Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Tema de hoje: Problemas Sexuais

Sydney Owenson

 

 

Olá, boa tarde,
estou casada há 20 dias mas sinto muitas dores quando ele tenta penetrar-me, ao ponto de nunca o deixar ir até ao final, sinto-me muito incomodada com isso porque quero muito dar prazer ao meu marido. O que posso fazer para não sentir tantas dores? Será que existe algum gel ou pomada que seja anestésica, para que eu não sinta essas dores?
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Sabrina
 
 
Cara Sabrina,
Antes de pensar num anestésico para as dores,  procure cuidadosamente as causas delas com um médico. Pode tratar-se de muitas coisas, desde apenas falta de excitação e lubrificação, por estarem a partir para a penetração rápido demais, até disfunções sexuais femininas, como o vaginismo ou a dispareunia. Deve consultar um/a ginecologista para ver se está tudo bem consigo a nível ginecológico e também iniciar uma terapia sexual presencial, para que consiga resolver os problemas da sua relação e das suas relações sexuais.
As disfunções sexuais femininas interferem muito nas relações íntimas, saiba que estes problemas acontecem a muitas mulheres e não deve deixar de tentar viver a sua sexualidade por estar agora a sentir isto. Por enquanto podem explorar outras formas de ter relações sexuais, não só através da penetração… Explorem as massagens, as carícias, a masturbação mútua, o sexo oral, os brinquedos eróticos… Usem a vossa imaginação para reinventarem a vossa sexualidade sem limites!
Tente pedir ao seu marido que a penetre aos poucos e de forma gentil, ou seja, sem colocar o pénis todo na vagina de uma vez, e à medida que ele for introduzindo o pénis a Sabrina deve controlar a profundidade e velocidade da penetração, deve também contrair e relaxar os músculos da vagina durante este exercício. Desta forma a Sabrina vai sentir mais controlo durante a penetração e vai acabar por descontrair, e por sua vez sentir mais prazer.
Aconselho também que explore o seu corpo através da masturbação, para que possa descobrir como gosta de ser tocada e o que lhe dá prazer, pois o primeiro passo para sentir prazer com um parceiro é ser capaz de o fazer sozinha.
Mas não deixe de procurar ajuda especializada, seria desejável fazer uma consulta presencial.
 

Insatisfação Sexual

 

Olá boa tarde. Espero estar a proceder bem ao tentar pedir uma explicação e quem sabe solução para o assunto que vou expor... Sou uma mulher nova (28anos) casada e feliz. No entanto, a nível sexual não posso queixar-me, pois tenho uma vida sexual regular, mas embora tenha essa regularidade acho que não está bem de todo... eu amo o meu marido e gosto muito de estar com ele, é meigo e atencioso para eu ter prazer nas relações mas quase nunca tenho... Sinto que o meu corpo responde aos estímulos mas não ao ponto de eu sentir o climax... não tenho problema de dores durante a relação e sou lubrificada daí não ter problemas nesse caso (embora ache que sou demasiado lubrificada). Eu excito-me facilmente e estou sempre receptiva para tal mas o que me magoa é não ter orgasmo... conseguir dar prazer ao meu marido e eu não conseguir… A maior parte das vezes sente-se que estou a ter, por ter todo os ' sintomas' de que estou quase lá, mas não consigo dizer que sei o que é um orgasmo... Com masturbação consigo ter prazer, mas a nível de penetração não sei... Tenho muita dificuldade de falar com alguém neste caso, daí eu estar a pedir neste mail um apoio... Tenho alturas em que penso que talvez assim seja por ser muito lubrificada... se será outro caso... não sei. Gostava imenso de ter uma ajuda para saber como obter a satisfação total... Parece que algo me bloqueia, não me deixa sentir... Será a preocupação de dar prazer ao meu marido ou por pensar que não estou a fazer bem?.... Se for possivel agradecia que me dessem uma solução. Obrigada

Susana

 

 

 

 

 

 

Cara Susana,

Segundo a sua explicação, a Susana consegue atingir o orgasmo através da masturbação mas não através do coito. De facto, grande maioria das mulheres atinge o orgasmo através da estimulação clitorial (sexo oral ou estimulação manual) e não através da penetração. Por isso, não se sinta pressionada a “ter obrigatoriamente” de atingir o orgasmo durante a penetração, porque a sua situação é perfeitamente normal e partilhada por milhões de mulheres. O que algumas mulheres tentam fazer é estimular o clítoris até ao ponto do orgasmo antes da penetração, desta forma quando se dá o coito a mulher não se sente tão pressionada a ter de atingir o orgasmo dessa forma, nem se sente tão frustrada por não ter tido um orgasmo durante a relação sexual. Outras mulheres preferem que a estimulação clitorial seja feita após a penetração e após o parceiro ter atingido o orgasmo. Pode também experimentar comprar um vibrador que seja anatomicamente adequado à estimulação do Ponto G (uma zona no interior da vagina que causa o orgasmo vaginal), dessa forma verá se sozinha consegue atingir o orgasmo através da penetração ou não, se for bem sucedida tente explicar ao seu marido qual o tipo de posições ou estimulação que permitem que isso suceda. Quanto ao caso de ser bastante lubrificada, isso pode diminuir alguma da sensação durante a penetração, por isso experimente fazer uma pausa durante o coito na qual possa limpar alguma dessa lubrificação excessiva que sente.

