Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“Tenho medo de ser penetrada…”

“Tenho 31 anos, e nunca tive uma vida sexual muito ativa. Na minha última relação, apesar de amar o meu companheiro, não conseguia satisfazê-lo porque tinha muito medo de ser penetrada. Sinto muitas dores, mas acho que é um problema psicológico, porque não consigo relaxar. Isto está-me a prejudicar bastante, iniciei recentemente um relacionamento mas parece que tenho trauma de ter relações, envolvo-me bastante e tenho desejo de continuar mas de repente (parece que se passa algo) páro e o meu companheiro não entende porque faço isso. Acho que é um problema que não consigo resolver!

Teresa, Guimarães

Cara leitora,

O seu caso pode tratar-se de uma perturbação sexual feminina, mas tal diagnóstico só pode ser feito numa consulta presencial e com avaliação fisiológica médica e sexológica. Existem duas perturbações sexuais femininas da dor: o vaginismo e a dispareunia. Estes problemas acontecem a muitas mulheres, e não deve deixar de tentar viver a sua sexualidade por isto lhe acontecer nem sentir-se culpada. Deve procurar ajuda especializada para esclarecer se as suas dificuldades são psicológicas ou fisiológicas e refletir sobre um tratamento adequado. Entretanto pode explorar com o seu novo companheiro outras formas de ter relações sexuais, não só através da penetração… Explorem as massagens, as carícias, a masturbação mútua (pode começar sozinha para descobrir como gosta de ser tocada e o que lhe dá mais prazer), o sexo oral, os brinquedos eróticos… Usem a vossa imaginação para reinventarem a vossa sexualidade sem limites!

O meu namorado não quer usar preservativos!

"Tenho 24 anos e iniciei recentemente um relacionamento com um rapaz de 30 anos. Ainda não tivemos relações sexuais, mas ele diz que não quer usar preservativos, e por isso não sei o que fazer, pois tenho receio de apanhar uma doença sexualmente transmissível."

Susana - Coimbra

 

Cara leitora,

Realmente essa é uma situação delicada, e acho que, dadas as circunstâncias, faz bem em esperar para ter relações sexuais com o seu novo namorado. Como a comunicação é a base de uma boa relação, tem de procurar frases e argumentos que o levem a compreender o seu lado nesta questão. A resistência de alguns homens em utilizar o preservativo pode ser grande, pelo que cabe a si defenderem a sua saúde sexual e encontrarem um compromisso que faça sentirem-se ambos seguros na relação sexual. Por vezes é apenas a falta de hábito dos homens que os leva a sentirem-se "apertados", "desconfortáveis" e até mesmo com menos excitação. Tente mostrar-lhe um lado divertido deste método, colocando-o de modos originais, mostrando-lhe como pode fazer aguentar mais tempo de penetração, o que pode até melhorar o sexo para os dois… Se ele continuar a rejeitar o uso do preservativo, sugira que ambos façam testes médicos antes de ter relações. Se ele se recusar, então cabe-lhe a si decidir se quer continuar o namoro com ele ou não, pense bem, pois você é dona do seu próprio corpo.

 “Comecei a sentir dores durante a penetração!”

“Tenho 46 anos e estou a entrar na menopausa. Já consultei o meu médico e estou a fazer reposição hormonal, o que tem ajudado bastante a aliviar os sintomas. Apesar de estar a fazer o tratamento, tenho alguns problemas a nível sexual, pois todas as vezes que tenho relações sinto dores durante a penetração. O que posso fazer para reduzir este desconforto?”

Sofia, Porto de Mós

 

Cara leitora.

Muitas mulheres sofrem alterações nas suas vidas sexuais depois de entrarem na menopausa, podem sentir dores, falta de apetite sexual, dificuldade em atingir o orgasmo, entre outras. No seu caso a leitora sente dores, isso é devido à falta de lubrificação da vagina, o que é bastante normal na sua situação. Aconselho a usar um lubrificante antes da penetração, o que reduzirá bastante o seu desconforto. Existem vários lubrificantes no mercado, alguns até com sabores, o que pode trazer novidade à vossa relação. Caso os sintomas persistam, deverá comunicar esse facto ao seu médico.

 

“A minha mulher tem pouca lubrificação…”

 

“A minha mulher tem muitas dores durante o acto sexual devido a ter dificuldade em ficar lubrificada. A que se deve essa dificuldade?”

