Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Estou apaixonado por um amigo meu

amor entre homens.jpg

Tenho 18 anos e estou apaixonado por um colega da faculdade, mas não sei se ele tem a mesma orientação sexual, por isso não sei o que fazer.

Rui

Caro leitor,

Realmente essa é uma situação difícil, pois  além de não saber se o seu amor é correspondido, não sabe se o seu amigo tem a mesma orientação sexual que o leitor. Por isso tente ser cuidadoso para não prejudicar a vossa amizade, e dê tempo ao tempo. Observe os comportamentos do seu amigo quando ele interage com outros rapazes e com raparigas. Experimente também, de forma informal e sem fazer juízos de valores, abordar o tema da homossexualidade e veja o que ele diz. Se o leitor verificar que ele também se sente atraído por homens e que nutre sentimentos mais fortes por si, aí sim o leitor pode declarar o seu amor por ele. Antes disso seja cuidadoso para não perder um amigo!

“Experiências com uma amiga…”

Information for GLBT Youth on Finding Like-Minded Teens

 “Tenho 19 anos e sou virgem. Nunca tive um namorado. Há uns meses comecei a ter conversas sexuais com uma amiga, ficámos bastante excitadas e já fizemos “sexo ao telefone”. Não sei se sou lésbica. Ela vive noutra cidade e já pensámos em fazer sexo por videochamada. Será que devo fazê-lo?”

 Jessica, Viana do Castelo

 Cara leitora,

Acima de tudo importa fazer aquilo com que se sente bem, embora deva sempre proteger a sua intimidade e a sua identidade, pois com a Internet há sempre o risco de que aquilo que se passa entre duas pessoas acabe por se divulgar pelo Mundo se uma das partes envolvidas trair a outra ou se os ficheiros forem parar a outras mãos. Assim sendo, cabe-lhe avaliar os prós e contras antes de tomar uma decisão. Caso decida fazer a videochamada, evite que o seu rosto e o seu corpo sejam filmados em simultâneo – o que torna mais difícil identificá-la. Relativamente às dúvidas em relação à sua orientação sexual, é normal que haja fluidez – grande parte das pessoas sente-se atraída por pessoas de ambos os sexos, tendo uma preferência por um deles que pode variar em fases diferentes da vida. é perfeitamente natural e saudável que explore a sua sexualidade com alguém em quem confia. Conhecer bem o seu corpo e aquilo que lhe proporciona prazer fará com que, quando tiver relações sexuais com outra pessoa, elas sejam também mais satisfatórias para si e para a outra pessoa.

“As pessoas pensam que eu sou gay…”

“Sou o que se chama um bom rapaz. Sou atencioso, simpático e carinhoso. Como não gosto de futebol, nem de carros, nem das coisas que normalmente se associam aos homens, e aprecio arte, teatro e ópera, as pessoas acham que sou gay, mas eu não sinto qualquer atração por homens. Tenho 22 anos e nunca tive uma namorada, porque não encontrei ainda a mulher que idealizo e não sinto nenhum interesse particular por nenhuma mulher que conheça. Mas também nunca senti interesse por nenhum homem em especial! O corpo feminino desperta-me desejo, mas não quero envolver-me com uma mulher só para não me chamarem gay… o que posso fazer? Não quero conhecer a mulher dos meus sonhos e ela achar que sou gay…”

 

Guilherme, Lisboa

 

