Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Desmistifique a pílula do dia seguinte

Afinal-existe-um-horário-ideal-para-tomar-o-anti

 

Muito se tem falado sobre a pílula do dia seguinte, mas há muitas pessoas que ainda não perceberam exatamente como funciona, quando deve ser usado e em que circunstâncias. Este é um método anticoncepcional que liberta altas doses de hormonas, que atrasam a ovulação e podem evitar uma gravidez não desejada.

 

Quando não usa nenhum outro método anticoncepcional, numa relação sexual esporádica, com penetração, mesmo o seu parceiro não ejaculando, pode tomar a pílula do dia seguinte, mesmo cinco dias após essa relação sexual sem proteção.

 

Esta pílula deve ser encarada como um "comprimido" de emergência e não como um método anticoncepcional permanente, até porque inibindo ou atrasando a ovulação constantemente (que é esse na realidade o seu efeito) terá no futuro mais probabilidade de engravidar, pois a sua menstruação estará constantemente desregulada. A sua eficácia é praticamente imediata e 24 horas após a sua ingestão, o seu organismo já absorveu todos os seus efeitos.

 

Se a pílula do dia seguinte funcionar na perfeição, a sua menstruação chegará na data marcada, no entanto, mesmo não sendo regra geral, poderá haver um pequeno sangramento alguns dias antes. Se a sua menstruação atrasar mais do que dez dias, é aconselhável procurar um ginecologista e certificar-se que não está grávida.

Orgasmo difícil

Tenho uma vida sexual activa há mais de 5 anos, adoro fazer sexo, mas nunca gozei. Sinto um grande prazer quando sou tocada e quando estou fazendo sexo, mas sei que demoro para atingir o orgasmo tanto que nunca cheguei, porquê? Gostaria muito de saber o que eu posso fazer para chegar ao orgasmo? O problema deve estar comigo, tambem gostaria de saber que problema é esse.
Ana Maria
 
Cara Ana Maria,
 
Há muitas mulheres com dificuldades em atingir o orgasmo, principalmente na penetração vaginal. No entanto, pode tentar estimular-se no clítoris (pode ser a Ana ou o seu parceiro ou parceira a fazê-lo antes, durante ou depois da penetração), com sexo oral, com a masturbação utilizando os dedos ou um vibrador…
Há muitas alternativas que deve explorar para descobrir o que a excita mais, demorando-se o tempo que for necessário, sem pressas nem pressões! Não se preocupe em atingir o orgasmo e disfrute o prazer que diz ter no sexo – o orgasmo feminino tem de ser aprendido, leva o seu tempo, pode precisar de intimidade, confiança, amor… Deixe-se levar pelo prazer e pela curiosidade para saber qual é o seu rastilho!

“A minha mulher tem pouca lubrificação…”

 

“A minha mulher tem muitas dores durante o acto sexual devido a ter dificuldade em ficar lubrificada. A que se deve essa dificuldade?”

João, Castelo de Vide

Caro leitor,

Algumas mulheres necessitam de mais tempo para atingir uma lubrificação que permita  que o coito seja praticado de forma confortável. Para evitar que a sua mulher tenha dores durante a penetração é importante que ela esteja bem lubrificada antes de inserir o pénis, e isto pode ser conseguido através de
preliminares mais demorados. Use e abuse da sua imaginação para que possa excitar a sua esposa, pois a excitação ajuda bastante no processo de
lubrificação. Esta fase dos preliminares é importante para que se conheçam as zonas erógenas do parceiro de forma a promover uma relação satisfatória.
Experimentem outras posições sexuais, pois algumas posições são absolutamente desconfortáveis para as mulheres, minorando a lubrificação e dificultando a penetração. Pode também recorrer a utilização de um gel lubrificante que pode ser utilizado no sexo vaginal e anal antes da penetração. 

“Penetração anal e vaginal…”

“Tenho 26 anos e eu e o meu namorado temos uma relação sexual saudável e descontraída. Costumamos praticar a penetração anal com o pénis e com os dedos, mas da última vez que o fizemos fiquei preocupada pois ele pôs um dedo no meu ânus e, logo depois, pôs
o mesmo dedo na minha vagina. Tenho medo que isso me traga infecções e doenças… existe esse risco?”