Dor na penetração

Tenho 27 anos e sinto dores durante a penetração. Não é aquela dor de queimadura de quando não estamos com lubrificação suficiente. Sinto a dor com a penetração mais profunda, parece que o pénis bate na parede interna e é aí que eu sinto a dor. O que pode ser isto?
Rita
 
Cara Rita,
 
A dor que sente parece ser o pénis a tocar no colo do útero, o que incomoda algumas mulheres, enquanto não incomoda outras e pode até dar prazer. Experimente posições sexuais em que penetração não seja tão profunda como a que lhe dá essa dor, veja em livros como o Kamasutra ou em sites da internet de sugestões de posições (por exemplo: http://mulher.sapo.pt/articles/sexualidade/sexo_sem_tabus/)
Se a dor não melhorar com o lubrificante e estes conselhos não deixe de tentar esclarecer com um médico numa consulta presencial ou de planeamento familiar.

Dicas Sexuais

 "Para uma união mais profunda, troque a posição tradicional do "homem por cima" pela "aberta": A mulher estica as pernas e levanta-as, pondo-as em volta da cintura do seu amante, que se ajoelha à frente dela."

 

(Segredos do Sexo, Michelle Pauli)

 

Tenho feridas no pénis

Gostava que me pudesse ajudar, sou um rapaz sexualmente activo e apareceram-me duas pequenas feridas na membrana do pénis e gostava de saber o que poderá ser. Outra questão, a minha namorada tem sentindo um ardor ao urinar bem como uma dor insuportável na uretra/clítoris, que lhe
dói ao andar.

 

Obrigado,

Agradecia uma resposta.

 

 

Caro Tiago,

Os sintomas que descreve parecem indicar que tanto o Tiago como a sua namorada tem uma Infecção Sexualmente Transmissível, dessa forma convém que o Tiago consulte um urologista
e que a sua namorada consulte um ginecologista. Até que ambos o façam e ambos recebam tratamento adequado, não devem ter relações sexuais, incluindo penetração, sexo anal ou oral, pois podem continuar a passar a infecção um ou outro repetidamente.

“Nunca consegui ter um orgasmo…”

 

 “Já estou há três anos a morar com o meu o namorado e nunca consegui atingir o orgasmo. Será que tenho algum problema?”

 

Tânia, Faro

 

Cara leitora,

Atingir o orgasmo depende muito de mulher para mulher e das situações em que sente o prazer. A maioria das mulheres não atinge o orgasmo com a penetração, mas mais facilmente com masturbação, com sexo oral, com estimulação do clítoris… não valorize demasiado a questão de atingir ou não o orgasmo, pois a sua atenção irá desviar-se do prazer e não se entrega às sensações físicas, tirando menos satisfação daquilo que sente.

Como não sei se alguma vez terá sentido orgasmo é difícil responder-lhe, mas procure como gosta do prazer na masturbação sozinha, acaricie-se e à sua vagina – se a leitora souber do que gosta melhor poderá guiar o seu parceiro ou parceira nessa descoberta.

 

Tema de hoje: Ejaculação Retardada

 
Tenho 28 anos e gostaria de saber se é normal no momento das relações sexuais a ejaculação demorar muito a vir. Acontece-me de vez em quando: às vezes ejaculo no momento certo, mas outras vezes demoro muito e minha esposa incomoda-se, pois a vagina dela até perde a lubrificação com a minha demora.
 
Hugo
 
Caro Hugo,
 
O tempo da ejaculação depende de homem para homem e da pessoa com quem está a ter relações sexuais – lento e demorado para uns pode ser curto e rápido para outros. Saiba que uma relação sexual, desde o momento da penetração até à ejaculação e sem contar com os preliminares, dura para a maioria dos casais de 3 a 13 minutos (num estudo recente da Society for Sex Therapy and Research, publicado em Maio no Journal of Sexual Medicine). Conversas públicas muitas vezes criam-nos expectativas irrealistas e podem deixar-nos insatisfeitos com situações perfeitamente normais.
No entanto, se o Hugo e a sua mulher sentem que estão a perder lubrificação durante a relação, podem comprar lubrificante numa sex-shop ou super mercado e juntá-lo à penetração quando necessitarem. Pode ser uma questão de idade, das circunstâncias que a sua mulher se sinta assim, mesmo que mantenha o desejo de continuar a relação sexual.
 