Caro leitor,

Há uma grande diferença entre a atração sexual – aquilo que lhe desperta desejo e atração – e a expressão sexual – a forma como expressa a sua identidade de género, na maneira como se mostra, e com aquilo que se identifica. Quando não estão em consonância, como parece ser o seu caso, isso pode gerar confusão e frustração porque as pessoas tendem a ver as situações de uma forma restritiva. Não há nada de errado no facto de um homem apreciar atividades que geralmente estão associadas ao género feminino – e que podem ter a ver, entre outros fatores, com a forma como foi educado e com as pessoas que foram um modelo mais marcante na sua educação, por exemplo – nem isso significa que se sinta atraído por pessoas do seu sexo. Embora nem sempre seja fácil desafiar as convenções sociais, continue a ser a pessoa que é e expresse-se em toda a sua plenitude – quando encontrar uma mulher com quem sinta vontade de ir à ópera isso não significa que, depois, não tenha uma noite de sexo tórrido com ela! Valorize a sua unicidade e lembre-se que não tem de minimizar a sua personalidade para caber dentro “da caixa” criada por outros!

“Com que idade se determina a orientação sexual?”

“A minha filha tem 10 anos e tem comportamentos que me levam a pensar que ela pode ser lésbica. Na escola ela brincava mais com rapazes. Recentemente só fala de uma amiga, parece apaixonada. Será que ela é lésbica? É possível detetar-se assim tão cedo?

Carla, Lagos

 

Cara Leitora,

Não é obrigatório que todas as raparigas gostem de brincar às bonecas – as raparigas já conquistaram o direito de ter mais comportamentos “masculinos”, de serem maria-rapaz sem serem discriminadas. Como a sua filha é muito nova é precoce falar-se de homossexualidade. Deixe-a desenvolver-se e ajude-a a aceitar-se tal como é, mesmo que se sinta diferente das outras meninas em algumas características. Dê-lhe tempo para descobrir a sua sexualidade, ao seu ritmo. Ser ou não ser homossexual no futuro não define aquilo que ela será como pessoa, mas sim apenas indica por quem se apaixonará e eventualmente apontará para algumas dificuldades sociais, por vivermos numa sociedade pouco aberta, em alguns contextos, às relações não heterossexuais. Não se preocupe e apoie a sua filha a gostar de si mesma tal como é, e a ser forte para enfrentar os desafios sociais com que se pode deparar ao longo da sua vida. Não deixe de abordar com naturalidade as questões sobre relações entre pessoas do mesmo sexo, mostrando-lhe que elas existem, e que são tão saudáveis como as relações entre pessoas do sexo oposto, sem a pressionar com questões de identidade.

Estimulação anal para homens!

83254002.jpg

 

"Estou casada há dois anos e gostaria de inovar a nossa vida sexual através de estimulação anal ao meu marido. Será que isso é muito atrevido, será que ele vai gostar?"

Nicole - Madeira

 

Cara leitora,

O que é considerado muito atrevido para alguns, é o pão-nosso de cada dia para outros. Existem muitos casais que praticam esse tipo de estimulação e existem de facto muitos homens que, independentemente da sua orientação sexual, deliram com essa prática, chegando mesmo a atingir o orgasmo sem necessitar de mais nenhum tipo de estimulação. Por isso não se preocupe com rótulos e seja inovadora na cama com o seu marido. A estimulação anal em homens deve ser feita sempre com a utilização de um lubrificante e de forma gradual e cuidadosa. Experimente e verá que o seu marido vai gostar.

“Será que sou bissexual?”

 

 

“ (…) Sempre tive namorados, inclusivamente agora tenho uma relação com um rapaz que demonstra muito amor por mim, mas eu não tenho a certeza dos meus sentimentos. Estou preocupada
porque tenho reparado que quando estou com a minha melhor amiga fico imediatamente alterada?

Cristina, Alcobaça

Cara leitora,

Neste momento apresenta uma dualidade de sentimentos que a têm deixado muito apreensiva. Sempre teve um comportamento heterossexual e sentia-se bem dessa forma. Possivelmente, o que estará a acontecer consigo é que devido às dúvidas que apresenta sobre o que realmente sente pelo seu namorado, está insegura e a sua melhor amiga é uma das pessoas pelas quais tem uma especial
afeição, o que faz com que no seu coração exista uma mistura de sentimentos.
Aconselho-a a reflectir mais seriamente sobre as suas dúvidas em relação à sua orientação sexual. Caso não encontre qualquer resposta dentro de si que a ajude a resolver este dilema, o melhor será procurar apoio a nível psicológico, para a ajudar a definir a sua orientação sexual e a ensinar-lhe mecanismos que a auxiliem na forma como deve agir perante esta situação que tanto a preocupa.

