Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

Consultório de Sexologia

Profª Drª Helena Barroqueiro

“A pornografia aumenta a violência sexual?”

 

“Encontrei algumas revistas pornográficas no quarto do meu filho de 18 anos e fiquei preocupada, pois para além de não saber como agir com ele, uma amiga disse-me que essas revistas têm imagens violentas que fazem com que haja mais violência sexual entre jovens! Isto é verdade?”
 
Conceição, Vila Nova de Gaia
 
Cara leitora
Um estudo sobre pornografia realizado pela Comissão Meese nos Estados Unidos a pedido do presidente Ronald Reagan, concluiu que, ao contrário do que se pensava, menos de 1% das imagens contidas nas revistas pornográficas mais vendidas no mundo contêm imagens violentas. Dessa forma a Comissão Meese não encontrou dados que demonstrassem uma correlação entre pornografia e violência sexual. Por isso, não tem de se preocupar tanto com o assunto. O seu filho está numa fase de descoberta sexual, o que é perfeitamente normal na idade dele, e nem você nem ninguém vai impedir que isso aconteça. Portanto o melhor a fazer é orientá-lo e não criticá-lo!
 

“Gostaria de ver filmes pornográficos com o meu marido”

“Gostava de falar com o meu marido sobre filmes pornográficos pois excita-me imenso a ideia de os vermos juntos e, até, pormos em prática algumas cenas. Mas tenho medo que, ao visionarmos este tipo de filmes, se torne um hábito e afecte a nossa relação, ou que ele pense que já não me excita naturalmente, sem recorrer a fantasias. Como devo proceder?”

 

Carla, Coimbra

 

Cara Leitora,

Não há nada como experimentar! Se acha que o seu casamento necessita de uma reviravolta em termos sexuais, o visionamento de filmes pornográficos em conjunto pode ser estimulante para dar um novo alento e para implementar alternativas às relações sexuais que têm mantido. Ninguém é melhor do que a leitora para saber qual será a reacção do seu marido relativamente a este tipo de assunto. Se ele for uma pessoa muito reservada e que se reja por valores e conceitos tradicionais, será melhor ir com calma para ver de que modo poderá introduzir esta inovação nas vossas vidas. Ao visionar este tipo de filmes com o seu marido vai permitir que haja uma maior cumplicidade entre ambos e uma nova perspectiva do sexo. Esta prática pode oferecer a possibilidade de se sentirem excitados só pelo simples facto de observarem outras pessoas a terem relações sexuais, ou seja, serem voyeurs dentro dos limites da segurança, na privacidade do vosso lar. O simples visionamento pode provocar no seu marido uma estimulação diferente e uma relação sexual muito satisfatória. Em relação a si poderá verificar que a visualização deste material explicitamente erótico será um dos melhores e mais rápidos caminhos até ao orgasmo, facilitando o acto sexual.

“Passo o dia ao computador a ver pornografia….”

Tenho 34 anos e não tenho namorada. Neste momento estou desempregado, passo o dia em casa e acabo por estar muitas horas ao computador a ver pornografia. Isso faz-me sentir culpado, mas não consigo evitar. Sinto que o meu comportamento não é
normal… o que hei de fazer?”

 

José, Matosinhos

Caro leitor,

O que descreve parece ser um caso típico de um comportamento sexual aditivo, como um vício que é vivido da mesma forma que qualquer outro. Existem de facto, muitas pessoas que, tal como você, têm a compulsão de ver pornografia, e devido a isso passam horas a visitar sites de teor sexual. Este comportamento torna-se mais grave quando as pessoas acabam por se desligar da sociedade, dando mais importância ao ecrã e ao mundo virtual
do que àquilo que se passa à sua volta, não estabelecendo relacionamentos amorosos e até mesmo perdendo o emprego. O facto de estar desempregado e ter muito tempo livre está a fazer com que se desleixe no dia a dia e vá abandonando as suas rotinas sociais. Apesar de a pornografia não ser, por si só, algo nefasto, o seu consumo excessivo torna-a prejudicial para a sua vida a todos os níveis. Procure passar um dia fora de casa, saia com os seus amigos, obrigue-se a sair e a combinar encontros com outras pessoas, procure emprego ativamente, sem o fazer apenas pelo computador. Comece a reduzir progressivamente o tempo que passa nesses sites e, se não for capaz, procure um grupo de apoio para o ajudar a superar comportamentos aditivos.

Ele visita sites pornográficos!

“Estou com o meu namorado há quatro anos e temos o que eu considero ser uma boa relação. Estamos a morar juntos e planeamos casar no próximo ano. No entanto, eu costumo passar os fins-de-semana em casa dele e, quando noutro dia precisei de usar o computador dele, reparei que ele costuma visitar vários sites de pornografia. Além de me deixar incomodada isto surpreendeu-me
bastante, pois não estava à espera desta atitude da parte dele. Será que não está satisfeito com a nossa relação?”

Cláudia, Braga

Cara leitora,

É bastante compreensível que se sinta magoada perante essa situação. Pode ser que ele ao comprar casa e comprometer-se a casar consigo se sinta encurralado e queira a todo a custo manter a sua independência. Ele deve sentir-se bastante nervoso com a ideia de manter a monogamia para sempre, e como não pode ter relações com outras mulheres, pois isso iria destruir a vossa relação, optou por recorrer à fantasia. Dessa forma ele pode continuar a imaginar e a fantasiar outras relações sem no entanto a trair. Sugiro-lhe que converse com o seu namorado sem o atacar, pois isso só vai fazer com que ele se retraía. Descubra que temas e que fantasias o excitam e tente incorporá-los na vossa relação. Seja ousada e aberta a novas experiências de forma a que a vossa relação não se torne monótona.

Pornogrfia

 

 

“ Para ter relações o meu marido tem de ver filmes pornográficos”

 

“O meu marido só se interessa em ter relações sexuais depois de vermos filmes pornográficos. Porque será que ele não se consegue excitar só comigo?”

Tatiana, Aveiro

 

 

Cara leitora:

A pornografia é bastante utilizada tanto por homens como por mulheres como uma forma de excitação sexual. O facto do seu marido sentir a necessidade de ver filmes pornográficos antes de ter relações consigo pode dever-se a ele estar numa fase da vida em que se sente desinteressado por sexo e por isso necessita de ter uma ajudinha exterior para aumentar a libido. Isto talvez aconteça devido a problemas no trabalho, cansaço, ou até mesmo questões de saúde. Converse com o seu marido sobre o assunto e pergunte-lhe se há alguma outra forma de ele se excitar sem ter de recorrer a filmes. Usem a imaginação e diversifique a vossa vida sexual, pois muito frequentemente a rotina provoca desinteresse.