa vida sexual normal. No caso de a infeção urinária ter sido provocada por uma infeção sexualmente transmissível, como a clamídia, por exemplo, existe ainda o risco de ela o contagiar, e nesse sentido é importante que tenham ainda maiores cuidados, usando preservativo quando retomarem as relações sexuais, caso não o costumem usar. Nesta fase em que a sua namorada se encontra com este problema de saúde, dêem largas à imaginação e explorem outras formas de retirarem prazer, como beijos e carícias, massagens e outro tipo de contacto íntimo que não envolva a penetração ou a fricção na área que neste momento está a ser tratada.

“Tenho muitas infecções urinárias.”

“Tenho 42 anos e tenho uma saúde bastante frágil e tenho forte tendência para apanhar infecções urinárias. Uma vez que sou solteira, e tenho tido vários namorados, será que as infecções urinárias podem ser transmitidas através das relações sexuais?”

Sandra, Alverca

 Cara Leitora,

Existem algumas infecções sexualmente transmissíveis que causam sintomas semelhantes aos das infecções urinárias, tais como a clamídia ou a gonorreia. Porém, as infecções do aparelho urinário e as bactérias que transporta não são consideradas Infecções Sexualmente Transmitidas, mas isto não invalida que estas infecções não estejam relacionadas com o acto sexual. Ou seja, as mulheres que têm uma vida sexual activa estão mais predispostas a estas infecções do que as não activas. Teorias defendem que as bactérias instaladas na zona vaginal sejam direccionadas para a bexiga através da uretra após a relação sexual vaginal. Desta forma, um dos meios de prevenção contra as infecções urinárias é urinar logo após o acto sexual para que possa expelir as bactérias do aparelho urinário. Advirto-a para a importância do devido acompanhamento médico para estes casos, ainda para mais quando é uma pessoa bastante permeável a estas situações.

 

Infecções urinárias

 

 

“As infecções urinárias podem ser transmitidas através das relações sexuais?”

 

“Ultimamente, tenho feito vários tratamentos para tratar infecções urinarias mas tenho uma dúvida, será que as infecções urinárias podem ser transmitidas através das relações sexuais?”

 

Sonia, Gondomar

 

 

 

Cara Leitora,

 

Existem algumas doenças sexualmente transmissíveis que podem causar inflamação na uretra, porém, as infecções do aparelho urinário e as bactérias a si inerentes não são consideradas DTS, o que não invalida que estas possam estar relacionadas com o acto sexual. Isto tendo em conta que as mulheres que têm uma vida sexual activa estão mais predispostas a estas infecções do que as não que não tem uma vida sexual activa. Em alguns casos após o acto sexual algumas bactérias instaladas na zona vaginal podem ser direccionadas para a bexiga através da uretra. Desta forma, um dos meios de prevenção é urinar logo após o acto sexual para que possa expelir as bactérias do aparelho urinário. Advirto-a para a importância do devido acompanhamento médico para estes casos, ainda para mais quando é uma pessoa bastante permeável a estas situações.

“Será que tenho uma infecção urinária?”

 

 

 

 

Tenho 16 anos e ultimamente tenho notado um ardor bastante forte cada vez que vou urinar, uma amiga disse-me que posso ter uma infecção urinária mas eu não sei do que se trata.

Sofia,Vila Nova de Gaia

 

Cara leitora,

Realmente a sua amiga pode ter razão pois um dos sintomas das infecções urinárias é um ardor quando se urina. Outros sintomas de infecção urinária são a vontade frequente de urinar, sangue na urina, vontade de urinar sem que se verifique libertação de urina, dores na zona pélvica, um odor forte na primeira urina da manhã. No entanto, sentir ardor quando se urina pode também ser sinónimo de uma infecção sexualmente transmitida, por contacte o seu médico assistente o mais rapidamente possível pois tanto as infecções urinárias como as infecções sexualmente transmitidas podem causar complicações mais sérias se não forem tratadas a tempo.

 

 

“As infecções urinárias transmitem-se através das relações sexuais?”

Tenho 42 anos e uma saúde bastante frágil, pelo que tenho uma forte tendência para apanhar infecções urinárias. Uma vez que sou solteira, não tenho um parceiro fixo. Gostava de saber se as infecções urinárias podem ser transmitidas através das relações sexuais.”

Sandra, Lisboa

 

Cara Leitora,

 Existem algumas infecções sexualmente transmissíveis que causam sintomas semelhantes aos das infecções urinárias, tais como a clamídia ou a gonorreia. Porém, as infecções do aparelho urinário e as bactérias que transporta não são consideradas Infecções Sexualmente Transmitidas, mas isto não invalida que estas infecções não estejam relacionadas com o acto sexual. Ou seja, as mulheres que têm uma vida sexual activa estão mais predispostas a estas infecções do que as não activas. Teorias defendem que as bactérias instaladas na zona vaginal sejam direccionadas para a bexiga através da uretra após a relação sexual vaginal. Desta forma, um dos meios de prevenção contra as infecções urinárias é urinar logo após o acto sexual para que possa expelir as bactérias do aparelho urinário. Advirto-a para a importância do devido acompanhamento médico para estes casos, ainda para mais quando é uma pessoa bastante permeável a estas situações.