Maria, Esposende

Cara leitora,

De facto a prática que refere pode acarretar riscos para a sua saúde, porque o dedo que explorou as profundidades da cavidade anal pode ter apanhado a bactéria E.coli. O facto de esta bactéria do cólon chegar de alguma forma à uretra é uma das causas mais frequentes de infecções urinárias, por isso ao colocar na vagina um dedo que esteve no ânus está a aumentar a probabilidade de transmissão desta bactéria. Para evitarem que isto aconteça o seu namorado pode usar uma mão para a penetração anal e outra para a penetração vaginal. As mãos devem ser bem lavadas após a penetração do ânus (o uso de sabão é fundamental) e ele pode também usar luvas de látex caso se sinta confortável ao fazê-lo. É essencial manterem as unhas curtas, porque as bactérias alojam-se mais facilmente nas pontas dos dedos em unhas compridas.

 

“Demoro muito a ejacular…”

 

Tenho 28 anos e demoro muito tempo a ejacular. Gostaria de saber se é normal, acontece apenas de vez em quando, mas é preocupante pois ainda sou muito novo para ter problemas de ejaculação! Sinto-me constrangido pois às vezes a minha namorada perde a lubrificação com a minha demora.”

 

Cláudio, Porto

 

Caro leitor,

O tempo da ejaculação depende de homem para homem e da pessoa com quem está a ter relações sexuais – o que é lento e demorado para uns pode ser curto e rápido para outros. Saiba que uma relação sexual, desde o momento da penetração até à ejaculação e sem contar com os preliminares, dura para a maioria dos casais de 3 a 13 minutos. Conversas públicas muitas vezes criam-nos expectativas irrealistas e podem deixar-nos insatisfeitos com situações perfeitamente normais.

Existe uma perturbação sexual chamada ejaculação retardada, em que o homem sente bastantes dificuldades em ejacular, mas tal deve ser diagnosticado em consultas presenciais e por especialistas em sexologia. Algumas causas desta perturbação podem ser medicamentos que esteja a tomar (como por exemplo alguns anti-depressivos), por isso se for esse o seu caso, consulte o seu médico e explorem a possibilidade de alterar a medicação ou a sua dose. Procurem experimentar novas formas de viver a relação sexual: juntar lubrificante (há de vários tipos, que aumentam a circulação sanguínea, líquidos, pomadas, com diferentes aromas…), ter o orgasmo com masturbação em vez da penetração vaginal, sexo oral, e mesmo a utilização de um vibrador para ajudar a estimular e atingir o orgasmo mais rapidamente - falem um com o outro sobre questões que vos preocupem e possam interferir com o prazer de estarem juntos.

Ejaculo com muita rapidez

impotenza2.jpg

 

"Quando tenho relações sexuais ejaculo muito rapidamente e não tenho a mesma reação sexual que tinha dantes. Isto aconteceu de um momento para o outro, mas tenho apenas 28 anos, o que me deixa muito assustado."

Manuel - Faro

 

Caro leitor,

Os problemas sexuais podem surgir repentinamente, depois de uma experiência que correu mal e que ficou marcada na memória. A ansiedade de antecipar o que pode voltar a acontecer pode levar a que aconteça o mesmo, pois está preocupado e menos dedicado a sentir prazer. Por outro lado, outros fatores podem influenciar a sua capacidade de ter relações sexuais e a penetração: ter um problema, estar cansado, ter bebido muito álcool. Tente abstrair-se de problemas, relaxar, não partir logo para a penetração mas demorar nas carícias, sentir o corpo da outra pessoa e o prazer e satisfação que lhe pode oferecer, descobrir as suas zonas erógenas preferidas… Apesar destas sugestões úteis, penso que deveria consultar um especialista, que lhe esclareça esta questão e lhe dê um apoio presencial, pois pode prevenir que este problema continue e o faça sentir-se cada vez pior consigo próprio e nas suas relações sexuais. Não tenha vergonha, a ejaculação precoce ou prematura é muito frequente em homens de muitas idades e tem tratamento.

