Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Ela quer mais preliminares!”

 

 

“Namoro há 2 anos e sempre considerei o sexo com a minha namorada bastante satisfatório. No entanto, ela disse-me que eu só quero penetrá-la e que fujo dos preliminares. Porque será que os preliminares são tão importantes para ela? Será que eu não a satisfaço apenas com a penetração?...”

Paulo, Figueira da Foz

 

 

Caro leitor:

Infelizmente, a maior parte dos homens pensa como você, pois essa é uma das mais frequentes queixas das mulheres. Para os homens basta 2 ou 3 minutos de estimulação sexual directa com a parceira para atingir o orgasmo. Contudo, a mulher normal leva cerca de 20  a 30 minutos para tal. É natural que os preliminares sejam tão importantes para ela. A maioria das mulheres precisa de preliminares para ficarem excitadas e atingirem mais facilmente o orgasmo. Os preliminares não são apenas uma “entrada” para chegarmos ao “prato principal”. É importante ter em mente que para algumas mulheres o clímax só é atingido através dos preliminares. Pense assim: os preliminares melhorarão o sexo para ambos. Saboreie cada nova experiência, relaxe e não tenha pressas. Se ama realmente a sua namorada, leve o tempo que for necessário para que ela possa também gozar dos prazeres do sexo.

 

“Clítoris inchado”

Tenho 17 anos e cada vez que eu e o meu namorado curtimos ele toca-me no clítoris, mas eu nunca atinjo o orgasmo, o problema é que passados alguns dias este ainda está inchado e dói-me. O que será que devo fazer?

 

Margarida, Alcácer
do Sal

 

Cara leitora,

Quando as mulheres estão sexualmente excitadas dá-se um aumento da circulação sanguínea na zona genital, e algumas mulheres atingem o orgasmo e outras não. No seu caso, a leitora fica excitada mas acaba por não atingir o orgasmo, o que se deve à sua pouca idade e inexperiência sexual. Por isso não se preocupe pois uma vez que conheça melhor o seu corpo, vai ver que se tornará mais fácil sentir prazer sexual. Quanto ao inchaço do seu clítoris este deve ser devido a um excesso de estimulação por parte do seu namorado, por isso fale com ele para que a estimule de forma mais gentil e durante menos tempo. Experimente também utilizar um gel lubrificante durante a masturbação mutua, ou experimente guiar a mão do seu namorado, para que ele saiba onde e de que forma a deve tocar sem causar desconforto.

 

“Como dar orgasmos múltiplos à minha namorada?”

 

 

“Amo muito a minha namorada e gostaria de lhe dar ainda mais prazer. Ouvi falar em orgasmos múltiplos, o que é isso? O que devo fazer, para proporcionar à minha namorada orgasmos múltiplos? Como posso praticar isso?...”

 

Mário, Carnaxide

 

Caro Leitor:

Os orgasmos múltiplos são uma sucessão de vários orgasmos cuja intensidade e quantidade varia de mulher para mulher. Apesar de estes serem bastante populares, nem todas as mulheres conseguem ou desejam ter orgasmos múltiplos, por isso, antes de tentar, converse com a sua namorada para saber se isso é algo que ela esta interessada em experimentar ou não. O primeiro passo para atingir o orgasmo múltiplo é dar bastante atenção aos preliminares e estar atento às reações da sua namorada durante o ato sexual. Basicamente, para que uma mulher atinja orgasmos múltiplos requer que o homem proporcione uma estimulação contínua e mais prolongada geralmente do clítoris. Tenha, no entanto, em mente que nem todas as mulheres têm a capacidade de os experimentar, muitas mulheres com vidas sexuais completamente normais e satisfatórias experienciam apenas um orgasmo independentemente da estimulação que recebam.

 

Qual a diferença entre um orgasmo vaginal e um orgasmo clitoriano?

mujer-orgasmo.jpg

 

"Sou um homem apaixonado pelas mulheres e procuro dar sempre o máximo de prazer às minhas companheiras. Ouvi dizer que as mulheres podem ter orgasmos vaginais e clitorianos, e gostava de saber qual é a diferença entre eles!"