João, Castelo de Vide

Caro leitor,

Algumas mulheres necessitam de mais tempo para atingir uma lubrificação que permita  que o coito seja praticado de forma confortável. Para evitar que a sua mulher tenha dores durante a penetração é importante que ela esteja bem lubrificada antes de inserir o pénis, e isto pode ser conseguido através de preliminares mais demorados. Use e abuse da sua imaginação para que possa excitar a sua esposa, pois a excitação ajuda bastante no processo de lubrificação. Esta fase dos preliminares é importante para que se conheçam as zonas erógenas do parceiro de forma a promover uma relação satisfatória.
Experimentem outras posições sexuais, pois algumas posições são absolutamente desconfortáveis para as mulheres, minorando a lubrificação e dificultando a penetração. Pode também recorrer a utilização de um gel lubrificante que pode ser utilizado no sexo vaginal e anal antes da penetração. 

“Ele sente dores quando me penetra!”

 

“Eu e o meu namorado perdemos a virgindade juntos, e estamos ambos muito apaixonados um pelo outro. O problema é que ele não é circuncidado e diz que sente dores muito fortes quando me penetra, causadas pela pele do pénis a ser puxada. Por causa disto ele nunca consegue ter um orgasmo através da penetração. O que podemos fazer?”

 Vanessa, Famalicão

 

Cara leitora,

Antes de mais a situação que descreve precisa de ser vista por um médico, porque mesmo que um homem não seja circuncidado não deve sentir qualquer tipo de dor durante a penetração. As dores indicam que algo não está a funcionar devidamente, e nesse sentido ele precisa de ser imediatamente examinado para que possa ser detetada a origem desse desconforto e essa situação possa ser devidamente tratada. A penetração em si nunca deve causar desconforto nem dor. Esta pode ser resultante de uma inflamação ou de uma infeção, como por exemplo uma balanite, que causa vermelhidão e dor no pénis e no prepúcio, ou uma fimose, que pode aparecer em pénis não circuncidados como resultado de irritações e inflamações, deixando o prepúcio demasiado apertado para ser completamente puxado para trás, ou ainda uma parafimose, na qual o prepúcio não consegue sequer ser puxado para trás da cabeça do pénis, e que difere da fimose na medida em que o prepúcio fica “preso” quando é puxado para trás da cabeça do pénis, sendo considerada uma emergência médica. Por outro lado, também há uma condição médica designada como frenulum breve ou freio curto, em que o prepúcio se retrai apenas parcialmente. Se o freio prepucial for curto ou não tiver a elasticidade necessária não permitirá que a pele do prepúcio se retraia na totalidade, causando dor. Para além destas existem outras possibilidades, pelo que o seu namorado deve ser de imediato visto por um médico para que este decida qual o melhor tratamento ou intervenção a fazer.

Facilitar a penetração

Dra., gostava de saber se existe algum produto ou objecto que eu possa introduzir para alargar a vagina, com o objetivo de facilitar a penetração. Existe algum creme para a deixar mais relaxada? 

 
 
A vagina é bastante flexível, permitindo o nascimento de uma criança, por isso não necessita de objectos para aumentar o seu tamanho. A forma mais adequada para facilitar a sua elasticidade é estar descontraída durante o acto sexual e bem estimulada. Deve também utilizar um gel lubrificante durante a penetração, pois este vai facilitá-la, fazendo com que esta seja menos dolorosa e, logo, que os músculos estejam mais descontraídos.

“Como posso facilitar a penetração?

8 Relationship Tips Couples Therapists Are Giving All the Time Right Now |  SELF“Gostava de saber se existe algum produto ou objecto que eu possa introduzir para alargar a vagina, com o objectivo de facilitar a penetração. Existe algum creme para a deixar mais relaxada? Sinto muitas dores durante a penetração!”

Felícia,  Abrantes

Cara leitora, 

A vagina é bastante flexível, permitindo até o nascimento de uma criança, por isso não necessita de objectos para aumentar o seu tamanho. A forma mais adequada para facilitar a sua elasticidade é estar descontraída durante o acto sexual e bem estimulada. Deve também utilizar um gel lubrificante durante a penetração, pois este vai facilitá-la, fazendo com que esta seja menos dolorosa e, logo, que os músculos estejam mais descontraídos.