Ela não aceita as rapidinhas

razoes-sexo-casual-663.jpg

 

"A minha vida sexual é bastante ativa, mas quando peço à minha namorada para darmos uma rapidinha, pois o meio envolvente não nos permite irmos mais longe ela nega-mo. Porque será?"

 

Caro leitor:

Nesta situação a lógica é bastante básica…o ser humano tem tendência a repetir aquilo que lhe dá prazer e a evitar o que lhe causa mal estar ou desconforto. Assim sendo, a sua namorada nega porque provavelmente uma rapidinha não é suficiente para lhe dar prazer, por isso ela não vai estar interessada em fazê-lo. O homem e a mulher são seres completamente diferentes no que diz respeito ao prazer sexual. A mulher necessita de tempo para estar totalmente excitada e lubrificada para que haja uma penetração sem dor e para que possa atingir o orgasmo, enquanto que o homem está pronto para a ocasião sem necessidade de grandes preparativos. Pergunte à sua namorada o que ela sugere que você faça para que ela também sinta prazer na rapidinha, pois não é justo que apenas você se divirta!!!!

“Custa-me penetrar a minha namorada em outras posições!”

  

 
“A minha namorada diz que lhe custa quando eu a tento penetrar noutras posições além da do missionário. Quando tentamos inovar ela diz que sente muitas dores durante a penetração.”
Tiago, Santarém
 
Caro Leitor,
Nem sempre a descoberta de novas posições sexuais se traduz em mais prazer para ambos os parceiros, pois algumas posições podem ser desconfortáveis, originando dores e mal-estar, o que parece ser o caso da sua namorada. Procurem experimentar posições novas, mas apenas depois da sua namorada estar bem lubrificada, desta forma ambos poderão aproveitar da melhor forma esse momento de entrega e partilha. Procurem ser cuidadosos nas posições que adoptam e se mesmo assim as dores persistirem não hesite em aconselhar a sua namorada a consultar um médico. Não percam essa vontade de continuar a dinamizar a vossa vida a dois.
 

Há risco de gravidez sem penetração?

A-Ejaculação-Precoce-Não-pode-te-Atrapalhar.jpg

 

"Gostaria de saber quais as probabilidade de uma mulher engravidar apenas com o contato direto da vagina com o pénis, mesmo que não haja ejaculação nem penetração?"

Mariana - Vila Nova de Gaia

 

Cara leitora,

As probabilidades não são muito grandes de acontecer uma gravidez, apenas com o contato genital, mas pode acontecer, se o homem tiver já libertado líquido pré-ejaculatório (a lubrificação que sai antes da ejaculação) e se o contato entre os genitais for bastante direto, sem qualquer roupa nem proteção. Lembre-se que mesmo que a gravidez não aconteça as infeções sexualmente transmissíveis podem ser transmitidas numa situação como a que descreve, pelo que a proteção com o preservativo é desejável. 

 

“Não tenho lubrificação suficiente!”

 

Tenho 43 anos e sempre tive uma vida sexual ativa e feliz. No entanto, ultimamente quando faço amor noto que fico menos lubrificada, o que me causa dores e mal-estar. Não entendo por que aconteceu esta mudança, mas está a provocar-me um grande desconforto e constrangimento.”

 

Mariana, Queluz

 

Cara Leitora,

Esta dificuldade poderá ser causada por uma infeção vaginal que provoca dores durante a penetração e a redução da lubrificação. Por outro lado, existem alguns medicamentos que têm como efeitos secundários a redução da lubrificação e do desejo sexual. Uma outra hipótese a ter em consideração é o facto de estar num período pré-menopausa, onde poderá ocorrer uma alteração dos níveis hormonais que poderão justificar essa tendência, principalmente a níveis irregulares de estrogénio. Porém, de forma a dissipar todas as suas dúvidas a este respeito, aconselho a que consulte o seu ginecologista para que juntos encontrem a solução para o seu problema de forma a recuperar a satisfação e plenitude sexual.