 

“Como perguntar a alguém qual a sua orientação sexual?”

“Por algum motivo continuo a namorar homens que acabo por descobrir que são gays. Há alguma maneira de perguntar qual a orientação sexual de um homen sem o insultar?...”

 

Cara Leitora:

Apesar da sua intenção ser boa e baseada em experiências do passado, é sempre complicado fazer essa pergunta. O seu parceiro pode ficar chocado, não importa quão “cuidadosa” a leitora seja. E perguntar não garante sempre uma resposta verdadeira!!!. Uma forma de evitar a necessidade de fazer essa pergunta, é refinar o seu poder de observação e intuição. Talvez, passar mais tempo com amigos que sejam homossexuais possa ajudar, dando-lhe uma melhor percepção.
Pode também tentar conhecer melhor o rapaz em que está interessada antes de o começar a namorar, bem como os seus amigos e familiares. Se alguma vez sentir que é mesmo necessário fazer essa pergunta tente fazê-lo sem julgar ou criticar o seu parceiro, explicando-lhe a razão da sua preocupação.

Sinto-me atraída pelas minhas amigas …


“Fui casada durante muitos anos, mas recentemente separei-me do meu marido porque ele era muito bruto comigo. Sei que se passa algo de muito estranho comigo, pois sinto-me atraída por mulheres. Estou preocupada, pois sinto-me bem assim…”

 

Margarida, Paços de Ferreira

Cara Leitora,

A atração entre seres do mesmo sexo é algo comum nas sociedades. O constrangimento e a instabilidade em que vive são perfeitamente compreensíveis devido à indefinição da sua orientação sexual.

Antes de mais, é importante que se sinta bem consigo própria para que possa definir o que se passa verdadeiramente consigo. Não se sinta diferente por optar por uma outra orientação sexual, pois tem todo o direito de optar por aquilo que verdadeiramente a faz feliz.

Assim sendo, caso veja que a atração por pessoas do mesmo sexo é algo consistente, não tenha receio de assumir. O importante é definir muito bem se é isso que deseja para que não tome nenhuma decisão da qual se possa arrepender. Pondere com calma e seja feliz com a decisão que tomar. 

“Masturbamo-nos juntos… Seremos homossexuais?”

Tenho 21 anos e sou virgem. Eu e o meu melhor amigo de vez em quando vemos filmes pornográficos juntos e masturbamo-nos ao mesmo tempo. Somos ambos hetero, mas como não sei se este tipo de comportamento é normal por vezes dou por mim confuso… seremos gay?”

 

Carlos, Porto

Caro leitor,

Ter um amigo com quem se pode partilhar essa cumplicidade e com quem se sente à vontade para ser você próprio e explorar as suas necessidades pessoais é ótimo. Não há nada de anormal nem de errado em praticar a masturbação em simultâneo, nem deve sentir que isso põe em causa a sua orientação sexual. A exploração da vossa sexualidade é algo normal, até porque ainda são jovens e virgens, o que faz com que tenham ainda muitas dúvidas, que podem esclarecer juntos. No entanto, esta prática é saudável desde que não vos faça desistir de outros programas com outras pessoas e até de encontros amorosos. Masturbar-se com o seu amigo não implica, por si só, que algum de vós seja gay. A orientação sexual define-se por um comportamento e uma tendência que vai além desta partilha com um amigo com quem sente confiança e à vontade. Se não se sente atraído por homens, se não fica excitado ao ver o corpo masculino, se a sua excitação vem da observação e do contacto com mulheres, a sua orientação sexual não será gay.