Existe uma perturbação sexual chamada ejaculação retardada, em que o homem sente bastantes dificuldades em ejacular, mas tal deve ser diagnosticado em consultas presenciais e por especialistas em sexologia. 
No entanto, algumas causas desta perturbação podem ser medicamentos que esteja a tomar (como por exemplo alguns anti-depressivos), por isso se for esse o seu caso, consulte o seu médico e explorem a possibilidade de alterar a medicacao ou a sua dose.
 
Por enquanto podem experimentar novas formas de viver a relação sexual: juntar lubrificante (há de vários tipos, que aumentam a circulação sanguínea, líquidos, pomadas, com diferentes aromas…), ter o orgasmo com masturbação em vez da penetração vaginal, sexo oral, e mesmo a utilização de um vibrador para ajudar a estimular e atingir o orgasmo mais rapidamente - falem um com o outro sobre questões que vos preocupem e possam interferir com sentirem o prazer de estar juntos.

Ele tem o pénis muito grande e magoa-me!

o-TAILLE-PENIS-facebook.jpg

 
"Tenho 25 anos e comecei a namorar com um rapaz, mas ele tem um pénis muito grande, o que me causa dores durante o ato sexual. Não sei o que fazer, pois gosto muito dele."
Soraia - Vilamoura

 

Cara leitora,

Os casais que eu conheço que estão na mesma situação que a sua acabam por utilizar um gel lubrificante durante o ato sexual, bem como tentarem posições diferentes, que não magoem tanto. Pode também pedir para ele ter cuidado durante a penetração, e colocar a mão à volta do pénis para que este não a penetre de forma tão profunda. Converse com ele e experimentem algumas alternativas para ajudar a vossa relação, seguramente que com amor encontrarão formas de ajustarem a anatomia de um à do outro.

 

“Gostaria que me explicasse o que é a posição missionário…”

“Tenho 19 anos e quero iniciar a minha vida sexual. Disse isto ao meu namorado e ele disse que a melhor posição para começar seria a de missionário, mas eu não sei como é e tive receio de lhe perguntar. Poderia esclarecer-me sobre este assunto?”

Vânia, Palhais

 

Cara leitora,

Esta posição, a de missionário, é uma posição sexual bastante adequada ao início da vida sexual de um casal e, por isso mesmo, à vossa relação, pois permite facilmente controlar o ritmo e profundidade da penetração, e como estão de frente um para o outro podem trocar olhares e falar para que tanto a leitora como o seu namorado possam comunicar como se estão a sentir. Consiste na mulher deitada de costas e o homem deitado por cima.

Essa posição é, provavelmente, a mais utilizada entre casais. Existem várias posições que podem experimentar uma vez iniciada a vossa vida sexual, faça experiências com o seu namorado e descubram a posição que melhor se adequa a ambos e que vos dá maior satisfação. Se tiver muitas dúvidas experimente comprar um bom livro acerca deste assunto.

“Não consigo penetrá-la…”

Tenho 49 anos e sempre fui um homem sexualmente activo. De há uns tempos para cá, contudo, tenho muitas dificuldades em conseguir uma erecção que possibilite a penetração. Sinto que a minha esposa está a afastar-se cada vez mais de mim e temo que ela me deixe.”

 

Álvaro, Massamá

 

Caro Leitor,

 

Antes de mais deixe-me lembrá-lo que a falta de erecção, ou incapacidade para atingir e/ou manter uma erecção adequada para uma actividade sexual satisfatória, não é uma situação rara, mas um problema que afecta milhões de homens, logo não deve ser algo que o envergonhe. Trata-se pois de uma disfunção que atinge ambos os elementos do casal, é extremamente importante estes comunicarem abertamente durante este período, potencialmente muito difícil. Vários factores podem causar dificuldade em atingir e manter a erecção em homens, tais como diabetes, depressão, problemas de coração, hipertensão, consumo excessivo de tabaco ou álcool, bem como quaisquer medicamentos associados a estas condições. Consulte o seu médico e tente identificar se existem algumas causas orgânicas para o seu problema. Se possível, deve também tentar discutir o modo como esta situação pode ter mudado a relação do casal, perspectivando uma caminhada de mãos dadas rumo ao diagnóstico e consequente terapia. Por isso não se afaste da sua esposa, mas também não a deixe afastar-se, fale abertamente com ela e faça desta situação um momento único de partilha de emoções e sentimentos, reforçando assim o que vos une.