Paulo - Coimbra

 

Caro leitor,

Essa sua preocupação em procurar compreender o corpo das suas companheiras para lhes proporcionar o máximo de prazer é bastante positiva e contribui para que qualquer relação seja melhor. Os orgasmos clitorianos distinguem-se dos vaginais em primeiro lugar pelo tipo de estimulação física que a eles conduz, e naturalmente também à parte do corpo que envolvem. O orgasmo vaginal surge pela estimulação da vagina através da penetração, quer seja feita com o pénis, com a mão ou com um brinquedo sexual, e acontece quando não há qualquer estimulação do clítoris. Contudo, a vagina contém poucas terminações nervosas, e como tal não produz um orgasmo sozinha. Assim, em vez de pensar no clítoris e na vagina como partes separadas, veja-os como parte de uma teia de músculos e terminações nervosas. De facto, o clítoris estende-se e rodeia a vagina, a uretra e o ânus. Em vez de pensar nos orgasmos como vaginais ou clitorianos faz mais sentido pensar nas sensações que o acompanham. Afinal de contas, um orgasmo é sempre um orgasmo!

“Não sei porque razão não consigo atingir o clímax!”

“Há já algum tempo que eu não atinjo o orgasmo quando faço amor com o meu marido. Por esta razão ele afastou-se de mim, e já não me procura. Não o quero perder! Por favor ajude-me…”

 

Teresa, Espinho

Cara Leitora,

A situação em que se encontra e que tem vivido juntamente com o seu marido é bastante desagradável e tem deixado algumas marcas menos positivas na vossa vida conjugal. A primeira coisa que a aconselho a fazer é ter uma conversa directa e franca com o seu marido sobre o distanciamento que tem havido e as consequências que se têm repercutido na vossa vida sexual. Sejam o mais objectivos possível para que consigam abordar este assunto com a seriedade necessária de modo a não trocarem acusações. Neste momento é extremamente importante compreenderem o que se passa na vossa relação e procurarem ser honestos um com o outro para que possam delinear estratégias que tornem a vossa relação menos rotineira e apimentem, de novo, o vosso casamento para que possam encontrar o ambiente ideal que proporcione o prazer e o entendimento que tanto anseia.

Tentem desenvolver juntos jogos que favoreçam o reacender da vossa relação e para que o seu marido consiga compreender melhor os pontos do corpo que favorecem a sua excitação e, consequentemente, a obtenção do clímax. 

“Como sei se atingi o orgasmo?”

 

“Tenho 18 anos e iniciei agora a minha actividade sexual. Adoro fazer amor com o meu namorado e ele faz-me sentir mulher, mas não consigo perceber se já alguma vez atingi um orgasmo com ele!”
 
Ana Clara, Sines
 
 
Cara Leitora,
É normal que o objectivo de uma mulher quando faz amor seja atingir o orgasmo. A definição de orgasmo é muito vasta, porque cada mulher poderá atingi-lo de diferentes formas. No entanto, para que possa compreender melhor, de forma resumida, o orgasmo é um conjunto de contracções e sensações extremamente agradáveis e de curta duração e que transmitem uma sensação de prazer e satisfação. Porém, os orgasmos não são sempre iguais, uns são mais intensos que outros. A leitora poderá estar um pouco confusa devido ao facto de ter iniciado há pouco tempo a sua vida sexual, deste modo aconselho-a a que juntamente com o seu namorado explorem os vossos corpos e descubram o que vos excita mais. Procure não tornar um momento tão especial numa obsessão, isso poderá afectar a vossa relação. Mantenha-se descontraída e dê asas à imaginação. Ainda é jovem e tem uma vida toda pela frente para fazer descobertas surpreendentes sobre a forma de como receber e dar prazer. Aja com naturalidade e tudo correrá da melhor maneira.
 