 

“Ela sente dores quando a penetro…”

“Acho que o meu pénis é grande, comparativamente com o de alguns colegas e amigos e com o que já tenho visto na Internet. A minha namorada sente sempre muitas dores quando a penetro, e por isso gostava de saber o que posso fazer para que não seja doloroso.”

Fernando, Guarda

  

Caro leitor,

Quanto mais lubrificada e descontraída a sua namorada estiver, mais fácil será a penetração e mais prazerosa. Lembre-se que um bebé também sai pela vagina no parto natural, o que mostra quão elástica a vagina pode ser. Por isso, mesmo que o seu pénis seja maior do que o comum, a penetração não tem de ser dolorosa. É fundamental que ela esteja bastante excitada, e por isso aconselho a que invistam mais nos preliminares. Poderá fazer-lhe sexo oral ou dedicar mais tempo ao prazer dela antes de a penetrar. Aconselho também a que utilizem um lubrificante à base de água e a que experimentem variar as posições, pois a profundidade da penetração varia de acordo com a posição escolhida. Mostre à sua namorada que se preocupa com o seu bem-estar e deixe que ela comande a ação, para evitar magoá-la.

 

Ejaculo com muita rapidez

"Quando tenho relações sexuais ejaculo muito rapidamente e não tenho a mesma reação sexual que tinha dantes. Isto aconteceu de um momento para o outro, mas tenho apenas 28 anos, o que me deixa muito assustado."

Manuel - Faro

 

Caro leitor,

Os problemas sexuais podem surgir repentinamente, depois de uma experiência que correu mal e que ficou marcada na memória. A ansiedade de antecipar o que pode voltar a acontecer pode levar a que aconteça o mesmo, pois está preocupado e menos dedicado a sentir prazer. Por outro lado, outros fatores podem influenciar a sua capacidade de ter relações sexuais e a penetração: ter um problema, estar cansado, ter bebido muito álcool. Tente abstrair-se de problemas, relaxar, não partir logo para a penetração mas demorar nas carícias, sentir o corpo da outra pessoa e o prazer e satisfação que lhe pode oferecer, descobrir as suas zonas erógenas preferidas… Apesar destas sugestões úteis, penso que deveria consultar um especialista, que lhe esclareça esta questão e lhe dê um apoio presencial, pois pode prevenir que este problema continue e o faça sentir-se cada vez pior consigo próprio e nas suas relações sexuais. Não tenha vergonha, a ejaculação precoce ou prematura é muito frequente em homens de muitas idades e tem tratamento.

“Tenho medo da penetração”

“Tenho 31 anos, e nunca tive uma vida sexual muito activa. Na minha última relação, apesar de amar o meu companheiro, não conseguia satisfazê-lo porque tinha muito medo de ser penetrada. Sinto muitas dores, mas acho que é um problema psicológico, porque não consigo relaxar. Isto está-me a prejudicar bastante, iniciei recentemente um relacionamento mas parece que tenho trauma de ter relações, envolvo-me bastante e tenho desejo de continuar mas de repente (parece que se passa algo) páro e o meu companheiro não entende porque faço isso. Acho que é um problema que não consigo resolver. Gostava que me indicasse se devo procurar ajuda clínica ou psicológica.

Teresa, Guimarães

Cara leitora,

O seu caso pode tratar-se de uma perturbação sexual feminina, mas tal diagnóstico só pode ser feito numa consulta presencial e com avaliação fisiológica médica e sexológica. Existem duas perturbações sexuais femininas da dor: o vaginismo e a dispareunia. Estes problemas acontecem a muitas mulheres, e não deve deixar de tentar viver a sua sexualidade por isto lhe acontecer nem sentir-se culpada. Deve procurar ajuda especializada para esclarecer se as suas dificuldades são psicológicas ou fisiológicas e reflectir sobre um tratamento adequado. Entretanto pode explorar com o seu novo companheiro outras formas de ter relações sexuais, não só através da penetração… Explorem as massagens, as carícias, a masturbação mútua (pode começar sozinha para descobrir como gosta de ser tocada e o que lhe dá mais prazer), o sexo oral, os brinquedos eróticos… Usem a vossa imaginação para reinventarem a vossa sexualidade sem limites!