Orgasmo difícil

Tenho uma vida sexual activa há mais de 5 anos, adoro fazer sexo, mas nunca gozei. Sinto um grande prazer quando sou tocada e quando estou fazendo sexo, mas sei que demoro para atingir o orgasmo tanto que nunca cheguei, porquê? Gostaria muito de saber o que eu posso fazer para chegar ao orgasmo? O problema deve estar comigo, tambem gostaria de saber que problema é esse.
Ana Maria
 
Cara Ana Maria,
 
Há muitas mulheres com dificuldades em atingir o orgasmo, principalmente na penetração vaginal. No entanto, pode tentar estimular-se no clítoris (pode ser a Ana ou o seu parceiro ou parceira a fazê-lo antes, durante ou depois da penetração), com sexo oral, com a masturbação utilizando os dedos ou um vibrador…
Há muitas alternativas que deve explorar para descobrir o que a excita mais, demorando-se o tempo que for necessário, sem pressas nem pressões! Não se preocupe em atingir o orgasmo e disfrute o prazer que diz ter no sexo – o orgasmo feminino tem de ser aprendido, leva o seu tempo, pode precisar de intimidade, confiança, amor… Deixe-se levar pelo prazer e pela curiosidade para saber qual é o seu rastilho!

“Não consigo atingir o clímax!”

“Sou casada e tenho uma vida sexual activa, mas de há algum tempo para cá não consigo atingir o orgasmo e não entendo porquê!”

 

Marina – Nisa

 

Cara Leitora:

O facto de não conseguir atingir o orgasmo pode ter várias causas: andar mais cansada do que o habitual, estar a passar por um período de desequilíbrio emocional ou uma crise matrimonial, estar a fazer algum tratamento médico cuja medicação bloqueie os receptores de serotonina no cérebro (o que pode dificultar o orgasmo), ou simplesmente andar a pensar demais nesse problema. O facto de antes de começar a relação sexual pensar que pode não atingir o orgasmo já é meio caminho andado para que isso acabe por acontecer. Liberte-se de todo o stress e preocupações que a rodeiam, procure relaxar bastante, se puder goze um fim-de-semana romântico com o seu marido, e verá como o clímax acabará por chegar.

Dicas Sexuais

 "Tente levar o seu amante ao orgasmo usando apenas a boca e a língua. Demore o mais possível afastado de áreas óbvias - vai notar que o toque da sua boca nos sítios menos prováveis excita o seu parceiro de forma inacreditável!"

 

(Segredos do Sexo, Michelle Pauli)

 

O meu clítoris é enorme!

misterios-del-clitoris.jpg

 

"Tenho um clítoris fora do normal. Já me observei com um espelho e acho que é maior do que o normal. Quando me excito parece que cresce e tenho medo de experimentar ter relações com alguém e assustar a pessoa. O que posso fazer?"

Sara - Lagos

 

Cara leitora,

O que descreve pede uma avaliação médica cuidada. Marque uma consulta com um ginecologista ou no seu médico de família, para ser observada por profissionais que lhe dirão se tem razões para tal preocupação. Pode ser que as suas expetativas estejam a influenciar a sua imagem mental do clítoris e esteja a sentir preocupações sem razões para tal. Há pessoas que apresentam pequenas diferenças da média, mas tal não tem necessariamente de influenciar negativamente a sua sexualidade e a sua relação com alguém no futuro. Se o médico lhe confirmar as suas suspeitas, pode avisar a pessoa antes de ter a relação sexual para não ser surpreendida, e verá que é um pormenor físico sem importância. No entanto mesmo que o seu médico confirme que o seu clítoris é maior do que o normal, não decida fazer uma cirurgia "estética" ao clítoris apenas para reduzir o seu tamanho, pois isso pode ter consequências devastadoras na sua sexualidade, ou seja, pode perder sensibilidade no clítoris e vir a não ser capaz de atingir o orgasmo. Na fase da excitação feminina é normal os grandes e pequenos lábios alterarem o seu tamanho e o clítoris ficar ereto – pode ser apenas isso que observou em si mesma, para além da lubrificação vaginal que associamos à excitação.